Qualcomm rejeita oferta de compra feita pela Broadcom; US$ 103 bilhões “é pouco”

qualcomm-snapdragon

E não é que a Qualcomm deu aquela esnobada na Broadcom? A companhia de semicondutores fez uma suntuosa oferta de aquisição, oferecendo à fabricante de SoCs US$ 103 bilhões mais o compromisso de assumir sua dívida líquida, o que fecharia o negócio em cerca de US$ 130 bilhões.

Só que a Qualcomm recusou a proposta oficialmente, alegando que o valor oferecido era… baixo.

A Qualcomm vive um período conturbado: ela está sendo atacada por Deus e o mundo, tendo a Apple como puxadora da escola Unidos do Processinho: uma série de denúncias por práticas desleais levou a maçã a abrir ações judiciais contra a companhia, ato que foi imitado por, que fora acompanhada por suas parceiras  Foxconn, Wistron, Compal e Pegatron; a Qualcomm também já se desentendeu com a Samsung e foi condenada uma ou outra vez em casos isolados, sempre pelo mesmo motivo: ela estabelece contratos leoninos para ceder o uso de suas tecnologias, desde seus SoCs como outros componentes móveis, principalmente de modem onde ela domina o mercado praticamente sozinha.

Tais processos fizeram a Qualcomm perder muito valor nos últimos anos, mas ainda assim seus papéis eram até antes da oferta da Broadcom negociados por US$ 65,25 na bolsa. A última fez uma oferta de aquisição não solicitada, oferecendo-se para pagar US$ 70 por ação e assumir as dívidas que hoje chegam perto de US$ 25 bilhões, e somando tudo o negócio se tornaria o mais caro da indústria de tecnologia em toda a história.

Só que a Qualcomm mandou a Broadcom passear. A decisão do conselho em rejeitar a oferta de aquisição foi unânime, sob o argumento de que “a proposta desvaloriza dramaticamente a Qualcomm e chega com inseguranças regulatórias significantes”, segundo o presidente do Conselho Diretor Tom Horton. Trocando em miúdos, não só a fabricante de chips considerou o valor baixo para o que a Qualcomm realmente considera uma negociação justa, como seu corpo executivo possui sérias preocupações com as implicações antitruste que viriam depois.

Ainda que a Qualcomm esteja mal das pernas, ela conta não só com um portfólio valioso de tecnologias mas também com uma enorme quantidade de patentes e propriedades intelectuais, o que ele elevaria em muito o valor final da empresa. No entanto, há indícios de que a Broadcom não pretende desistir, e poderia tomar duas opções: a primeira, a mais provável seria cooptar os membros do conselho mais flexíveis e oferecer um valor maior, ou a mais agressiva e menos gentil: uma tomada hostil da Qualcomm, comprando diretamente os papéis da empresa negociados na Bolsa sem solicitação. É algo semelhante ao imbróglio entre a Ubisoft e a Vivendi.

O futuro é incerto. Pode ser que a Broadcom continue teimando em adquirir a Qualcomm e esta siga resistindo, ou ela pode vir a ceder em algum momento até para fugir dos processos, mas por enquanto a verdade é que a fabricante de chips mandou a rival passar amanhã.

Fonte: CNBC.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Devo, não pago, nego enquanto puder…

    Qualcomm aprendendo com a gente….

    • Kimzark

      Tá mais pra Venezuela.

    • Maom

      Se fosse a diretoria do Corinthians ou o FHC venderia por um décimo disso. 🙁

      • No caso do FHC venderia por uma ninharia, depois emprestaria dinheiro pra empresa fazer a compra com juros baixíssimos, que seriam pagos com os lucros de uma prestação de serviço de baixa qualidade, e mesmo assim a empresa daria prejuízo e o congresso votaria um perdão de dividas e uma ajuda em dinheiro ( Sim OI, estou apontando o dedo pra você)

        • Kimzark

          Tenho uma dúvida no caso da OI. É tão ruim assim se ela falir? Quero dizer… se ela falir não são os credores que assumem o controle da empresa?

          • Depende, ou os credores vão querer vender os ativos da empresa e demitir todo mundo, oque é o pior cenario ou os credores vão querer receber o dinheiro o mais rápido possivel, então vai começar com cortes de custos, oque geralmente é sinônimo de demissões em massa, diminuição de cobertura, investimentos. Oque seria ruim para o consumidor e para a economia que não pode encolher mais, o desemprego esta muito alto, e quando uma empresa do tamanho da OI abre falência não afeta apenas os funcionários diretos, existe toda uma cadeia produtiva em torno dessa empresa, que vai de fornecedores de material até empresas terceirizadas prestadoras de serviço.

          • Vitor RV

            A China Telecom vai comprar, mais tarde ou mais cedo.

          • Kimzark

            Também to achando isso.

          • Germano

            Alem de que, com tantos ex-clientes correndo para os concorrentes, eu não duvido que esses se sentiriam no direito de cobrar mais. Lei de oferta e procura.

          • ochateador

            Tem matéria dizendo que “apenas” 2500 cidades ficarão sem internet e/ou telefonia celular.
            Brasil tem 5500 cidades.

            Já dá para imaginar o tamanho da merda.

        • George Schildth

          Peraí, mas esse caso da Oi o autor não foi o molusco 9 dedos?

        • Cesar

          Nessa tu errou feio. A oi é rolo do molusco junto com seu adorado filhinho.

          • Apesar da Oi ter tido apoio no governo do PT, e ter o caso com o filho do Lula, ela foi privatizada no tempo do FHC, antes se chamava telemig, foi comprada e mudou o nome para Telemar, e quando telemar virou sinonimo de mau atendimento mudaram o nome para OI igual o PFL que mudou o nome para democratas pra poder enganar quem tem pouca memoria, igual ao caro colega, que veio defender o FHC sem dar uma pesquisada primeiro.

      • LV

        Se fosse o PT não venderia, mas desviaria todo o dinheiro, usaria como fachada para cargos e depois de 10anos levaria todo a falência.

        • Humberto Jorge

          Então você quis dizer Yahoo com a Marissa Mayer?

        • Maom

          Se fosse do PT ninguém iria querer comprar… Teria 30 vezes mais funcionários e estariam produzindo 40x menos do que hoje.
          Mas o Corinthians venderia por 20 bi pra pagar parte da dívida dos 25 bi e ainda ficaria na mão de empresários por conta desses outros 5 bi de dívidas.

  • Ivan

    Achei que a Qualcomm nadava em dinheiro….

    • Germano

      E possivelmente até nada, tanto quanto em dívidas que, alias, acho que toda empresa tem em algum nível e ela será tão sadia quanto for sua capacidade de manter a velocidade de captação de recursos maior do que a de liquidação de dívidas pelos seus credores. Não sou nenhum especialista no assunto, admito estar conjecturando.

  • Davos, o lord cebolito!

    O que me deixa com a pulga atrás da orelha é o fato de que todos que querem a Qualcomm lidarem com a questão de assumir as dívidas atuais da empresa tranquilamente. Acho que é o mesmo pensamento do conselho. Existe um potencial ali de se ganhar muito mais do que a atual oferta, é o que sou levado a acreditar, do contrário certamente a oferta seria aceita.

    • No caso se Broadcom fizer a compra, ela chega perto de um monopolio de modens 4G. Então o lucro seria muito certo, se os processos anti monopolio não minarem a fusão.

  • Christiano Nascimento Amorim

    se não fosse bom negócio, a Broadcom não tinha oferecido.

  • Wallacy

    Claro, ninguém faz proposta para comprar uma empresa sem vislumbrar lucros com o negocio. Porém acredito que a quantidade de empresas que foram compradas e não deram em nada é tão grande quanto as que deram. E historicamente, quando tem uma negociação bilhonaria assim, o lado que recusa a oferta quase sempre se da mal, vide Nokia… Dai a Qualcomm vai ter o problema XYZ… e vamos ficar nessa até a empresa ser vendida pela metade do que foi oferecido hoje.

    Muitos compram a outra companhia não pelos negócios atuais da mesma, mas sim pelos potenciais negócios agregados possíveis após o merge. Se for seguir a logica do “se ofereceu isso é porque valho mais” nenhuma empresa seria vendida.

    Veja o caso da Lucas Filmes, não importa o que fizessem, nunca obteriam os lucros de suas franquias na escala que a Disney tornou possível! E até onde me lembro, nem o dinheiro para fazer a sequencia eles tinham.

    Só espero que a Qualcomm não de uma de Nokia e saiba o valor de um não. É bom ela ter um plano interno para esses 25 bilhões em dividas.

  • Juaum

    Engraçado, a Apple viola patentes a rodo e dificilmente perde os processos. Será que a Qualcomm conseguirá vencer essa?

    • SignaPoenae

      O caso da qualcomm é mais complicado… Práticas de monopólio e de licenciamentos abusivos sempre tomam uma rasteira no mundo civilizado.

  • Samuel

    Deve dar tanto lucro que esse montante à vista não convenceu.

  • Coringão_Eterno

    Essas fusões / aquisições são a praga desse final de século XX e início de XXI. Menos empresas, menos competição, menos empregos, maior concentração de riquezas, clientes com menos opções de consumo. Isso vale pra tudo: empresas aéreas, medicamentos, alimentos, automóveis, tudo!

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis