Samsung vai reciclar 157 toneladas de metais raros dos Galaxy Note7

O Galaxy Note7 foi um erro retumbante, uma falha de projeto que custou não só muito dinheiro à Samsung e redução de seu market share no período, mas também gerou um problema e tanto com a quantidade de lixo gerada. A fabricante já adiantou que embora tenha planos de lançar o recondicionado Note7 FE em mais mercados além da Pior Coreia (você não, Brasil), a grande maioria dos dispositivos recolhidos não serão revendidos.

Claro que a Samsung não tem mais o que fazer com as baterias, que terão que ser devidamente descartadas mas e quanto aos metais raros presentes nos aparelhos? Como já explicamos, embora a quantidade desses elementos seja muito pequena por aparelho, quando olhamos para a grande quantidade de smartphones que a fabricante produziu, desde os recolhidos aos que nunca saíram da fábrica deixa-los parados é desperdício de dinheiro e material. A escala torna vantajoso gastar uma boa grana para reaproveitar esses elementos em novos aparelhos, logo é o que a Samsung fará.

Segundo nota oficial a Samsung irá coletar módulos de câmera, displays e SoCs e recondiciona-los, disponibilizando-os como peças sobressalentes para assistências técnicas. Já o ouro, prata, cobre e cobalto presentes serão reciclados de modo a revendê-los ou mesmo reutiliza-los internamente, o que for mais lucrativo. A empresa estima ser capaz de recuperar 157 toneladas de metais raros apenas dos Galaxy Note7 descartados, e planeja fechar parcerias com empresas sul-coreanas e externas de modo a reaproveitar tudo.

É importante esclarecer que a Samsung não conseguirá fechar o rombo no orçamento causado pelo smartphone explosivo, de cerca de US$ 5,4 bilhões; a iniciativa visa recuperar uma parte do dinheiro investido e ao mesmo tempo colocar um curativo na sua imagem, ao promover a reciclagem sustentável de materiais que estão se tornando cada vez mais difíceis de se conseguir para fabricar novos gadgets. Melhor do que deixar essas granadas encostadas num galpão.

Fonte: NewsWire (em coreano).

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Arnoud Arnoud Rodrigues

    Podíamos fazer isso com todos os celulares “descartados” todos os anos. Se de um único modelo dá pra recuperar 157 toneladas de metais raros, quanto vai pro lixo todos os anos?

    • Thiago

      O problema é que o custo envolvido não justifica o trabalho, por isso é tudo descartado. Deveria haver uma obrigação junto às empresas: Todos os aparelhos de determinada marca seriam separados do lixo e enviados de volta para que eles reciclassem obrigatoriamente seus aparelhos… Assim os fariam pensam na quantidade de aparelhos que lançam anualmente.

      • Arnoud Arnoud Rodrigues

        Nem falei nisso pra não atrair o pessoal “estado babá,” o estado é meu inimigo “…

      • Mas isso iria encarecer mais ainda os produtos, pois a fabricante ia colocar na nossa conta esse custo extra. A pior estratégia é obrigar a indústria fazer algo que ela não quer.

        • Considerando que extrair esses metais na natureza tem um custo envolvido, talvez o custo de reciclagem não seja tão alto assim, e se houver uma especialização nessa reciclagem, as vezes com o tempo seja mais barato reciclar que extrair por causa do custo da logística. Simplesmente jogar fora o material não parece inteligente do ponto de vista econômico, e enquanto não houver em grande escala, com certeza vai ser caro mesmo.

          • O mercado responde por si só. Se fosse mais barato reciclar, as fabricantes já teriam feito isso há tempos atrás, porque todo negócio procura ter a maior eficiência econômica possível.

            Só vão pagar o preço da reciclagem quando esses materiais atingirem um valor muito alto ou ficarem muito escassos.

      • Maximus_Gambiarra

        A ideia é ótima, mas lembrando que nos falta coleta de esgoto, imagino que coleta de recicláveis viria depois na lista de prioridade.

    • Alexandre

      Exatamente o que pensei. A Samsung tem (tinha antes do note explosivo) cerca de 1/4 do mercado. Considerando somente essa participação, daria pra recuperar 4 x 157 toneladas. O numero total vai ser bem maior, ja que essa participação da Samsung não se refere apenas ao note, mas a toda uma galaxia… Assustador isso

    • LV

      Problema eh a logística.
      Teria que pegar aparelho por aparelhos e devolver pra um local. Lembra o frete que vc paga pra comprar? Teria que pagar pra jogar no lixo.
      No caso específico do Note7 existem milhões de aparelhos em só local.

  • Thiago

    “você não, Brasil”? Obrigado! Já temos celulares desatualizados caros em grandes quantidades já.

    • Zalla

      desatualizado??? ia lancar com a ultima versao

      • Thiago

        Última versão do aparelho que foi lançado há praticamente 1 ano, você quer dizer, ou seja, defasado em relação ao hardware atual.

        • O maU elementaU

          Meu note 3 (2014?) continua dançando em volta dos A e J novos. Obrigado.

  • Dá de usar como adubo pra plantas.

    • Jean Franco

      Só se quiser comer tomates explosivos. Hahahha

      • Anayran Pinheiro

        Tomates Verdes Explosivos daria um baita filme de ação, hein? :v

  • Cocainum

    Podem jogar alguns no lixo aqui de casa.

  • Christian Oliveira

    Ou uma empresa chinesa comprará tudo a preço de sucata, vai trocar algumas coisinhas e lançar como changwang Galaxy s8 réplica primeira linha, por um precinho camarada.

  • chiappa

    Gogoni, desde que eu vi a notícia original há alguns dias, fiquei ensimesmado com essa quantidade que teria sido anunciada : veja, tem muita discussão de exatamente quantos gramas de metal/materiais com valor comercial pode ser extraído de um smartphone moderno, DESPREZANDO coisas de difícil reciclagem e baixo custo como alumínio, já vi estimativas variando de 10 a 50 gramas, vamos assumir 30 gramas, errando provavelmente muito pelo alto mas que seja… Não sabemos exatamente quantas unidades vão ser recicladas mas digamos (pra arredondar a conta, e novamente chutando beeeem pro alto) que sejam um milhão de unidades do Note7 a reciclar – com certeza deve ter sido muuuuito menos que isso mas chutemos…
    Fazendo a conta de padaria, 30 gramas vezes 1 milhão são 30 milhões de gramas, convertendo isso vai dar 30 toneladas, de qual lugar aonde o sol não brilha esse pessoal tá tirando mais de 150 toneladas ???

    • Alexandre

      As estimativas da samsung era recolher mais de 3 milhoes de aparelhos vendidos. Juntando isso com os que ainda não tinham sido vendidos e sabendo que apenas 400 mil serão “recondicionados” e vendidos novamente, o seu numero de 1 milhão está bem baixo

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis