Criador do Opera e Vivaldi diz que sofreu represálias do Google após tecer críticas

google

Não é novidade que o Google não é nenhuma empresa filantrópica, mas ela não pratica o que defende. Por anos ela manteve o slogan “Don’t Be Evil” mas quando é ela quem define o que é mal e o que não é, fica difícil. O entendimento geral é que a companhia se tornou grande demais, poderosa demais e abusa de seu poder para ditar os rumos da internet, e não por acaso é desejo da União Europeia frear todas as suas práticas que prejudicam o mercado e inibem os negócios da concorrência.

Jon Stephenson von Tetzchner é um desses concorrentes. O desenvolvedor islandês é conhecido por ter sido co-criador e CEO da Opera Software, empresa que fornece um dos melhores navegadores que ninguém usa (embora seja o 5º mais usado ele responde por apenas 5% do market share; o Chrome fica com 54%). Hoje ele está à frente da Vivaldi Technologies, companhia que também conta com um browser excelente que incorpora uma série de funcionalidades que seus principais concorrentes não oferecem.

Enfim, em uma postagem no blog da Vivaldi Tetzchner lembra dos primeiros dias da parceria entre a Opera e o Google, quando a gigante das buscas era apenas mais uma no mercado de tecnologia e ainda se preocupava em agradar seus parceiros e crescer. No entanto as coisas começaram a mudar quanto maior Mountain View ficava, e suas estratégias foram se tornando mais e mais agressivas e protecionistas.

jon-stephenson-von-tetzchner

Jon Stephenson von Tetzchner, co-fundador e CEO da Vivaldi Technologies, co-fundador e ex-CEO da Opera Software

O executivo lembra de um problema entre o Google Docs e outros navegadores. Quando o pacote de aplicativos de escritório foi apresentado ele não funcionava com o Opera, de modo a forçar o usuário a migrar para o Chrome; Tetzchner conta que a empresa se viu foi forçada a mascarar a identidade do navegador para que ele tivesse acesso, algo que persiste com o Vivaldi mesmo ele sendo baseado no Chromium, o projeto open source do Google.

Só que as coisas ficariam ainda piores. Segundo Tetzchner, dois dias após conceder uma entrevista à Wired em que ele criticou as práticas do Google, a Vivaldi foi suspensa da plataforma Google AdWords de forma sumária e sem que fossem dadas quaisquer explicações. Quando entraram em contato a gigante deu uma resposta vaga, citando violações de seus Termos de Serviço e que o processo para recolocar a empresa no programa consumiu três meses e adequação a uma série de “exigências descabidas”, segundo ele. Tetzchner não esconde sua suspeita (eu diria certeza) de que o ato foi uma represália direta por ele ter descido a lenha na “parceira”.

Sob o ponto de vista de uma empresa que trabalha com um navegador não há muito o que fazer. O Google controla 75,8% do mercado de anúncios em motores de busca e se ele decidir que sua ferramenta não terá acesso, você não terá como monetizar seu produto e estará fadado à falência. Não são poucas as denúncias do tipo referentes ao Google e mesmo em outros anúncios, o que deixa cada vez mais claro que a empresa detém poder demais nas mãos e não é saudável para o mercado como um todo que tal cenário permaneça. Por isso a ideia da UE de partir o Google em dois e força-lo a compartilhar seu algoritmo de busca com seus concorrentes não chega a ser uma decisão tão dura assim.

Procurado, o Google não se manifestou.

Fonte: Vivaldi.

Relacionados: , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Gustavo Henrique

    You either die a hero, or live long enough to see yourself become the villain.

  • Thiago

    “…força-lo a compartilhar seu algoritmo de busca com seus concorrentes não chega a ser uma decisão tão dura assim.”

    Eu desenvolvo uma tecnologia revolucionária, impressionante e eficiente, ninguém consegue se equiparar, logo eu devo ser punido divulgando todo o trabalho que investi de forma gratuita, independente de quanto capital foi investido, de forma que os outros possam crescer e, quem sabe, me engolir.

    Pimenta no c% dos outros é refresco.

    • Claudio Capistrano

      O Google baniu a Vivaldi sem qualquer explicação real. Assim como zoava o Opera no Docs e etc..
      Usar a posição de superioridade para banir a concorrencia, é o que está levando a essa situação, e não a falta de competição no Mercado de Buscas. Só que a UE não é retardada como a Justiça Tupiniquim. Eles irão direto na galinha de ouro resolver.

      • Thiago

        Não disse que não deve haver punição para esse tipo de atitude. Eu disse que forçar a empresa a divulgar sua tecnologia não é correto. Todos acham correto porque não é a tecnologia deles que teria que ser divulgada.

        • Claudio Capistrano

          Concordo, mas o Google não tem se importado em sabotar a concorrência. Se continuar desse modo, tudo acaba terminando em pizza.

    • Carlos Taylor

      Essa ideia de simplesmente liberar o algorítimo realmente é absurda, mas usar o poder conquistado para intimidar a concorrência não é legal.

      • Thiago

        Sim, quanto a isso não há discussão. O ponto que eu quis explicitar mesmo é essa sanha, senão tara, de algumas pessoas de forçar a empresa a divulgar sua tecnologia para os concorrentes.

        • Gesonel o Mestre dos Disfarces

          Se a empresa usa isso para ser a única no mercado, nada mais justo. O importante não é a competitividade e a concorrência?

          • Carlos Taylor

            Bem, creio que as outras empresas tem gente trabalhando lá que também pode desenvolver algorítimos assim como o do Google.. Ou também é preciso muuuita grana além de inteligência e trabalho?

          • Gesonel o Mestre dos Disfarces

            E como você consegue derrubar uma ótima idéia já consolidada sem mercado? Sem respiro, não tem competitividade. não dá pra se apoiar em exceções e milagres.

          • José Carvalho

            Pq todo mundo acha que alguém quer meter um buscador no mercado e essa é a treta? Dá uma lida nos meus comentários logo acima, lá explica melhor a questão

          • SignaPoenae

            É preciso muito tempo, coisa que startups não tem.
            Quando o produto deles começam a apresentar uma certa relevância, do dia pra noite uma gigante apresenta uma solução igual ou superior simplesmente por ter dinheiro infinito e base instalada de outro produto gigantesca, que conversa com o produto novo.

            Veja o caso do snapchat, que dentro em pouco vai pro limbo.

          • Carlos Taylor

            Mas o caso do Snapchat já leva a outra discussão e também a uma certa justificativa do porquê é possível startups entrar e competir no grande mercado.
            O Facebook, Instagram etc. não podiam ter simplesmente copiado as recursos ou projetos do Snapchat. O Snapchat teria que autorizar e ainda receber por isso. Essa é uma lei feita justamente para o que ta sendo discutido aqui: Competitividade.
            E o próprio Snapchat mostra que isso é possível.

          • José Carvalho

            Eles simplesmente copiaram sim, não há patentes para as funcionalidades do Snap, pode chegar, copiar e pronto… Como você já tem uma catrafada de pessoas no seu empreendimento atual e uma catrafada de dinheiros voce consegue derrubar seu inimigo, mesmo que ele não fosse seu inimigo… nem rival,… nem concorrente, você só quer aquele mercado e pronto… se a empresa não quiser ser comprada, sabe-se lá pq, não há leal competição.

          • Carlos Taylor

            Mas se o Snapchat quisesse ele poderia patentear?

          • José Carvalho

            Creio que não, entretanto, desconheço em profundidade as regras para patentes nos EUA

          • José Carvalho

            O Facebook empurrou o Messenger como um aplicativo independente e ainda comprou o maior rival, só pra fud… os outros apps de mensagens.
            As pessoas já se comunicavam via Facebook dentro da aplicação do Facebook, mas nos celulares haviam vários apps de mensagens, inclusive do Google, que até agora tenta recuperar a base de usuários ativos. Quantos menores não foram obliterados por essa briga?

          • José Carvalho

            Existem outros excelentes buscadores, gerais e especializados, não é essa… le os outros comentarios meus, por favor, eu to ficando cansado de digitar rsrsrs

          • Thiago

            É fácil falar isso quando o produto não é seu. Se você fosse o dono do brinquedo duvido que seria tão “socialista”.

          • José Carvalho

            A UE é dona do parque… Quer brincar com o brinquedo nesse parque? Siga as regras.

          • Thiago

            Quando os processos acabarem, a dona do brinquedo que irá decidir. Existindo ainda a distância entre o querer e o poder, afinal para isso que servem os advogados.
            Não estou defendendo a Google. Só desprezo essa inveja (não encontrei palavra melhor) de seu produto principal e o quanto ele é difundido, tanto que a Apple nem tenta desenvolver um concorrente (mas cobra bem para que a Google mantenha seu brinquedo lá) e a Microsoft sofre com o Bing. Essas são as maiores interessadas de que a Google libere seu algoritmo. Ou você acha que a desenvolvedora do Zé vai virar uma superpotência com os algoritmos?

          • José Carvalho

            O Disqus JUSTAMENTE segurou o outro comentário pq eu fui estúpido e agora estou colocando duas linhas extras aqui, ignore…

            [Comentario começa aqui] A questão da UE não é a maravilha incrível do absurdo algorítmo de buscas desenvolvido por mãos angelicais em computadores quânticos na Liguagem de Deus do Google. A questão da UE é o que fazer para frear as práticas desleais do Google. Liberar o algoritmo não é uma questão da Zé Software Development (obrigado pela ideia, acho que vai se chamar assim!!) se tornar uma superpotência, mas quando a ZéSD .co reclamar ao tribunal da UE que o Google depreciou meu produto propositalmente pq a própria Google lançou uma ferramenta semelhante, alguém vai poder aceder ao algoritmo do google e falar:
            a) Não, seu produto ficou justamente na 8ª página de ontem pra hoje
            b) Sim, o Google aumentou a relevância do detector de fantasmas do próprio google e jogou o seu na 8ª artificialmente.
            Agora o Google vai ter que pagar 16 galinhas e 4 sacos de trigo pra ZeSD .co… Entende a questão?

          • Thiago

            Concordo com o que você disse. Mas não vejo esse curso de ação como o correto. Na verdade, não sei qual seria, afinal se eu posso anunciar meus produtos e alguém está lendo, por que eu anunciaria os produtos da concorrência em detrimento aos meus? É querer culpar a empresa pelo seu sucesso. É uma questão realmente difícil e, como você disse, faz com que ela seja a toda poderosa, decidindo quem sobe ou desce. É engraçado ao ponto de você usar o Bing e estranhar como ele não mostrou o que você queria, da mesma forma que o Google faz. Já tentei algumas vezes e desisti.

          • José Carvalho

            Não, uma vez dono do mercado de buscas, é desleal afundar os outros, práticas honestas do capitalismo precisam ser executadas por todos para o mercado ser justo. Se o lider de mercado for justo é uma questão de sucesso, se for injusto, bem, é desonesto.

          • José Carvalho

            Aqui no trabalho sou obrigado a usar o bing e, cara… o Bing passou a mostrar sempre aquilo que eu procuro, é uma questão de o quanto mais se usa, mais o buscador te ajuda, ele se adapta aos seus cliques nos resultados. Temos muito tempo de uso no Google, por isso ele te mostra o que tu quer. Se procurar no Duck Duck Go não encontras tudo tão fácil e o motor é exatamente o mesmo. Por isso mesmo indico que a questão não é o algoritmo, é ver se ele está a cumprir o que promete (fazer buscas baseado em relevancia)

          • Gaius Baltar

            Rapaz, eu vi um artigo de um cara alt right brasileiro (não sei se o Constantino ou o Moura Brasil) acerca da censura do Google a certos termos envolvendo raça branca/negra e nem levei em conta pois pensei que era a velha teoria da ferradura (o oposto dos SJW sendo tão chatos quanto estes), mas fui testar e é verdade. Sinistro.

          • José Carvalho

            Ainda não fui verificar esta questão, no entanto, Facebook e Google são bem conhecidos por tentarem influenciar o pensamento das pessoas. A transformação da internet em um mercado de gente, talvez como se fosse um mercado de escravos modernos, fez com que seja estupidez a única coisa interessante a se trafegar pela via, que há muito tempo deixou de ser uma forma maravilhosa de se ter acesso à informação. Era para estarmos hoje no período mais ilustre da história humana… O princípio da eternidade e da felicidade, mas vivemos o perído do terrorismo, Terra plana, antivaxx, neonazistas, esquerda x direita, Charlote’s Ville, etc… Boa parte disso pela percepção das empresas de que em pequenos grupos, pode se implementar ideias, e elas se propagam de grupo em grupo melhor que de pessoa em pessoa… Separar pessoas por tipo e ideias ajuda a vender propaganda, etc… Na época do Orkut e MSN eu tinha amigos de vários estados do Brasil, do Egito, Austrália, EUA, Canadá… Hoje o Facebook fecha seu círculo, te confina ao teu ambiente real, você não pode conhecer pessoas novas, de fora… Sua amizade com alguém do diabo mais velho não vai ajudar o Facebook a vender você nem sua rede de influência… O Google (e a Microsoft) faz o mesmo. Ninguém vê. Estamos dentro do filme de terror, e como todo filme de terror, não sabemos combater os zumbis.
            Nuances e detalhes passam batidos dessa sociedade, que de perto é preta e branca, só de longe ela é cinza.
            (Quando chega ao fim do meu turno eu to assim, aéreo, foi mal o longo texto)

          • Gaius Baltar

            Concordo contigo. Por isso procuro sair um pouco da minha zona de conforto e ler artigos de todos os espectros políticos e econômicos, para formar minha opinião sem seguir uma cartilha. Gostei bastante da forma lúcida como você colocou seus argumentos. Tranquilo pelo textão, por vezes é necessário. Abraço.

          • José Carvalho

            Detalhe que eu esqueci de citar, e o filtro antispam do Outlook é melhor que o do Gmail…

          • Gaius Baltar

            Eu também não curto quando culpam uma empresa pelo seu sucesso, MAAASS a empresa não pode usar qualquer arma para se manter no topo.

          • José Carvalho

            O Google detém todo o mercado de buscas, ou seja, tudo o que eu quiser encontrar nas internets está por lá. A prática desleal está nos webmails, suites de office, browsers, que alegadamente o Google suprime em buscas até por nome específico do produto, matando empresas, desenvolvedores independentes e até softwares open source

          • De que adianta o parque sem brinquedos, ainda vou acabar vendo o Google trollando a UE nos resultados da busca.

          • José Carvalho

            Sei lá, pergunta se o Google não segue as regras na China direitinho…

          • José Carvalho

            Além do mais, como na China, ao dono do brinquedo muito interessa os frequentadores do parque

          • Gaius Baltar

            E isso chama-se mundo real. Não sei o que é mais difícil, se a galera do Meio Bit entender que o mundo não é Watch Dogs ou a galera da Trivela entender que o mundo não é Football Manager.
            Sim, eu sou um nerd que gosta de futebol. Julguem-me. E ao Nick Ellis também.

          • José Carvalho

            Não entendo o motivo de as pessoas não sacarem as nuances e detalhes de um mundo tão rico como o que temos, acho que a explicação que melhor se encaixa pra mim é: Trocam o simples por simplório.

          • Gaius Baltar

            No mundo de fantasia o Google trola a UE.
            No mundo real o Google quer a grana da UE (e da China também) e faz o que for preciso para ter essa grana.

          • Amém!

          • Gesonel o Mestre dos Disfarces

            Pelo contrário, sou super tranquilo quanto a isto. Se houver um estado para me amparar na eventualidade disto der errado (como é na Suécia, dinamarca, etc). tou cagando pra idéia de ser o bambambam da p… toda.

        • Concordo, ninguém pensou em ajudar o Google a formular o algoritmo, agora que tudo está pronto e funciona tem gente querendo pegar carona, é complicado.

          • José Carvalho

            Vocês não leem essas porras desses comentários gigantescos que eu escrevo tentando ajudar vocês a entender o contexto da coisa? Meu Deus…

          • Ok, desculpa então, por não concordar com sua visão do mundo, mas fala aí, grande especialista, explica a treta então e ai de quem discordar.

          • José Carvalho

            Não é uma questão de opinião ou visão de mundo, foda-se “ter” o algoritmo, o Google não tem o santo graal das buscas no algoritmo do motor. O que a UE quer é saber e auditar o quanto o Google pode alterar os resultados para prejudicar concorrentes. De acordo com as normas europeias, se você se torna líder absoluto de um determinado mercado, você passa a ter responsabilidade de garantir a concorrência leal e justa, já que ninguém pode te destronar, caso você seja estúpido e irresponsável com o mercado, a UE corta suas asas. Eu sequer estou dando minha OPINIÃO, da qual, você e os outros colegas poderiam e deveriam discordar para termos um diálogo interessante, isso são os fatos. Ninguém quer (óbvio que vai aparecer um ou outro, mas é estupidez) criar o novo Google com o motor do Google, e o Google vaga pra alguém criar um buscador, eles tem grandes mercados, contratos e são dominantes absolutos no mercado, o que eles não querem é que vejamos o quanto eles manipulam resultados de forma a fuder quem lhes interessa. O Google pode afundar uma empresa na bolsa de valores se quiser, pode sumir com um mercado, eles podem muita coisa.

          • José Carvalho

            Obrigado por reconhecer a superioridade do Grande Especialista, mas você, como não é grande especialista, esqueceu de ser referir a Mim com letra maiúscula em “Grande Especialista”. Vou perdoar pq eu tmb sou Grande Sábio e Grande Benevolente.

          • Mas sinceramente parei de ler quando na primeira linha você disse que ainda não analisou a questão….

          • José Carvalho

            Não sei a qual comentário se refere, já faz tempo saporra…

      • Dou uma e se for bom dou mais

        Você diria o mesmo se estivéssemos falando de windows?

        • Carlos Taylor

          Diria..

        • José Carvalho

          Quando se trata de Microsoft a UE tmb mete o cacete… Não há muito do que reclamar neste sentido. A UE não é contra a inovação ou mesmo o domínio de um mercado, mas é estritamente contra práticas de mercado desleais. Esse é o problema todo com o Google, e forçar o Google a liberar o algoritmo de buscas não é uma vontade de tomar a maravilhosa, estupenda e revolucionária tecnologia de pesquisas do Google, é uma compensação, uma garantia de que não é com base no algorítmo que eles afundam as outras empresas que querem estar no mercado.

        • Acho engraçado que empresas europeias que são “donas” de seus respectivos segmentos nunca tem este tipo de tratamento.

          • Kheiron

            Cite exemplos …

    • Gesonel o Mestre dos Disfarces

      Defendendo monopólios?

      • Thiago

        Defendendo propriedade intelectual.

        • Gesonel o Mestre dos Disfarces

          E, por consequência, monopólios.

          • Thiago

            Como eu disse acima, pimenta no c$ dos outros é refresco.

          • Pelo o que percebi, o cara aí esta partindo da vertente de que ideias não devem ser tratadas como posse.
            Gente que trabalha com arte, música ou entretenimento surtam com isso.

    • Marks William

      Governos fazem isso com medicamentos e não vejo farmacêuticas quebrando. Então acredito que o Google irá sobreviver.

    • Se eu começar a abusar do meu poder devo ser punido, caso trabalhe honestamente sem prejudicar a livre concorrência não tenho que ser punido, simples assim.

  • ElGloriosoRangerRojo™

    Pessoal do MeioBit tem que decidir se Google é menino ou menina…

    Não é novidade que o Google não é nenhuma empresa filantrópica, mas ela não pratica o que defende. Por anos ela manteve o slogan “Don’t Be Evil”…

    • O português deveria ter gênero neutro como no inglês. Evitaria muita confusão…

      • Diego

        X Googlx.

        • Danilo

          Google by Eike Batista?

        • gfg

          E como se pronuncia?

          Não, não foi uma pergunta séria

          • ElGloriosoRangerRojo™

            Shh Googlshh

            Sempre que leio esses negócios com X, penso na pronúncia assim…

      • José Carvalho

        Ou deveríamos estudá-lo por mais tempo.

      • Politicamente correto, assim evita protestos sobre discriminação.

    • Antenor de Paula Freitas Junio

      Cara, não tá errado, vc que não tá sabendo interpretar msm. Quando eles se referem ao Google, é o Google, quando eles dizem ela, é referente a empresa. simples assim…

    • EmuManíaco

      google é genderfluent então ambas estão certas

  • EmuManíaco

    Aí eu digo que tem que se frear o crescimento de certas empresas como google e Facebook e nego tem um ataque de perereca. Quem diria que a apple e a microsoft podem ser consideradas “boazinhas” perto do google e facebook.

    • Yskar

      Ainda não consigo ver a apple e a microsoft como “boazinhas”, mesmo ainda perto do google e fb, ainda não chegaram no mesmo patamar de sacanation das duas clássicas.

    • nayara

      Teoria bonitinha do rapaz, exceto por um fato: opera e vivaldi estão a séculos de se tornarem alguma ameaça ao Google. Seria como a banana comer o gorila

      • EmuManíaco

        oi? me refiro ao google como mega corporacao e nao como concorrencia em browser.

  • Dou uma e se for bom dou mais

    Pois é, mas ai precisa de estado e estado é muito ruim, anarcocapitalismo é melhor porque povo é muito inteligente e vai boicotar as empresas do mal.

    Dai o cara cai da cama e acorda para a vida real.

    • Gesonel o Mestre dos Disfarces

      Quando a empresa domina TODO o mercado, boicota como, né? 😀

      • Dou uma e se for bom dou mais

        BINGO!

    • Uma coisa é Estado como agente econômico direto, outra, bem diferente, é regular a economia.

      • Dou uma e se for bom dou mais

        E qual a diferença?

    • Thiago

      Parei de ler no “o povo é muito inteligente”.

      Justamente pela maioria popular ser ignorante e massa de manobra é que o anarcocapitalismo estaria fadado ao fracasso, lamentavelmente.

      Para o anarcocapitalismo dar certo, 100% da população teria que ser intelectualmente desenvolvida… Você pode afirmar isso do Brasil, por exemplo?

  • Rin Tezuka

    Imagina as casas Bahia avisando: “Na lojas americanas ta mais barato” hahaha

    • José Carvalho

      Não é bem assim, a questão da UE contra o Google não trata das práticas normais de mercado, mas das desleais, estamos falando de um longo histórico da UE avisando ao Google (e outras) que não dá pra monopolizar o mercado destruindo o próprio mercado. O Google e o Facebook hoje disputam quem tem o controle absoluto da internet, não é pq eles tem algoritmos milagrosos, é pq eles, em posição de liderança não sabem se comportar como parte do mercado e querem ser o mercado por completo. As práticas predatórias dos grupos envolvem práticas que são ilegais em muitos lugares do mundo.

      • Rin Tezuka

        Pelo seu próprio exemplo, o face aparceu quando o google já estava consolidado no mercado e mesmo assim está disputando com ele agora.

        • José Carvalho

          O Google não estava interessado em mídias sociais quando o Facebook se tornou relevante o suficiente para ser dono do mercado. O conceito de mídia social para conectar todo o tipo de conteúdo e o projeto de monetizar isto não era algo suficientemente eficaz. A aposta do Google era um projeto pessoal de um funcionário do Google, sucesso em países emergentes, e foi encerrado sem mais nem menos. O Facebook enfrentou altos e baixos e segurou a onda até ver resultado. Além disso o método de propagação de uma mídia social é diferente de um sabonete, por exemplo. Uma vez que você indexa sua lojinha e o Google tem um concorrente no shopping deles, eles mostram o resultado evidenciado no Google shopping, não na sua lojinha. Isso é abusar de ser o único no mercado.

  • Juaum

    Enquanto isso, uns bilhões de manés continuam acreditando que a Google é uma santa.

    • Santa não é, mas tem noção da quantidade de gente se beneficiando das ferramentas e ganhando seu pão de cada dia usando os serviços gratuitos do Google? Uma briga entre browsers não diminui a importância da empresa. Aliás, se a condição para usar os serviços GRATUITOS do google fosse usar o Chrome, seria um preço baixo.

      • Juaum

        Ser escravo e totalmente dominado pela Google é um preço baixo?

        • Germano

          Respeitosamente discordo. Opções existem. Muitos (mesmo!) usam o Dropbox ao inves do Google Drive, o One Note ou o Evernote no lugar do Google Keep, o Facebook no lugar do Google+, o Waze no lugar do Maps, o IPhone no lugar de um Android, o Office 365 ou o LibreOffice no lugar do Google Docs. Quem usa um ou mais desses serviços do Google o faz por escolha, e onde há escolha não consigo ver escravidão ou dominação total.

          • José Carvalho

            A questão da escravidão não é uma questão relativa aos serviços e softwares que você usa, mas ao fato de que ao utilizar qualquer serviço do Google, você passa a ser um funcionário, ou melhor, um ativo do Google sem direito a contrapartida financeira. Cada vez que se prende a um serviço novo, se torna novamente e novamente ativo da empresa.

          • Germano

            De novo, não vejo onde eu ou qualquer pessoa esta preso, o fazem por opção. O Google usa e monetiza nossos dados, sim, e nos usamos vários serviços dele sem pagar um tostão por isso. Me parece justo, e por isso *opto* por usar o serviços dele que selecionei.

          • José Carvalho

            É um velho dilema, se eu tenho liberdade para escolher entre estar preso ou não, eu tenho liberdade? Até que ponto? Eu não estou a discutir o seu ponto, mas o do outro amigo alí que eu não lembro o nome. Usar internet hoje como um todo é utilizar serviços ao custo do seu trabalho involuntário. Ser escravo por opção não te faz menos escravo que o que não optou por ser, apenas te torna livre para ser preso.

          • E como vemos por aí, muita gente está ok com isso.

          • José Carvalho

            Vide quando trabalhamos por ninharia, ou quando aceitamos os “representantes” que temos, não temos boas opções de verdade, nao controlamos aquilo que nos é apresentado como opção, mas entre as disponíveis, nos sentimos no controle de nossas vidas e isso basta para muita gente. Mas acho que isso ficou muito offtopic pq se colocarmos no contexto do artigo, o Opera e Vivaldi, Firefox, todos eles são opções e quando podem também nos controlam… Estão todos disputando por justas condições de estar no poder e ditar como vai ser a nossa navegação. É a vida e análises filosóficas da relação entre consumo e poder consome precioso tempo de vida.

  • RôShrek

    Eu uso o Vivaldi e nem quero saber de outro browser.

    • Daniel Belini

      Já tentei usar umas 3x o Vivaldi, mas sempre acabo voltando pro Firefox ou Chrome.
      Hoje uso o FF no computador e no celular, pq ele é o único que tem bloqueador de propagandas em todas plataformas.

    • Eu uso o Vivaldi e o Edge. Nunca gostei do Chrome e o Firefox anda meio zoado.

    • Kleber Leal

      Também só uso o Vivaldi e estou mais do que satisfeito. Dei adeus ao comilão de RAM.

    • Felipe Braz

      Estou assim com o Opera =)

    • Christian Teles

      Eu gosto muito do Ópera, esse Vivaldi eu não conhecia.

    • Gaius Baltar

      Uso o Opera Coast nos iTrecos e Edge no PC. O Chrome é ótimo nas extensões e na sincronização, mas anda tão pesadinho…

    • ElGloriosoRangerRojo™

      Estou usando o Vivaldi há cerca de 15 dias. Foi meio complicadinho no começo, tive que dar uma fuçada nas configurações pra adequar melhor pra mim, mas isso é normal…

      É incrível como o Vivaldi faz uma coisa que o Chrome a 848548445 versões não aprendeu a fazer ainda: Liberar memória quando você passa de um uso pesado pra uma única aba com um site só de texto aberto.

      Vivaldi pra mim consome cerca de 45MB de memória em stand by. Com umas 10 abas abertas, sendo YT, Facebook e outros sites pesados, o consumo fica em cerca de 200MB, geralmente menos que isso. Assim que fecho tudo e fico só com uma aba, ele libera memória e consome pouco mais de 50MB.

      O Chrome não faz isso. Você abre uma aba, ele cria 5 processos. Você fecha tudo, ele continua consumindo 600MB de memória e não libera de jeito nenhum…

      • Orion Santiago de Araújo

        Me explica como vc conseguiu esse consumo tão baixo, que aqui tá pior que um V8! Só com essa aba tá consumindo 454MB!

      • Ou você mente, ou você mente.
        Ou quem sabe você mente.
        Vai saber.

  • Yskar

    Vivaldi é fantástico, excelente para quem costuma abrir muitas abas.
    As funções de empilhar, hibernar pilhas e hibernar abas em segundo plano são fenomenais.

  • Ianques, malditos.
    Haha, comecei a usar o dito Opera depois de muitos anos procrastinando no Chrome, 20% mais rápido e consumindo menos memória que o Chrome e uma certa raposa laranja numa bola azul, e com bloqueador de ads nativo. Poxa amigo, nem o Vivaldi é assim.

  • bruno torrente

    A velha historia dos concorrentes que não são bons o bastante usando o estado para prejudicar uma empresa legitima.

    O google só eh o que pois a cada dia milhões o usam e gostam, não porque são obrigados ou algo parecido e sim porque ele é a melhor solução para o seu caso, puni-la ou tratá-la como sugere o autor e as agencias antitrust apenas ira prejudicar o mercado, e prejudicar o cliente.

    Observe atentamente, não foram os clientes através de ação conjunta na justiça, não partiu de abaixo-assinado, e sim da concorrência alguém que não atendeu a demanda do mercado.

    Não importa os bilhões jogados pelo Bing no Firefox e IE para ser a engine padrão pois umas das primeiras coisas sera o usuario substituir pelo google ( se duvida procure “changing my default search engine” no BING.

    Podemos falar que o google sempre forcou o mercado, isso eu concordo, mas se ele se manteve e não foi removido ( como sempre fazem com ASK ou badou por exemplo que são tratados como vírus ) é por ele ser bom e eficiente, por sinal gratuito para o usuario.

    Sugiro ao autor e aos criticos :
    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1990

    Na duvida sugiro o vivald colocar no speed dial padrão o link de instalação do chrome, bonfaro e buscape colocar links do google shopping no topo da busca e no ASK, BING, Baidu colocar no topo da lista o resultado do google.

    Pois se sugerem isso no google precisão fazer o mesmo não ?

    Nossa imagina toda a a base do buscapé, bonfaro nas mãos do google shopping , por sinal esse eh o maior exemplo que o google não eh perfeito, o google shopping e muito ruim comparado as alternativas.

    • Gaius Baltar

      O problema não é o Google ser bom, é ele usar o seu poder para destruir outras empresas ou impedir que concorrentes apareçam. Se houvesse uma empresa com este tipo de atitude na altura em que o Google nasceu de nada adiantaria a competência do algoritmo de Brin e Page.

  • anonimo

    Por acaso só existe Google ? Ninguem nunca ouviu falar de Bing, DuckDuckGo, Yahoo, e outros menores ?

    • Coloque seu produto pra ser divulgado em outra ferramenta que não seja o Google é espere a falência. A busca em outros motores é irrelevante.

  • Germano

    O mundo dos negocios e uma selva, sempre foi e sempre será. Não duvido que ele teria feito o mesmo fosse ele o dono do Google, e não duvido que esteja se fazendo de coitadinho de caso pensado também.

  • Abandonei o Chrome faz tempo. Uso o edge e o opera. A google fez o mesmo na epoca do Windows phone com o app do YouTube. A Microsoft fez um app que era melhor que o original do Google e eles impediram o app de funcionar alegando que o app não era feito em HTML 5. Nem o original do Google era. Era só represália pro App não funcionar mesmo. A MS na época devia ter feito o mesmo com o Chrome. Ainda bem que hoje o pessoal começou a se dar conta de que o Chrome é um comodismo comedor de RAM, porta de vírus e o escambau.

  • Otávio Fraga

    Usei o ópera por alguns anos e migrei para o Vivaldi após o opera virar um chrome 1.5. Pra mim o Vivaldi é muito superior aos demais.

  • Jorge Dondeo

    “…força-lo a compartilhar seu algoritmo de busca com seus concorrentes não chega a ser uma decisão tão dura assim.” To começando a concordar com isso.

  • Mirai Densetsu

    Só lembrando dos chiliques que os liberais dão quando alguém fala em limitar o poder do Google.

    Abuso de poder? Pros liberais, empresas são incapazes disso e são sempre boazinhas. O Google, pra eles, é a encarnação do “don’t be evil”.

  • Vivaldi é aquele navegador “cult” que engasga por qualquer coisa e de interface de qualidade questionável, né? Humn…

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis