Um dia é da caça, outro do caçador. Esse não foi o dia dele.

1wytq0h0

Se você acha a situação na Síria complicada, acredite: no Iêmen é pior. É uma das maiores se não a maior Proxy War da atualidade, com reais possibilidades de virar um conflito regional dos grandes.

Tudo começou em 2004, quando rebeldes Houthis começaram afazer oposição ao governo, então apoiado pelos EUA, Arábia Saudita e outros países. Eles acabaram tomando a capital do país e expulsando o presidente, mas só controlam 25% do país.

Encurtando a história, os sauditas passaram a apoiar os novos rebeldes, que eram do governo anterior. O novo presidente é apoiado indiretamente pelo Irã e pelo Hezbolah, o partido governante do Líbano.

Pra complicar parte do país é controlada pelo ISIS, parte pela Al Qaeda e outros grupos menores. Todos se odeiam e todos tentam se matar.

No meio disso tudo os sauditas bombardeiam o Iêmen, que ataca de volta com mísseis que eles não tem como construir, mas não admitem que compram ou ganham do Irã. O último ataque foi dia 4, quando um míssil balístico lançado do Iêmen chegou próximo ao aeroporto da capital saudita, quando foi interceptado por nada menos que CINCO Patriots.


Libertafree Liberta — Saudi Arabia intercepts Yemen missile over Riyadh ( riyad الرياض ar-Riyāḍ )

Foram gastos US$ 12,5 milhões em mísseis nessa defesa, mas com um único avião custando uns US$ 100 milhões, e vidas tendo preço incalculável, a matemática está mais que justificada.

Nem sempre, claro, os sauditas (note que não falei “os mocinhos”) se dão bem. Às vezes o Outro Lado (note que não falei “os bandidos”) tem sorte.

Foi o caso desses rebeldes Houthi, que conseguiram por as mãos em uma bateria de mísseis iranianos, provavelmente versões locais do SA-12 russo:

s-300v-9a83-image02

Com capacidade de atingir alvos a 100 km de distância e até 32 km de altitude, o SA-12 é má-notícia até pra um piloto de SR-71, que se for alvejado por um tem que acelerar o avião e continuar voando até o míssil cansar.

Quando o alvo é um pobre drone movido a hélice, chega a ser covardia.


Real Sides — WATCH : U.S Military Surveillance Drone (MQ-9) Shot Down By Yemen Huthi Missile

O Reaper MQ-9 não é exatamente indefeso. Mais que testado em combate, é uma evolução do Predador. é projetado para atacar o inimigo sem colocar em risco a vida dos pilotos. Voando a 25 mil pés e 300 km/h ele está fora do alcance dos lançadores de mísseis portáteis, mas é um alvo fácil para o SA-12.

O resultado foi tão inevitável quando espetacular. Atingido em cheio na asa, o Reaper provavelmente cambalhotou perdeu toda a velocidade vertical e se tornou um veículo com a mesma sustentação aerodinâmica do Ed Motta. Como resultado ele caiu como uma pedra, em uma verdadeira cena de filme.

Até fez o favor cinematográfico de acertar uma área aberta, sem ferir ninguém, veja:


sadiqsamawi — US spy drone (MQ 9) shot down in Sana’a, Yemen – إسقاط طائرة بدون طيار أمريكية في سماء صنعاء

Esse é um raro caso em que todo mundo saiu ganhando. Gente que seria desberlotada pelos mísseis do Reaper continua viva, o SA-12 que poderia matar um piloto destruiu um alvo totalmente mecânico, os US$ 17 milhões do Reaper são troco de pinga pro Pentágono e nós ganhamos material para um post.

Relacionados: , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • “Gente que seria desberlotada pelos mísseis do Reaper continua viva, o SA-12 que poderia matar um piloto destruiu um alvo totalmente mecânico, os US$ 17 milhões do Reaper são troco de pinga pro Pentágono e nós ganhamos material para um post.”

    Praticamente um episódio de Comandos em Ação com alto orçamento.

    • Torquato Pit Bull

      Estou precisando de uns trocados.

    • MRJ

      Ainda assim, me lembrou da maior zoeira de guerra de todos os tempos (me lembro da placa “F-117 ha ha ha”, num festival de música na antiga Iugoslávia).

  • Rogério Dantas

    Seria interessante se Irã, Hezbollah e Rússia começassem a armar os Houthis com tudo que podem.

    • Maximus_Gambiarra

      Hezbollah é o que faz foguetes com canos de água?

      • kleber peters

        Eles mesmo!

  • Marcogro®

    Que comecem os jogos…
    É impressão minha ou uma guerra com proporções mundiais está realmente se configurando? E não será mais um lado x outro, como antigamente, agora é o samba do afrodescendente doido… Vi isso na Síria, quando Russos e Americanos bombardeavam os terroristas/rebeldes que mais lhes apetecessem. Juro que pensei que uma hora eles iriam se bicar…

    • “samba do afrodescendente doido” não.
      O nome correto é melodia popular brasileira do afrodescendente acometido de transtornos psiquiátricos.

    • Cassio Eskelsen

      Difícil… o rolo ali é regional. São dois países que cresceram muito (Arábia e Irã) e estão tentando conseguir a hegemonia. Aliás, árabes e persas tem tretas históricas.

      Sei que o Irã não é flor que se cheire mas a Arábia é muito pior e ninguém se dá conta. Os wahabitas são muito mais “xiitas” que os xiitas iranianos. Basta ver a enorme quantidade de sauditas participando de ataques terroristas (veja o 11/9 por exemplo). Os sauditas também mantiveram muitas escolas islâmicas espalhadas mundo afora cujo objetivo era a doutrinação religiosa do ramo deles (e recrutamento de ~mártires~).

      • Pai De Santo

        Pois é, isso msm.. não é a Arábia Saudita que financia por baixo dos panos o ISIS?

        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Sim, mas negam pros EUA que fingem que acreditam pois precisam do petróleo

          • Humberto Jorge

            Os EUA não precisam do Petróleo, os EUA precisam do dinheiro do Petróleo. O negócio é diferente.

    • Bruno Aveiro

      Maluco, quanto mais eu ouço o podcast Xadrez Verbal (que por sinal, explica bem pra caramba esses conflitos que a gente aqui no Brasil nem faz ideia que está acontecendo) menos eu entendo e mais louco vou ficando.

    • Daniel Mietto

      “Juro que pensei que uma hora eles iriam se bicar…” – Se isso acontecer, não tem volta. Once you go nuclear, you never go back

      • Marcogro®

        Tive medo disso…

  • Julio da Gaita ✔

    ja tinha visto o ultimo video nos liveleak da vida, mas com o feedback completo é mais legal, por mais postagens assim pfv.

    Sou a favor de deixar os alahu akbhar resolver a treta entre eles…rs

    • Seriam dois tipos de assuntos “ocidentais” a se resolver: a dependência de petróleo e de venda de armas.

      Guerras geram desenvolvimento tecnológico (às vezes até em mais áres, vide os avanços nazistas na medicin… não, pera… é, é isso mesmo…), este é financiado principalmente por governos (não falei qual governo, note bem!). Há um hiato de conflitos, armamentos acumulam e ficam obsoletos. Encontram oportunidade de vender armas pra inimigos dentro de um mesmo país. Começam outro conflito. Se livram das armas velhas e financiam as novas com dinheiro dos impostos.

      É uma coincidência existir tantos inimigos entre si como no Oriente Médio (assim como na África – onde misturaram tribos adversárias à força) e fornecerem um recurso precioso como o petróleo (ou pedras preciosas e otras cositas mas como na África) no mesmíssimo lugar… basta um cara de terno surrado e uma pasta na mão pra vender as porcarias obsoletas, e depois intervir como “herói” ao massacrar “o inimigo da liberdade” (note novamente que não citei país nenhum!).

      É uma questão de se livrar de mercadoria parada, criar mercado e lucrar com isso. Repita.

      • Julio da Gaita ✔

        é tudo questão de busínês mesmo, e a gente exportando taurus e cbc, imbel da vida.

        Que fase a nossa, mas em falar que fomos um dos primeiros países a comprar as 1911′ na primeira leva em 1937 parece.

        ./
        # GIGANTEADORMECIDOMORREU,

        • Alberto Prado

          O Brasil é o quarto maior exportador de armas do mundo. A armas exportadas são boas. As porcarias que não passam no teste de qualidade vão para na mão da polícia pra mata traficante (que tem armamento israelense, alemão e a porra toda globalizada) e atira no próprio pé.
          Obs: E por mais que os policiais e as próprias polícias em si, solicitem autorização para o exército para poder compra armas decentes (como uma glock p.e.) de outros fabricantes, este se nega insistentemente. Pq será?!?!?!

          • tenfelipe

            Será porque é a lei?

          • Alberto Prado

            Não existe nenhuma lei específica que tem que usar tal modelo de tal fabricante de arma. O exército pode indicar outras armas para uso. Ainda mais que em se tratando da péssima qualidade das armas que são direcionada para os policiais.
            https://youtu.be/C9_YWNo1f-o
            Obs: Não é pontual a falha.

          • Julio da Gaita ✔

            é uma palhaçada q começou nos tempos da ditadura, ainda hoje o exército que através do.colog controla os produtos restritos que determina q não se pode comprar armamento importado se houver semelhante br…

            Incrível né, parece q sp vai abrir licitação sem restrições pra compra de pistolas, depois da merda da 24/7 q atira sozinha ou q mastiga cartucho deflagrado.

          • Ricardo Barcellos

            Até onde sei o Exército tem armamento superior as forças estaduais (polícia) para evitar uma possível revolta. Este caso aconteceu em porto alegre, aonde a brigada tomou um quartel do exército para começar uma revolta, lá pela década de 20/30. Meu tio sempre fala esta história, e ele manja das putaria em história… Não consegui achar um link falando sobre isto.

          • Julio da Gaita ✔

            caraios, bem legal isso, mas existiram várias revoltas no BR meo deols desde a época da república, mas nunca é ensinado, falado sobre e caimos sempre naquela de “brasileiro é um povo pacifico” e bla bla, sabendo muito pouco sobre guerra do paraguay e outras tretas, inclusive sobre a participação BR na WW2.

            Enquanto isso tá liberado aula de religião e vira uma briga quando tenta-se proibir a doutrinação política (marxista) na escola. E a mulecada acha Lenin, Stalin, Castro, e Guevara super heróis!

            Pra foder mesmo.

          • Mirai Densetsu

            Ué, doutrinação nacionalista pode?

          • Rafael

            Pesquisa sobre a Campanha da Legalidade, ocorrida antes do golpe de 64.
            A BM gaúcha cerrou perímetro em volta do palácio do governo gaúcho com metralhadoras que nem o exército tinha. Ameaçaram bombardear o palácio, pq o exército não teria como entrar lá à pé.

          • tenfelipe

            O Decreto 3.665/2000, no seu Art 190, determina que “O produto controlado que estiver sendo fabricado no país, por indústria considerada de valor estratégico pelo Exército, terá sua importação negada ou restringida, podendo, entretanto, autorizações especiais ser concedidas, após ser julgada a sua conveniência.”

            A Portaria 620/MD reforça:

            Art. 4º O Comando do Exército deverá negar, restringir ou autorizar a importação de produtos controlados, sob regime definitivo ou temporário, em conformidade com as competências estabelecidas no Decreto nº 3.665, de 20 de novembro de 2000, e no Decreto nº 5.123, de 1o de julho de 2004.

            Art. 5º A importação de produtos controlados poderá ser negada, quando existirem similares fabricados por indústria brasileira do setor de defesa.

            Então a lei existe sim, e fala que deverá ser dada preferência por produto de fabricação nacional sempre que houver similar no mercado. É a lei, e o Exército cumpre a Lei. Se você não gosta da lei, reclame com o legislador. Mas no Mundo de Bizarro, também conhecido como Brasil, quem cumpre a lei é que está errado.

            Agora veja só: a lei permite excessões dessa autorização. A própria Lei de Licitações prevê mecanismos para punir e impedir fornecedores que entregam produtos defeituosos ou que não atendem os requisitos técnicos descritos no edital do processo de concorrência. Ai eu te pergunto: Por que os órgãos afetados por estes armamentos defeituosos não puniram e inabilitaram essas empresas nos cadastros de fornecedores? Não, não é um processo complicado. Basta um inquérito técnico e um despacho administrativo do órgão competente, no caso, o gestor da compra.

            Então, as polícias reclamam do Exército, que cumpre a Lei, mas não fazem a sua parte para inabilitar o mau fornecedor e, com isso, realizar a compra do armamento que lhe atende. Interessante que a indústria nacional tem qualidade técnica comprovada, vende arma até para o FBI, mas as forças locais são boas demais para ter armas nacionais? Ora, tenham critérios na hora de receber estes armamentos adquiridos que os caras vão ter que entregar o produto de qualidade. Vocês acham que esses fabricantes vão desprezar um mercado do tamanho do nacional por puro capricho? Porque não foi feito o teste das armas antes da liquidação na nota e pagamento do empenho?

            E por fim, essa exigência não tem nada de ufanista ou estatizante, isso é questão de inteligência de mercado. Nenhum comprador externo adquire armamento que não é utilizado pelo próprio país que o fabrica. Por isso a Embraer vive hoje o maior perrengue com o KC-390. O Governo Brasileiro, que promete como sempre e falta como nunca, com dificuldade de adquirir o avião para as próprias Forças Armadas, põe em risco toda a estratégia de negócios da fábrica, pondo em risco a própria existência dela.

          • Alberto Prado

            O que vc postou só deixa ainda mais clara a situação no mínimo estranha. Pois esses “acontecimentos” vem ocorrendo no últimos 12 anos. E o fato do exército (que deveria inspecionar as fabricantes) não autorizar a importação, mesmo podendo e ainda assim estando dentro da lei como vc mesmo citou, de armas melhores com o intuito de preservar a vida e integridade física do policial e do cidadão a sua volta, só reforça o que se comenta nos fóruns sobre o lobby e a compra de oficiais de alta patente.
            Lembrando que em momento algum disse que a lei não deve ser seguida. Mas ela não pode se sobrepor a segurança em detrimento da “indústria nacional”.

          • tenfelipe

            Realmente, se você fala que esta situação tem acontecido nos últimos 12 anos, ela é bastante estranha. Não para o Exército, mas sim para as polícias militares envolvidas. Onde estão os responsáveis por estas comissões de licitações? Onde estão os responsáveis pelo recebimento e conferência desses produtos? O que estão fazendo os Ordenadores de Despesa dessas entidades que não instauraram processo administrativo e puniram os responsáveis pelo fornecimento, recebimento e pagamento do produto defeituoso? Quantos inquéritos técnicos foram abertos para apurar as falhas nos produtos?

            Você se engana quanto a responsabilidade do Exército inspecionar os fabricantes. Ele tem responsabilidade em verificar se os produtos controlados e suas partes não estão sendo desviados, vendidos no mercado negro ou para pessoas não autorizadas. Não é atribuição do Exército fiscalizar a qualidade técnica de cada lote da indústria. O Exército não é setor de qualidade de empresa nenhuma.

            Quem é responsável por garantir a qualidade do produto comprado é o órgão que o adquiriu. Porque você não pergunta nestes fóruns sobre a compra dos agentes da administração responsáveis pelo recebimento deste material?

          • Alberto Prado

            Não só tem, como ele o fez! Lógico que foi depois que a caca bateu no ventilador é que mandaram investigar. Se não fosse da responsabilidade dele, não teriam pq fazer isso então.
            http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/v/procuradoria-de-justica-militar-investiga-fiscalizacao-do-exercito-em-fabrica-da-taurus/5113363/

          • tenfelipe

            O Ministério Público Militar não é um órgão do Exército para ele manda investigar alguma coisa. O MPM faz parte da estrutura do Ministério da Justiça, e tem total autonomia em relação às Forças Armadas. O MPM investiga o que ele bem entender. Se ele quiser investigar porque o Exército não fez chover no sertão do Ceará em 1979, ele investiga. Agora se ele vai indiciar, ai já são outros 500, e se a Justiça Militar vai acolher o indiciamento, já sou mais outros 500. Então o fato do MPM investigar a fiscalização do EB sobre a Taurus não quer dizer nada, só que ouve uma denúncia e o órgão fez sua parte. Ouve indiciamento? Os promotores encontraram algum indício de conivência da DFPC? O Exército foi responsabilizado? Até onde eu saiba, nada disso ocorreu.

            Agora, sobre a responsabilidade das PM receberem qualquer coisa e não tomarem as devidas medidas para corrigir o problema, eu não vi você falar nada ainda…

            Só deixo aqui um trecho da Lei 8.666/93:
            Art. 73. Executado o contrato, o seu objeto será recebido:
            (…)
            II – em se tratando de compras ou de locação de equipamentos:
            a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação da conformidade do material com a especificação;
            b) definitivamente, após a verificação da qualidade e quantidade do material e conseqüente aceitação.
            (…)
            § 2o O recebimento provisório ou definitivo não exclui a responsabilidade civil pela solidez e segurança da obra ou do serviço, nem ético-profissional pela perfeita execução do contrato, dentro dos limites estabelecidos pela lei ou pelo contrato.

            Art. 87. Pela inexecução total ou parcial do contrato a Administração poderá, garantida a prévia defesa, aplicar ao contratado as seguintes sanções:
            I – advertência;
            II – multa, na forma prevista no instrumento convocatório ou no contrato;
            III – suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração, por prazo não superior a 2 (dois) anos;
            IV – declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até que seja promovida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a penalidade, que será concedida sempre que o contratado ressarcir a Administração pelos prejuízos resultantes e após decorrido o prazo da sanção aplicada com base no inciso anterior.

            Art. 96. Fraudar, em prejuízo da Fazenda Pública, licitação instaurada para aquisição ou venda de bens ou mercadorias, ou contrato dela decorrente:
            (…)
            II – vendendo, como verdadeira ou perfeita, mercadoria falsificada ou deteriorada;
            III – entregando uma mercadoria por outra;
            IV – alterando substância, qualidade ou quantidade da mercadoria fornecida;

            Você quer mais algum instrumento jurídico para que os OSP punam a Taurus e a inabilitem para futuras licitações? Por que não o fazem? Em invés de querer jogar a culpa do Exército, porque não tomam as medidas administrativas cabíveis? Quem são os oficiais de alta patente que aparentam estar agindo ao arrepio da lei?

          • Alberto Prado

            Agora que prestei atenção no nome do seu perfil. Entendi o pq do legalismo. Ok, sem mais.

          • Mirai Densetsu

            Ué… Jurava que o MPM fosse parte das estruturas do Ministério Público, que nem sequer pertence ao Poder Executivo.

          • tenfelipe

            Verdade. Eu quis dizer Poder Judiciário, mas acabei colocando Ministério da Justiça. E mesmo isso é errado, pois estou vendo aqui que o Ministério Público não está vinculado ao Poder Judiciario.

            Mas de qualquer forma, meu ponto é que o MPM não é parte do Exército, e o fato dele investigar algo não tem relação com a atribuição do Exército de fiscalizar produtos controlados.

          • Julio da Gaita ✔

            maldito lobby político da bancada da bala, mas na real eles subsidiam todos, culpa da burocracia do xolog tbm, li uma vez que a Sig Sauer veio para o Br comprou terreno e montou a parte fabril pra produzir o protótipo Br pra ser testado pelo exército (exigência burocrática) e estranhamente foi reprovada sem maiores explicações.

            Fora sp q comprou 2000 metralhadoras da taurus q estão guardadas no paiol de armas da PM de sp por rachadura no cano… pqp

  • Por que o Iêmen só lançou 1 míssil? Restrição de orçamento?

    • Estão em contenção de despesas. Quando tiverem um alvo mais suculento gastarão outro míssil.

    • Mr.Wolf

      Pelo que entendi esse sistema de defesa é copia do S-300V (Russo) e trabalha com dois tipos principais de mísseis, 9M83, 9M82, não sabemos qual a versão foi utilizada, mas um viaja a 8600Km/h e o outro a 6000km/h. O sistema é habilitado para acertar mísseis balísticos, mísseis de cruzeiro, e aeronaves em geral. Se comparar os 5 lançados do Patriot fica meio estranho, mas a velocidade, posição, tipo de voo e predição do modelo do alvo (que pode ter medidas evasivas pré definidas), vai indicar quantos mísseis e baterias tem de ser acionados. No caso do drone, como o texto sugere, ele estava a 300km/h ou seja não é muita coisa para um meio aéreo, se não fosse a alta altitude poderia tentar acertar com bateria antiáerea da segunda guerra (sim aquelas metralhadoras), ou seja, não sei a taxa de sucesso deste missel, mas o operador só disparou um, porque o computador mandou disparar um. No caso do dos Patriots, o problema é a velocidade do alvo, no caso uma vertente do Scud D, que pode ser considerado um missel balistico de curto alcance, sendo balistico a velocidade dele pode ser bem alta na reentrada, algo em torno de 15.000km/h e 28.000km/h, não achei dados de velocidade do Scud D, mas deve ser por ai. Agora se por em comparação, é mais fácil acertar um alvo a 300km/h do que um a 15.000km/h. Posso estar errado, mas achei 5 misseis de interceptação algo pequeno perto do tamanho do problema.

  • Allan.’.

    E os leitores ganharam um excelente post

  • Sem falar que os Houthis já derrubaram dois Eurofighter Typhoon sauditas.

    • cloverfield

      A impressão que eu tenho (posso estar muito errado) e que os sauditas tem otimos equipamentos mas não sabem usar direito.

      • Pois é, tem uma distância imensa entre ter e saber operar.

        • cloverfield

          Lembrando que eles andaram perdendo um F15 por aquelas bandas.

      • kleber peters

        É que lá, tal como na Índia, não é a capacidade do cara que determina o que ele vai fazer, mas sim qual posição social ele ocupa. Então os filhinhos de papai acabam pegando estas posições, mesmo sem ter nenhuma vocação para isto. Logo, pode dar o melhor equipamento para o cara que o rendimento não será o esperado.

        • cloverfield

          “Eu sei que você sempre trabalhou na fazenda, mas como primo do principe, toma aqui essa chave de um F15.”

  • Ed. Blake

    Dica para o lanche da tade: Se você ainda não chegou à parte do Ed Motta, termine de engolir antes de ler.
    Não é fácil limpar café com biscoito do teclado.

    Se chegou até aqui sem essa informação: Tarde demais!

  • Claudio Torres

    O bicho bota um Blackbird pra correr.

  • Roberval Suricato

    Muito boa a matéria.

  • Kang Otro ✓

    “e nós ganhamos material para um post.” kkkkk boa!

    • Se o Kim Jong Un palita os dentes, é material pra um post…. basta saber trabalhar a headline:

      “Ditador da Melhor Coréia™ oblitera detritos após derrubar uma floresta para tal”

  • Cocainum

    Todos se odeiam e todos tentam se matar.

    Tipo reunião de condomínio no meu prédio.

    • André K

      Correção: Tipo reunião de condomínio em qualquer condomínio.

    • Christiano Nascimento Amorim

      ahhhh…. Natal em família…..

    • Felipe Cluk

      Tipo período eleitoral no Brasil

      • Francis Schonarth

        Periodo eleitoral todos fingem que se odeiam.

        • Giovanni Frazilli

          Fora do período eleitoral é que as pessoas fingem que se amam.

      • Mirai Densetsu

        Nem é. No período eleitoral, todos os candidatos fingem amar todo mundo, incluindo pobres. E alguns até “comem” pastel de feira.

  • DOM

    Otima materia! É muito louco parar pra pensar que pessoas lucram com morte, fome e guerra!

    • Grade, Tardigrade

      Existem outras formas de lucro?

  • Marcos Paulo Betinardi

    Outra vantagem não citada de gastar nessa defesa é criar dissuasão, evitando novas tentativas.

  • André K

    Essa foto genérica do sistema SA-12 me faz lembrar a cara do Marvin em RED (1) quando ele diz: “O vice-presidente vai adorar isso!”

  • André Luiz

    Caraio, fiquei por alguns milésimos seguindo as pernas do maluco achando que eram de mulher.

    Mas depois eu lembrei que pernas de fora e mulheres não combinam com oriente médio.

    Não me julguem, como diria o Ricky Sanchez

  • Meninão Bobo

    Adoro pessoas assim que conseguem ver o lado bom em tudo!!! Show de bola!! Espera o cometa atingir a terra e matar todos nós… Vou voltar ver o post do lado bom!!

  • Felipe Torrezini

    “o SA-12 é má-notícia até pra um piloto de SR-71, que se for alvejado por um tem que acelerar o avião e continuar voando até o míssil cansar.”

    Cardoso, não seria “engajado” ao invés de “alvejado”?

  • Grade, Tardigrade

    Cara, adoro a forma como vc escreve! Textos sempre descontraídos, mas sem perder a seriedade.

    Para beins!

  • Luis Eduardo Rodrigues

    Ei, eu conheço aquela segunda menina de burca, perto da porta!!!

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis