LG apresenta a primeira TV 8K com display OLED de 88 polegadas

lg-tv-88-inches-8k-oled

A LG brinca com 8K não é de hoje, ainda que não exista quantidade de conteúdo disponível o suficiente para justificar o alto investimento há sim um mercado consumidor, o de luxo; esses indivíduos não se importam de ter um display que será subutilizado a maior parte do tempo e por anos (da mesma forma que aconteceu com os primeiros compradores de TVs 4K), sua prioridade é ter o que ninguém mais tem e eles gastarão rios de dinheiro para isso.

Esse perfil de consumidor é o preferido dos fabricantes por ser o de early adopters perfeitos: eles têm a grana e a vontade, basta que os produtos existam e eles irão comprar não importa o preço. Todo mundo que está lançando displays 8K sabe disso e além da LG temos a Sharp, que está agora de olho no consumidor de luxo de todos os cantos do globo (exceto EUA, onde se envolveu em uma pendenga com uma “parceira” chinesa). Hoje temos TVs com resolução de 4320p e HDR, todas com displays LED e algumas bem grandes como este display de 145″ da Panasonic, mas a fabricante da Pior Coreia deu o próximo passo.

Como é de praxe, a companhia se antecipou à CES 2018 para apresentar em primeira mão o primeiro modelo de um televisor com display OLED e resolução 8K, com uma estonteante proporção de 88 polegadas, o que faz deste dispositivo o maior, com mais resolução e qualidade de imagem disponível no mercado; ainda que telas LED sejam boas, displays OLED estão entre as melhores telas e ao que tudo indica, os técnicos da LG estão aos poucos contornando os problemas de custo que inviabilizavam a produção de grandes televisores utilizando a tecnologia. Tanto é verdade que a Samsung prefere utilizar a tecnologia de pontos quânticos em suas belas (e caras) TVs da linha QLED.

A LG ainda não informou o preço desta TV, o mais provável é que saibamos mais a seu respeito quando a CES 2018 começar no dia 09 de janeiro; de qualquer forma ela custará caro: a atual topo de linha da fabricante, uma OLED 4K de 77 polegadas custa US$ 20 mil, por coincidência o mesmo valor cobrado pela Samsung em seu modelo QLED de 88″, também com resolução de 2160p. Logo, não espere por valores modestos e nem que as japinhas sejam inclusas no pacote.

Fonte: Engadget.

Relacionados: , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Barbaridade! Comprei a pouco minha primeira TV 4K e ainda estou me acostumando com a “imagem esquisita”. Tipo, é tão real que eu sei o tempo todo que é ficção. Bah, é difícil de explicar a sensação, mas… é esquisita.
    Acho que, simplesmente, não tenho ÓLEOS para ver a 8K.

    • Julio da Gaita ✔

      bem isso msm, a maioria das pessoas que conheço não consegue reconhecer a diferença entre um filme a 1080p e o mesmo em 720p rodando em uma TV FULL HD.

      Imagina de 4K pra 8K.

      orra 20k de trumps, deveria garantir japinhas durante toda a vida útil do “equipamento”…rs

    • Tex Murphy

      Sugestão para aproveitar mais o 4K da sua TV. Procure o canal HDR Channel o YouTube e aprecie os vídeos. Assim você vê que valeu a pena a aquisição da TV 🙂

      • Abdenego Santos

        Esqueceu de mencionar: adquira uma internet melhor, e reze para não fazerem traffic shaping, ou não ativarem a quota limite de tráfico mensal…

    • Luiz

      Eu queria que 4K tivesse reais 4096 * 2304 = 9,4 megapixels (16:9), apenas isto…
      Estou imaginando que tipo de mentira vão inventar no 8K

      • Claudio Roberto Cussuol

        Para imagem parada isso pode ser viável, para vídeo é complicado.
        Praticamente não existe aplicações para vídeo digital sem compressão.

        Faça as contas:
        Largura x altura x profundidade de cor = quantidade de bytes de um frame (o bom e velho BMP)
        o valor acima x frames por segundo = quantidade de bytes para armazenar um segundo de vídeo.

        Isso já era inviável quando fazíamos vídeo com resolução VGA, imagine em 4K

        Basicamente os algoritmos de compressão tiram vantagens do fato de que boa parte da imagem se repete entre os frames (por exemplo o cenário do fundo), partes da imagem de cada frame é repetitiva, etc…
        É o mesmo principio do MP3 que além de comprimir os dados, joga fora tudo que uma pessoa normal não conseguiria ouvir.

  • Jeorgelis
  • Germano

    E eu ainda no HD. Nao que eu esteja preocupado ou com pressa de ir para os 4K.

  • Angelo Vale

    Em muito breve teremos o 16K onde voce poderia analisar imagens com uma lupa.

  • Angelo Vale

    Acima de 320 ppi, fica muito difícil reconhecer os pixels. E num monitor de 4K de 49 polegadas a 2 metros de distancia acontece a mesma coisa. Resolução como 8K é para ser visto a pouca distancia.

  • Luis Marcelo

    Eu sei que pode parecer meio estranho o que vou perguntar, mas é que para mim ainda não é o momento de comprar uma TV 4k, seja OLED ou qualquer outra tecnologia: existe algum modelo de TV OLED Full HD com tela plana, e não aquela tela curva da LG? Existe algum fabricante que tenha planos de lançar uma OLED Full HD tela plana? Valeu.

    • Davos, o lord cebolito!

      Me iluminem, por favor: Full HD é a qualidade da resolução baseada em pixels e proporção de tela e OLED ou mesmo o QLED é a tecnologia por trás do pixel, pois define como ele é processado em termos de gestão de luz pra gerar as imagens, é isso? Qual a relação entre esses elementos? Pergunto isso porque, na minha cabeça, OLED era uma evolução desses termos HD, FULL HD, e ao que parece não é, é uma feature a parte!

      • DumbSloth87

        LCD, Plasma e OLED são modos de gerar uma imagem. Uma TV LCD é composta de uma luz de fundo (pode ser fluorescente ou LED) com o painel LCD na frente, o painel LCD é que determina as cores e a imagem a ser mostrada. A desvantagem é que o contraste fica prejudicado, pois os cristais não conseguem bloquear completamente a luz de fundo, fazendo com que o preto não fique realmente preto e sim um cinza escuro. Uma TV de Plasma não possui esse problema, pois os pixels que formam a imagem tbm são responsáveis pela iluminação. Isso permite que o Plasma possua um contraste incrível, mas as cores ficam meio lavadas se estiver de dia, por exemplo. Além disso, o painel a frente do “plasma” tem que ser de vidro, aumentando a incidência de reflexos indesejados. Uma TV OLED é feita de LEDs orgânicos, eles, assim como o Plasma, tbm produzem a própria luz e portanto possuem contraste infinito, pois podem ser desligados para produzir preto real. Os painéis OLED no entanto não possuem as desvantagens do Plasma, pois podem ser produzidos até em material flexível e transparente, tornando-o ideal para os smartphones com cantos curvados da Samsung, por exemplo.
        SD (480p), HD (720p), Full HD (1080p) e Ultra HD (2160p ou 4K) são resoluções de imagem, determina a quantidade de pontos que formarão a imagem, o número de pixels. No caso do Full HD (1080p), por exemplo, a resolução é 1920×1080, isso dá mais ou menos 2 milhões de pixels (pontos que irão formar a imagem).

        • Davos, o lord cebolito!

          Que aula, camarada! Parabéns, sensacional, mantenha-se focado e irá longe!

    • Tex Murphy

      Cara, hoje em dia a quantidade de TVs FHD fabricadas é cada vez menor. Não existe mais diferença no custo de produção de uma tela FHD (1080p) para uma tela UHD (4K – 2160p). Por isso, não vejo motivo ao afirmar que não é o momento de comprar uma TV 4K, visto que o custo hoje está acessível e ela é retrocompatível com conteúdos em resoluções mais baixas, como o FHD e o HD. Tecnologicamente falando, não faz sentido um fabricante usar tecnologia de ponta no modo de gerar a imagem (OLED) e não usar a resolução mais alta disponível. Por isso, acho improvável, pra não dizer impossível, que alguém lance uma TV OLED 1080p.

      • Luis Marcelo

        Tex Murphy, obrigado pela resposta. É que eu penso o seguinte: até onde sei, existe pouco conteúdo 4K disponível (estou falando em mídia física) para que eu aproveite todo o potencial que uma imagem 4k tem. Sei que existe o upscaling, mas pensando que eu comprei uma TV 4K e que ainda não existe grande oferta desse conteúdo, por melhor que seja o upscaling eu me sentiria jogando dinheiro fora, por que não comprei uma TV para assistir o que for exibido em upscaling, mas para assisitir em 4K. Sinto que estaria sub-utilizando minha TV e desperdiçando meu dinheiro, entende?
        Outro fator que me faz sentir estar jogando dinheiro fora ao comprar um TV 4K atualmente é que quando (e se acontecer de) o conteúdo estiver mais difundido, em quantidade igual ao que temos em DVD e Bluray atualmente, haverão TVs 4K com um desempenho melhor do que as TVs 4K atuais.
        São esses dois pontos de vista que me fazem perguntar sobre TVs OLED FullHD.

        • Tex Murphy

          Conteúdo 4K em mídia física, apenas os filmes em Blu-Ray. E pra assisti-los, além da TV 4K, precisa de um player de BD que suporte os discos em 4K ou então um Xbox One S ou X. Mas em outras mídias, temos uma quantidade razoável já de conteúdo 4K. Os jogos são o que estão em primeiro lugar, mas existem alguns filmes e muitas séries no Netflix, por exemplo, nessa resolução. Minha sugestão a você, se for comprar uma TV nova, invista logo numa 4K. Não há sentido em comprar TV nova hoje apenas 1080p. Até porque o custo vai ser muito parecido.

          • Luis Marcelo

            Tex Murphy, obrigado novamente pela resposta. É sempre bom conhecer novas opiniões. A minha maior dúvida em relação às TVs 4K é sobre a reprodução de conteúdo HD ou FHD: com o upscaling, a imagem fica boa, como se fosse reproduzida em uma TV que fosse FHD? Pergunto isso porque que já li diferentes opiniões sobre o upscaling: uns dizem que a reprodução de conteúdo FHD fica tão boa como fosse numa TV FHD, outros dizem que o upscaling não deixa a imagem FHD com o mesma qualidade que teria se fosse reproduzida numa TV FHD. As pessoas que defendem essa segunda opinião dizem que um conteúdo FHD pode só poder ser aproveitado de uma melhor forma numa TV FHD.
            Desculpe ocupar seu tempo, é que está difícil ganhar dinheiro hoje em dia, e por isso gosto de me informar o melhor que posso para usar o dinheiro da melhor forma possível.

          • Leonardo

            Luis, o upscaling de conteúdo Full HD em tvs 4K é perfeito, pois diferente do que acontece quando exibimos conteúdo 480p num display 1080p, não é necessário fazer nenhum processamento, cada pixel do conteúdo 1080p ocupa exatamente 4 pixels no display 4k, isso se da em razão de 3840/2=1920 e 2160/2=1080 ou seja, são múltiplos perfeitos.
            Não existe mágica e a imagem não sera superior, mas também não ficara borrada como quando exibimos DVDs num display Full HD.
            Não vejo motivo para comprar uma TV Full HD hoje em dia, a diferença de preço é pequena e apenas modelos low end ainda são fabricados, sem contar que a oferta de conteúdo vem aumentando, principalmente nos serviços de streaming.

          • Luis Marcelo

            Leonardo, obrigado pela explicação. Você saberia dizer como aparece o sinal digital das TVs abertas em uma TV 4K? Tenho uma boa imagem? Não fica borrada?

  • Luiz

    Esta foto da TV tá com problema de anti-alias. Coloca em 16xAA por favor.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples