Sem muita surpresa, Dubai quer ser a primeira cidade do mundo com serviço de táxis-drones

drone-taxi

Xeque Hamdan bin Mohammed bin Rashid Al Maktoum (saúde!), o príncipe-herdeiro do Emirado de Dubai posa para fotos na cabine do VC200; mas como não é besta não voou nele

Fato, o Emirado de Dubai tem orgulho de sempre, sempre querer ser a vanguarda do mundo. Com dinheiro de sobra, os xeques locais passaram os últimos 30 anos investindo para fazer dela a “cidade do futuro”, e quando não fazem show-off usando Maseratis e Porsches como viaturas e ambulâncias apresentam uma ou outra inovação tecnológica interessante; isso quando não embarcam de cabeça em ideias de outrem para ser simplesmente o “first”.

A bola da vez, que algumas empresas e pesquisadores defendem como o próximo passo é usar drones como veículos de transporte autônomos, mais precisamente como táxis. Claro que há uma série de problemas nessa abordagem, na possibilidade de um defeito mínimo todo mundo a bordo morre e outras preocupações como autonomia dos veículos, velocidade e legislações. Ademais, helicópteros já estão aí e fazem basicamente a mesma coisa (e acredito eu, por menos dinheiro).

Ainda assim Dubai decidiu que quer ser a primeira cidade do mundo a contar com drones como táxis, e para isso fechou uma parceria com a empresa alemã Volocopter (antes E-Volo, patrocinada pela Daimler) e adotou o VC200, o mesmo que fora apresentado em 2013. Ele conta com 18 rotores elétricos, uma cabine de fibra de carbono e a estabilidade conferida pelo posicionamento dos rotores elimina os problemas de torque de um helicóptero, que exige um rotor traseiro e em caso de falha a catástrofe é iminente. Drones comuns já usam essa solução, a Volocopter só aumentou a escala.

O volocóptero tem capacidade para duas pessoas e autonomia de 30 minutos, em um voo obviamente pré-programado sem que os passageiros tenham que fazer qualquer coisa. A Volocopter informa que o VC200 dispõe de baterias e rotores extras e para casos extremos, um par de paraquedas. A empresa alemã não é nem de longe a única a investir nesse setor, há uma série de concorrentes de peso como Google e Airbus e outras menores (e esquisitas) como a Kitty Hawk, mas provavelmente pela maturidade de seu projeto os xeques de Dubai deram preferência para a solução da Volocopter. E claro, a já conhecida eficiência alemã também é um fator importante a ser considerado.

Os testes foram conduzidos nesta segunda-feira (25) em uma cerimônia organizada pelo xeque Sheikh Hamdan bin Mohammed, porém sem passageiros a bordo (ainda não encontraram alguém louco o bastante para voar nele); considerando as condições até que ele foi bem, voando por cinco minutos a 200 metros de altitude:


Business Insider — Dubai just tested its autonomous flying drone taxi

O que ninguém sabe ainda é como o VC200 se comporta com tripulantes, já que todos os testes foram conduzidos com ele vazio. No entanto, com o aporte de Dubai (que é uma cidade progressista tecnologicamente falando e não deve pôr empecilhos para legalizar o drone-táxi) poderá fazer com que o projeto possa de fato dar certo por lá.

Fonte: Reuters.

Relacionados: , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Rin Tezuka

    É carro voador

  • Julio da Gaita ✔

    Mohamed’s voadores?!

    • Ivan

      os predios que se cuidem

  • Ricardo Wagner

    Achmed enxerga muitas possibilidades de transporte de carga em Dubai.

    https://uploads.disquscdn.com/images/874be0f6bb98e189fd45e3d64ab0d5f20caa1905dd82a409b73d4cac9a074e60.jpg

  • Diogo

    Estão querendo reinventar o helicóptero e eu não fiquei sabendo?

  • Meganegão

    Troço inspira tanta confiança que nem encontraram ninguém que se candidate a testar? Eu acho que ele vazio já está operando com carga máxima, mas eles não querem mostrar que está longe de estar pronto.

    • Lui Spin

      Também acho.

  • gfg2

    Numa cidade que os caras tem leões, tigres siberianos e chitas como bichos de estimação, fazem drift em rodovias movimentadas em alta velocidade, e não acharam UM maluco pra testar, a confiabilidade do veiculo fica no minimo abalada.

    • Alvaro Carneiro

      voce realmente acha isso?

      claro que tem maluco para testar, mas quem está por trás disso não é gente burra, e deve ter também alguma legislação que impeça o vôo tripulado antes de homologar o aparelho etc.

      • gfg2

        AH VÁ?

      • Lui Spin

        Legislação em Dubai, que impede um monarca de fazer o que ele quiser?

        Acho difícil.

        Provavelmente não está maduro o suficiente para transportar gente. Se não o xeque colocaria um de seus escravos lá no troço voador e de boas.

    • Cocainum

      Não existem sogras em Dubai?

      • gfg2

        Deve existir, mas provavelmente são indignas de serem cobaias.

    • Lui Spin

      Isso que eu ia falar. Foi mais propaganda contra.

      Fazer uma apresentação pública, de um veículo inovador para transportar pessoas, sem pessoas dentro não faz nenhum sentido.

      Que conduzissem os testes até chegar a um nível de segurança, em particular. Só mostrasse ao público voando, quando pudesse voar com gente dentro.

  • André Luiz

    Esses aí são os árabes legais?

    • Claudio Roberto Cussuol

      Se estiver de vestido branco e toalha de mesa vermelha na cabeça é “árabe do bem”.

      Se a toalha na cabeça for de banho…. aí o bicho pega.

  • Daniel

    Me sinto como se estivesse assistindo um automóvel no início de sua era (respeitando as devidas proporções é claro) acho que em uns 10 anos será razoavelmente comum ver esses trecos pelos céus, claro não por aqui, por aqui sempre é necessário acrescentar no mínimo dois zeros a qualquer previsão, seja ela temporal ou financeira. Embora o Cardoso e mais uma galera sempre diga que não será tão cedo, eu acredito que não passa de 10 anos, (considerando vôo autônomo, em pequenas distâncias e cursos pré-programados, e que a tecnologia das baterias dê um bom salto nesse tempo, imaginando que algumas das pesquisas atuais mais promissoras para elas cheguem a nível de escada industrial).

    • adriano marcos

      Sem falar que para transporte de materiais, entregas (como já existem drones pequenos que fazem) resgates, etc, é uma excelente alternativa.

      • Daniel

        Na forma de entregas é o que acho mais próximo de aparecer em alguns anos por aqui, pelo menos nas capitais (como de um hospital para outro) no centro. (Possivelmente seria mais rápido e viável que um motoboy) para entregas muito caras e urgentes.

    • Lui Spin

      Acho que o Cardoso é mais crítico contra “carros voadores”, algo que nunca vai existir pq nem sentido faz. Funciona mal como carro, funciona mal como avião, e a pessoa precisaria ser habilitada para o voo. Sem falar nos problemas de rotas e tudo mais, seria mais difícil de controlar etc.

      Agora um veículo dedicado única e exclusivamente a voar, de forma autônoma, pequenas distâncias, eu acho mais tranquilo.

  • Vagner Da Silva

    Dubai está virando uma ficção científica distópica com os nobres ricos vestidos de branco, em seus arranha-céus, voando com seus drones caríssimos e os pobres no chão… sendo pobres como em qualquer lugar. O pior é que se a criminalidade aumentar vamos acabar tendo uma polícia com mechas e drones em um futuro bem próximo.

    • Lui Spin

      kkkk verdade.

      Como vc falou, bem aqueles futuros pós apocalípticos de filme mesmo.

  • JORGE_TC

    Qual aquele princípio que diz que quanto mais dispositivos eletromecânicos, maior a chance de acontecer cagada? Não era bem nestes termos, mas de, pelo menos, diminuir a vida útil e aumentar as manutenções.

    Por isso que os smartphones de hoje duram mais que celulares flip de antigamente (neste aspecto).

    • Ivan

      Pode se aplicar a lei de Ockham

    • Xultz

      Você tem razão, bora inventar um veículo (de qualquer tipo) que não tenha nenhuma parte móvel. Boa sorte.

      • JORGE_TC

        Campeão millenial, vou ter de explicar o óbvio: o que eu falei era que quanto menos partes móveis, melhor.

        O exemplo do celular flip versus smartphone, foi que o primeiro tinha uma parte móvel enquanto os demais, nenhum.

        Foi uma vã tentativa de ser mais didático do que explicar que é melhor (e menos provável) dar defeito em duas hélices (helicóptero) do que em um drone com 18.

        • Lui Spin

          Eu sou completamente ignorante no assunto.

          Mas das 18 hélices, se duas falhar, ele consegue se estabilizar com o restante para pousar em segurança?

          Ou com quantas ele conseguiria pousar em segurança, se falhassem mais hélices?

          • Julio Verner

            Acho que no caso do Drone pode-se instalar mais facilmente aquele para-quedas para esses casos… E ainda que funcione só 9 dos 18 rotores, ele vai “cair com estilo”… Avião de rosca(como chamam helicóptero no interior de SC) é uma bataquada só. hehehe

          • Lui Spin

            Espero!!! kkk

        • Xultz

          Sagaz e hercúleo guru, qual é a probabilidade de um helicóptero de 18 hélices cair porque uma pifou e as demais continuam funcionando? Se a hélice principal de um helicóptero comum pára, 100% do empuxo é perdido. Se você ainda tiver 17, perdeu somente 6%. E compare a quantidade de partes móveis que tem em um único motor a combustão, e compare com 18 motores elétricos.

  • The Question

    Existe um site onde ser “first” é um honraria, com direito até ganhar um prêmio.

  • Ivan

    Parece que querem reinventar a roda…

  • Felipe Braz

    “pnc do first”

  • Marcogro®

    Pelo que vi, entrar os fantasmas entraram… Mas voar mesmo, só o Drone ‘vazio’… Isso é mais marketing do que outra coisa. Igual ao robô segurança escafandrista…

    • Lui Spin

      Marketing do contra.

      Se o veículo foi feito justamente para ser um táxi voador, fazer uma apresentação pública dele voando sem pessoas dentro, ficou no mínimo estranho.

  • O dia que chegar na Europa isso vai ser um estouro!

  • To nem aí 😎🍺

    Nada como ter dinheiro sobrando.

    • Ivan

      Nada como estar sentado em petróleo e saber usar esse dinheiro pra gerar riqueza….

    • Xultz

      É bom mesmo? Nunca experimentei esta sensação…

      • To nem aí 😎🍺

        Somos 2 -)

  • Xultz

    Pelo menos os árabes testaram e aprovaram: mulheres de vestido conseguem embarcar no treco.

  • Marcelo Santos

    E aqui Macaé e Ilha Bela utilizam o dinheiro do petroléo para levantar pilhas de concreto para demolí-las logo depois.

    • Julio Verner

      Alguém tem de “esquentar” o money né… Aqui em SC foi a linha ferroviária, abandonada logo depois do começo do “desvio” urbano… Trilho, Concreto… Muita grana jogada “fora”.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis