Autodesk dando uma força para preservar a memória do Império

museu_imperial_-_frente

Um passeio obrigatório para todo carioca é conhecer o Museu Imperial, em Petrópolis. Quando criança nossa principal lembrança são as divertidas pantufas, obrigatórias para não danificar os lindos pisos do prédio.

Construído entre 1845 e 1862, o então Palácio Imperial era a residência de verão de Dom Pedro II, a cidade de Petrópolis foi criada por causa do Palácio, que o Imperador pagou do próprio bolso, aliás.

É fascinante percorrer os corredores do prédio, perceber que todas aquelas figuras históricas que a gente ouviu falar brevemente no colégio e que agora só existem nos enredos das escolas de samba eram reais.

Infelizmente museus não são eternos, e as futuras gerações podem não ter um Museu Imperial para visitar. Acidentes, incêndios, guerras, tudo pode acontecer com o mais famoso dos museus, pergunte a Hipácia. É preciso preservar mais que o prédio em si, temos que dar um jeito de tornar a memória histórica à prova de meteoros e ISIS. E aí entra a Autodesk.

Ela está liderando um grupo de empresas em um projeto para digitalizar o museu, por dentro e por fora. Estão usando drones e lasers para mapear em 3D e alta resolução o prédio e os arredores, esses dados poderão ser usados em passeios virtuais, estudos arquitetônicos, projetos de restauração, tudo.

O projeto levará três meses colhendo os dados, mas já temos resultados preliminares:


Carlos Cardoso — Mapeamento do Museu Imperial usando drones e lasers

A Autodesk utilizará no projeto, entre outros os softwares:

  • ReCap — cria modelos 3D com base em objetos reais;
  • InfraWorks — gerencia projetos de engenharia civil de grande porte;
  • Revit e Revit Live — simula e projeta estruturas, integrando projetos elétricos, estruturais, hidráulicos, etc;
  • NavisWorks — gerencia e simula projetos agregando dados de diversas fontes;
  • 3DS Max — pra fazer aquelas animações lindas, com todos os dados gerados nos softwares acima;
  • Stingray — engine de games para renderização em tempo real, ideal para aplicações em realidade virtual.

Espero que o projeto dê certo, e seja ampliado, não só com a digitalização 3D individual dos objetos do acervo, como com sua expansão para outros museus. Hoje em dia um celular mediano e um visor vagabundo (preciso resenhar o meu) já proporcionam uma experiência de realidade virtual bem divertida. Ver isso espalhado em escolas não é ficção científica, e iniciativas como essa da Autodesk fornecem o material didático que justifica esse tipo de investimento no futuro.

Fonte: Digital Drops.

Relacionados: , , , , , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • Julio da Gaita ✔

    ” celular mediano e um visor vagabundo (preciso resenhar o meu) ”

    Moto Z Play 2?

  • ochateador

    Como morador do interior paulista, ainda vou visitar esse museu e a biblioteca nacional no rio.

    • Bob

      Será muito bem vindo a Petrópolis! Sugiro também que coloque no seu roteiro a Casa de Santos Dumont, o Palácio de Cristal, o Palácio Rio Negro e no Rio de Janeiro, a Quinta da Boa Vista e o Museu Nacional de Belas Artes.

      • O Museu Histórico Nacional também é um passeio excelente

      • Erivelton Muniz

        e estando na quinta da Boa Vista, aproveita e visita o Museu Nacional, voltado a história natural, que também já foi palácio da familia real.

    • Venha cedo, venha com fome e passe o dia inteiro na cidade, Petrópolis é um lugar maravilhoso.

    • Oberaldo Gilmentoo

      Não tenha muita expectativa com a Bibl Nacional. Aproveite que está perto e vá ao Museu Nacional de Belas Artes. O Rio é sempre lindo.

      • ochateador

        Eu gosto de ler livros, então biblioteca para mim é de boas.
        Ainda mais após ver uma galeria do imgur chamada “library porn” e ver uma foto da Biblioteca Nacional.

  • Rolando

    Ótima iniciativa, tomara que realmente façam isso com outros museus e quem sabe em lugares históricos, poderiam fazer isso por exemplo nas igrejas das cidades históricas aqui de Minas Gerais, além da igreja em si elas tem obras de arte que não acabam mais.

  • É um belo passeio. Petrópolis está a menos de 2h do Rio de Janeiro, mas parece que está em outro continente.
    Enfim, sempre fico pasmo com a simplicidade de nossos palácios. Dom Pedro II nunca permitiu que fossem suntuosos para não gastar muito dinheiro na construção e na manutenção. Que homem!

    • Carlos Vitoriano

      “Despesa inútil é furto à Nação”

    • Na verdade, não. Os castelos portugueses não são muito diferentes. E não, não tem essa de “pagou do próprio bolso”, quando ele era… imperador e, por definição, o tesouro do império era dele.

      Adoro essa visão romântica de D. Pedro II, que financiou Graham Bell e vivia na França. Poderia ter financiado e melhorado aqui. Mas os ricaços continuavam indo estudar na Zoropa

      • Não, os gastos da Coroa, do Estado, da Igreja e da Família Imperial eram separados, com alguns enlaces em comum no Tesouro Imperial.

      • Haadok

        Esta visão romântica da monarquia é boa apenas para os nobres.
        O movimento da Inconfidência Mineira (1789) está relacionado diretamente com os abusos da exploração (derrama) feita pela Coroa Portuguesa para pagar a reconstrução de Lisboa destruída pelo terremoto de 1755.

        • Oberaldo Gilmentoo

          Não misture os abusos da Coroa Portuguesa com a austeridade do Imperador. Ele não era santo e a Monarquia já foi tarde, mas os historiadores são unânimes em ele era bem espartano com seus gastos…

  • André K

    Iniciativa louvável! Pena que será cancelada pela Skynet logo que ela tomar consciência.

  • Erivelton Muniz

    E sabe o que é mais incrível, além de ter todo um histórico de edificações do Brasil Império, também é uma das cidade no Rio de Janeiro que mais tem edificações particulares modernistas, se não a que mais possui. Uma pena que é uma informação pouco conhecida, mas lá vc vai encontrar casas projetadas de Niemeyer, Lucio Costa, Sergio Bernardes (várias!!!), Henrique Mindlin, Eduardo Reidy…. Pesquisei sobre o assunto quando era professor na cidade, e consegui compilar algumas coisas em um site sobre estas edificações.

    • E. Bicalho

      Compartilhe conosco suas descobertas!
      Não se esqueça de coloque o link entre e , hehe.

      • Erivelton Muniz

        Bom, para quem tiver curiosidade: www.petropolismodernista.arq.br . Minha meta é um dia ainda fornecer as maquetes em 3D para quem quiser imprimir os modelos, mas isso infelizmente vai ter que ficar para o futuro, pois como a carreira deu uma guinada para a área de jogos, ainda não consegui arrumar uma desculpa razoável para juntar estas edificações e jogo digitais 😛

        • Abner Oliveira

          Infelizmente o site é bloqueado aqui no trabalho, em casa vou prestigiar seu trabalho, Obrigado.

          • Erivelton Muniz

            Eu que agradeço a vocês a visita ao projeto.

  • Don Scopel

    Conheci Petrópolis e o museu e vale sim a viagem, e a estrada pra subir a serra de Petrópolis é uma deliciosa pra quem gosta de pegar estrada

  • Alexsandre

    Como filho da cidade sou suspeito de falar, mas lá vai: Petrópolis (cidade de veraneio da família real) foi se não o principal motivo da criação da primeira estrada de ferro do Brasil. Ligava Mauá a Fragoso (mas prefiro chamar de Raiz da Serra) e alguns anos depois com ajuda de cremalheira (subida muito íngreme) chegou a Petrópolis e depois Areal. Constantemente subo a serra velha e ainda podem ser vistos as várias casas para militares da fábrica Estrela (de pólvora e agora chamada Imbel) e casas para funcionários da fábrica de tecido cometa. Se prestar atenção, dá pra ver em vários trechos, dormentes e trilhos.
    Levei minha sogra e mãe para visitar o museu imperial e quase ficaram agarradas lá (rindo muito escrevendo isto) !!!!

    • cloverfield

      Agora você me fez voltar no tempo.
      Sou de Petrópolis (nascido e criado) e servi no pelotão da Imbel, onde patrulhava aquela mata todo dia.
      Subia e descia a Serra velha todo dia por causa disso.

      A quem interessar possa, visitem esse museu. É uma parte da nossa história muito bem preservada e muito interessante.

      • Oberaldo Gilmentoo

        Meu avô era de lá… moro a 400km de distância mas já fui nesse museu umas dez vezes, a última delas faz quinze dias… sempre sensacional

  • Rafael Rodrigues

    Um prédio que vale a visita é o Real Gabinete Português de Leitura.

  • Artur Ferreira

    Vou testar esse ReCap amanhã. Problema vai ser se ele só conversar (corretamente) com o resto da suíte da Autodesk. Valeu a dica.

  • Diego Berlezi Ramos

    Caraca! Se eles fizerem isso e liberarem os arquivos em CAD, prevejo excelentes trabalhos de graduação com estudos de caso de projetos elétricos e luminotécnicos e minhas disciplinas. 😀

  • Dragus

    “Mas isso não tem nenhum impacto social” – Pedagogas de uma certa escola de um certo cético.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis