LEGO vai lançar em novembro coleção Mulheres da NASA

mnasa1

De uma coisa podemos ter certeza: o elenco do próximo filme do LEGO vai ficar mais interessante. A empresa, que sempre lança kits legais como o do Saturno V, que mandaram para todos os sites gringos mas não pro MeioBit então é uma droga só que não foi um deles, mas agora a homenagem é pessoal.

A idéia era homenagear mulheres da NASA, com isso incentivar meninas a se interessarem por STEM, aquela sigla que significa Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Vocês não, Humanas.

Depois de muita discussão escolheram os nomes, e os kits que começarão a ser vendidos em novembro homenageiam:

mhamilton

Margareth Hamiltona cientista da computação que não escreveu sozinha todo o software da Apollo 11, ela coordenou a equipe, criou processos e metodologias de código robusto e salvou a missão quando um bug fatal foi contido graças a suas rotinas com regras draconianas de gerenciamento de recursos.

Mae Jemison — cientista, primeira astronauta negra, uma das muitas profissionais inspiradas por Nichelle Nichols em Star Trek. Além de ter voado no Space Shuttle a Dra Jemison ainda teve a honra de voar na Enterprise. Ela apareceu em uma ponta em um dos episódios de Star Trek: TNG.

Sally Ride — médica e primeira mulher astronauta americana, a que teve que responder quando os engenheiros perguntaram se 100 absorventes eram o suficiente pra uma missão espacial. Sally também foi a primeira lésbica no espaço mas a NASA a fez esconder isso até quase o dia de sua morte.

Nancy Roman — conhecida como Mãe do Hubble, foi a primeira mulher a ter um cargo executivo na NASA. Em 1961 se tornou Chefe de Astronomia, isso em uma época onde prédios como o Controle de Missão nem tinham banheiros femininos.

Antes que alguém pergunte e já respondendo à problematização da militância, no projeto original foram cinco escolhidas, mas Katherine Johnson não aceitou a homenagem e proibiu o uso de sua imagem nos kits.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • Atrollando Natuacara

    Uma bela homenagem da lego!
    Espero mais outras acompanhada com breve história.

    Mas o pessoal da problematização vão ficar triggered com encaixe macho fêmea das peças…

    https://uploads.disquscdn.com/images/d633c5cf48a70cae3fb0fd0f03f4390e46eaa2c92b11a1fba518a453544406ce.jpg

    • Beeros Sama

      Normal!
      Mas tinha que ter também as Soviéticas/Russas.
      Acho muito válido essas homenagens aos astronautas.

  • gfg2

    Pergunta sincera, porque essa fixação quase exclusiva de incentivar apenas mulheres no STEM?

    Procurei e não achei, então pergunto, porque não lançar legos homenageando alguns homens da NASA junto?

    Claro que quanto mais pessoas fazendo STEM melhor, mas parece que há uma obsessão de que enquanto não for TUDO meio a meio(claro que só pros cargos mais valorizados) não está bom.

    E pra galerinha crescente que vem brotando do ralo do g1 ultimamente: Sim sou machista, facista, nazista, taxista, radialista.

    • Beeros Sama

      É que na verdade só uns astronautas receberam homenagem como o Buzz (Lightear) Aldrin.
      E acho válido esse tipo de homenagem.

      • gfg2

        Queria saber em qual parte eu desvalido a homenagem, sendo que apenas questiono o foco quase exclusivo da da mesma.
        Alias poderia postar esse lego do Aldrin? Que eu não o encontrei.

        • Beeros Sama

          Mas não falei nada sobre tu desvalorizar. E sim que EU acho válido este tipo de homenagem.
          ;-}

        • Beeros Sama

          Buzz Lightyear é um personagem animado do Toy History.
          Desculpe-me a pergunta mas que mundo tu vive que não sabe disso?
          www*lego*com/en-us/minifigures/characters/buzz-lightyear-80f98c216bad409c850bf7bc0d275779
          Substitua os * por .
          De nada.
          ;-}

          • Reinaldo Matos

            Escreva o link entre as tags code:

            Aqui vai o link

            OBS: Tire os espaços… hehehe

    • Lucas Timm

      Porque é ‘cool’.
      A militância chiliquenta acha que a área tem homens demais e causa opressão com as molheres. Claro, isso elas dizem no Tumblr, acessado de seu iPhone no seu curso de Ciências Sociais. Nenhuma das que reclamou quis cursar exatas. As que cursam estão ocupadas demais estudando (e bebendo) pra aguentar a paulada, como qualquer estudante da área.

      • gfg2

        https://uploads.disquscdn.com/images/bd1585782b35116b2988d2a60cbfb2a27fe0a013e9fd0afdea297f87fcfa7134.jpg
        Isso já é velho pra kct, só não consigo entender porque as empresas ainda dão moral.

        • Lucas Timm

          Porque quem decide normalmente não tem conhecimento de causa. Veja o exemplo do Omo: Tem as áreas de comunicação e marketing, por exemplo, que são tomadas por lacradorxs. Acharam lindo fazer uma propaganda de sabão em pó pra lavar roupas que fale de ideologia de gênero pra crianças…

          Isso vai chegar num board cheio de anciões. Eles são alheio a tecnologia, e vão ler as palavras “tendência”, “sociedade”, “estudos recentes”, etc, não vão entender, e vão aprovar. Vai ser mais um produto ‘cool’, mas se vai vender mesmo, são outros 500.

          Mesma coisa aqui. A Barbie nos anos 60 lançou uma boneca astronauta, e não vendeu: As meninas preferiam a Barbie cozinheira.

          E eu acho legal essa homenagem do LEGO a essas mulheres. Mas não seria um produto pra mim, e sim pra militância. Que, como o Cardoso já falou, quem xilica não consome.

          • Reinaldo Matos

            Se tem um brinquedo que eu gostaria de ter tido na minha infância, esse brinquedo seria o LEGO, mas infelizmente preço é salgado demais pra mim.
            Realmente, é uma homenagem muito justa, e eu compraria sim, não pela lacração, mas pelo que essas mulheres representam.

        • Dou uma e se for bom dou mais

          Cara, você está respondendo a sua própria pergunta?
          Porque apoiar mulheres no STEM? Porque poucas mulheres estão interessadas em STEM!
          Se as mulheres verem que existe apoio vai existir um crescimento, pode até ser pequeno, mas vai ter. E isso é muito bom.
          Não é caso de ser lacrador e sim incentivar para que surjam menos idiotas lacradoras retardadas estudantes de gênero e mais cientistas.
          Ou na melhor das hipóteses, vamos tirar uma futura estudante de humanas do mal caminho.

          • gfg2

            1° Não é só mulheres que estudam humanas e viram lixo humano, então porque caralhas não incentivar os homens a sair dessa área também?

            2° Se querem um maior numero de cientistas(at all) porque caralhos não incentivar homens também?

          • Jean Souza

            Agora que eu vi suas respostas fico decepcionado. Achei que era uma dúvida válida, e não um espaço para você colocar opiniões como essas.

            Quem é das humanas não é um lixo humano. Isso é um pensamento mesquinho e digno de G1. Existem muitas áreas interessantes dentro das ciências humanas. Falar tal absurdo só demonstra tal ignorância que alguém pode ter.

            Quanto ao incentivo feminino, eu tentei explicar no argumento que lancei acima. Na realidade, existe um incentivo geral para entrar na STEM – pelo menos nos USA. Basta ver como o próprio Barack Obama fez um discurso no meio da crise falando da importância da área. Apenas existem campanhas diferenciadas para as mulheres pois elas enfrentam mais preconceito quando optam por tal profissão – que vem da família, da sociedade e de alguns colegas de profissão.

          • gfg2

            Estava me referindo aos exemplos especificos que o comentarista acima havia feito, se tu não possuiu essa minima capacidade de abstração, só lamento.

          • Jean Souza

            Ataque as ideias, não as pessoas. Lixo humano é quem mata os pais, faz maldades sem pensar nos outros, enfim, cometem atrocidades. Estudar, seja qual for o assunto, e debatê-lo não torna ninguém um lixo humano. Estas pessoas apenas discordam da sua visão de mundo.

          • gfg2

            Debater? hahahaahahahahaahahahahaahahahaaha
            Não concordo, tá aqui os fatos.
            -“Não discuto com fascistas!”
            Alias estudar pra impor a força as ideologias que “aprendeu”, principalmente pra quem não tem discernimento é sim lixo humano até que me provem o contrário.

          • Dou uma e se for bom dou mais

            1 – Porque temos menos homens em humanas, seria um esforço de baixa recompensa. Mas temos muito mais mulheres então se pudermos tirar algumas do mal caminho que mal tem?
            2 – Porque temos mais propaganda pra homem em STEM do que para mulheres ué? Pra que gastar mais com algo que já funciona? Quer um exemplo minha área na faculdade é ciência de alimentos (ou seja, somos cientistas e o curso segue a característica de homens-mulheres por todos os 15 anos de existência) e a gigantesca maioria são de homens. Na turma do 2° semestre atual são 35 rapazes e 5 garotas e olha que é de alimentos, nem pega tão pesado. Já em pedagogia a turma atual do 2° semestre tem apenas um rapaz…

          • gfg2

            Não achei nenhum boneco de lego homenageando algum cientista da NASA, queria saber onde está essa propaganda toda.

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Não tem porque não precisa caralho! Simples assim! Tá pior que feminazi problematizando velho!

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Tá… vamos explicar de forma didática. Você faz propaganda pra atrair qual cliente? O que você atende a anos e vai só trabalhar com você ou para atrair aquele que não é seu cliente?
            É a mesma coisa, homem é maioria na ciência, tem mais aptidão para isso comprovadamente (sim existem pesquisas na área que mostram que homem tem mais APTIDÃO, nada a ver com destino, para áreas de ciência e mulheres para áreas de humanas) e naturalmente procura essas áreas. Faça propaganda para atrair a mulherada para a ciência e vai ser situação win-win, mais mulherada nos laboratórios (e menos cheiro de cueca) e menos mulherada sem depilar o suvaco (auheuaehuaeheauhaeuae)!

          • lbfv

            Meu Deus amigão, quanto mimimi! Daqui a pouco vai reclamar pq só tem princesas mulheres na Disney. A Lego deve ter feito uma puta análise do mercado pra lançar o conjunto, a área de STEM tá crescendo muito entre as mulheres hoje em dia pq antes era um tabu, e a empresa possivelmente viu uma oportunidade.
            Vcs ficam politizando qualquer coisa, a Lego não tem uma posição política, eles só querem dinheiro e possivelmente não estão interessados em fazer um bonequinho com piroca só pra não precisar ouvir mimimi de comentarista de portal.
            O cara não consegue ficar de boas e apreciar o que essas mulheres fizeram pela ciência, tem que ter a cota pro bonequinho homem branco heterossexual pra se sentir “representado”.
            Esquerda e direita brigam tanto mas no final é tudo farinha do mesmo saco, só muda o mimimi que querem socar goela abaixo nos outros.

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Vamos dar um exemplo mais perfeito? Porque a Igreja investe mais em salvar os pecadores do que impedir que as pessoas pequem? Porque aquele que segue a Deus e comete um deslize volta rápido para o caminho certo, já aquele que se desvia de vez precisa receber todo apoio e compreensão para que ao voltar não sinta vontade de voltar ao pecado. E tou meio doido depois de 2 dias sem dormir adequadamente por causa das tempestades que ocorreram aqui no sul. Então se ficar tão difícil de entender quanto Paulo Freire apenas ignore…

          • Reinaldo Matos

            Ou na melhor das hipóteses, vamos tirar uma futura estudante de humanas do mal caminho.

            Essa frase valeu o joinha… hahahaha

      • OverlordBR

        Nenhuma das que reclamou quis cursar exatas. As que cursam estão
        ocupadas demais estudando (e bebendo) pra aguentar a paulada, como
        qualquer estudante da área.

        Nunca uma sentença foi tão verdadeira.

        • Felipe Rafael

          Que medo vocês tem das mulheres hein?
          Dá até pra ver a cena, vocês na casinha da árvore discutindo onde iam colocar a plaquinha “proibido meninas” depois de ter feito troca-troca.
          Ou no vestiário, medindo pinto dos amiguinhos, dando toalhadinha na bunda, e xingando essas feminazi esquerdistas malditas.
          Bom mesmo é comer cabrita.

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Medo de mulheres?
            Nem…
            Elas ainda precisam da gente para reproduzir e abrir a tampa do jarro de pepino.
            Meu medo mesmo é de encontrar um escravoceta como você no meio da calçada e ficar com a sola do sapato fedendo o resto do dia.

          • Felipe Rafael

            Tranquilo amigo.
            Amo todas.
            Quero mais elas empoderadas mesmo pra não precisar reproduzir com tipos como você.
            Boa sorte no seu mundinho machinho.
            Vai lá que o coleguinha tá chamando.
            Deve ser a vez dele agora.

          • Dou uma e se for bom dou mais

            auehaeuhaeuaehuaehaeueahaeuhaeueaheauhaeuaehea
            aiuheauhaeueaheauheauaeheauea
            eahaeuheaueaheauheaueahueaheauheaueahuaehea
            o cara acha realmente que vai reproduzir com elas
            auehauehaeuaheueaheauheuehaeauehaueaheauhea
            haeuaehueaheauhaeuhaeueahueaheauheauheaueahueaheua
            heuhaeueaheauheauheaueahueahaeuhaeueaheuheauhae
            auheauaehuaehea…

          • Dou uma e se for bom dou mais

            https://www.youtube.com/watch?v=wmgzfn1VtQ4

          • Veritas

            Medo de mulheres?

            Claro, rapaz.
            Você nunca assistiu Teeth?

          • Reinaldo Matos

            hahahahahahaha

          • Felipe Rafael

            Não.

      • Felipe Rafael

        Não.
        É porque seu pai ficava de boas assistindo faustão enquanto sua mãe fazia macarrão.
        Isso, depois de ter lavado as cuecas cagadas de todos os machinhos da sua casa.
        Cool é minha filha ter referências que não sejam princesinhas, bonecas cagonas ou maquininha lava-lava.

        • Thiago

          Se eu entendi seu comentário, você está, então, terceirizando a responsabilidade de concessão de valores à sua filha a terceiros.
          Quem está errado:
          1- A empresa que escolhe produzir o que vende mais
          ou
          2- Você que quer que a empresa tenha prejuízo porque não assume a responsabilidade que é tua?

          • Felipe Rafael

            Querido.
            Minhas responsabilidades de pai estão em dia.
            Minha filha só precisa ter brinquedos que a representem.
            E a Lego não vai ter prejuízo não, porque tá cheio de meninas que não querem ser lavadoras de cuecas de marmanjos, tipo as que te criaram.
            Beijos.

          • The Question

            “querido”, “beijos”
            Acabou de se entregar

          • Felipe Rafael

            Ohhh meu deus!
            Um homem me chamou de querido e me mandou beijos.
            Minha masculinidade foi ameaçada!
            E agora, serei eu um sodomita?
            Precisarei de terapia?
            O que eu direi pro pessoal do futebol?
            Será que eles vão parar de brincar de toalhadinha no bumbum comigo?

          • The Question

            Volta pro tumbrl querido, lá que é lugar de militância

          • Felipe Rafael

            Cara, fica de boas.
            Não precisa ficar nervosx.
            Jájá liberam a cura gay e você pode voltar pra jesus.

          • OverlordBR

            Minha filha só precisa ter brinquedos que a representem.

            E que brinquedos são estes?
            Pode citar alguns?

          • Felipe Rafael

            Esse lego é um bom exemplo.
            Veja, esses dias ela ganhou um jogo da vida.
            No tabuleiro, há diversos “profissionais” desenhados.
            Engenheiros, homens de negócio e tal.
            As únicas duas mulheres são uma noiva e uma mãe de dois bebês sem cabeça (a mãe).
            Você não imagina como são os brinquedos “de menina”.
            Chega a dar pena.
            Na escola, com 4 anos, no dia do brinquedo a tia mandava meninos levarem carrinho e meninas maquiagem.
            Os exemplos são vários. Posso passar o mês falando.

          • Thiago

            Por “querido” e “beijos” ficou evidente que é conta fake de mulher, e feminazi como podemos ver (ou é um feministo bastante capacho). Logo, o que você pensa ou deixa de pensar a meu respeito deixou de ter qualquer valor!
            Graças ao bom Deus, minha esposa não pensa como você e meu filho ou filha terá a mesma educação que eu tive, trabalhará e se fará valer por quem é e não pelo que grupinhos representativos que não fizeram nada pela sociedade venham a dizer que ele tem que ser.
            Lembrando também que quando alguém trabalha, não tem tempo de ficar acompanhando o que esses grupos políticos inúteis fazem ou deixam de fazer.

          • Felipe Rafael

            Olha cara.

            Trabalhe desde os 13,

            Arrume tempo para ler e estudar no período em que não trabalhou, passe num concurso público com 19, passe nos vestibulares que passei, sustente sua filha sem ajuda da mamãe, seja chefe de uma equipe antes dos 30 e depois venha cagar regra machista em mim seu moleque.

            Sou homem e feminista sim, sou pai de uma mulher, filho de uma mulher e marido de uma mulher.

            Todas feministas e maravilhosas.

            Meu nome está aí, não sou fake, se quiser meu endereço e telefone pra marcar de vir falar merda na minha cara, podemos conversar.

            Estou cansado de moleque escondido atrás de fotinho de cavaleiros do zodíaco, criado a sucrilhos com leite quente, folgado, filho de lavadora de cueca e pai cagão vindo falar merda nos comentários só porque tá longinho.

            Tenho muito orgulho de todas as mulheres que batalharam para sua filha poder estudar e ser livre, que lutaram para sua esposinha usar calcinha atochada no rabo.

            Espero que seus filhos não cresçam tão otários.

            Vai ler um livro e pare de por fotinho de anime no seu perfil e quem sabe um dia você aprenda algo da vida.

            No dia que sua filha estiver lavando cueca de marmanjo depois de ter apanhado você certamente saberá a importância do feminismo.

            E antes que eu esqueça, enfie essa merda de bom deus bem no meio do seu cu.

        • Lucas Timm

          Primeiro: Eu não tenho pai;
          Segundo: A minha mãe me criou sozinha;
          Terceiro: A minha velha, ao invés de ficar reclamando na internet (que, graças a Deus, ela conseguiu me prover BEM cedo, provavelmente antes de tu nascer), estava trabalhando em dois empregos para sustentar uma casa e seus dois filhos.

          Finalizando: Volta pro DCE com xs amigxs empoderadxs fazer ciranda contra o patriarcado, porque teus comentários não estão adicionando nada na discussão.

          E eu tenho certeza que tu é uma mulher, gorda, de cabelo azul, que passa o dia todo no tumblr, ocasionalmente se corta, desempregada, e que quer que todo mundo tenha uma vida miserável como a tua.

          • The Question

            HAHAHAHAHAHA

          • Felipe Rafael

            Desculpe se te ofendi na questão do seu pai.
            Mas, se sua mãe é essa GRANDE MULHER é graças ao feminismo.
            Ela teve liberdade para tudo isso graças ao que suas irmãs passaram e lutaram.
            Parabéns, de coração, por ter essa mãe, MULHER DE VERDADE, invejável.
            Você tem toda razão de ter orgulho dela.
            Só acho que devia ficar do lado dela, não dos carinhas que acham que lugar de mulher é no tanque…
            E eu não estava reclamando. Era justamente o contrário.
            Os machinhos inseguros é que piram toda vez que sai uma notícia sobre alguém que valoriza a emancipação feminina.
            Não sei porque tanto medo, afinal, como sua mãe tão bem demonstrou, só temos a ganhar.
            99% dos homens, no lugar da sua mãe, iria delegar vocês para a vó ou para uma nova esposa.
            Meu sonho é que minha filha e todas as filhas sejam metade do que sua mãe é.
            Abraço.

          • OverlordBR

            Mas, se sua mãe é essa GRANDE MULHER é graças ao feminismo

            Não, filhote.

            Provavelmente a mãe do Lucas é assim PORQUE ELA NÃO FICOU RECLAMANDO DA VIDA, ARREGAÇOU AS MANGAS E ENFRENTOU A DIFICULDADE DE CRIÁ-LO SOZINHA.

          • Felipe Rafael

            E as mulheres podem fazer isso hoje porque outras lutaram antes dela.

          • Lucas Timm

            A minha mãe odeia o feminismo. Pode perguntar no twitter, se quiser: @sandra.timm.
            Ela não é grata a nada a esse movimento que é pura marmotagem. Por ela mesmo, seria o resto da vida uma dona de casa sem precisar trabalhar, mas infelizmente, essa não foi uam escolha que ela pode tomar.

            Então, ela fez tudo ao contrário de vocês fariam. Ela não abortou. Ela não mostrou as peitcholas em publico e nem deixou o cabelo do suvaco crescer: Pelo contrário, ela engoliu o orgulho e trabalhou.

            Sim, ela trabalhou.

            E quando o salário era menor por ela ser mulher E desquitada, ou se sentia menosprezada e oprimida por qualquer razão, ela não fazia textão na internet: Ela trocava de emprego. Felizmente eu aprendi bem cedo que chorar não resolve.

            De fato, minha mãe não deve nada ao feminismo.

          • Felipe Rafael

            Mais uma vez, parabéns para ela.

          • OverlordBR

            Nem dá bola…. é só um fake coitado. Provavelmente veio lá do Giz.

    • Felipe Rafael

      Faltou enrustido.

      “Filho, porque tem SHEMALE no seu histórico do xvideos? Foi sem querer mamãe!”

      Adoro machos como você!

      • gfg2

        Ok, agora volta pro g1 despacho.

    • Jean Souza

      Oi, não sei se você está perguntando para trollar, provocar ou é uma dúvida sincera mesmo. Vou tentar acreditar que é a última opção.

      Sou da STEM (Faço doutorado em Física Experimental) e o que mais ouço quando as adolescentes entre 10 e 14 anos vem visitar o laboratório é: eu não sabia que mulheres podiam fazer ciência. Parece absurdo, mas é a realidade. Existe uma falta de incentivo enorme dentro do mundo em que a maioria das mulheres crescem. Já cansei de ver colegas e professores dizendo que mulheres não servem para a ciência ou para a engenharia. Duvida que elas não servem? Pesquise por grandes nomes. Não precisa ir muito longe não, conheça a Mildred Dresselhaus, uma das pioneiras no estudo de nanotubos de carbono.

      Este tipo de campanha serve para alcançar estes lugares e mostrar que não existe isso de profissão masculina ou feminina. A área de STEM já sofre com falta de pessoal qualificado hoje em dia (até mesmo em grandes centros), logo perder possíveis cientistas para a falta de incentivo na infância e adolescência é de uma tremenda sacanagem. Por isso campanhas assim são extremamente importantes para quebrar paradigmas na sociedade e dentro da própria área e todos acabam ganhando com isso.

      • Reinaldo Matos

        Eu realmente acredito na tua resposta, o problema é que hoje em dia as pessoas só veem Preto e Branco, e quando iniciativas de incentivos como estas acontecem, logo aparece um abostado pra ficar taxando na ladainha Feminismo X Machismo.
        O próprio texto do Cardoso mencionou no trecho sobre Nancy Roman sobre ser Chefe de Astronomia “em uma época onde prédios como o Controle de Missão nem tinham banheiros femininos.”
        Hoje em dia, INCENTIVAR parece ser o mesmo que militar.
        Como eu disse em outra resposta, eu realmente compraria a coleção, mas o preço do Lego em geral considero fora da realidade.

        • Jean Souza

          O nosso papel deveria ser mostrar que nem tudo precisa acabar em uma disputa política ridícula entre SJW vs minions de políticos. Não precisa concordar com ideais do movimento feminista (que surgiu há muito tempo, apenas agora está mais evidente para algumas pessoas por causa dos SJW) para ficar claro que a falta de incentivo é pelo machismo de achar que mulheres não prestam nas exatas – uma ideia ridícula, eu sei.

          • Reinaldo Matos

            Eu não condeno o feminismo real… O que eu condeno, é o extremismo transvestido de feminismo.
            Que muitos problemas hoje são decorrentes do machismo, disso eu não tenho dúvida, a história está aí para comprovar, e é justamente por isso que acho válido esse tipo de iniciativa, ou seja, salientar a história destas pessoas que mostraram que sim, é possível, mas também que a chance não vai cair no colo.

        • gfg2

          Ué, mas se tu só incentiva de UM LADO é o que?

          • Reinaldo Matos

            O lado que tem menos participação… Qual o problema disso?

            Vi que estás batendo na tecla de aumentar o numero de participantes como um TODO… Se olharmos por este lado, sim, concordaria que deveria haver exemplos dos dois lado.

            Mas segundo o que o Jean diz, a intenção é atrair o publico feminino, e se olharmos por este lado, não vejo problema algum em dar mais ênfase na participação feminina.

          • gfg2

            Me diz qual diferença vai ter pra um curso que esta com vagas sobrando se quem vai se inscrever é homem ou mulher?

            Que diferença vai fazer se a turma de eng começou com 2 ou 20 mulheres se a meta é formar engenheiros(as)?

            Quando entrei na minha turma de eng, da computação, metade eram mulheres, no 6 período não tinha mais nenhuma, 30% dos docentes do curso são mulheres, pela lógica do Jean só pode ser machismo opressor, jamais porque o curso é difícil.

          • Jean Souza

            A diferença é social. Você quer aumentar o número e precisa atacar em diferentes frentes, com campanhas distintas. Claramente existe um preconceito com elas dentro mesmo da área, logo é preciso de incentivos diferentes para elas.

            O curso é difícil para todos, sem espantalho. Se você fez engenharia, deve saber do que estou falando. Alguns engenheiros mecânicos (graduação) zombavam das poucas meninas do curso. Já ouvi relatos de professor dizer em sala que a menina não precisava aprender, porque aquilo não era para ela. Se você tem este tipo de atitudes dentro da academia, imagine no meio da sociedade?

          • gfg2

            As diferentes frentes: Aqui uma geral “unisex” e aqui uma exclusivamente, pra meninas afinal a maioria não entendeu que poderiam ingressar em STEM na primeira.

            Sim ainda há casos de preconceitos, mas cada vez mais raros.
            Agora se a pessoa larga o curso porque foi zombada ou criticada jamais vai se formar em curso algum, muito menos permanecer em emprego.

          • Jean Souza

            Não, esta visão é distorcida. A frente não é “unisex”, ela é para combater o preconceito com a área de STEM. Estes tipos de campanhas servem para visibilidade do papel do cara que fez exatas e quebrar paradigmas como que ele vai passar fome ou que o curso é impossível. A outra frente é para combater o preconceito com o gênero feminino, que é uma coisa totalmente diferente e que não vai ser afetada de nenhuma maneira pela primeira campanha. Consegue entender que uma campanha não tem foco o sexo e a outra tem como foco quebrar o preconceito contra certo sexo?

          • Reinaldo Matos

            Diferença nenhuma…
            Mas quando uma pessoa que trabalha dentro da STEM diz:

            “O que mais ouço quando as adolescentes entre 10 e 14 anos vem visitar o
            laboratório é: eu não sabia que mulheres podiam fazer ciência. Parece
            absurdo, mas é a realidade.”

            Então eu vejo algo errado aí… Estamos perdendo possíveis talentos por uma visão errada das coisas.

            Agora, a desistência de seguir adiante no curso por ele ser difícil… Aí é outra questão… Não tem nada a ver, a dificuldade é a mesma para todos, mas pelo menos houve a chance de participar igualmente e chegarem a conclusão de seguir adiante ou não…

      • gfg2

        Volta pra pergunta que fiz lá em baixo. Se o objetivo é atrair o maior NUMERO de pessoas pra área não tem o porque se focar APENAS em mulheres. Porque não não lançar ao mesmo tempo legos homenageando alguns cientistas?

        • Jean Souza

          Porque esse tipo de campanha é baseado em mostrar para a sociedade que a mulher pode sim fazer ciência. Combater o preconceito com o gênero é diferente de combater o preconceito contra a carreira acadêmica – outro tipo de campanha. Um não exclui o outro.

          Novamente, incentivo para STEM tem aos montes. Feiras de ciências, aulas, prêmios internacionais, livros infantis, discurso de presidentes, visitas de escolas de nível fundamental às universidades, etc. O foco no feminino é para quebrar o paradigma que aquela menina, talentosa em matemática, curiosa e inteligente pode ser uma engenheira, cientista ou o que quiser.

      • Felipe Rafael

        Sem mais.
        Falou tudo e com conhecimento de causa.
        Parabéns pela sensibilidade.

      • Lucas Timm

        Vamos ser honestos.
        Se tu não veio de uma família de acadêmicos, alguém ficou realmente feliz quando disse que faria um mestrado em física experimental?

        Porque, quando eu falei que faria telecomunicações, já vieram me dizendo que isso não era profissão “de home”. Eu deveria ser um advogado, um engenheiro, ou alguma coisa assim — áreas, inclusive, que são cheias de mulheres.

        • Jean Souza

          Não venho de família de acadêmicos. Na realidade, sou o primeiro da família a pisar em uma Universidade. Óbvio que não ficaram felizes, mas não foi pelo fato de eu ser homem, e sim pelo fato da profissão – que são motivos totalmente diferentes.

          Campanhas diferentes são precisas para problemas diferentes. As mulheres não possuem o incentivo pelo gênero delas – não pelo que a profissão vai poder lhes render financeiramente. Este tipo de campanha ataca o problema do preconceito baseado no machismo, não no preconceito com a profissão. Coisas totalmente distintas.

    • Vinicius Silva

      Não é possível que você tenha uma visão tão tacanha, cara. Nas últimas décadas o mercado de trabalho se estruturou fortemente, com áreas geralmente dominadas por apenas um gênero. Medicina, engenharias, ciências exatas e outra similares eram dominadas por homens. Enfermagem, licenciatura e similares eram dominadas por mulheres. Quais destas áreas é mais valorizada, com maiores salários, etc? As áreas dominadas pelos homens, óbvio. Basicamente o que “deixaram” as mulheres ocuparem eram as profissões que os homens consideravam estar abaixo deles.
      Felizmente muito disso em mudado, vemos várias mulheres executivas, com cargo de chefia, dirigindo equipes. Da mesma forma, no campo científico, especialmente nas ciências de saúde e biológicas, as mulheres já são maioria em vários cursos de graduação, mestrado e doutorado. Ainda são a minoria em cargos de alta chefia, como diretores e reitores, no entanto.
      A área de STEM é muito valorizada, possui visibilidade social e maiores retornos financeiros que outras áreas, mas muitas meninas desde pequenas não são estimuladas a seguir esta área. Muitas vezes os próprios pais, professores, parentes e colegas dizem que isso não é pra elas, que é muito difícil, que não é coisa de menina. Ao invés de ganharem de presente um microscópio de brinquedo, mini-telescópio ou kit de química, ganham forninho e kit de limpeza. A criança pode e deve brincar do que gostar e tiver interesse óbvio, mas muito deste gosto e interesse é formado a partir dos estímulos externos. Quando os adultos e os amiguinhos reforçam aquelas velhas expectativas sobre a menina, muitas vezes seguir um caminho diferente é algo que nem passa pela cabeça dela.

      • Felipe Rafael

        Perfeito.
        Eu tentei, mas os caras não escutam.
        Sou pai de menina, minha filha estuda numa boa escola, porém é ridículo o machismo.
        No dia do brinquedo, a tia mandava meninos levar carrinho e menina maquiagem.
        Minha filha tem lego, microscópio, é faixa amarela de hapkido, mas é uma luta fazer com que ela viva INTEGRALMENTE sua infância.
        Você chega numa loja e a moça já fala “os de menina estão aqui”.
        Até o lego, os “de menino” são astronautas, aventureiros, policiais, ladrões, bombeiros, etc. Os “de menina” são sorveterias, petshops ou pop stars.
        No tabuleiro do jogo da vida há diversos profissionais, todos homens, as únicas duas mulheres são uma noiva e uma mãe.
        Simplesmente não há brinquedos e só rolam opções se você as criar.
        Os hominhos aqui parecem que não tem mãe ou não gostam de mulheres porque simplesmente não enxergam o que você disse, não importa o quanto se explique.
        É de doer.
        Parabéns amigo, pela análise lúcida.

  • Katherine, a filha de John, vacilou 🙁

  • Achei bem escolhidas as homenageadas. Principalmente a primeira.

  • Rapha™

    Obviamente, não será novidade alguma (para ninguém), mas tão excepcional quanto essa homenagem, temos o filme “Estrelas Além do Tempo” (Hidden Figures). Ótimo!

    ________ LEGO sendo LEGO. Amazing!

  • Adriano

    Eu tenho algumas dúvidas:

    Chilique por causa de um chilique ainda é chilique, certo? (mimimi pelo mimimi é mimimi).

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis