Os drones da Polícia Federal, ou… Operação Kamikaze

f4u-corsair1

Que nada dá certo neste país a gente já sabe, mas é impressionante como conseguimos fracassar mesmo nas coisas mais simples. E não, não vou nem pesquisar se nos tornamos referência mundial em sandália de pneu, não quero me decepcionar.

A bola da vez foi o programa de drones da Polícia Federal, apresentado com pomba e circunstância, que nos colocaria na vanguarda do monitoramento eletrônico. As metas eram ambiciosas: quatro bases de drones espalhadas pelo Brasil, 14 drones Heron I israelenses com 45 pilotos treinados, aeronaves no ar 24/7, em uma média de 7.000 horas de vôo por ano.

Isso, claro, foi o vendido como meta para 2015.

A realidade da gigantesca caveira de burrossauro enterrada debaixo do Brasil se fez sentir quando o projeto, que foi anunciado em 2009 começou a reatear. A última vez que os dois únicos drones comprados voaram foi em 2016.

Hoje estão desmontados em um hangar, peças dentro de caixas. Manutenção? O contrato venceu e não foi renovado. Nenhuma das quatro bases foi construída. Entre 2009 e 2016 a média de vôo foi de 199 horas por ano.

A Polícia Federal diz que está reavaliando a tecnologia. Fontes anônimas dizem que os drones simplesmente não deram o resultado esperado na monitoração de fronteiras e estradas, o que faz sentido afinal dois não fazem o trabalho de 14. Nem no serviço público.

Segundo a matéria n’O Globo, a PF teria decidido utilizar os drones na Amazônia, mas não disseram que isso só seria possível com um radar meteorológico, que a PF por acaso não tem.

A única notícia reconfortante é que esse caso demonstra que o problema do Brasil não são os partidos. Nossa incompetência é suprapartidária. Os drones foram idealizados no Governo Lula em 2007, operacionalizados durante o Governo Dilma e agora o Governo Temer está dando continuidade à Cadeia de Incompetência que gere o projeto.

Não que isso sirva de consolo ou explique os R$145 milhões que gastaram com esses brinquedos, entre 2009 e 2017.

Relacionados: , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • André Luiz

    Tomara que sejam repassados pra FAB ou para algumas unidades do exército

    • Eder Brizolla

      Podiam ser repassados para mim!, ia ser um drone muito melhor que os do aliexpress q meu dinheiro permite comprar!

      • DumbSloth87

        tu ia precisar de um aeroporto pra usar esse drones.

  • Felipe Torrezini

    Não se preocupem. O Brasil não corre o menor risco de dar certo.

    • Hemeterio

      O Braza n tem que dar certo. Nao quero virar alemao. Sabe o que eu queria? Que a gente fosse a Italia. Europeu, mas levemente esculhambado. Tem sol e mulher bonita. Tem neve tb. Tem joy de vivre. Nao tem o ranço de trabalhar ate morrer como a Merkel quer pra Europa. É um relax responsavel. Ao inves disso, somo apenas o Brasil rumo a uma Venezuela gigante.

      • Marcelo Eiras

        E tem Ferrari.

        • Alvaro Carneiro

          E melhor, tem Lamborghini.

          • e Fiat

          • Dona das duas anteriores, né?

            Vai saber se é vantagem…

          • Alexandre Salau

            Laborghini acho que é do grupo Volkswagen

      • Rodrigo Cavalcante da Silva

        Bem… Já temos políticos como Berlusconi e juízes como Falconi…

      • Sinceridade

        e ainda tem mafia, mas com isso já estamos vacinados e é o dia-dia

      • Vc faz bons comentários com frequência, parabéns!

        • Hemeterio

          Rororo thanks pelo ” de vez em quando” 🙂

      • Pedron

        Perfeito hahaha

      • Ivan

        Italia ta indo pro buraco, estão virando um Brasil.

      • Jefferson Bezerra

        Me senti representado hahaha

      • É interessante observar que, para nós, “levemente esculhambado” significa ser um país onde a dívida pública já é 130% do PIB.

        • Lorein

          Source? Para tirar um numero do cool até o MBL faz. Quero ver a fonte.

      • Eu ri! 🙂

      • Andre

        “Levemente esculhambado”? A Itália é ultra-esculhambada. Só não é tanto quanto o Brasil, mas é muito pro padrão europeu. Não é à toa que é chamada de “Brasil da Europa”

      • Windson Mateus

        A Itália é um país muito bonito. O único problema é ter que viver com os italianos.

  • Eder Brizolla

    O Doria ia tentar usar algo parecido em Sao Paulo nao ia?, alguem ja sabe se tem novidades?

  • Dandalo Gabrielli

    Mas e aqueles que seriam usados nos jogos, eram dessa leva ou só estavam de passagem.
    Ou já tomaram bala perdida… :/

  • C. Herrera

    “dois não fazem o trabalho de 14. Nem no serviço público”

    Sei não… no serviço público 14 não fazem nem o trabalho de 1, que dirá de 2… só acho.

    • Marlon

      Seja bem vindo à internet. Primeira lição: sarcasmo, do grego sarkasmós……

      • sarkasmus*

        • Esse não seria Latim?

          • Marcelo Zibell

            Grego – σαρκασμός
            Latim – deinde ludens

          • Traduza essa no Goggle Tradutor:

            Wenn ist das Nunstück git und Slotermeyer? Ja! Beiherhund das Oder die Flipperwaldt gersput!

          • Luan Cardoso dos Santos

            Pff…. Wenn das Nunstück…. hahhahah HAHAHAHAHAHAHA BLEGH

          • OverlordBR

            Truco!

          • Marcelo Zibell

            Vou pedir pra minha avó, ela quem fala alemão na família.

          • Sim, já tentei (CLARO!) traduzir aos poucos…. tem tanto sentido quanto a Terra Plana….

          • Marcelo Zibell

            Se duvidar ela vai ler, rir e falar que não da pra traduzir.

          • MON DIEU!

            Matamos sua avó!

          • Marcelo Zibell

            Segundo minha avó, não é o tipo de alemão que ela fala.

        • Nilton Pedrett Neto

          Essa é a raiz latina…

      • Feruccio Bilich

        Acho que você que não entendeu o sarcasmo.
        Seja você bem-vindo a internet.

    • Cássio Amaral

      Não sei que órgão público você está pensando, mas na verdade, na maioria das repartições públicas, são 2 fazendo o trabalho de 14, pois o governo não abre concurso para contratar servidores para repor os que estão se aposentando.

      Aliás, e com esse programa de demissões, daqui a pouco serão 2 fazendo o trabalho de 28. Digo isso porque minha mãe trabalha em um órgão público federal, no setor de atendimento, e ela trabalha pra caramba, e ainda tem metas pra cumprir. Tem muito funcionário público vagabundo sim, mas a maioria trabalha sobrecarregado e ganha bem menos do que o ideal.

    • Eu em breve estarei sendo movido de área para tampar a falta de funcionários, eu não vou reclamar pois estou adorando ir pra um lugar que gosto, mas de qualquer forma, vida fácil no serviço público é muito relativo

  • Juaum

    “Conheço” um projeto parecido que seria testado em Salvador, onde os drones supimpas seriam equipados com srays de pimenta e teriam vários pontos de recarga espalhados pela cidade. Projeto proposto por uma empresa de SP que ganhou a simpatia de várias prefeituras das capitais.
    Mas não foi pra frente após os testes iniciais devido aos altos custos, onde um drone passava fácil dos R$50.000,00.

  • Didi Moco Sonrisal Colesterol

    Tomara que esse “datilógrafo” adira ao PDV do governo!!!

  • Reinaldo Matos

    A única notícia reconfortante é que esse caso demonstra que o problema do Brasil não são os partidos.

    Realmente, muito reconfortante, mas é uma pena que não se tocam disso, e o povo insiste em entrar em bate bocas maniqueístas.

  • Ivan

    Incopetencia é lei no Estado, sempre irão fazer um serviço ruim, não sei pq alguns teimam em querer que tudo seja Estatal e que o governo controle tudo, não temos um exemplo do governo fazendo algo direito.

    • Existem 4 formas de gastar dinheiro:
      – gastar seu dinheiro com você mesmo (gasta menos e com qualidade)
      – gastar seu dinheiro com os outros (gasta menos mas sem qualidade)
      – gastar o dinheiro dos outros com você mesmo (gasta muito mas com qualidade)
      – gastar o dinheiro dos outros com os outros (gasta muito e sem qualidade)

      Adivinhem em qual categoria o governo se encaixa?

      • Ivan

        Vou deixar pros Estatólatras responderem…

    • Paulo de Tarso

      O problema é esperar a iniciativa privada resolver problemas coletivos sem verba estatal. Sim, para haver verba estatal tem que ter burocracia estatal. Ou seja, a estatal vai sempre existir.

  • OverlordBR

    Esse Cardoso…

    Ainda não entendeu que o projeto cumpriu com o quê se esperava dele: outra forma de superfaturar compras e colocar toneladas de dinheiro nos bolsos (ou… cuecas) de algum partido político qualquer, seus amigos e amigos dos amigos.

    145 milhões!
    Logo, foi um sucesso estrondoso!

  • Rodrigo Primon Savazzi

    Senti falta de uma imagem da aeronave da PF no artigo. Fica uma aqui, pro pessoal não achar que drone é só aqueles quadrirrotores do DealExtreme… https://uploads.disquscdn.com/images/38e966140a4c6308faef715a95a4e45e7887505497606188906d19b1e00b2768.jpg

  • Beto Lima

    Num país q o cara da mídia escreve pomBa e circunstância (não creio até agora), vc quer ver drone funcionando ??!

    • Rafael Fortes

      wooosh

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis