Falta sinceridade na indústria de games? Pois a culpa é nossa!

toxic-gamer

Em uma indústria cheia de segredos e poucas informações de bastidores, sempre fico surpreso quando algum profissional faz elogio a um concorrente ou critica abertamente outra companhia. Pois na opinião de Charles Randall, isso acontece por causa do comportamento tóxico do público.

Tendo trabalhado em empresas como BioWare e Ubisoft, o programador usou sua conta no Twitter para explicar sua opinião, numa sequência de mensagens que considero bastante interessantes. Veja um trecho:

Outro dia um amigo comentou comigo: ‘eu gostaria que os desenvolvedores fossem mais francos sobre o desenvolvimento [de games].’ Ele ficou surpreso quando disse que somos. A ressalva é que só somos francos com outras pessoas da indústria, porque a cultura gamer é tão tóxica que ser sincero em público é perigoso… Veja qualquer thread onde algum idiota comenta sobre o quão ‘fácil’ pode ser, digamos, adicionar multiplayer ou mudar a engine. Qualquer dev que falar sinceramente sobre a dificuldade de algo assim apenas disparará uma onde de pessoas questionando seu currículo.

 

Existem ainda tópicos sobre os quais não posso abordar, porque uma vez o fiz francamente e resultou em manchetes estúpidas, desentendimento e perseguição.

 

Todas as coisas que vocês sempre quiserem saber sobre desenvolvimento de jogos poderiam estar por aí, se não fosse a tóxica comunidade de games. Nós *adoramos* falar sobre desenvolvimento, os desafios que enfrentamos, os problemas que solucionamos, os atalhos que tomamos. Mas quase nunca vale a pena.

Embora eu não seja um desenvolvedor e por isso nunca tenha passado por tal situação, não poderia concordar mais com as palavras de Charles Randall. Basta darmos uma olhada em qualquer comentário feito por alguém da indústria para vermos como essa pessoa costuma ser atacada e isso independe da empresa para qual trabalha, do currículo que possui ou da opinião que emitiu. Sempre haverá alguém para ataca-lo covardemente.

Aqui preciso até fazer um mea-culpa, pois não foram raras as vezes em que critiquei alguém sem tentar me colocar na sua posição, algo que de um tempo para cá tenho evitado fazer. Mas sabe o que é o pior? Ao agir assim também já fui criticado por ficar em cima do muro.

Ou seja, no fim das contas o problema da internet talvez nem seja com os desenvolvedores de games, mas sim com qualquer um que ouse emitir uma opinião. O que alguns deveriam entender é que existe uma enorme diferença entre discordar de alguém e criticar ou atacar uma pessoa que apenas não pensa como você. E enquanto isso continuar acontecendo, provavelmente seguiremos sem ver muitas posições sinceras por parte dos game designers.

Fonte: VG247.

Relacionados: ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • Cocainum

    Analisando por faixa etária, a maior parcela de gamers e que também são ativos em redes sociais está na adolescência. E adolescentes são tóxicos.

    • Tem adulto também….. “instruído”.

      • Cocainum

        Tem de todas as idades, mas são em menor quantidade.

        Os adultos “formadores de opinião” que distribuem idiotices nas redes sociais, YouTube e afins, eu divido em duas categorias:

        1 – Os que realmente acreditam nas asneiras que falam.

        2 – Os que estão interpretando um “papel”, pois falam o que o seu público quer ouvir.

        Nos dois casos, se não houvesse uma multidão para comentar e compartilhar, eles seriam irrelevantes.

        • Cãopetente em obras

          A velha necessidade humana de eleger ídolos para os guiarem e mostrar o que é certo e errado sem a compreensão do certo e errado.

        • Costumo olhar vídeos aleatórios no Youtube. Esses dias vi um vídeo de Minecraft – com muuitas visualizações – onde a chamada era “Dormi com uma estranha!” e cliquei nele para ver do que se tratava.

          Basicamente era um vídeo armado onde uma personagem feminina “desconhecida ” entrava no mundo do youtuber e falava com ele, que reagia da forma mais babaca e infantil possível (ele devia ter uns 16~18 anos).

          O vídeo era claramente armado e tosco, com interpretações infantis e bobas, mas mesmo assim, havia um caralhau de likes e comentários positivos.
          Quando o ser humano perde o senso crítico e a capacidade de questionar, vira uma ovelha da mídia.

    • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      Tem muito adulto com o mesmo comportamento.. o problema é “opinião na internet” opinião é uma coisa que só deve ser dada quando pedida (tudo bem que uma área de comentários é pra isso) mas na internet as pessoas jogam a opinião por aí como verdade e não aceitam outras opiniões, contestações, críticas e etc, aí vira a briga geral, cada um defendendo sua posição como se fosse verdade, e isso em qualquer área ou cultura, não só a gamer, nenhuma se salva…
      A falta de conversar cara a cara ou o uso de personagens, como os nossos, só piora as discussões, e as pessoas que geralmente entendem de um assunto, não tem a humildade de querer aprender mais ou imaginar que não sabem tudo sobre aquilo.
      Enfim, discussão na internet geralmente não agrega nada…

    • cloverfield

      Tal problema seria facilmente resolvido se fosse inventado um aparalho que permitisse socar a cara do comentarista pelo monitor.

      E esses caras se preocupando em colonizar Marte…

  • Etílico

    Esse cara é um lixo, é óbvio que ele não sabe o que tá falando… calma é só zoera.

  • Pablo

    O problema é que temos cada vez mais especialistas em tudo formados no Google/Facebook.
    Nunca estudaram/trabalharam com nada relacionado (ou mesmo na vida), mas devido aos seus achismos e conhecimento superficial, acham que já entendem do emprego de todo o mundo.
    Deviam parar para pensar 99999X antes de jogar pedra no trabalho dos outros…

    • Sander Manzoli

      Ontem estava falando sobre isso. A onda do momento no face é falarem mal de coach (não sou coach), que são pessoas que não sabem nada do trabalho dos outros, fracassaram nos seus e vão lá palpitar como se pudessem instruir a fazer melhor o que nunca fizeram. Independente da verdade ou metira disso, olha a ironia: quem critica o coach está fazendo exatamente o que ele acha que o coach não pode, palpitar no trabalho que vc não conhece de outralguém.

      • Cãopetente em obras

        É moda, todo mundo tem a necessidade de dar sua opinião para se sentir importante. Daqui a pouco vem outra onda de críticas e acontece a mesma coisa para os usuários se sentirem importantes expressando sua criatividade, reflexão e amor a humanidade. Como diz um filósofo, quem ama a humanidade não ama ninguém. O conceito de humanidade que cabe várias culturas, mas só vale as que eu tenho apreço.

      • Gesonel o Mestre dos Disfarces

        Mas tem uma cara e cheiro de belpescismo que não dá pra não desconfiar.

    • Clássico: Switch. Muita gente veio opinar sobre ele, dizendo que não ia rodar nada, que seria um lixo, sem sequer sabe o que é uma API, uma engine ou uma linguagem de programação.

      Dai veio Doom que utiliza a API da AMD Vulkan e calou a boca de todo mundo.

      Esses caras ”formados” poluem a internet com desinformação e ódio gratuito. Internet juntou o mundo, e permitiu que pessoas burras e raivosas tivessem voz ativa, pois opinião bosta gera muito mais discussão e compartilhamento (engajamento) que opinião inteligente.

      • Lucas Prado

        Switch rodando DOOM no low não é pra qualquer um mesmo…

  • Lui Spin

    As pessoas se importam muito com o que as outras falam.

    Sem que deve ser uma pressão grande, seu chefe vai te questionar o motivo de ter falado algo que gerou comentários negativos, etc.

    Mas críticas sempre tão ter.

  • Dou uma e se for bom dou mais

    Claro… exibir conteúdo orquestrado muito superior ao que a gente recebe quando “abre a caixa”, entregar o jogo incompleto e vender a dlc que completa o jogo (ao invés de apenas missões extras ou uma nova história…), entregar uma quantidade enorme de bugs que paralisam o jogo e não consertarem e nem permitirem a comunidade consertar, inserir um modo multiplayer ligado a um servidor central que eles desligam e acabam com o modo multiplayer “porque não dá lucro (óbvio)”, fazer um jogo que tecnologicamente ficou uma bosta em comparação aos anteriores… A culpa é dos gamers mesmo.

    • SomeReader

      De certa forma sim. Compra em pré-lançamento, por exemplo. Se os gamers pensassem: “Vou esperar lançar o game para ver se ficou bom, ae eu compro ou não.” Resolveria bem a situação.

      • Dou uma e se for bom dou mais

        Nesse ponto concordo contigo. Só que essa de pré venda começou a pouco tempo e começou a cair justamente por causa dos jogos que prometeram demais. Espero que a situação desapareça ou fique resumida apenas a jogos indie mesmo.

    • Carlos Cabral

      Também não é culpa dos devs nem do QA, ou vc acha que eles não sabem de tudo isso e alguém de cima falou pra liberar msm assim?

    • Gesonel o Mestre dos Disfarces

      Isso é culpa dos prazos e da má gestão. dê tranquilidade aos devs, pô.

    • Reinaldo Matos

      Com certeza não é culpa dos Gamers… Também não concordo com essa prática, porém, também não é culpa dos desenvolvedores.
      Isso vem da gestão, quando um prazo é estipulado, dificilmente é discutido com a equipe que vai desenvolver se o prazo é compatível.

      Daí meu amigo…

      Todas aquelas metodologias lindas e boas práticas que se prega na faculdade e nas comunidades de desenvolvimento como Design Patterns, Unity Tests, Testes de Regressão, etc, etc, etc… Vai tudo pras cucuias, e a metodologia que realmente é utilizada é a XGH (Xtreme Go Horse)

      http://sou.gohorseprocess.com.br/extreme-go-horse-xgh/

      • Dou uma e se for bom dou mais

        Só que a partir do momento em que os desenvolvedores tiram das costas de suas empresas e jogam nas costas dos usuários a culpa então eles estão sendo coniventes. Se ele simplesmente responde: não falamos nada por segredo comercial, ei beleza todo mundo tem que ganhar sua suada grana, se eles não falam nada ou se desviam do assunto, ué paciência, só que o que fazem? Entram em full apple mode, a culpa é dos outros.

        • Reinaldo Matos

          Com certeza… Esse comportamento não é correto, e não compartilho, e sei que também acontece… Desenvolvedor também não é nenhum santo, e sempre tem uns espírito de porco que irrita também…

          Meu relacionamento com meu empregador sempre foi assim: “Visto a camisa da empresa, desde que ela também vista a minha”

          Não sou de passar mão na cabeça de cliente, o que não quer dizer que transfiro a culpa para ele. Me pagam para que eu entregue o melhor do meu trabalho, e isso inclui também apontar onde meu cliente tem que melhorar na parte dele… É uma via de mão dupla.

          Já ouvi de muitos gestores coisas tipo: “Vamos fazer da forma xxx, que aí a gente chega e diz que é o que está no contrato, e tiramos o nosso da reta”… Fico puto quando ouço esse tipo de coisa.

          Mas voltando a questão do texto do Dori, o que o desenvolvedor em questão me pareceu dizer, era da vontade de ter um aproximação maior com a comunidade, e compartilhando as dificuldades etc, etc, etc…

          Na final das contas… Tem culpa dos dois lados… O que falta mesmo é aquela velha regra do bom convívio… Honestidade, e saber se colocar na posição do outro.

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Como eu disse melhor era ele ter ficado de bico bem fechado ao invés de entrar em modo full apple e culpar usuários. No fim é do bolso deles que sai a grana que vai pagar o desenvolvedor.

          • Reinaldo Matos

            Então, se esse é o tipo de resposta que se tem quando se tenta compartilhar com uma determinada comunidade os problemas enfrentados, então realmente que ele fique de bico fechado, mas também, que a comunidade também não cobre transparência.

            Ficamos então no 0 x 0

  • JORGE_TC

    Black Mirror feelings

  • PugOfWar

    trocar engine muitas vezes quer dizer jogar anos de trabalho fora e começar de novo.

  • Marcelo Rodrigo Gadelha

    Ultimamente você ter qualquer opinião, sobre qualquer coisa, na Internet é pedir pra ser atacado.
    Fico triste com isso porque eu sempre gosto de ‘saber’ a história por trás das coisas, como é feito, as etapas, etc…mas não tem porque alguém partilhar suas dificuldades pra simplesmente ouvir ‘meh você que é um mal programador’;
    Recentemente tem-se lido muito sobre como a indústria explora os desenvolvedores em jogos AAA. Talvez soubéssemos disso muito antes se não fosse essa toxicidade. Fazer o quê. “Quando o problema não é meu ou não me afeta, não é um problema de verdade”

    • Pedro Calumbi

      bem isso q eu ia dizer, qualquer assunto que vc fale hj vai ter alguém ofendido com a sua opinião, isso não tem nada a ver com a comunidade gamer,

      • Cãopetente em obras

        Essa geração ter o nome de mimimi é bem plausível.

  • DiGamer80

    A grande merda na internet é esse “anonimato”. Se todo mundo que comenta merda pudesse ser facilmente identificado (e não estou falando de IP, mas de nome completo, CPF, RG…) duvido que esse bando de imbecil tivesse coragem pra ofender alguém.

    • Cãopetente em obras

      Mas é uma faca de dois gumes. Quem regeria esse sistema de localização? O povo para provocar linchamentos? O governo para prender opositores? Esse é o problema. Quem vigia os vigilantes.

      • Thiago

        Who watches the Watchmen?

        • Gesonel o Mestre dos Disfarces

          Quis custodiet ipsos custodes?

        • Cãopetente em obras

          Dr. Manhattan que agora vai fazer um curso de detetive com o Batman na nova série da DC.

        • Cãopetente em obras

          Finalmente veremos personagens de Watchmen se ligando a Terra-1 da DC.

      • DiGamer80

        Concordo, é complicado. Mas acredito q seja tipo a coisa das câmeras nas ruas.. antes todo mundo falava de falta de privacidade, hoje quantos e quantos crimes foram elucidados com a ajuda delas.

        • Cãopetente em obras

          Esse é o ponto. Essas pessoas sempre falaram besteiras, a internet ampliou até onde essas besteiras chegam. Não acredito que eliminar o anonimato salve o mundo dos idiotas sendo o conhecimento a única forma.

        • Cãopetente em obras

          Sobre câmeras nas ruas, elas inibem crimes pois estão nas ruas, local público. A internet, quando você compartilha algo publicamente nela, se pode aplicar os mesmo efeitos quando uma câmera na rua filma algo. O problema é que se abrir o precedente de identificação, eliminando a neutralidade da rede, o conceito de comunicação aberta com o mundo vai por água a baixo, tal qual ocorre com a China.

    • Nem é tanto questão de anonimato. No Face as pessoas são assim e geralmente usam o nome real.

      • DiGamer80

        É, tem isso mesmo, mas pelo menos nesses dá pra printar a tela, imprimir e levar na polícia. Se vai acontecer alguma coisa com o troll das cavernas depois é outra história.

    • Vai nos comentários do Quebrando o Tabu no Facebook e se surpreenda.

      • DiGamer80

        Eu vejo aquele bando de racista no Face e realmente fico de queixo caído. Deve ser uma falsa ideia de que pela net não pega nada.. ignorância pura.

  • Unfear

    Eu sou desenvolvedor e talvez seja por isso que fico puto quando criticam a Blizzard, eles se desdobram para resolver os problemas e a comunidade é tóxica ao extremo.

  • Rijanio

    Discordo do desenvolvedor, acho que falta a ele um curso de relações interpessoais para saber lidar com o público e com críticas, não que isso seja obrigação dele já que todas as desenvolvedoras hoje tem alguém cuidando das relações pessoais na empresa. Mas a minha discordância parte de uma pequena análise. Sou jogador a quase 30 anos, e nunca vi essa indústria aberta no sentido do texto aqui. Mesmo na época pré Internet, onde comprava revistas de jogos, não via detalhes do desenvolvimento dos jogos. A Internet criou absurdos nessa indústria? Sim. Gente ameaçando desenvolvedores, perseguindo por que seu joguinho lindo e pelo qual estava tão ansioso em jogar foi adiado um mês! É o cúmulo da imbecilidade humana. Trolls são um mal desse maravilhoso mundo novo. Mas penso que se um desenvolvedor quer expor um pouco dos bastidores de algum trabalho, não deve se intimidar por idiotas. Enfim pra mim essa desculpa não revela o real motivo da indústria gamer ser tão fechada.

    • Reinaldo Matos

      Ele é um desenvolvedor e não um profissional de relações pessoais… Se fosse somente o mimimi da comunidade, seria o menor dos problemas. Mas isso as vezes pode chegar a um ponto em que a empresa tem que tomar medidas para ficar de bem com seu cliente…
      Trabalho com TI a mais de 12 anos, e já vi muito isso acontecer, e não se aplica somente a comunidade gamer.
      Ví muitos ótimos profissionais sofrerem alguma represália, mesmo que velada, apenas por discordar de alguma opinião.
      A propósito… Essa conversa de “pensar fora da caixa”, só é bonito até o ponto em que entra em conflito com a filosofia da empresa que tu trabalha com o a filosofia do teu cliente.

    • Exato, concordo contigo. E não abrir as coisas deixa mais espaço pra ignorância.
      Mas as vezes da vontade de dizer isso pra alguns devs: “sua vida é pra isso, vc recebe pra isso seu bosta.”

  • Thiago

    Quer saber como funciona a internet e opinião é só pegar qualquer foto de uma garota negra que não vá de encontro com o seu gosto de mulher (independente do porquê) e comentar que não faz seu tipo.

    O problema não são os gamers, mas todo mundo.

  • ElGloriosoRangerRojo™

    É basicamente o problema que todo programador (de scripts a games) enfrenta.

  • Não é vergonha alguma admitir, eu também tenho mea-culpa nisso também.
    Acredito que todos que abraçam uma causa, estão sujeitos a isso, não só os devs, mas qualquer um que desenvolve algum tipo de trabalho.
    Dou razão para ele, nos tempos de hoje, tem muitos “adultos” com mentalidade mais infantil que dos adolescentes atuais. O triste, é que estes “seres” conseguem movimentar massas. Bruxaria?

  • rbsouto

    Quando atacaram o John Carmack em relação a “quem é esse que acha que sabe alguma coisa sobre VR?”, foi quando parei com os fóruns e comentários.

    • Já vi gente contestando a legitimidade do Markus Persson de fazer quaisquer críticas sobre game engines porque o Minecraft é feio.

  • Andre

    Esse problema afeta qualquer pessoa que poste qualquer coisa na net. Profissionais perdem mais pois tem que lidar com milhões de “experts” que sabem tudo sobre tudo.

    É um comportamento de torcedor de futebol. Fatos não importam,o que importa é o que o meu time é melhor que o teu e você está errado por princípio. Tudo isso em uma forma nada civilizada.

  • Vagner Da Silva

    Essa era em que todo mundo é especialista e quem tem uma network maior é “mais especialista ainda” é complicada… talento ou conhecimento não valem mais nada, papers técnicos e entrevistas de criadores são ignorados por que um fulaninho “sabe”.
    …… maldita pós-verdade

  • Raphael Reis

    Rapaz é o preço! Comunidade jovem, quando não bastante imatura. E considerando o quanto a internet potencializa essas características é meio que um resultado óbvio. Então é aquela história, sintetizando bem; não se dá pérolas aos porcos.

  • Felipe Braz

    Kra, me lembro quando eu administrava os servidores públicos de UT, um jogo sem serial e com alta carga de cheaters.

    Montei uma equipe de moderação e começamos a fazer a caça as bruxas, tinha feito até um sistema pra parsear os logs do jogo, organizar num banco de dados pra cruzar informações e pegar os fdps.
    Resultado: Eramos acusados de ditadores.

    Então conversei com a equipe e combinamos de pegar leve, deixar o jogo rolar mais e talz.
    Resultado: Eramos acusados de ser relapsos.

    Quando instalei um sistema que quando detectava alterações tirava print da tela do jogo, fomos acusados de “Invasores de PC”, mesmo tendo um disclaimer sobre isso.

    Por fim larguei de mão essa p** toda, já me estresso demais no trabalho e na vida pessoal, não vale a pena mais um stress.

    • O negócio é a arte do fodasse. Depois que aprendi, quase todos os meus problemas se resolveram (alguns sem estar de fato resolvidos kkkk). Vei o server é seu as regras são suas. Não seguiu fodasse. Melhor o server c pouca gente do que com um bando de cheaters

      • Felipe Braz

        Pior que os servers não eram meus, eram os públicos do terra e do brturbo, mas como eu tinha contato com os admins então tinha a liberdade de administrar, instalar correções, patches, novos mods, etc.

        Alias.. era um saco, tinha que testar local e mandar os arquivos modificados com instruções de instalações por email.

        • Caramba que loko. Sim eh um saco mesmo. Vc era tipo um super moderador. Sempre quis ‘fazer’ um server de algum jogo. Mas to ligado que dá muito trabalho.

          • Felipe Braz

            Fazer o server normalmente não é dificil, o problema é administrar, moderar, etc. que exige um puta tempo e uma paciência de santo.

    • O jogador de games multiplayer que usa cheat é um caso a ser estudado para mim. Não há premiação ou reconhecimento numa partida qualquer de um shooter qualquer para o sujeito fazer isso. Aí você pergunta porque o cara trapaceia, e ele dirá que é o único jeito de jogar, pois todo mundo faz igual. Aí você oferece um server anti-cheat e o cara reclama…

  • DanielBastos

    Só pra implicar:

    Quantos tweets ele precisou pra escrever esse textão?

    The treta as be planted 🙂

  • André Botelho

    100% de acordo! O Sean Murray da Hello Games foi massivamente criticado. Lógico que teve culpa pela Hype em NMS que criou e pela entrega abaixo das expectativas do jogo… Mas, tudo o que ele falava era motivo de massacre. Resultado: O cara sumiu! Um cara super aberto para a comunidade, resolveu ficar nos bastidores. Culpa dos gamers tóxicos.

  • Wallacy

    A Internet, apesar das pessoas esperarem o contrario, é um meio complexo para se discutir qualquer coisa, diversos fatores levam a isso. Mas de modo geral, tudo é questão de “meio”.

    Quem quer discutir games a nivel de desenvolvimento, deve procurar os meios mais apropriados, geralmente foruns fechados das companhias. Porém claro, de forma mais aberta temos casos como o GDC https://www.youtube.com/channel/UC0JB7TSe49lg56u6qH8y_MQ, que assim como o meiobit tenta separar o joio do trigo, e discutir livremente assuntos sem a parte inóspita de costume. No caso do GDC a conferencia é paga, aqui, até pouco tempo tínhamos uma moderação ativa… (Para aqui virar um gizmodo não falta muito)

  • Igor Alves

    Belo post!

  • O_neto

    Verdade. Inclusive sobre um trecho do texto, parece que a Internet vem matando a empatia, coisas que você jamais diria cara a cara pra alguém você diz online, porque você não sente. A pessoa sente.

  • Julio Verner

    Ué, a Internet não é Deus, a voz do Povo? Quem é tóxico não é “comunidade gamer”, é essa desgraça de Humanidade.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis