Rumor — O Senhor dos Anéis pode se tornar uma série de TV, e a mais cara da história

lotr-the-fellowship-of-the-ring

Uma boa notícia para os fãs das histórias da Terra-média: a Warner Bros. TV e a companhia que cuida do espólio do autor inglês e negocia seus direitos estariam, segundo fontes com planos para viabilizar uma série televisiva baseada em O Senhor dos Anéis, e grandes companhias já estão de olho no produto. No entanto, o custo de licenciamento será altíssimo e é possível que o projeto nem saia do papel.

As primeiras notícias acerca de uma versão da épica trilogia para a telinha surgiram na sexta-feira através de uma matéria da Variety, em um acordo inicial que estaria em discussão entre a Warner, a J.R.R. Tolkien Estate e a Amazon, a primeira companhia interessada. É compreensível, a plataforma de streaming de Jeff Bezos possui produtos de peso mas ainda não faz frente à concorrentes como Netflix (globalmente) e Hulu (nos EUA), portanto contar com uma propriedade intelectual de tal renome em seu acervo seria um feito e tanto. A coisa seria tão séria que o próprio Bezos estaria envolvido na negociação de modo a garantir o fechamento do negócio, mas as informações eram de que tudo ainda estava em seus estágios iniciais.

Só que pouco tempo depois, o site Deadline trouxe mais informações a respeito do caso e a princípio HBO e Netflix também estariam interessadas em produzir a série, com esta última e a Amazon negociando diretamente com a Warner sobre como fechar a negociação. A emissora de Game of Thrones no entanto teria dado para trás recentemente por um motivo bem simples, a Tolkien Estate cravou a Narsil e girou: os custos de licenciamento teriam sido fixados entre US$ 200 milhões e US$ 250 milhões, o que somando às despesas de produção, elenco e tudo o mais faria de O Senhor dos Anéis a série mais cara já produzida, com um custo final de até US$ 150 milhões POR TEMPORADA. A título de comparação, cada episódio de Game of Thrones custa em média US$ 10 milhões e a coroa hoje está nas mãos de The Crown, que custou US$ 130 milhões à Netflix.

É caro? Claro que sim, mas convenhamos que a obra de Tolkien é uma das propriedades de entretenimento mais valiosas do planeta, e por isso mesmo levou muito tempo para que os livros chegassem aos cinemas. Há grandes chances que tal como a HBO, a Netflix e a Amazon acabem desistindo do negócio mesmo considerando que a audiência seria estelar, porque os custos elevados inviabilizariam outras produções de menos porte que podem vir a dar mais retorno para os serviços de streaming. Em suma, aguardemos os próximos capítulos mas sem muita empolgação.

Fontes: VarietyDeadline.

Relacionados: , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • “Série baseada no Senhor dos Anéis” e diferente de “série do Senhor dos Aneis”

    De minha parte, deveria ser o Silmarilion, mas tudo esbarra naqueles descendentes FDP do Tolkien, que ficam inventando histórias não publicadas dele tiradas do reto.

    • Vinícius Cordeiro

      O problema não são as histórias inventadas, já que o Tolkien tem MUITO material não publicado. A filhadaputagem é que eles não vendem mais nenhum direito para adaptação cinematográfica.

    • Não começa a reclamar senão eles permitem algum grande estúdio fazer algum absurdo como, por exemplo, transformar uma criatura das trevas como Laracna numa mulher genérica….

    • Lui Spin

      Vai ser “baseada”? Eu li em outros portais que iria ser “O Senhor dos Anéis” mesmo.

  • Não deveriam mexer com LoTR, só quem sabe, daqui a uns 20/25 anos, o filme merecesse uma refilmagem.

    Já Silmarililon tem conteúdo pra uns 10 filmes ou uma série com 10 temporadas. Seria épico ver a queda de Gondolin ou Fingolfin lutando com Melkor ou qualquer outra história, são todas épicas.

    • Vinícius Cordeiro

      O problema no caso do Silmarillion é o Tolkien Estate, que não vende os direitos para adaptação cinematográfica nem sobre o cadáver do Christopher. E os filmes de O Senhor dos Anéis e O Hobbit só existem porque o próprio J.R.R. Tolkien os vendeu quando ainda estava vivo. Esses direitos ficaram circulando de mão em mão desde a morte dele até parar no Peter Jackson, em meados dos anos 1990.

      • Um dia o maldito Christopher morre.

        • Vinícius Cordeiro

          Mas se não fosse por ele, O Silmarillion nunca teria sido publicado. A verdade é que ele tem uma visão muito protecionista da obra do pai, e não gostou dos filmes por achar que eles se desviaram da meta literária do pai e se tornaram filmes de ação genéricos.

          E pelo que já li, os filhos do Christopher que estão na direção do Tolkien Estate pensam o mesmo. O foda é que assim, só quando a obra entrar em domínio público é que daria para adaptar, mas QUANDO seria isso no caso do Silmarillion? Contariam a partir da data da morte do J. R. R. Tolkien, ou incluiriam o Christopher na conta? Será que incluiriam também o Guy Gavriel Kay (autor de fantasia que nos anos 1970 trabalhava como assistente do Christopher)?

          • Humberto Jorge

            No ano que foi lançado. Isto é, 2077.

      • Xultz

        Eu li em algum lugar que o Tolkien deixou por escrito seu desejo que sua obra jamais fosse licenciada para outros fins que não seja publicação de livros, e que ele tinha se arrependido de ter vendido estes direitos (mas a hagada estava feita). Assim, qualquer coisa fora do Senhor dos Anéis e Hobbit é altamente improvável…

    • Russo

      Eu queria muito ver Fëanor, Beren, Túrin e cia na telona, mas meu maior medo é ver o Peter Jackson cagar em cima de tudo como cagou no Hobbit. E lembre-se que por muito pouco o Sauron em carne e osso quase apareceu no Retorno do Rei, mas por sorte barraram essa ideia ridícula do PJ.

      Às vezes é melhor deixar a obra intocada do que à mercê de algum diretor maluco.

    • Diego Marco Trindade

      Eu não sabia desses rolos ds herdeiros do Tolkien, mas por mim podiam fazer uma série em animação dos contos de Silmarillion. lotR ficou muito bom em Live action, o Hobbit curti menos que a trilogia original, mas acho que em animação 3d ou tradicional haveria mais liberdade de representação de todos os contos, representar todos os personagens e locais.

  • Pra que isso ? Tanta história boa pra pegarem do zero e fazer virar algo muito maior que o Lord Ring…

    Olha GoT, fenomenal que é, começou do zero. Pega até a história do jogo The Witcher e já teve série europeia e faz um negócio bom

    • Rodrigo Dias Javornik

      Nas mãos certas, The Witcher daria uma ótima série.

      • Felipe Cerqueira Rodrigues

        vai ter na netflix

        • Wesley

          Por isso que ele disse: “nas mãos certas”.
          Infelizmente The Witcher foi pra Netflix, que não é ruim, porém suas séries dificilmente rolam nudismo, sexo, violência exacerbada, etc… tudo que os livros de The Witcher proporcionam.

          • Ivan

            Não viu sense 8?

  • Que não venha ou, se vier, que seja daqui uns 30 anos. A trilogia ainda é recente demais para ser “abandonada”.

    Que tal rebootarem O Hobbit? Não é como se alguém fosse sentir falta daquilo mesmo….

    • Eu não iria reclamar

    • Ivan

      E espremer mais daquilo? com livrinho de 200 paginas fizeram um filme, não ia dar nem meia temporada.

      • O problema até não foi fazer três filmes dO Hobbit, mas encher de linguiça, efeitos especiais fuleiros e tentar “consertar” o trabalho do Tolkien.

        • Ivan

          É uma historia curta, 2 filmes no maximo seriam suficientes.

  • Não falta livro com história ainda não adaptada. Eu cito uma trilogia que gosto muito: A Trilogia Cósmica, do C. S. Lewis – só espero que não destruam como fizeram com As Crônicas de Nárnia.

    • Ursinhomalvado

      Será que tem espaço pra isso nos dias de hoje? Vida em Marte escondida nos canais… (ou esse livro não tem relação com a trilogia cósmica?)

  • Lui Spin

    O chato é que eles fariam o filme em forma de série. Não vejo motivos para tal.

    Seria mais legal um spin off.

    Ou então pegar algo desconhecido do grande público, e fazer a série. O sucesso poderia não ser imediato. Poderia demorar algumas temporadas para engrenar, mas seria bem mais barato.

  • Xultz

    Por menos de 80% desse valor eles conseguiriam comprar facilmente os direitos de “Calcinhas no Espaço”.

  • Gaius Baltar

    Sinceramente me parece algo desnecessário. Sou daqueles que depois da trilogia do Hobbit parou de dizer “vejo qualquer coisa sobre a Terra Média”, como (ainda) faço em relação a Star Wars, Star Trek, Battlestar Galactica e Duna. Sim, eu vi as minisséries de Duna do SciFi. Shame on me! 😂

    • Malcan

      Ainda bem que foi as minisséries. Imagina se você gostasse do filme!

      • Gaius Baltar

        Eu não disse que gostei, eu disse que assisti. 😄

  • Vinicius Santos

    se for pra fazer O Silmarillion tá valendo cada centavo! Os filmes deixem como estão, quando todos aqui morrerem aí façam um remake hehe

  • Meninão Bobo

    HBO conhece bem custos x lucro com GoT ja Netflix conheceu bem com The Crow e Marco Polo ( gosto amargo na boca).

    Complicado de mais esse custo, uma aposta muito alta e se falhar prejuízo gigante!

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis