Teste bem-sucedido: THAAD intercepta IRBM no Alaska

missile-command

As últimas estimativas do míssil nuclear que a Melhor Coréia lançou são sinistras. Há quem calcule o alcance do míssil em 9.500 km, suficiente para atingir a Costa Leste dos EUA, mas esse não é o único risco que o Grande Líder apresenta contra os aliados dos EUA. Japão e Coréia estão ao alcance dos IRBMs de Pyongyang.

A principal defesa contra esses mísseis balísticos de alcance intermediário é o THAAD — Terminal High Altitude Area Defense — um descendente dos Patriot da Guerra do Golfo, e é uma espécie de míssil-kamikaze (tecnicamente todos são). Ele não leva ogiva explosiva, com um míssil balístico se movendo a 6 km/s, ou Mach 17, explosivos seriam inúteis.

Você poderia detonar uma carga de TNT a 1 mm atrás do míssil, ele estaria se movendo mais rápido que a onda de choque da explosão. É o mesmo que tentar alcançar o Senna com um Rubinho.

Por isso o THAAD se baseia em precisão. Sua trajetória é continuamente calculada para interceptar o alvo e colidir com ele. A mera energia cinética é mais que suficiente para vaporizar o que quer que seja. Em essência é igual Missile Command, mas em 3 dimensões. Em um cenário com milhares de quilômetros. Com o alvo se movendo 20× mais rápido que uma bala.

No teste dessa semana um míssil foi lançado do oceano e corretamente interceptado por um THAAD baseado o Alaska. O míssil de 900 kg interceptou o inimigo, indicando que, sim, há chance de que os EUA e seus aliados possam se defender de um eventual ataque da Melhor Coréia.

Também é uma boa notícia para a população de Pyongyang, pois quando o Grande Líder surtar de vez e tentar atacar Tóquio, se seu míssil for interceptado, há boas chances que o bom-senso prevaleça e os EUA não respondam pulverizando a capital da Melhor Coréia, transformando a cidade em um grande rinque de patinação de vidro derretido.

O vídeo do teste:


Missile Defense Advocacy Alliance — FTT 18 THAAD Flight Test Video

Relacionados: , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • JuNioR

    Vocês acreditam que esses países realmente chegarão às últimas consequências?

    • Bodybuilder troslador

      O “pastel de flango” da Melhor Coreia é um maluco; malucos são imprevisíveis.

      • Tuelho a jato

        Principalmente quando tem dois malucos Trump falastrao pra dizer que tem coragem e o anão de Jardin de cabelo estranho dizendo que é capaz de fazer merda.

        E ainda piora porque como é o Tio Sam , aposto que entra nessa dança a tia velha da Rússia e a China de prima chata .

        • – Me segura que eu vou matar o gordinho! – Diz Trump
          – Non, me segula que eu vou matar o balofo lalanja! – Diz o coreano…
          – Me segura que eu vou matei a porra toda! – Diz Putin

          • Agola o monopolio do pastel de flango é só meu… – Diz o chinês

      • Alvaro Carneiro

        Se ele fosse maluco já teria atacado. Ele só fala e não faz. Maluco normalmente nem fala, ele faz.

    • Alvaro Carneiro

      Não. Nem o Trump tem colhões e nem o gordinho tem. Consegue imaginar aquela cena com vários cães pequenos, nervosinhos, quando se encontram na rua? Todos latem, tem sangue nos olhos, babam, mas nunca avançam e repentinamente cada um vira para um lado e vao embora?

      Mesma coisa nesta situação.

      Esta “guerra” vai matar o inimigo de tédio. Isso vai acabar daqui a algumas décadas, quando o gordinho morrer. Aí entra outro gordinho no lugar dele, e outra season começa.

      • Reinaldo Matos

        Tipo isso???

        https://www.youtube.com/watch?v=1_1UvZM6TrA

  • Agora é só pedir a benção para a China para poder instalar no Japão e na Pior Coreia.

    • já estão instalados.

      • Rodrigo Santos

        Qual é o modelo desse míssil lançado de avião como bomba convencional? Ñ conhecia esse tipo.

        • Eu também não sabia que lançavam assim. Não sei qual o mísisil usado, mas é dos pequenos. Eles testaram uma vez se dava pra lançar um ICBM desse modo, mas nunca implementaram pq não tem vantagem.

          • Bruno Martins

            a única vantagem, se é que se pode chamar vantagem, é lançar um ICBM num território inimigo e atacar outro inimigo.. podiam culpar inimigo x que lançou o míssil para inimigo y..

    • Vamos supor que já tenha.

  • Hemeterio

    Um ataque atomico contra pobres eu acho dificil. Mas os USA iriam sim pulverizar a capital da NKorea com explosivo convencional. Mesmo pq a poeira radioativa ia acabar chegando em Seul. Isso ia atrapalhar os horarios do metro e tal coisa nao é bom pra reputacao da cidade.

    • Lucas Timm

      A população principalmente perto da fronteira ia ficar esquisita

      • Aí fariam uma festa estranha com esse pessoal. #RenatoRussoCurtiuIsso

    • Rafael Rodrigues

      Não, não iriam. Repetir Dresden hoje em dia é muito, muito caro.

    • Rolando

      Realmente, acho que usariam algumas MOABs e outras grandes armas convencionais de grande porte seguido de um ataque em larga escala provavelmente junto com a Coréia do Sul

  • alvaro lordelo

    Espero que falhe e tenhamos uma guerra total! O mundo precisa de guerras, e a indústria armamentista vai gerar emprego 😉

    • Guilherme

      Guerra gerando empregos? O Trump curtiu.

    • Gui

      Guerras também são oportunidades para a criação de inovações tecnológicas que poderão ser incorporadas mais tarde ao cotidiano normal. Isto se restar alguma coisa depois.

      • ElGloriosoRangerRojo™

        Inovações tecnológicas: Pip-Boy.

    • Meu chefe concorda.

  • Daniel Plainview

    Estou à espere pra o q vai acontecer. Pro Trump, obviamente, o mais conveniente é apertar o botão e pulverizar Pyongyang. Pra isso ele precisaria de um álibi, que seria um ataque em represália a uma agressão por parte do Pastel de Flango, q eu acho q não tem culhões o suficiente pra fazer isso (ainda mais se a China fizer vista grossa). Acho q não vai pra frente. Enquanto isso temos inúmeros F-22 pegando teia de aranha…

  • Alvaro Carneiro

    – “pois quando o Grande Líder surtar de vez e tentar atacar Tóquio,”

    Isso nunca irá acontecer, na minha humilde opinião de merda. Ele não é louco e nem tem macheza para tal. É só um garoto mimado, com alguns brinquedos. Mas ele sabe que se pisar fora do risco será pulverizado.

    • A gente já sabe o que acontece quando algo ataca Tóquio… Ou aparece o Jaspion ou acorda o Godzilla!

    • Rafael Rodrigues

      Em 39 acharam isso do Hitler e deu no que deu. Pergunta pro Chamberlain…

  • Goodtimes

    O bicho mal é lançado e já sai corrigindo a rota.

    • Fabio_Galdino

      sai que nem um cão raivoso… táloko.

  • Deni Carson de Souza

    Pra mim, isso é politica. Esse THAAD já devia estar ativo e funcionando perfeitamente a no mínimo uns 10 anos. A questão agora é a guerra psicológica, “Se a melhor Coreia quiser atacar já temos a defesa pronta”. Isso implica que os EUA já devem estar com armas muitos mais avançadas – as quais nem sonhamos – na boca do forno, mas como tudo na guerra, a estratégia é não por o bagual todo sobre a mesa na primeira rodada….

    • LendaUrbana

      Concordo. Eu acho que quando eles mostram para o publico , já existe pelo menos uma versão acima ativa não revelada.

  • Rodrigo M

    Isso me lembrou esse caso aqui: http://www-users.math.umn.edu/~arnold/disasters/patriot.html

    Todos os cálculos necessários para fazer uma magina dessa são impressionantes.

  • Continuo aqui na minha torcida!

  • Marco Gesteira

    “É o mesmo que tentar alcançar o Senna com um Rubinho.” hahahahhahahahaha… ri alto aqui!

  • Vinicius Zucareli

    Se o Obama tivesse feito a lição, nem existiriam os mísseis balisticos da melhor Coreia

    • Rafael Rodrigues

      Defina “feito a lição”, oh grande cientista político.

      • Petrus Augusto

        Seguindo a “ideia” desse pessoal, seria brincar de War (e esquecendo do impacto financeiro e militar da ação, pensando que é só um dado em um tabuleiro)

  • Cada vez que uma notícia dessa é divulgada Putin e Xi Jinping mandam construir mais ogivas e apontá-las pros EUA.

    • Dou uma e se for bom dou mais

      Para cada ogiva nuclear fabricada, com o mesmo orçamento, vários desse míssil podem ser fabricados e com muito menos esforço. Então o custo para esses 2 só pra mostrar que tem o pinto maior que o do Trump vai ser bem mais alto.
      E ideia não é mostrar que tem como se defender e sim de que vão torrar recurso a toa largando ICBM contra os EUA e seus aliados.

      • Na teoria você está certo, mas na prática esse sistema dos EUA não funciona contra ataques de saturação, ou seja, se mandar um ICBM o EUA se defende, se mandar vários, o ataque funciona do mesmo jeito, lembrando que cada ICBM pode levar múltiplas ogivas.

        • Dou uma e se for bom dou mais

          Só que para soltar essas múltiplas ogivas eles tem que se aproximar. Coisa que esse míssil não permite.

          • Na verdade as múltiplas ogivas se separam do ICBM ainda no espaço, e o THAAD é usado na fase final Terminal High Altitude Area Defense (THAAD). Para uma interceptação exoatmosférica na fase intermediária os EUA estão desenvolvendo o GMD Ground-Based Midcourse Defense que ainda está em fase de testes: http://www.defensenews.com/articles/direct-collision-for-us-homeland-missile-defense-interceptor-test-against-icbm-target

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Ok, então o ICBM lança “foguetes” no espaço, sendo de 3 a 12 ogivas cada ICBM, com cada uma dessas ogivas com custo muito maior que cada míssil desses (e nem somando o custo do motor principal). Cada ogiva é mirada e disparada na direção do alvo e com algum controle apenas para se manter na direção do alvo, sem se desviar… ao contrário desse carinha que “faz mira”, muda direção e pode lançar uns 10 para cara uma dessas ogivas e aumentar a chance de mandar ela para a casa do barbalho. Sendo assim, continua valendo o que eu disse.

          • Então, mais uma vez na teoria você poderia estar certo, mas na prática o ICBM Satan 2 http://meiobit.com/354002/russia-apresenta-ss-x30-o-missil-sucessor-do-icbm-satan-ss-18/ pode levar de 10 a 24 ogivas e o Bulava https://en.wikipedia.org/wiki/RSM-56_Bulava pode levar até 10 ogivas. Quanto ao preço, é difícil obter informações de armas russas, mas um ICBM Minuteman 3 americano custa em torno de US$ 50 milhões e cada ogiva custa US$ 2 milhões. Fazendo uma conta de padaria temos que cada ICBM lançado com 10 ogivas custa US$ 70 milhões.

            O THAAD instalado na pior Coréia só tem 48 mísseis, 6 lançadores com 8 mísseis cada, (Cada bateria pode ter até 72 interceptadores) e custou US$ 1 bilhão de doláres https://www.voanews.com/a/south-korea-united-states-thaad/3836750.html. Cada míssil custa US$ 12,5 milhões. (Recentemente o Pentágono comprou 12 misseis por US$ 151 milhões) https://www.defensetech.org/2017/03/18/thaad-interceptors-added-defense-budget/

            Ou seja, pra lançar 1 ICBM com 10 ogivas a Rússia ou China gastariam US$ 70 milhões (Não vou nem considerar que os armamentos russos e chineses são bem mais baratos que seus contrapartes americanos) e pra que essas 10 ogivas sejam interceptadas com relativo sucesso, levando em conta que em um caso real os americanos lançam dois mísseis pra cada ogiva, seriam gastos US$ 250 milhões, pra deter apenas um único ICBM que custou US$ 70 milhões.

            Conclusão, o THAAD existe apenas para deter ataques de países como o Irã ou a melhor Coréia e não serve para ataques de saturação feito pelas superpotências nucleares do naipe da China e da Rússia. Primeiro porque é impossível: Cada ICBM leva 10 ogivas e cada bateria de THAAD só possui, no máximo 72 mísseis, ou seja, se lançarem mais de 7 ICBMs, alguma ogiva vai passar. Segundo porque os custos do sistema são extremamente elevados, o que gerou até uma crise diplomática entre os EUA e a pior Coréia, com Trump dizendo que a Coréia do Sul que tem que pagar pelo sistema: http://money.cnn.com/2017/04/28/news/trump-south-korea-thaad-trade/index.html

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Ok, valeu pelas informações e pelo seu tempo pesquisando tudo isso.

          • Dou uma e se for bom dou mais

            Sem falar no alcance operacional de 200km desse carinha, o que se não fosse pelo lançamento angular conseguiria explodir as ogivas ainda no espaço.

  • Dou uma e se for bom dou mais

    Como eu disse pra outro cara nos comentário. Excelente forma de mostrar que a briguinha infantil de quem tem o pau maior não funciona no mundo adulto. Eles só precisam mostrar que os outros vão estar gastando recurso a toa lançando ICBM contra EUA e aliados.

  • Pingback: Teste bem-sucedido: THAAD intercepta IRBM no Alaska | Notícias Legais()

  • … há boas chances que o bom-senso prevaleça e os EUA não respondam pulverizando a capital da Melhor Coreia…

    Bom-senso seria pulverizar a capital agora, ANTES de terem que testar a sorte com o THAAD…

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis