Resenha — Samsung Odyssey: acertando de primeira

A Samsung chegou no mercado de notebooks gamers tendo feito o dever de casa antes: o Odyssey, seu primeiro produto da categoria é um produto que oferece uma performance sólida para quem joga no PC e quer portabilidade e preço justo, ainda que algumas ressalvas precisem ser feitas.

Eu o testei por três semanas e estas são as minhas impressões.

Design

Comecemos pela listinha fria:

  • processador Intel Core i7–7700HQ, quad-core Kaby Lake com clock de 2,8 GHz (TurboBoost até 3,8 GHz) e 6 MB de cache;
  • GPU nVidia GeForce GTX 1050, com 4 GB GDDR5;
  • 8 GB de memória RAM DDR4 a 2.133 MHz;
  • armazenamento: HD de 1 TB;
  • display de 15,6 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels (141 ppi);
  • webcam VGA;
  • conexões: Wi-Fi802.11b/g/n/ac, Bluetooth 4.1, saída HDMI 1.4, entrada para fone de ouvido, uma porta USB-A 3.0, duas USB-A 2.0, uma Ethernet Gigabit e leitor de cartões SD;
  • bateria de três Células (43Wh), acompanha fonte alimentadora de 120 W;
  • dimensões: 378 x 260 x 24 mm;
  • peso: 2,52 kg;
  • sistema operacional: Windows 10 Pro 64 bits.

Numa primeira olhada nota-se que o Odyssey foi bem construído. Seu corpo na cor preta com acabamento emborrachado confere uma pegada firme, sem os deslizes que modelos com tampas de vidro ou plástico liso às vezes conferem. Claro que há os elementos gamers inerentes como os LEDs vermelhos no teclado e no logo na tampa, mas pondo isso de lado conclui-se que ele é até bem discreto e sóbrio para a sua categoria.

Provavelmente isso se deu por influência das demais linhas de laptops da Samsung, o que no fim das contas é uma coisa boa.

Curiosamente sua característica mais chamativa não fica o tempo todo aparente: a parte de baixo conta com uma tampa própria para o sistema de resfriamento do notebook, que possui protuberâncias imitando escamas de dragão. Aliás, a grade ajuda na expulsão do ar quente interno pelas duas ventoinhas presentes, contando com uma inclinação que facilitada a entrada do ar frio externo para manter as temperaturas tanto do i7-7700HQ quanto da GTX 1050 em níveis decentes. Do contrário os resultados não seriam nada agradáveis.

A grade também cumpre a função de fornecer acesso facilitado aos componentes internos. Três parafusos simples separam o usuário dos dois slots de memória RAM (o modelo suporta até 16 GB) e das duas ventoinhas, que podem ser limpas para manter o notebook sempre nas melhores condições. O slot para um SSD M.2 também é de fácil acesso, bastando desconectar o cabo flat das portas USB. Considerando se tratar de um notebook gamer, em que os usuários prezam por performance seria interessante se a Samsung tivesse incluído uma unidade de fábrica para ajudar principalmente no boot, mas divago.

Infelizmente acesso ao HD de 1 TB não segue a mesma lógica, e demanda a remoção de mais partes do Odyssey para que seja trocado e querendo ou não, um pouquinho de conhecimento adicional sobre hardware.

O Odyssey possui várias opções de conexão: são duas portas USB 2.0 e uma 3.0, além de saída HDMI (apenas 1.4, não espere liga-lo em TVs 4K) e para fone de ouvido, bem como um leitor de cartões SD. Claro, por se tratar de um modelo voltado para o consumidor gamer ele conta com uma porta Ethernet Gigabit, permitindo a jogatina online sem perdas de pacotes.

Sua tela é ótima: 15,6 polegadas, resolução Full HD e excelente ângulo de visão, não oferece distorções cromáticas e conta com uma boa resposta, ideal para jogos mais frenéticos e para outros usos. O teclado, como já dito antes é retroiluminado na cor vermelha, possui layout completo (com teclado numérico) e segue a estética de produtos gamers, com as teclas WASD devidamente destacadas. O touchpad é bem preciso, possui LEDs diagonais para dar uma ideia de dinamismo mas ao menos na minha opinião, quem costuma jogar a sério vai preferir utilizar um mouse independente de quão bom o acessório seja, por conta da precisão provida pelo periférico.

No mais o Odyssey é um produto grande e pesado. Com 28 mm de espessura e 2,52 kg, ele é um produto voltado totalmente para uso estático e não totalmente on the go, é uma opção para o gamer que deseja ter uma máquina potente minimamente simples de se levar para qualquer lugar. No entanto o cenário de uso ideal é sobre uma mesa e com uma tomada por perto, dadas algumas limitações de autonomia.

Performance e autonomia

Isso porque como ocorre na maioria dos notebooks gamers, o Odyssey não é um produto para ser usado por longos períodos só na bateria. Com 3 células e 43 Wh, mesmo executando tarefas mundanas como navegação na internet, redes sociais, leitura e envio de e-mails e uso de ferramentas de escritório a energia escoa rapidamente, não durando mais do que 3,5 horas desconectado. Ele até roda programas pesados e games nessa configuração, mas é preciso ter em mente que ele não foi feito para resistir por muito tempo sem uma alimentação constante. É um cenário que os compradores de notebooks gamers já conhecem, mas é sempre bom ressaltar.

O teclado é macio, confortável e para quem deseja precisão na hora dos jogos é uma boa pedida, ainda que não seja mecânico. A Samsung oferece inclusive alguns atalhos para ativar recursos do sistema, por exemplo a combinação Fn + F10 que ativa/desativa o monitor de sistema: um overlay que exibe uso e temperatura da CPU e GPU, consumo de memória e frames por segundo, algo que muitos gamers gostam de ter à mão. Já Fn + F11 ativa a gravação nativa, em que você pode criar vídeos de suas próprias jogadas e compartilhar/editar depois.

Mas e a performance em si? Então, com uma GPU de 4 GB GDDR5 e um processador com clock de 2,8 GHz, além da RAM que pode ser expandida até 16 GB o Odyssey não faz feio na totalidade dos games recentes. Mesmo comedores de recursos habituais como Rise of the Tomb Raider e XCOM 2 rodam de maneira confortável, sem travamentos e um framerate constante, embora seja preciso esclarecer uma coisa: ele ainda é um notebook e conta com uma GTX 1050, não uma GTX 1080 Ti. Isso posto não espere que ele vá rodar games novos com tudo no Ultra, o hardware vai pedir penico e não alcançará os resultados desejados.

A Samsung oferece o Odyssey como uma opção para quem quer curtir sua biblioteca do Steam em qualquer lugar, com uma qualidade considerável e mesmo os mais novos títulos irão rodar, desde que o usuário respeite os limites da configuração de hardware. Quem deseja curtir tudo no talo terá que se resignar a jogar no desktop, muito mais customizável e passível de aguentar o tranco do que uma máquina que apesar das dimensões, ainda é móvel e portanto mais limitada.

Minha crítica mais severa no entanto é direcionada à webcam: tudo bem que não é todo mundo que as utiliza, mas custava a Samsung colocar ao menos um modelo 480p no Odyssey ao invés de uma VGA? Ela não é a única que faz isso, e já passou da hora dos fabricantes deixarem de economizar nesse sentido.

Conclusão

Como primeira tentativa a Samsung até que executou um bom trabalho no Odyssey. Ele é um produto bem construído, com performance muito boa para o hardware apresentado e soluções de design que maximizam seu uso, como o sistema de refrigeração e o overlay que mostra o consumo de recursos, coisas que usuários avançados e gamers prezam.

O que precisa ser melhorado nas próximas gerações: um acesso facilitado ao HD, e uma possível melhora na autonomia para quando você quiser fazer algo mais mundano, em situações onde não há uma bateria por perto. Por fim a webcam apenas VGA, algo que alguns fabricantes ainda escolhem como o componente a economizar destoa de todo o resto do produto, chegando a ser uma aberração.

No mais é um notebook que lhe permitirá jogar games recentes em configurações medianas ou mesmo high (nem tente colocar os mais novos no Ultra) e como hoje ele já pode ser encontrado por até R$ 4 mil na rede varejista, ele se torna uma opção muito atraente para os membros da Glorious PC Gamer Master Race que desejam uma opção móvel para continuar curtindo seus games favoritos, numa situação em que seus desktops da NASA não estão por perto.

Cotação:

4/5 Glorious PC Gamers.

Samsung Notebook Odyssey Inside Story

Pontos Fortes:

  • design atraente (se colocarmos seu DNA gamer de lado) e construção sólida, com teclado confortável
  • sistema de refrigeração competente evita que o Odyssey esquente tal qual o mármore do inferno
  • performance geral permite rodar a totalidade dos games recentes
  • display Full HD com bom ângulo de visão e som na medida

Pontos Fracos:

  • até quando os fabricantes vão insistir em webcams apenas VGA?
  • incluir um SSD de fábrica seria bom, considerando o preço
  • não dá para acessar o HD facilmente
  • a bateria é pífia mesmo em modo de uso leve

Agradecimentos à Samsung por gentilmente nos ceder o produto para testes.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • EmuManíaco

    O Maior problema desse notebook é não ter uma versão i5 Quad e a 1050 Ti em vez da basica. Gosto de notebooks gamers devido a praticidade mas já esbarrei em cada tralha mal equilibrada que entristece qualquer um.

    • Julio da Gaita ✔

      Hum, sempre ouvir falar que a versão M (mobile) das placas de video pra notebook sempre vão ter um desempenho menor do que a “mesma versão” pra desktop.

      True story bro? Isso que me impede de gastar uma grana em algo que… é é.. bomzinho….

      • EmuManíaco

        Isso mudou recentemente na ultima geração da Nvidia. São a mesma Gpu da versão desktop.

      • Ivan Falcão

        Pelo que estava lendo, no caso da 1050TI ela é até um pouco mais rápida que a original

      • Zalla

        sim, a vantagem desses notebooks é que é tudo versão de desk, processador e placa grafica, tanto que normalmente vem duas venotinhas

    • fenixcload

      seria mesmo uma boa um i5 e colocar o ssd m2

      • EmuManíaco

        Sim baratearia bastante.

        • Zalla

          o acer custa 3400 e só acrescentar o SSD M2 que já vem com slot

    • doorspaulo

      Vim comentar justamente isso. Um i5 com uma GTX 1050 Ti é uma configuração muito mais equilibrada e, em jogos (que é o que importa em um note gamer), terá mais desempenho.

      Mas, o marketing do i7 sempre acaba ganhando…

      • Zalla

        essa é a configuração do meu…I5 e 1050

    • bruno miranda

      Tava com dúvida nisso, achei que só tinha 1050 com 2 Gb RAM.

  • Hoje estava pesquisando o preço de um Notebook Dell 15 Gaming (R$ 5.658,00) e fiquei balançado pra comprar um, sei que com esse dinheiro da pra montar um desktop muito melhor, mas vivo viajando e um desktop não serve para mim.

    Atualmente tenho um Dell Inspirion 5548 (i7, 16gb, Radeon r7 m260 de 2gb) e ando insatisfeito com a performance dele nos jogos atuais, só não comprei ainda porque ultimamente ando sem tempo pra jogar e gastar esse dinheiro todo pra o notebook ficar enfeitando a mesa não dá.

    • EmuManíaco

      Cara Na duvida sabe o que sempre fiz? Separava um fds e ia passear no paraguai. Gastava menos e sempre economizava pelo menos uns 5O% do valor aqui do br. Obvio que vc perde um tempinho… mas é so isso.

      • Pra mim não compensa, moro no nordeste e voo daqui pra Foz é em torno de R$2400, a não ser que eu vá pra lá um dia passear e compre, mas ir só com o objetivo de comprar não rola. De qualquer forma, valeu a dica.

        • EmuManíaco

          voo? que saudade… Eu saia do rj pra la via busão mesmo. Pouco tempo que fui feliz foi graças a webjet.

    • Hooloovoo Thomas

      Comprei um desses pelo SSD e pela 1050Ti que o Samsung não tem. Parece bem fácil de fazer upgrades mesmo pegando a versão sem SSD e com menos memória. O teclado é horrível, mas com um gamepad não vejo tanto problema 🙂 Comprei justamente porque preciso viajar bastante e carregar o meu desktop começou a ficar trabalhoso demais.

      • Tá satisfeito? Da pra jogar tranquilo? Nem digo tudo no ultra, mas no high ou mid com 30fps já tá bom demais pra mim.

        • Hooloovoo Thomas

          Bem satisfeito. O que tentei jogar nele até agora foi tranquilo nessa faixa de fps, nem esquentou tanto. A bateria é fantástica.Vi bastante gente reclamando da tela mas no meu uso não vi nada de ruim nela. Único defeito que vi até agora foi o teclado mesmo, não atrapalha no trabalho ou digitação mas em jogos as teclas são tão baixas que ficam presas. Um bom par de fones de ouvido vai bem para quando os jogos são mais pesados e os fans precisam trabalhar mais e fazem barulho, porém na web ele é bem silencioso.

    • Zalla

      é pq a linha m é ruim…a vantagem da linha gamer é processador e placa de video de desktop

  • fenixcload

    realmente eles poderiam ter diminuído a capacidade do hd e colocado um ssd m2 de pelo menos 256 gb para colocar o sistema
    ficaria uma maquina bem melhor

    • EmuManíaco

      e 64gb ja ficaria melhor.

    • Islan Oliveira

      Pelo que li de uma análise em outro site, existe uma versão com SSD, mas pra variar, não trouxeram pro Brasil.

      • jacob

        Encontrar notebook com SSD de fábrica no Brasil é uma tarefa bastante ingrata.

        • Bruno R

          Meu Dell tem. Serie Gamer e por 3k5 temers

  • Melhor custo benefício da atualidade no que tange a respeito de Laptop gamer.

    • Zalla

      peguei o Acer por 3400…o da samsung dispensei da cotação logo de cara

      • A versão com i5 bateu os incríveis R$ 2.800 numa promoção da Submarino.

        Só não comprei porque, grazadeus, não tinha limite no cartão, mas continuo de olho.

  • Sinceridade

    meh……

  • Cássio Amaral

    Devia ser no mínimo a GTX 1050 Ti. Já que não vai poder fazer upgrade mesmo, então ao menos que venha o melhor HW possível.

  • kisairogue

    Acho que esse preço tá ótimo. Um ASUS ROG com a mesma configuração custa US$1100…

  • Cocainum

    No entanto o cenário de uso ideal é sob uma mesa e com uma tomada por perto, dadas algumas limitações de autonomia.

    Não é meio incômodo, usar o notebook embaixo da mesa?

    • Tem razão, é um pouco incômodo ainda mais se for uma daquelas mesinhas de centro. :p

      Corrigido.

  • Ivan Falcão

    Bem, recentemente comprei a versão gamer da Dell. Sinceramente 250gb de ssd, 16gb de ram e a versão TI da 1050 fazem uma mega diferença….

  • Christiano Nascimento Amorim

    pra renderizar sketchup será que presta?

  • O Lenovo Legion Y720 com 16 GB de RAM, CPU igual, GTX 1060 com 6GB de RAM, SSD de 128 + HDD 1TB e HDMI 2.0 por R$ 7k parece um bom competidor mas o preço de R$ 7k pesa contra.

    • Superpato

      Tem o Y520 com a1050Ti, 256 de SSD + HD 1TB, por menos de 1000 dólares no primeiro mundo.

  • Bruno Rosa // TaRuGo

    Tá, mas roda como o destiny 2?

  • Rijanio

    Jogar em notebook?! Passo, computador pra jogo tem que ter um full tower gigante pra já ir mostrando logo toda a onipotência da PC Master Race, no mais telinha pequena não rola, tô juntando as moedas pra comprar uma TV de 50!

  • Na minha opinião o maior pecado desse notebook é não oferecer uma porta USB tipo C. Por 3k seria uma excelente opção de compra.

  • Zalla

    comprei meu notebook gamer a uns 3 meses atrás, tem o Dell, acer e o samsung….de cara dispensei o samsung, nem me lembro direito o porquê, e no final acabei comprando o Acer, todas as maquinas acabam sendo semelhantes, mas o Acer tem uns features a mais (slot extra para o SSD, assim não precisa trocar o hd que veio) , usb 3.0, usb type C, etc…e paguei 3400 nele (versao I5), olha é um canhãozinho, até agora os jogos que coloquei rodaram de boa

    • Qual o modelo?

    • Robert Melo

      O USB 3.0 desse Acer é PCIE X2 ou X4? Tu sabe?

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis