Kindle, dez anos depois: pouca coisa mudou

kindle-6

Ontem, dia 19 de novembro o Kindle completou dez anos. O leitor de e-books que chegou como uma solução fechada para o consumo de e-books, oferecendo um hardware dedicado hoje é um sucesso comercial, possui várias variantes e um sem número de concorrentes, mas a verdade é que a revolução do livro digital nunca chegou.

Quando o Kindle chegou em 2007 a Amazon já era razoavelmente poderosa como uma grande loja de e-commerce, principalmente no que diz respeito a livros e muitos acreditaram que o e-reader, por facilitar o acesso às publicações representaria o início do fim dos livros impressos. A bem da verdade é lógico se pararmos para pensar: você poderia carregar toneladas de publicações em um só dispositivo, sincronizar novos livros era simples (para a época) e bastava clicar para adquirir novos junto à loja da própria Amazon, logo não havia motivos para pensar o contrário.

Todo mundo usou o mercado musical como referência: com a popularização do MP3 e o estabelecimento de lojas digitais legítimas como o iTunes, com Steve Jobs batendo o pé que era possível vencer a pirataria com bons serviços o mercado acreditou que o mesmo seria possível através do Kindle: os usuários aos poucos não só abririam mão de seus volumes físicos como a pirataria reduziria drasticamente graças a um sistema simples e prático integrado aos e-readers.

kindle-1

O primeiro Kindle. Como as coisas mudaram…

Pode-se dizer hoje que o segundo caso teve um grau de sucesso até que aceitável (a pirataria nunca vai sumir, fato), mas todo mundo errou ao apostar no primeiro cenário. A diferença é que no caso da música o CD é um atravessador quando queremos só a música, mas no caso dos livros eles por si só são o meio. Temos uma relação emocional ao manusear, folhear, colocar na estante e mostrar nossas coleções às visitas. Mesmo a proposta da quantidade foi uma ilusão: nenhuma pessoa racional lê 2.578 livros ao mesmo tempo, nós os lemos um por vez e carrega-lo na bolsa ou na mochila não é um empecilho tão grande assim.

Claro, quando o assunto são livros acadêmicos há uma diferença bem grande mas literatura? Não é caso.

Há o problema também da forma: o digital não permite uma exploração menos ortodoxa da mídia, é uniforme e dependendo do caso pode até mesmo fazer com que informações se percam.

s-jj-abrams

S., de JJ Abrams e Doug Dorst: um quebra-cabeça na forma de livro que vem com várias cartas, anotações, cartões postais, recortes de jornal para serem manuseados, tateados. Tal experiência se perdeu no e-book.

O fator do preço é outro desestímulo: por pura ganância das editoras e revendedoras o e-book é fixado com o mesmo valor do livro físico (não raro eles chegam a ser até mais caros), o que causa no consumidor a sensação de que está sendo enganado. Ele sabe que está comprando as palavras, a história mas a edição impressa é um meio em si, enquanto você gastará a mesma coisa por uns e zeros. Não faz sentido, não conseguimos atribuir valor real a produtos essencialmente imateriais e por pura mesquinharia os e-books não deslancham, se fossem mais baratos talvez a adesão fosse maior.

Por outro lado e-books são mais acessíveis: com softwares de leitura de tela ou recursos como o Audible, da própria Amazon deficientes visuais não mais dependem de edições impressas em braile ou que outros ditem para eles as histórias. Isso por si só justifica a manutenção dos livros digitais embora eles nunca venham a ter a força necessária para suplantar os físicos, pelo menos enquanto tivermos como fazer papel.

Hoje o Kindle é uma excelente ferramenta, com versões para todos os gostos e tamanhos de bolso e vários concorrentes com mais ou menos funções no mercado, mas a verdade é que ainda continuaremos a folhear nossos livros físicos por muito e muito tempo enquanto os e-books continuarão sendo produtos de nicho, para quem prefere uma vida digital ou quem precisa de acessibilidade; os demais continuarão folheando seus volumes, por mais incoerente que isso pareça simplesmente porque somos sentimentais assim.


Disney Junior Brasil — A Bela e a Fera – Uma surpresa para Bela

Relacionados: , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Bruno Renostro

    Eu tenho um e-reader kobo Glo e discordo do texto, eu passei a ler muito mais e também não abandonei os livros físicos.Passei a ler mais pela pirataria, livros caros e que não encontrava no Brasil eu passei a ler no Kobo, livros baratos de fácil acesso eu compro.Os e-readers não vieram para acabar com o livro físico, mas para complementar, você tem muitas funções tais como dicionários e portabilidade, imagina você carregando um livro de 800 paginas pro banco?

    • Julio da Gaita ✔

      como você se assumiu irmão de tapa olho e bandeira de caveira tenho uma pergunta:

      O Kobo roda bem PDF? Precisa fazer aquelas manobras de conversão pra rodar?

      Estou entre um Kindle ou tablet Fire, table chines genérico…

      • Bruno Renostro

        para e-reader você definitivamente esquece pdf, use só epub em e-reader, para pdf vá de tablet

        • Julio da Gaita ✔

          agora a missão é achar um tablet china otimo nos gearbest, banggood da vida, sempre vi como ponto negativo ficar preso no formato e-pub, e-mob da vida.

          Mas a tela e-ink ainda leva a melhor pra leitura e economia de bateria, mas um bom tablet china deve resolver legal…

          • Bruno Renostro

            lenovo p8, mas a questão não é ficar preso, é que o formato pdf é engessado e não se adapta bem a diversos tamanhos de tela, tendo que dar zoom em muitos textos, o que não acontece com o epub

          • grande_dino_2

            Nativamente, os e-readers da Sony são os que tinham o melhor suporte para PDF, mas você provavelmente não vai achar nenhum pra comprar aqui no Brasil.

            Aqui você tem a opção de pegar o LEV, que tem essa função nativamente.

            Outra opção é pegar um kindle paperwhite ou o kobo glo (caso ainda ache pra com) e instalar o KOReader (https://github.com/koreader/koreader/wiki), que tem essa função.

            Ele funciona consideravelmente bem para PDFs bem diagramados e sem figuras. Com figuras tende a ficar zoado.

          • Julio da Gaita ✔

            ouvi falar dessa tal facilidade do LEV da Saraiva,

            Mas ja vi tanto nego reclamando da construção dele ser ruim, e não durar nada, além dos problemas com o SO que desisti ./

          • grande_dino_2

            Sim, eu tive um que deu pau na tela depois de um ano de uso.
            Já meu kobo glo de 2011 ainda está aqui, firme e forte.
            Enfim, pegar o kindle, fazer jailbreak e instalar o KOReader provavelmente é a opção mais interessante caso você queira ler PDF em uma tela e-ink.
            Com o KOReader você também sai das amarras da Amazon e consegue ler e-pub no kindle.

          • Julio da Gaita ✔

            opa aí sim, isso abre várias oportunidades heim..

            Acho melhor esperar ele sair da garantia pra fazer isso .D

          • SignaPoenae

            Baixa o calibre (é gratuito) dá um reflow no pdf pra ele ficar parecido com texto de livro físico (sem colunas, textbox, imagens pra todo lado, quebrar margens e espaçamento, etc) e você consegue adaptar muito bem o texto nele para um kindle. Mas é muito trabalhoso, na minha opinião não compensa fazer isso.

            Pega um tablet china bem parrudo ( deve ter uns ótimos na faixa de 500 golpes) e você terá uma experiência de leitura de pdf bem melhor do que em qualquer e-reader.

          • Sophos Nsm

            rapaz so se for pra ler artigo cientifico pq é facil achar livro caolho em epub ou mobi

          • Richelmy Monteiro

            Nenhum Kindle com firmware superior ao 8.9.2 é possível instalar o jailbrake sem desmontá-lo e usar porta serial, mesmo vindo de fábrica, na primeira conexão a internet ele atualiza pra essa versão e acaba com a alegria.

          • Richelmy Monteiro

            A primeira geração dos Lev eram bem ruins mesmo, mas a nova parece ser bem competitiva

        • cquintela

          Existem trocentos conversores de pdf-epub-mobi-cbr, todos funcionam bem.

          • SignaPoenae

            Depende, amigo. Não tem como adaptar bem publicações científicas pra mobi, ou azw. sempre quebra alguma coisa no texto.

          • Sophos Nsm

            eu nao vejo muito sentido em ler publicação cientifica em tablet ou mesmo kindle ou em qualquer coisa que nao seja papel. nem na tela do pc recomendo.sou professor de metodologia do trabalho cientifico e encho o saco de meus alunos quando estou ensinando eles a analisar o texto, se não for em papel a leitura fica fraca.

        • Antonio Meirelles

          Concordo com voce. Eu tenho um iPad Pro (a primeira geracao) e para ler PDFs ele eh fantastico. A tela possui cores muito boas e uma excelente definicao.

          Lembro que eu tive o Kindle DX e gostava bastante mas era ruim para ler PDFs tecnicos… Acabei vendendo o Kindle DX e fiquei somente com os iPads.

          Mas mesmo com a fantastica tela do iPad Pro eu sinto que o cansaco vem rapido. Eu cheguei a cogitar a pegar o Kindle novamente para PDFs mas descartei a ideia justamente pelos motivos que voce falou…

          Alguem tem experiencia com livros tecnicos no formato EPUB no Kindle ?

      • Há uns dois anos eu caí nesse ~erro de comprar tablet (de 7 polegadas, Samsung Galaxy Tab 2) pra ler os PDF’s em faculdade e não precisar de quilos de xerox, especialmente de apostilas que professores disponibilizavam – incluindo aí capítulos de livros ou textos deles próprios.
        Te falo que não resolveu, é bem ruim ler muito tempo em uma tela de tablet, vc não consegue ler meia hora E as páginas nunca se ajustam, vc gasta tempo demais acertando paginas. É um ótimo quebra galho pra uma consulta rápida de certo texto, mas em 2017 a gente tem celulares de 5 polegadas pra essas consultas rápidas.

        Vi que tem como converter facil pdf pra epub, dá pra tentar fazer isso com seus textos.

        • Bruno Renostro

          A questão é que geralmente livros em pdf com imagens mesmo convertidos nunca ficam bom, ainda mais aqueles pdf’s em que você não pode selecionar o texto sabe, é tipo uma imagem, esses nunca vão ficar bons, não adianta….eu usei muito tablet na faculdade , nexus 7, mesmo com o e-reader.Leitores do tipo kindle é mais para leitura recreativa, não recomendo para textos tecnicos e pdf por experiência própria

          • Antonio Meirelles

            Como ficam livros tecnicos nativamente feitos em EPUB? Nao estou me referindo a conversoes mas livros tecnicos que nasceram no formato EPUB.

      • Reinaldo Matos

        Eu tenho um kindle Paperwhite e não me arrependo.

        O que eu diria em relação aos PDFs, é que vai depender da qualidade do arquivo em questão.

        Se o PDF foi bem feito e bem diagramado, a conversão para kindle vai de boa, mas não tente pegar livros escaneados, que no final das contas, cada página na verdade é uma imagem, e não texto… Daí não há milagre.

        Costumo usar o Send to Kindle da própria Amazon.

      • Sophos Nsm

        pq não migra pro mobi (kindle) ou epub? a maior parte dos livros atuais vc acha versões caolhas nos formatos mobi ou epub. alem disso vc pode converter via calibre pra mobi ou epub

      • O maU elementaU

        Quando eu tinha kindle, nao tinha um serviço de conversao automatica, voce mandava o pdf por e-meio e recebia o e-pub no kindle?

  • jgwasner

    Da minha parte, sou fã do kindle, assim como minha esposa e todo mundo que eu conheço que lê muito. Tenho um quarto dedicado para meus livros físicos e os dela, e simplesmente não cabe mais nada. Quantos armários mais eu teria que montar para acomodar a coleção crescente? Compramos aí uma média de um a dois livros por mês. E quando vamos viajar, às vezes por 30 dias e com uma mala enxuta, um livro grosso e pesado faz muita diferença sim. Ainda mais se forem dois ou três. E também levamos guias de viagem. Só pense no peso…

    Hoje, só compramos em formato físico livros de arte e afins. Livros que são enormes e tem figuras coloridas e detalhadas, para serem admiradas. Livros só de textos, ou textos + diagramas, nem pensar. Só em Kindle mesmo, exceto em um ou outro caso muito especial, de alguma obra que tenha algum apelo emocional muito forte para nós.

    Na boa, para alguém continuar comprando livro físico só de texto/diagramas, ou tem muito espaço livre em casa, ou só compra poucos livros anualmente, ou se desfaz deles imediatamente após ler.

    • Vin Diesel

      porque na hora de vender o apartamento que na verdade agora é studio, mal cabe a cama, quanto mais um supérfluo como livros… na cabeça desse povo idota do mercado imobiliario que quer vender uma especie de cemiterio vertical para vivos…

      • jacob

        A população está crescendo e o povo só quer saber de viver em cidade grande, é o esperado.

      • jgwasner

        Uma vez uma corretora de imóveis teve o cara de pau de falar para mim “mas hoje em dia as pessoas só usam o quarto pra dormir”, quando reclamei do tamanho minúsculo de um cômodo.

        • Vin Diesel

          com delivery que ninguem quer saber ou por burrice, preguiça de cozinhar, pedir carropor app, daqui a pouco servira apenas uma cama e um banheiro mesmo pros coizinhas… ate a roupa vao alugar por app…

        • Maximus_Gambiarra

          Nem consigo lembrar o que mais se fazia no quarto antigamente…

        • O maU elementaU

          Ela era feiosa ou era bombada? Porque essa ai nao conhece as atribuições maritais.

      • Reinaldo Matos

        Kitinete ou Kitnet ou JK (Sei lá como se escreve), ganhou o nome gourmet de “Studio” ou “Loft”…

      • Heisenbeck

        Sou um exemplo vivo disso. Tinha 2 estantes repletas de livros em meu apartamento (mais alguns livros espalhados pela casa). Quando fui transferido tive que deixar tudo em caixas na casa do meu pai e levar comigo somente o Kindle..

    • Rafael Rodrigues

      Eu tenho 400 livros físicos. Isso é meio que um transtorno para gerenciar.

      Quando eu e minha esposa não conseguirmos mais lidar com isso, venderemos o sofá.

  • major505

    No geral eu prefiro livros de verdade. mas estou apelando para livros digitaois para um outro tipo de consumo: manuais técnicos, sheets de referencias de microcontroladores, e referencia técnica em geral. Na mais util que vc está tentnado lembrar algo, mas não precisa mais ficar procurando numa biblia que tem que levar para um lado e pro outro

    • Anderson Pontes

      Comprei um tablet justamente pra suprir essa necessidade técnica. Sem contar outros aplicativos úteis que uso na bancada

      • major505

        Eu tinha um tablet e um kindle. os 2 quebraram, então comprei um tlefone um pouquinho maior e meti nele mesmo. Não é o ideal mas quebra bem o galho.

    • Evandro

      Eu já não gosto livros técnicos no kindle, só se forem artigos mais curtos. Meus livros técnicos (TI) tem diversos marcadores de páginas dentro deles para facilitar a busca de conteúdo que considero útil e acho muito ruim marcar paginas e trechos no kindle.
      Hoje em dia uso o Kindle principalmente para artigos, textos de blogs (uso aquela extensão que manda do browser para o kindle) e alguns poucos ebooks.

      • Kindle é péssimo para leitura técnica. Pelo menos nas áreas mais próximas das exatas/biológicas.
        Péssima diagramação de fórmulas, gráficos e diagramas.
        Para esse tipo de leitura é melhor o físico mesmo ou um pdf da vida.

        • Sophos Nsm

          nas humanas é pior ainda. texto de humanas depende de muito mais reflexão e introspecção vc precisa ler, marcar, pesquisar, analisar, voltar a ler, etc. como professor de metodologia afirmo que simplesmente nada supera o papel. e já fiz a experiencia com alunos dei a eles dois textos para lerem, separei a turma em duas metades na primeira metade o texto 1 deveria ser lido em tablet, celular, pc, kindle, etc e o 2 no papel riscando e marcando. na segunda metade o inverso. no final apliquei um questionário com uma reflexão sobre o texto. a diferença é imensa (um dia ainda publico isso)

  • Vin Diesel

    na minha opiniao, o paperwhite chegou ao seu ápice. O que deveriam é baixar o preço e popularizar. A noite é o horario nobre a leitura. De que adianta pagar uma merreca por um leitor sem retroiluminacão? Nem venha falar em abajour ou coisa do tipo…

    • Caipiroto, o Capeta Caipira 😈

      O papwerwhite foi o melhor treco que comprei nos últimos anos, fazia parte dos chatos que preferem livro de papel até comprar um de presente pra patroa. Não deu uma semana comprei um pra mim também.

      Minha opinião é a mesma que a sua, graças a Odin ainda não chegou a guerra de specs nos e-readers, o paperwhite está mais que ótimo, só falta baixar um pouco mais os preços que fica perfeito.

      • Germano

        Queria que viesse o e-ink colorido, ai sim ia ficar bom. Não faz nenhuma falta para a maioria dos livros que consumo, mas sempre tem um ou outro que deixo de comprar o ebook exatamente por isso.

        • Caipiroto, o Capeta Caipira 😈

          Acho que vale mais a pena o que falaram aí pra baixo: livros com muitas figuras e diagramas eu prefiro comprar o livro físico, a tela do Kindle é pequena pra ser confortável pra essas figuras mesmo com e-ink. Além do que, o e-ink não vai reproduzir com fidelidade as cores das figuras, mas é realmente de se pensar. Seria legal pras capas dos livros e ocasionais HQ’s que leio.

          • Sophos Nsm

            pra quadrinhos eu uso o tablet, mas de boa quando comecei livros com o kindle quase que aposentei os quadrinhos

          • Marcelo Eiras

            Livro com muitas figuras e diagramas eu leio no app kindle do ipad.

        • Yolanda Maria Corte Real Medin

          Concordo. Pelo menos a capa fica mais bonita.

    • Sophos Nsm

      comprei um comum, me arrependi devolvi antes dos 7 dias e comprei o paperwhite.

  • Glauber Silva

    Pra mim é como dizer que a TV substituiu o rádio. Livros casuais eu leio no Kindle, mas aqueles livros que eu paro tudo pra ler no conforto da minha casa ou livros técnicos tem que ser o físico mesmo.

  • Neo Trox

    A diferença dos livros para musica e filmes, em que a versão digital matou as copias fisicas, e que ler e algo palpável. Tem que ter o livro, se não parece que vc não possui ele.

    Sem falar que esses e-readers não evoluíram nada. ainda servem só pra livros que são apenas texto. Livros que tem ilustrações e uma boa diagramação, como os da Dark Side Books, e muito melhor ter o livro físico.

    Mas livros que são calhamaços é possuem só texto e mais pratico ler num Kindle. Num kindle um livro assim da pra ler ate deitado. Já que esses livros com mais de 600 paginas são horriveis de segurar e folhear. Tem livro que quando chega no miolo tem que quase rasgar pra poder ler direito.

    • Oberaldo Gilmentoo

      Isso é o que eu e creio que muitos pensam no início. Depois que v tem lá suas dezenas de titulos e ja acostumou esse negocio de posse do livro fisico e etc se torna irrelevante. Vale experimentar.

  • Ruan Rodrigo

    e-book deveria ser brinde do livro físico ou custar uma merreca fixa (compre o livro por 39R$ e leve o ebook por R$1) para deslanchar, o problema é criar o hábito, depois que se tem o hábito de ler em telas não faz diferença tanta ter o livro físico (faz, mas bem menos)

  • Juliano Nicoletti

    Também sou fã do kindle. Tenho lido com frequência. Acho ele muito prático para carregar (peso e tamanho). A alegação do valor dos e-books é precipitada, não compro nenhum por mais de 10 reais. Basta colocar na lista de desejos da Amazon e aguardar. De 30-40 Reis sempre tem promoção por menos de 10,basta ter paciência. E a facilidade de ter vários livros no aparelho é para viagens. Vc pode levar 10 livros pras férias de 30 dias num peso menor que 1 único volume… Sem igual.

    • Germano

      E tem volumes que sozinhos ja dão o volume dos 10 que muitos pensariam. “It” de Stephen King por exemplo…. toda vez que avisto aquele tijolo com suas pouco mais que 1000 paginas na livraria, oque se tornou comum quando o filme estava passando, imaginava o incomodo que seria carregar aquilo mesmo em uma mochila.

    • SignaPoenae

      Depois de quase 5 anos comprando e-books na amazon ela acertou a mão comigo. Não tá me indicando mais nada que custe mais que 10 reais, haha.

      Eu faço o seguinte, vou colocando uma quantidade cavalar de livros na minha lista de desejos, espero uma promoção boa (geralmente tem 1 a cada dois meses na amazon) e aí sim vou as compras.

      Acho que comprei até hoje apenas 2 e-books por preço cheio, mas era continuação de uma história que eu tava louco pra ler.

  • Sempre que surge um post sobre e-books e kindle eu repito a mesma ladainha:

    O Kindle Paperwhite foi o melhor gadget que já comprei em toda a minha vida, sou viciado em leitura e adoro pegar e sentir o cheiro de um livro novo, apreciá-los na minha estante e continuo comprando alguns livros físicos especiais, como “O Mundo de Gelo e Fogo”, “Os Cavaleiros do Crepúsculo”, “Coleção Completa Calvin & Hobbes” e etc…

    Contudo, a grande maioria dos livros que leio hoje em dia são ebooks e é um caminho sem volta. Ler um livro volumoso, dentro de um ônibus, de noite, em um dispositivo que pesa apenas 200 gramas, NÃO TEM PREÇO. Ontem fiz uma viagem rotineira de ônibus de 320km/5h e li 50% de Meio Mundo (Livro das Crônicas do Mar Despedaçado – Abercrombie, Joe) sem incomodar o passageiro do lado com luz ligada, sem cansar os braços e sem ocupar espaço na mala… O mesmo serve pra quem lê a noite, antes de dormir.

    As vantagens são imensas e apesar da nostalgia de ter e segurar o livro físico, a comodidade e o preço (concordo que no lançamento os preços costumam ser muito parecidos, mas 6 meses depois dá pra encontrar o livro por 20% a 30% do similar físico, nas promoções da amazon) dos ebooks são inigualáveis.

    • jgwasner

      Concordo em gênero, número e grau.

    • Reinaldo Matos

      Concordo, porém, diferente de você, e acredito que da maioria das pessoas, não consigo ler nada dentro de veículos em movimento…
      Em menos de 5 min de leitura, fico com uma puta dor de cabeça e com náuseas…

      Mas a noite, na cama antes de dormir, isso sim é o paraíso, e ainda não incomoda a patroa do lado.

      A única coisa que me faz falta, mas isso eu sei que é uma restrição tecnológica, é a de ser colorido… Um dia se isso acontecer, abandonarei até meus quadrinhos na versão física… (Comixology que se cuide)

      • Imagine um Kindle colorido com suporte ao app da Comixology?

        • Reinaldo Matos

          A Amazon comprou a Comixology, só não tenho certeza se a integração do comixology com o Kindle já está 100%, mas alguma coisa eu sei já está funcionando.

          • SignaPoenae

            O problema vai ser a putaria do licenciamento dos quadrinhos, igual a filme. Duvido que chegue alguma coisa a médio prazo no brasil

          • Reinaldo Matos

            Não sei se eu te entendi, mas está se referindo a quadrinhos em português?
            Pois o acervo do comixology está ótimo do jeito que está…

          • SignaPoenae

            Sim, e não…

            Assim como a netflix tem conteúdo exclusivo para os EUA, a comixology tem também…

          • Reinaldo Matos

            Entendi… Mas como eu disse… Pelo menos hoje, o acervo do Comixology está muito bom na minha opiniao… não tenho do que reclamar.

        • Nícolas Wildner

          Eink colorido está próximo[1]. Quem sabe num próximo Kindle? Pulei do Keyboard(3 Gen) pro Paperwhite(7 Gen). Talvez num 15 Gen do Kindle esta tecnologia já esteja madura…

          [1] - https://gizmodo.com/a-full-color-e-ink-screen-means-your-next-kindle-might-1778504107

      • OverlordBR

        Já eu não consigo me acostumar a ler livros em formato digital, mesmo em dispositivos como o Kindle, feitos especificamente para isto.

      • Pedro

        Quanto aos comics já deixo o tablet no banheiro para aquelas horas de leitura no trono, já li: transmetropolitan, spiderman 2099, Conan e Drunna ( ͡° ͜ʖ ͡°)

        • Reinaldo Matos

          Também leio comics tablet, mas a iluminação me incomoda… Não consigo ficar muito tempo lendo.

    • SignaPoenae

      Comprei o Mundo de gelo e fogo há uns 3 anos atrás e ainda nem tirei ele do plástico. Vale a pena ler, ou compensa esperar o livro 6, pra dar uma refrescada na memória?

      • Compensa, são histórias anteriores a Crônica de Gelo e Fogo. É praticamente uma enciclopédia falando da história e geografia de Westeros.

    • Sophos Nsm

      é de longe o gadget que mais uso. se juntar tv, videogames, celular e tablet, não da ainda o tempo do kindle.

    • Heisenbeck

      Kindle + assinatura Kindle Unlimited. Perfeita combinação.

      • Já assinatura Kindle Unlimited não vejo como vantajosa pra mim, não consigo consumir tantos livros assim por mês pra compensar o valor, quem sabe quando sair da faculdade consiga mais tempo livre para ler.

        • Fiz a assinatura na promo e não gostei: a maioria dos livros que me interessavam não estavam incluídos.
          A maioria é catálogo, que você compra barato, por bem menos que o valor da assinatura mensal.

          • Heisenbeck

            Entendo o ponto de vista de vocês, mas o valor é próximo ao de 1 livro, o que é facilmente lido em um mês. E eu uso o catálogo em outros idiomas também, o que ajuda bastante a ampliar a oferta.

    • Juliano Teichmann

      Falou tudo, mas o que me emputece é justamente o que o Gogoni falou no texto, o preço do eBook subiu demais. Li a série Wheel Of Time e paguei R$ 5,00 em cada ebook na amazon, agora o preço do ebook é R$ 28 e o livro impresso é R$ 29.

      A Amazon tá certa, eles querem ganhar mais dinheiro, se vamos pagar o preço que for pelo eBook eles vão vender mais caro e empurrar aquela assinatura (no meu ponto de vista idiota) para ter acesso a uma parcela dos livros.

    • Nícolas Wildner

      Moro no interior e são 20 minutos de ônibus por trecho: 20 manhã + 20 almoço + 20 volta almoço + 20 final do expediente. As mesmas vantagens que tu vê eu concordo. É muito prático para ler no ônibus ou em filas de espera por aí.

      Sem contar que para obras que possuem palavras mais rebuscadas(estes dias atrás eu resolvi ler “O Guarani”), o dicionário embutido ao clicar na palavra, e a “popup de nota de rodapé”/”popup de nota de sumário” ajudam bastante para tornar a leitura mais dinâmica, visto que no ereader é um SACO paginar pro final para ler algo e voltar a página utilizada, ou ter que sair de um livro para entrar em um dicionário.

      Edit: O que achou das Crônicas do Mar Despedaçado? Eu terminei a Trilogia da Primeira Lei, e estou pensando em ler os outros 3 que a Arqueiro ainda não traduziu no original(Best served Cold, The Heroes e Red Country) que são spin-offs na mesma região, já que essa trilogia termina com vários “nós soltos”

      • Tou gostando da trilogia, no momento estou me encaminhando pro fim do segundo livro e a mitologia é bem interessante além de que Joe é muito bom em descrever cenas de luta.

        • Nícolas Wildner

          Assim que terminar o décimo das Crônicas Saxônicas(O Portador do Fogo), acho que vou ler esta trilogia aí do Joe. O cara é muito bom escritor.

          Enquanto isto, aguardamos o terceiro das Crônicas do Matador do Rei que o preguiçoso do patrick rothfuss não lança….hehehehheh

    • Ricardo Marques

      Concordo plenamente. Faço faculdade em uma cidade vizinha e leio no ônibus com meu Kindle Paperwhite <3.
      Uma das melhores aquisições já feitar por mim.

    • Assino embaixo. Fui o feliz proprietário de um Kobo Aura One utilizado até ele resolver se aposentar. Estou no aguardo do Kindle Oasis para depois do Natal (baita mancada Amazon BR).

    • Hélio Márcio Matos dos Santos

      Meu Paperwhite é dos meus eletrônicos o preferido

  • Francis Schonarth

    Comprei um Kindle, mas logo abanodonei. Não vejo vantagem em pagar na versão digital o mesmo (as vezes até mais) do que na física. Fora o custo do aparelho, vida útil e afins que deixa a leitura digital mais cara do que a física que ainda tem a vantagem de poder doar ou vender o livro depois.

    • SignaPoenae

      Pra mim, o fator comodidade e conforto vem antes de preço.

      E a comodidade e conforto que eu tenho com um paperwhite jamais vou ter com qualquer livro físico.

      No mais, não pago de forma alguma mais que 15 reais em e-book, não importa qual seja. Tenho o Kindle desde que lançou no Brasil e nunca fiquei um dia sem ter e-book pra ler.

      Acredito que comprei até hoje apenas 2 livros com preço cheio (R$30 e R$40). Ambos continuação de uma saga de 3 livros, aonde ganhei o primeiro de graça da amazon. Aliás, quase sempre ela faz essa gracinha de sair dando livros excelentes de graça, mas cuidado pra não pegar um livro de uma série, igual eu fiz, haha.

      • Oberaldo Gilmentoo

        Tenho um kindle pw há dois anos. Só comprei um único título, e foi dos tais “kindle single”. Tudo o mais foi emprestado da biblioteca do Paulo Coelho. Provavelmente a Amazon tomou preju comigo.

        • kleber peters

          Cara, o Paulo Coelho é gente boa mesmo. Me empresta mais livros do que a biblioteca pública municipal, que por sinal fechou aqui no meu bairro depois que eu ganhei meu Paperwhite.

  • Comprar um aparelho específico para a leitura quando iPad com tela retina e tablets da Samsung com tela de amoled fazem o trabalho de forma melhor?

    • Não sei se você já leu em uma tela de e-ink, mas a diferença é absurda a ponto de nem ter como comparar.

    • SignaPoenae

      Não, não fazem o trabalho de forma melhor. E qualquer e-reader custa uma fração de um iPad

      • E de um tab com tela amoled? Enquanto o Kindle apenas lê livros, tablets servem para revistas, jornais, mangás, doujins e até possuem APP da Amazon para a leitura de livros. Fora a questão da memória, 3G integrado e uso para outras coisas.

        • SignaPoenae

          Cara, são aparelhos dedicados a coisas completamente diferentes. E-ink é a melhor tela de todas para se ler livros (sem imagens) e ponto final.
          Agora se você quer 500 funcionalidades, vai de tablet, celular ou notebook.

          É como você querer ser um fotógrafo e ficar comparando uma nikon com um galxy, apenas por ele ter várias outras funções que uma máquina fotográfica não tem.

        • Juliano Nicoletti

          Pensava da mesma forma até tentar ler livros em tablet usando o app kindle da amazon. Não conseguia por mais de 30 minutos, os olhos cansavam rapidamente e era dificil continuar. O problema é a iluminação, é como ler um livro com uma lanterna apontada para os olhos. Os e-readers não tem essa luz contrária, são como livros. E o paperwhite é como ter um mini abajur para ler no escuro.

          É a sempre disputa do que é feito especificamente para uma coisa e os outros que quebram um galho.

          • Sophos Nsm

            quase fiquei cego. minha retina deslocou e descolou lendo no tablet. comprei um kindle e leio varias horas diarias sem problemas

        • Sophos Nsm

          mas ai é outra historia. o kindle é bom para livros, o tablet é bom para outras coisas mas não para livros

    • Sophos Nsm

      rapaz eu usei o da samsung pra ler, nas feria speguei pesado na leitura, acabei ficando com problemas de visão. fui no oftamologista que disse que eu tinha deslocado a retina ou algo assim. por sorte foi temporario, mas nunca mais leio no tablet por periodos longos. so se for menos de meia hora.

  • Leonardo Grando

    Para mim, prefiro ter 200 livros no meu Paperwhite do que ter que ficar carregando 10 quilos na mochila.. como muitos, considero o Paperwhite o melhor investimento que fiz no ano passado. Uma coisa que falta no leitores de e readers é um suporte otimizado para PDFs…

  • Lucas Do Prado Polo

    Eu nem mantenho livros físicos por sentimentalismo, é mais por praticidade mesmo, para mim que sou programador e leio muito sobre matemática, a diagramação nas telas de seis polegadas nunca fica muito boa, as linhas de código ficam quebradas, tabelas se espalham em várias páginas, é bem ruim. Agora livros com apenas textos corridos e algumas imagens são bem legais mesmo e eu prefiro ler no e-reader. Até surgem algumas promessas de e-readers de até 13″, o que seria sensacional, mas é isso, apenas promessas que parece que nunca vão chegar aqui.

    • Germano

      Mesmo tendo aderido ao ebook principalmente para literatura técnica. endosso que o tipo de inconveniente que voce citou existe na tela do Kindle. Felizmente tem o aplicativo para Android, e tambem para PC onde muitas vezes fico só dando ALT+TAB para alternar entre o texto que estou estudando e a janela de aplicação onde estou exercitando, o que pessoalmente acho mais fácil que ficar olhando de um lado para outro e as vezes tambem brigando para manter aberta uma dessas brochuras que as páginas estão coladas na lombada.

  • Perzival

    “…nós os lemos um por vez e carrega-lo na bolsa ou na mochila não é um empecilho tão grande assim.”
    Há pessoas que leem mais de um livro sim, é tão difícil imaginar isto? Talvez os romances que o autor do texto lê sejam sempre fininhos, mas os últimos que li possuem entre 500 e 1000 páginas e a teoria acima fica bem comprometida. As pessoas que na época do aparecimento dos ebooks pensaram que seria o fim do livro em papel simplesmente não têm um raciocínio muito desenvolvido. Texto muito fraco.

  • paulokdvc

    Lembro-me de ter enviado um email questionando o preço do livro fisico para o digital, a resposta?

    “Devido a formatação e conteúdo o preço é similar”.

    Algo assim foi-me dito na época. Ainda acho o email p/ dizer qual editora me respondeu.

    Não concordo muito, já que tem processos grandes por trás do livro físico, diferente do digital.

  • André Luiz

    Tudo vira bula de remédio com esses e-readers, acho que funcionam melhor para leitura de artigos acadêmicos ou coisas técnicas/chatas

    Quando a leitura é para relaxar ou entreter vale a arte da capa, a qualidade do texto, as ilustrações, o sentimento de posse etc, etc,etc…

    • Sophos Nsm

      é o contrario. quando eu comprei o kindle eu passei a ler muito mais literatura. artigos academicos tem que se rlidos em papel.obrigatoriamente

      • Pois é, artigo e livro acadêmico que você precisa grifar, ler, voltar 10 páginas pra ler um trecho, avançar 10 pra ler outro, ir no índice remissivo, comparar com outro trecho e etc, fica impossível de fazer em um kindle, é tanto que 99% dos livros que compro hoje são de Direito e ficam desatualizados em 1 ano ¬¬

        • André Luiz

          Poxa, um ano?
          Eu imaginava que o direito era uma área do conhecimento que mudava a passos lentos.

          Legal

          • O problema que no Brasil são editadas e modificadas muitas leis todo ano.

        • Sophos Nsm

          está comprando os livros errados rs.

  • Idilberto Lopes

    Uma coisa que ainda não entendi, o kindle lê arquivos que não foram comprados na Amazon?

    • SignaPoenae

      Sim.
      Dá pra baixar livros da locadora do paulo coelho e colocar nele através do calibre.
      Inclusive, o calibre é melhor pra gerenciar a biblioteca do kindle (pirata ou não) que os aplicativos da amazon.

      • Sophos Nsm

        eu achava que era dificil mas quando peguei minha biblioteca de livros que estavam em epub em dominio publico (ahahahaha) e mandei converter o calibre fez tudo rapidinho de maneira limpa e bonita e ainda enviou tudo pra o kindle pela internet

    • Oberaldo Gilmentoo

      Tenho kindle ha dois anos e so comprei um título da amazon. Tudo o mais veio das quebradas…

  • Rolando

    Acho que muita gente faz como eu e usam os dois formatos, eu tenho um Kindle Paperwhite que adoro mas também compro livros impressos.

    • Rolando

      Ah sim, em relação ao preço isso mudou muito, apesar de acontecer o que você disse, ter o livro físico e o virtual com o mesmo preço ou o virtual com o preço maior, em uma boa parte do acervo o preço do livro virtual cai bastante em relação ao físico, como por exemplo, A Fúria dos Reis – As Crônicas de Gelo e Fogo Capa Comum R$ 31,63 – eBook Kindle R$ 6,10, Origem (Robert Langdon) Capa Comum R$ 39,90 – eBook Kindle R$ 24,90.

      • SignaPoenae

        Promoção de black friday , o preço digital costuma estar entre os 19,90.

        E livros de séries (geralmente com 3 livros ou mais) costumam colocar o primeiro livro com um desconto cabuloso, mas os demais continuam com o preço padrão. Eu sei porque já cai nessa armadilha algumas vezes.

        A única série digital em que vi todos os livros por uma pechincha foi a série Cronicas Saxônicas, do Bernardo Milhobom, que do livro 1 ao 9 tava saindo de R$ 6 a R$10.

        • Rolando

          Certo, mas mesmo fora dessa época os preços dos livros digitais realmente cairam, eu lembro que quando comecei a comprar a diferença era mínima, quase não existia e agora dependendo do livro tem uma boa diferença entre o livro digital e o físico.

          • SignaPoenae

            Nisso você tem razão. Também tinha o problema de que a amazon era desprovido de títulos das maiores editoras brasileiras, que não disponibilizavam os títulos nela por pressão das livrarias, que ameaçaram um boicote.

  • João Melo

    Nesses 10 anos do Kindle, tive todas as versões dele, um Kobo e um LEV. Vendi alguns e fiquei com o Paperwhite, usado pela esposa, e adquiri o Oasis há um ano.
    E concordo com muitos aqui sobre o fato de continuar amando livros físicos, mas é inegável a praticidade do leitor digital, principalmente em viagens ou naquela hora sagrada da leitura noturna.
    Vou seguir a dica de estipular preço máximo para meus livros digitais junto à Amazon. É ridícula essa comparação entre as mídias, a física e a digital, que as editoras forçam. Aliás, um baita incentivo à pirataria!

    • SignaPoenae

      Faz isso amigo. Vai colocando na lista de desejos e assim que cair no preço que você acha justo, manda bala. Aproveita que está em black friday e veja os livros que você gosta.

      Na minha lista de compras consegui encaixar 6 e-books por R$ 60, e até sexta vou pegar algumas edições de colecionador também.

  • Sophos Nsm

    depois do kindle minhas horas de leitura subiram de nada pra umas 10 a 20 horas (depende da semana)

  • Jorge Luiz de Sousa

    Se existia um leitor que jamais abandonaria um livro. Aqui está.
    Busquei todas as desculpas possíveis. Ainda compro livros físicos, sim! Quando necessário. Fico irritado com o preço dos ebooks ( não consigo entender).
    Mas, a verdade é que descobri que esse negócio de passar páginas, sentir cheiro é tudo frescura.
    Hoje leio demais no meu Kindle, leio livros físicos e não me importo mais com besteiras. Quando o livro digital é mais caro, pego em PDF, envio pra Amazon e recebo em ótima digitação.
    Sei que é pessoal. Desculpe é só uma opinião, mas estou de saco cheio de frescuras, pois quando se atinge um nível de leitor, a alma do livro passa ser mais importante.

    • Tiago Tato

      Concordo. Afeto eu tenho é pela minha mulher. Do livro eu quero o conhecimento, ou se for literário, a viagem que ele proporciona. Mas afeto por papel… isso é coisa de adolescente que compra playboy.😂😂

    • Petherson Costa

      Parceiro, existe uma alternativa pra converter PDF em formato nativo do kindle? O fraco do kindle é exatamente a legibilidade de PDFs.

      • Nem sempre fica bom, mas existe a possibilidade, todo leitor de kindle tem um e-mail que será “SeuUsuário”@kindle.com ae você vai e manda um e-mail pra esse endereço com o pdf anexado e no assunto escreve “Convert”. Quando mais bem diagramado o pdf, melhor fica a conversão.

        Além disso existe a extensão do chrome “Send to kindle” que transforma qualquer página na web em um artigo pro kindle, mais uma vez, quando menos imagem e mais texto tiver a página convertida, melhor fica o produto final.

  • Arthur

    Kindle paperwhite vale cada centavo.
    Mando artigos e matérias grandes para ler nele, tem luz, é leve, e dá para aumentar a letra, muito útil para superar o desafio de ler em ônibus.
    Único problema é realmente o preço dos ebooks. Aparentemente para as editoras impressão e transporte custam 10% do valor do livro…

  • Matheus Alexandre

    Faz dois anos que comprei meu Kindle, e foi juntamente os anos que mais li na minha vida.

  • Maom

    Compro o livro físico pra coleção e baixo a versão digital da locadora. Assim, tenho um livro virgem na prateleira transpirando a sexualidade dele, e leio no escuro no meu kindle antes de dormir.

  • Russo

    Eu quero muito reler os meus Crônicas de Gelo e Fogo, mas não tenho mais espaço para levar aquelas bíblias gigantescas na mochila. Mão coçando aqui pra comprar um Kindle…

  • Ricardo

    Acredito que o gargalo seja, quase que exclusivamente, o preço! A tecnologia de leitura digital, nós podemos nos adaptar, mas pagar aproximadamente o mesmo preço por um livro digital que você pagaria por um livro impresso, é uma clara afronta ao consumidor.

    • Germano

      Pode ser, mas pessoalmente fico meio grilado quando começo a ouvir o coro de que livro digital, por ser digital e não físico, teria que ser sempre e somente por isso mais barato. Isso me soa como se o valor de um livro estivesse mais atrelado ao valor do papel usado na sua impressão do que no seu conteúdo, e isso é avalia-lo mais ou menos como avaliamos papel higiênico.

      • SignaPoenae

        Você está correto, amigo. Mas e quando a edição de colecionador (capa dura, papel especial, e extras) está mais barata que o e-book?

        Acabei de pegar a edição de colecionador da trilogia dos espinhos por R$49,90 que contém os 3 volumes encadernados em “edição de luxo” (segundo a amazon), enquanto os 3 e-books saem por um total de R$ 86. Se os 3 e-books saíssem pelos mesmos 49,90 (ou pelos mesmos R$70 fora da promoção) eu compraria mesmo quebrando minha regra de preço de apenas R$15 por ebook, ou se cobrassem R$100 por um pack de edição de luxo+ebooks eu pagaria sorrindo. Mas agora eu vou guardar minha edição de luxo na prateleira sem tirar do plástico, e vou ler os ebooks piratas sem peso na consciência

        Não reclamo dos preços dos e-books serem alto pelo conteúdo, mas reclamo por saber que esse preço é controlado pela máfia das livrarias, e não por problemas técnicos e logísticos na produção dele.

        • Germano

          Ha casos e casos, e ha as promoções e os achados de ocasião, que existem tanto para fisicos quanto digitais. Fiz uma busca rápida pelo preço da trilogia que mencionou, e não achei preço menor que 70,00… novo. O preço que falou para os ebooks, confere, um pouco maior que o preço da trilogia física que achei… livros que você mantem na nuvem, pode ler em vários dispositivos que sincronizam o ultimo ponto de leitura entre si, incluindo o celular que leva no bolso, pode chamar um dicionario integrado na hora que topar com uma palavra que não conhece, e pode grifar e anotar sem peso na consciência de estar criando uma marca (dano) permanente a um livro físico – onde eu pessoalmente acho isso quase um ato de vandalismo mas não tenho problemas de fazer no digital.
          Se as vantagens que mencionei valem ou não pagar, as vezes, ate um pouco mais pelo livro digital, cabe a cada um decidir, para cada livro que comprar.

          • SignaPoenae

            Repare no valor total geral da compra (após aplicar o desconto)
            R$ 49,90 pela trilogia dos espinhos e R$38,10 pelo SRPQ.

            Como disse, NADA justifica a diferença de preço desse livro físico para o digital. E em vez dos caras tentarem ganhar um pouco mais tentando fazer um pack de ebook + livro físico, querem continuar metendo a faca em alguns casos.

            Sei de todas as comodidades e praticidades que tenho no e-book (afinal, tenho 3 kindles, e 1 com mais de 5 anos de uso) e sou defensor incondicional da causa dos e-readers e e-books, mas não dá pra negar que tem safadeza por trás desses preços.

            https://uploads.disquscdn.com/images/7d00162b5bf41dbee66049a6416a1c6aeb06a9146da7495d2c94879ef20604ec.png

      • Ricardo

        Sim… sim… você está certo, Germano. Acho que avaliação não pode, evidentemente, se ater apenas ao papel. Mas jamais os preços deveriam ser os mesmos, ou muito próximos disto.

    • Leonardo Nogueira de Deus

      O tempo que eu e minha esposa temos para ler é enquanto estamos em casa no quarto cuidando das crianças. Se pego um livro de papel minhas filhas querem pegar para folhear mesmo sem saber ler. Com um e-reader ou smartphone leio de boa quase sem interrupções. Ou para ler no trabalho enquanto estou na lanchonete ou durante o almoço ou enquanto espero o elevador. Por conta dessas facilidades já comprei livros na versão digital que estavam disponíveis para empréstimo na biblioteca de onde trabalho.
      Para quem gosta de clássicos, há diversos títulos disponíveis de graça nas lojas oficiais. Atualmente estou lendo “The Invisible Man” em um Kobo.
      Quando você se cansa de um livro e quer variar a leitura pode baixar imediatamente uma amostra de outro na loja oficial. Tenho por prática só comprar um livro digital depois de terminar de ler a amostra.
      Ainda que o preço seja o mesmo para as versões física e digital continuo vendo vantagem na existência da versão digital.

      • SignaPoenae

        Eu geralmente compro só edição de colecionador no momento. O resto pego em e-book mesmo. Se o preço do e-book está muito alto, pulo ele e espero promoção. Se está muito alto e eu quero realmente ler naquele momento, pego pirata mesmo, e se o livro for memorável, acabo comprando o físico.

  • Pri Silva

    Amo o kindle Paperwhite e posso dizer que foi uma das minhas melhores aquisições deste ano. Estou lendo muito mais e tem sido uma experiência confortável. Não sinto falta do papel, pois me apego muito mais ao conteúdo e, no meu caso, isso supre tudo… Termino um livro… faço anotações e inicio outro. Muito grata!!!

    • Germano

      Anotações, outra vantagem do livro digital na minha opinião, onde elas podem ser feitas e “desfeitas” se for o caso. Com o livro físico sempre fui cuidadoso ao extremo e sublinhar, grifar ou rabiscar uma pagina era algo impensável para mim, quase um crime. Mas com o digital não tenho problema nenhum em fazer isso.

  • Hernando Bueno

    Eu adoro ler e em viagens sempre foi um problema, pq nunca levo apenas um volume.
    Ganhei um kindle paperwhite.
    Achei o dispositivo excelente, fácil de manusear, tanto que em uma semana já estou no terceiro livro.
    Estou no período de testes do unlimited e pensando seriamente em fazer a assinatura mensal.
    Porém, nunca terá o mesmo charme do livro físico (que não abandonarei).
    Mas é inegável a comodidade em viagens e para leitura no período noturno.

  • LF Rovi

    Comprei um Kobo Glo em 2014, era maravilhoso, mas infelizmente estraguei a tela dele (já era). Lia 3, 4 livros na mesma época (tem dias que uma leitura flui melhor que outra). Voltei ao papel (que sou fã e sempre serei!), mas pelo volume/peso tive que levar um de cada vez na mochila. Este ano, depois de esperar em vão o retorno do Kobo (havia sumido da Cultura), peguei o Paperwhite (a Amazon me seduzia há tempos com promoções). Estou feliz novamente! Voltei a ter 3, 4 leituras paralelas, e continuo comprando livros físicos! Ou combinando os dois: estava lendo “20 mil Léguas Submarinas”, do Verne, a edição da Zahar (comentada e ilustrada), um pequeno tijolo pra carregar… com a chegada do Kindle agora, peguei o ebook na Amazon Unlimited (período de teste) e leio confortavelmente junto com os outros. (a obra tá em domínio público, até poderia baixar e jogar pro Kindle, mas queria esta edição específica). / Gostaria muito que ao comprar o livro físico os leitores ganhassem a edição digital para usar em seu gadget (e-reader/smartphone/pc…), afinal, não sai tão caro produzir e distribuir os ebooks! Seria perfeito para a popularização.

  • Osório

    Guerra de formatos: essa é a razão para o e-book não deslanchar. A Amazon não vende e-books no formato e-Pub e o Kindle não carrega e-Pubs que tenham direito autoral. Os outros fabricantes não leem o formato do Kindle. Assim as editoras se retraem e ficam no livro físico. Isso só vai se resolver no dia que a Amazon adotar o formato e-Pub. Mas não sei se isso vai acontecer, pois significa que a Amazon iria abrir mão de mandar no mercado.

  • Wagner Felix

    O kindle é mais pratico de levar na mochila que um livro de verdade. É mais confortável de ler também, sem precisar segurar a folha. Mas como bem dito no texto, as vezes o preço faz parecer que você esta sempre perdendo. Mas bem da verdade eu só leio livros físicos quando não acho na livraria perto de casa.

    A comparação com a música cai por terra, eu gosto do ritual de colocar o disco na vitrola, ler o encarte do LP, olhar as fotos LOL.

  • Nil Obermüller Schaupp

    Eu comprei recentemente mas admito que uso muito pouco, eu tenho uma biblioteca de quase 800 livros em casa, adoro retirá-los da estante, reorganizar, sentir seu cheiro, deixar algo dentro das páginas e achar um tempo depois.
    Outra coisa que gosto dos livros, é que dependendo dá para fazer anotações num pedaço de papel e deixar dentro deles, se quiser ler não preciso de energia e sim de apenas uma fonte de luz.

    Tenho usado mais o Kindle para ler algumas coisas bem antigas, fora isso, ainda prefiro carregar meu livro.

  • Marcelo Santos

    Como está atualmente a visualização de matemática em livros de formato epub ? Porque eu me lembro que era decepcionante.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis