Noruega lançará ano que vem navio 100% autônomo

futurama-season-5-1-crimes-of-the-hot-robot-party-boat-bender

A moda dos drones está firme e forte. A Amazon e outras empresas realmente acreditam que vão virar a ACME e entregar suas encomendas na porta, com incríveis máquinas voadoras. Sim, eu sei, ignoram que o ambiente urbano não é amigável a drones e que a maioria das pessoas mora em prédios.

Agora querem levar essa moda para um ambiente ainda mais inóspito: o mar.

A norueguesa Yara Birkeland planeja lançar em 2018 um navio-drone, sem tripulação.

O bicho levará 150 containers em uma rota de 60 km. Custará US$ 25 milhões, o equivalente a 3× um navio convencional do mesmo porte. Será 100% elétrico e fará tudo sozinho, até atracar.


KONGSBERG Gruppen — The world’s first autonomous, zero emission container ship (long)

É uma PÉSSIMA idéia e não vai acontecer.

Primeiro não existe legislação para navios autônomos. Segundo, eles têm tão pouca confiança no projeto que até 2020 ele vai usar um container-ponte de onde operadores irão controlar o o navio. Só depois ele será autonomamente controlado por uma estação terrestre ocupada 24/7. Yay economia de verba em pessoal…

O navio é teoricamente “emissão zero”, o que seria um enorme consolo se a Noruega não fosse um dos maiores exportadores de petróleo do mundo.

“Ah mas o navio é elétrico”

Sim bebê, e sabe de onde vem a eletricidade da Noruega? Hidroelétrica, que está longe de ser uma solução limpa e ecologicamente correta. Mas esse não é o maior problema. Esse navio é uma abominação por um motivo simples: coisas quebram.

Coisas quebram e no mar elas quebram o tempo todo. A tripulação de um navio passa metade do tempo inspecionando equipamentos e a outra metade consertando o que quebrou enquanto estavam inspecionando outra coisa. Uma bobagem que um maquinista experiente resolveria com um torno e 20 minutos pode significar dias de navio autônomo parado esperando uma equipe chegar de helicóptero.

Um simples vazamento em um tanque de lastro pod… — ops, o navio não terá lastro, para ser mais ecologicamente correto. Isso significa que se ele navegar sem carga ficará perigosamente leve. Boa sorte pros algoritmos de equilíbrio e navegação.

De resto, há um componente de canalhice embutido nessa proposta toda: um navio autônomo é incapaz de identificar e socorrer um náufrago. Mesmo que câmeras consigam determinar que há uma riquinha egoísta na tábua, até o resgate chegar de terra ela já terá sido levada pela maré.

Automação é algo excelente, mas não funciona em todas as áreas. Elevadores, com certeza. Carros? Quanto mais, melhor. Navios? Melhor não.

Fonte: Fortune, mas tem autoplay não ganha link.

Relacionados: , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • Gradash

    Esqueceu de o quão fácil vai fazer a vida de quem quiser se meter a pirata! Se já não era complicado com tripulação, imagina sem!

    • Exato, basta descobrirem a rota e lá se vai um navio carregado.

      • Bruno Henrique Biscouto

        Se nenhum hacker sequestrar o navio e levar ele para onde quiser.

      • gfg

        Isso qualquer sistema autônomo de defesa daria conta.
        Tipo esse: https://uploads.disquscdn.com/images/6d76bfac0fe462f3346176c622ed9e992ea1cdbeba7fecb4e2a4549552eb836a.jpg

        O problema é que iria estragar a fonte de renda dos pobres coitados que “apenas roubam pra sobreviver.”

        • Cocainum

          Se nem militares tem sistemas totalmente autônomos, imagine num navio civil. Não vai acontecer.

          • Mas militares tem.

          • Cocainum

            TOTALMENTE autônomos? Que funcionam 24X7 sem intervenção humana?

          • gfg

            YEAP, aqui o Cardoso da uns exemplos:
            http://meiobit.com/353174/yemen-rebeldes-lancam-dois-misseis-c-802-contra-uss-mason-destroyer-norte-americano/

            E qualquer coisa é só implementar o MagmaVolt, transformando o navio no maior peixe-elétrico do mundo.

          • Cocainum

            Você sabe que existe uma “pequena” diferença entre um sistema antimísseis e um sistema totalmente autônomo para alvejar embarcações próximas, certo? Você não precisa determinar as “intenções” de um míssil.

            E, se você ler o texto, vai ver que a detecção foi MANUAL pelo operador de radar, e o acionamento dos sistemas de defesa, também.

          • gfg

            Qual a parte do “completamente autônomo” do Phalanx que tu não entendeu?

            E foi manual pro sistema de misseis, não pro Phalanx.

          • Cocainum

            Bem, já que aparentemente alvejar embarcações é o mesmo que mísseis, e que não é necessária nenhuma DECISÃO HUMANA durante todo o processo, você tem toda a razão.

          • gfg

            Sua contradição foi se tais sistemas existem ou não.
            Creio estar provado que são reais.
            Se precisam de autorização ou não é outros 500.

          • Cocainum

            Sistema autônomo de defesa contra mísseis. Quando o Phalanx foi usado contra embarcações de pequeno porte, que seria o tipo de armamento a que me referi?

          • gfg

            Ai meus coco.
            NUNCA, sistemas de defesa autônomos são masturbação mental, só existem em ficção cientifica, e jamais fariam algo tão difícil quanto identificar uma embarcação de pequeno porte ajustar a mira e atirar.

          • Cocainum

            Não existem porque não são necessários. Mísseis são rápidos. O tempo de
            resposta é crucial. Lanchas são lentas. Vão aparecer no radar ou no
            infravermelho muito antes de ameaçarem o navio, então se forem realmente
            ameaças, podem ser tratadas adequadamente pela tripulação.

          • gfg

            Jura?
            Achei a discussão toda fosse sobre um navio em que não há tripulação.

          • Cocainum

            Tá difícil, hein? Acabei de demonstrar que armamento autônomo contra pequenas embarcações não existe NEM NO ÂMBITO MILITAR, ou seja, navios COM TRIPULAÇÃO. Se não existe, então não pode ser instalado em lugar nenhum, com ou sem tripulação.

          • gfg

            Tá mesmo.
            Acabei de demostrar que SISTEMAS DE DEFESA 100% AUTÔNOMOS EXISTEM, e é só programar pra atirar em barco, coisa que qualquer formado em computação faria.

          • Cocainum

            KKKK. Porque o sistema tem capacidade IA suficiente para identificar lanchas de piratas ou alguma embarcação em dificuldades ou um cara que ficou curioso para ver de perto o navio que anda sozinho. Qualquer programador faz isso.

          • gfg

            Meu comentário Nº 4 linha 3.

          • Cocainum

            Humm. O sistema TOTALMENTE AUTÔNOMO que precisa de alguém tomando conta, hehehe.

          • gfg

            Meu comentário Nº 4 linha 1 E 2.

          • Cocainum

            Para que está feio.

            O CIWS é contra mísseis. Aí vc diz: “Ah! Mas faz uma gambiarra e pronto!”. Se precisa fazer gambiarra pois o sistema nunca foi projetado e construído para abater embarcações, então NÃO EXISTE,. Não foi feito pra isso. Nunca foi usado pra isso. Não tem ninguém fazendo gambiarra pra isso. NÃO EXISTE. PONTO!!!.

            Até o TOTALMENTE AUTÔNOMO é furado, pois com a sua gambiarra, para adaptar um sistema QUE NÃO EXISTE a um uso para o qual ele NÃO FOI PROJETADO, ainda precisaria de um humano tomando conta para tentar evitar que matasse pessoas inocentes. A DECISÃO ainda é humana, portanto não é TOTALMENTE AUTÔNOMO.

          • gfg

            Em que momento eu falei que esses sistemas SÃO CONTRA EMBARCAÇÕES?
            Tá colocando palavras no meu texto porque?

            Como você deve ter faltado as aulas de conjugação verbal vou explicar.
            “DARIA” pertence ao FUTURO do pretérito.

          • Cocainum

            Bem, como “EXISTE” está no presente do indicativo, acho que terminamos por hoje.

          • gfg

            http://www.gd-ots.com/armament_systems/ss_phalanx.html
            Poisé, produces também, que coincidência.

          • Cocainum

            A diferença entre a propaganda e a realidade. As ondas produzidas pelo barco confundiam o radar. Por isso, apesar da propaganda, só usam mesmo contra mísseis e aviões. E não dispensam as pessoas para tomar a decisão de acionar ou não o sistema.

            https://www.youtube.com/watch?v=V5DU-uoLwj4

          • gfg

            Ora ora, mas vejam só, você postando um vídeo de um sistema que afirmou mais de 4 vezes que não existia(nem contra barco, nem contra qualquer outra coisa) fazendo testes contra um barco de teste.

            Para que tá feio.

          • Cocainum

            E funcionou que é uma beleza. Pelo menos, se instalassem no navio não haveria o risco de ferir inocentes, hahaha.

          • gfg

            Pra um barco de testes operado remotamente? Diria que estava passando bem perto, inclusive fazendo semicírculos em volta.
            Que tal você o colocar a prova?

          • Cocainum

            Se o objetivo era “acertar” o alvo, um marinheiro vesgo com uma .50 teria feito melhor, hehehe.

            Já vi que vou precisar escrever bastante para demonstrar que NÃO EXISTE um sistema hoje que se encaixe nos requisitos que eu listei laaaaaa no início. Provavelmente o post terá que ser dividido. Mas espero que seja possível encerrar o assunto.

            Eu realmente não sabia que o Phalanx era vendido com a possibilidade de atingir embarcações, já que o seu grande diferencial, que é o tempo de resposta, aplica-se a mísseis, existindo outras opções mais adequadas para defesa contra embarcações pequenas. De qualquer forma, isso não muda a questão de que ele não tem a “inteligência” para funcionar de forma TOTALMENTE AUTÔNOMA, como eu mencionei laaaaa no início. Vamos fazer um pequeno exercício prático para tentar demonstrar isso:

            Vamos pegar um sistema Phalanx atual e instalar no nosso navio autônomo. Deixamos o sistema 100% ativo, em modo automático e mandamos o navio zarpar. Vai funcionar? Obviamente que não. Ao se aproximar do primeiro porto ele iria metralhar qualquer coisa que chegasse perto do navio, inclusive a própria doca, porque essa é a função dele. Só pararia quando acabasse a munição.

            “Ah! Mas poderia usar o GPS e só ativar o Phalanx em águas internacionais ou quando estivesse a X milhas da costa!”

            Bem, nesse caso, teríamos duas situações:

            1 – Piratas poderiam abordar o navio antes dele chegar em águas internacionais ou antes de atingir X milhas da costa e seriam recebidos de braços abertos. Daria até pra fazer selfie ao lado do Phalanx.
            2 – Uma vez em águas internacionais, qualquer embarcação que chegasse perto seria inexoravelmente alvejada, independentemente de suas intenções (poderia ser um barco com problemas ou apenas curioso para ver de perto o navio que navega sozinho). Não seria uma publicidade muito boa.

            “Ah! Mas poderia ter alguém monitorando!”

            Ou seja, o navio que navega sozinho precisaria de uma equipe 24 horas por dia, 7 dias por semana, monitorando remotamente o radar e as câmeras para tentar identificar as intenções de embarcações que eventualmente se aproximem do navio. Não entendo como isso pode ser classificado como “TOTALMENTE AUTÔNOMO”.

          • Cocainum

            Ou seja, hoje em dia NÃO EXISTE um sistema de defesa contra possíveis ameaças com intenções indeterminadas e que possa fazer todo o processo, desde a detecção inicial, passando pela determinação de intenções, até o momento de puxar o gatilho, sem que existam humanos no meio.

            Contra um míssil, não é necessário determinar intenções. Nenhum míssil chega perto do navio para “bater um papo”. Nesse caso, a resposta pode ser automática, pois o tempo de resposta é essencial.

            Mas contra uma embarcação da qual não sabemos as intenções, não tem nada automático, nem poderia ter. Sabe como os HUMANOS determinam as intenções? Eles usam o rádio. Tentam entrar em contato. Pedem para se afastar ou perguntam a razão de se aproximarem. Os HUMANOS vão tentar identificar se a embarcação faz parte de alguma rota comercial conhecida. Os HUMANOS podem até mandar um helicóptero (ou, quem sabe, um drone) para interceptar a embarcação antes dela chegar muito perto.

            Em um navio sem HUMANOS, o Phalanx faria qualquer uma dessas coisas? Claro que não.

          • gfg

            Meu caralho voador, agora fez 2 textões, e se RECUSA a admitir que a merda dos “MILITARES TEM SISTEMAS AUTÔMATOS”.Agora SÓ é autônomo aquilo que entende sentimentos.

            Tu tira a baliza do lugar, tropeça nela mesmo e ainda acha que ta certo.
            A próxima vou jogar xadrez com pombo que é a mesma coisa.

          • Cocainum

            Se você quer botar em um navio AUTÔNOMO, ou seja, que navega sem a ajuda de humanos, um sistema de defesa que, segundo os seus padrões também é AUTÔNOMO, e que depois vai meter bala de forma AUTÔNOMA em um barco cheio de refugiados sírios, por mim, tudo bem…

          • CIWS

          • Cocainum

            Veja a minha resposta abaixo.

    • Lucas Martins Silva
      • Claudio Roberto Cussuol

        Quero ver ele dizer isso para um rack de servidores.

        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Rack

          • Claudio Roberto Cussuol

            Obrigado

          • Nilton Pedrett Neto

            Um rack de servidores hackeados?

          • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

            Rack Perola Cerejeira, só 10x nas Casas Bahia

    • leoncral

      é só usar uma sentry gun igual do Call of Duty ahaha

      • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

        TF2 já tinha há muito mais tempo, mas precisa de um engineer pra mantê-las

      • Gradash

        E se um navio civil não pirata se aproximar por estarem com problemas? Acho que não vai pegar bem a notícia que mataram um bando de civis ;P

        • Cocainum

          É o que estou tentando dizer em outra thread, mas está difícil.

    • No caso serão Vikings!

  • Urso Azul

    Ainda bem que vão automatizar então, é complicado ter uma tripulação quebrando tudo que está quebrado metade do tempo que passa no navio.

  • Eric da Silva

    acho que um submarino seria mais seguro, mas não seria muito funcional pra levar carga.

    • Cocainum

      Navegar em duas dimensões é mole. Vamos adicionar mais uma.

      • felipelsp

        chama o pessoal da FARC, que eles dao um “jeitinho” de colocar qualquer coisa dentro de um submarino!

  • Vagner Da Silva

    Como assim elevadores podem ser automatizados? Eu não aceito isso pois fui classificado num concurso público como ascensorista (não assumi), mas isso significaria que passei num concurso pra aspone… faz mal pra auto-estima pensar à respeito.

    • Na UERJ todos os elevadores têm ascensoristas e os estudantes defendem os encostados com unhas e dentes.

      • Vagner Da Silva

        sei não, infelizmente o vandalismo aqui na terrinha impede que aparelho que pode matar fique sem vigilância (acho que ascensorista tinha que ter o nome de vigia)… era de se esperar que universitários fossem esclarecidos, mas tá longe disso .

  • ffcalan

    Pode ser que de certo. Visto que o navio fará uma pequena rota de 60 KM, não irá operar em mar aberto (ficando sempre perto da costa), evitando problemas com roubo de carga por piratas e em caso de pane total rebocar não será um grande problema. O único problema mesmo é parte do lastro, mas creio que tenham uma solução para isso. Tirando a idiotice do ecologicamente correto, não parece ser uma ideia totalmente ruim, não no mesmo nível do ônibus chines.

  • Glauco

    Déjà vu? Se não me engano o Cardoso já escreveu a respeito desse navio.

    • Não, escrevi sobre um barquinho elétrico num canal da Holanda.

  • Leonardo

    o filme Spider man homecoming mostrou que aviões também não são bons autônomos…

  • Só um adendo: Pelo porte, está mais para uma barcaça automatizada do que um navio. É muito comum barcaças de 120, 250 contêineres utilizadas em hidrovias ou portos marítimos próximos.

    Apesar do valor desta ser beeem mais barato, para ter economia de escala (de transporte), não acho viável automatizá-la.

  • niltonql

    Cardoso curte veículos autônomos desde que sejam carros e drones. Barcos que não matam ninguém, não. kkk

  • Tarik

    Eu consigo imaginar um artigo muito semelhante com o mesmo pessimismo mas sobre carros autônomos, só que uns 10 anos atrás. Eu concordo com todos os problemas citados e aposto que existem muito mais. Mas é só desenvolvendo algo assim que estes problemas ou desafios de engenharia poderão ser atacados. Eu vejo com muito bons olhos este projeto, até porque esse navio nem vai se movimentar como um golfinho.

  • Daniel Agl

    Concordo com todo o artigo só não com o “Primeiro não existe legislação para navios autônomos.” Kakk… ainda bem que o mundo não funciona assim, imagina esperar um burocrata sancionar uma lei para determinada tecnologia ser testada e implementada, a Terra seria um Brasil esférico.

  • Daniel

    Teremos que construir então super robôs humanoides para consertar proteger e navegar o navio em caso de emergência O_o

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis