Novos Moto C Plus, E4 e E4 Plus chegam ao Brasil com preços a partir de R$ 699,00

Em evento realizado hoje (21) em São Paulo, a Motorola apresentou seus novos lançamentos para o mercado brasileiro: os novos Moto C Plus, E4 e E4 Plus chegam mirando no mercado consumidor de dispositivos de entrada e mid-low com hardware e preços minimamente decentes.

O Moto C Plus é a versão mais potente do Moto C, que não veio para o Brasil mas é um produto totalmente de entrada, com configurações modestas para manter um preço baixo: SoC MediaTek MT6737, um quad-core de 1,3 GHz, resolução HD (294 ppi),1 GB de RAM, 8 GB de espaço interno (expansível via Micro-SD até 32 GB), câmera principal de 8 MP com abertura f/2,2, pixels de 1,12 µm, autofoco, Flash LED, HDR e também filma em HD a 30 fps, câmera selfie de 2 MP com abertura f/2,8 e Flash LED, 4 G/LTE, Bluetooth 4.2, A-GPS, Single ou Dual-SIM, Android 7.0 Nougat e uma poderosa bateria removível de 4.000 mAh, que segundo a Motorola resiste a até 30 horas de uso.

O Moto E4 foi promovido a smartphone mid-low, embora continue com especificações bem baixas. Ele possui um SoC MediaTek MT6737 de 1,3 GHz, 2 GB de RAM, 16 GB de espaço interno não expansível, display de 5 polegadas com resolução HD (294 ppi) e vidro frontal 2,5D, câmera principal de 8 megapixels com abertura f/2,2, Flash LED e que grava em 1080p, câmera selfie de 5 MP com abertura f/2,2, Flash LED e que filma em HD, 4G/LTE, Bluetooth 4.1, BLE, leitor de impressões digitais, bateria removível de 2.800 mAh e Android 7.1 Nougat.

Já o Moto E4 Plus vem com SoC MediaTek MT6737 de 1,3 GHz, display de 5,5″ com resolução HD (267 ppi), 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento interno, câmera principal de 13 MP com abertura f/2,0 e pixels de 1,12 micrômetro, Flash LED e HDR, câmera selfie de 5 MP basicamente igual a do E4 e bateria generosa de 5.000 mAh, que segundo a Motorola pode durar até dois dias. De resto, tudo igual.

Todos os aparelhos chegam hoje à rede varejista; o Moto C Plus tem preço sugerido de R$ 699, o Moto E4 custa R$ 849,00 e o Moto E4 Plus, R$ 949,00.

Relacionados: , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Anayran Pinheiro

    Iria xingar a Lenovo com esses preços absurdos, mas aí lembrei que eles encaram o Brasil como um mercado que não precisam competir mais.

    Que saudades da Motorola na época do moto G/X2…

  • Thiago

    Xiaomi importado ainda continua a melhor opção

    • Eu sempre falo isso também. Mesmo sem assistência no Brasil, ainda não vi alguém que tenha tido algum problema.

      • Thiago

        Mesmo sem suporte, uma peça de reposição Xiaomi custa mais barato do que qualquer outra marca hoje no brasil. O problema é esperar chegar da China…

  • Eu não tenho mais saco para destrinchar informações de specs de telefone e acompanhar o mercado. Só pesquiso quando mudo de telefone.
    Deve ser a idade.

    • Diego Marco Trindade

      E pensar que o meu celular, lançado em Dez/14, já tinha 3Gb Ram, 64Gb de memória interna, display de 560pp, Snapdragon 805…

      O mais foda é pensar que é dificil achar cel que bata especificações assim que não custe um rim.

      • Germano

        Moto Maxx?

        • Diego Marco Trindade

          acertou mizeravi

          • Germano

            No final do ano retrasado fiquei na duvida entre ele e o Moto X Play. No fim o dual-sim falou mais alto.

      • Xiaomi, OnePlus, Oppo, Elephone. Eu tenho um Xiaomi Mi Max que me custou R$ 970 (já com imposto e frete via DHL pagos) sendo equipado com um Snapdragon 652 com 3 GB de RAM e 64GB de armazenamento com biometria, Corning Gorilla Glass (que pra mim é a maior enganação isso), tela de 6,44″ com tecnllogia 2.5D ARC e bateria de 4850 mAh.

  • igomd

    Um moto G4 tem o mesmo preço que esse C Plus com hardware superior em alguns pontos. R$600 no Zoom. Qual levar? Iria no Moto G.

  • César Rodrigues

    Devia ser proibido produzir um celular com menos de 2GB de RAM. E 8GB de armazenamento?? Sério, quanto a mais custaria dobrar esse espaço???

    Sei que a ideia é ter opções de baixo custo, mas dá pra fazer melhor por esse mesmo preço, né Xiaome?

    • Daniel

      É proibitivo economicamente em um mercado decente e competitivo, mas o lixo tem de ir para algum lugar, e se possível ser vendido.

  • Rookie naz

    O preço do g5 que tava bom vai sofrer um aumento, espero que esses modelos encalhe pra Lenovo apreender.

  • Kleber

    Esses lançamentos já deram no saco… puxa dali, encolhe acima, estica em baixo e no final um bando da mesma bosta q só muda a marca e o preço… Daí o cara paga 4k compra um S8 pra usar o whatsapp e Facebook..

  • Estava na dúvida de comprava um Moto Z 1gen ou um Galaxy A 2017 mas com esse lançamento é capaz do Moto subir de preço. Acho que vou ter que voltar para a Samsung a contra-gosto.

    • Por que não compra um Xiaomi, OnePlus ou Oppo? Mais barato e com especificação muito melhor.

      • Um colega tinha um Xiaomi, quebrou a tela e não achou em buraco nenhum outra tela para consertar.
        Importar ia demorar três meses.
        Depois dessa fiquei com um pé atrás com importação de smartphone. Principalmente das bandas do olho puxado.

        • Eu importo várias coisas e te digo que na pior das hipóteses demora 40 dias se você mora em região metropolitana.

          Geralmente eu peço para enviar via DHL (preferencialmente), FedEx ou UPS. A DHL entrega em 7 a 14 dias geralmente (meu celular demorou exatos 7 dias do momento da compra a entrega na minha porta).

          Nesses casos de tela quebrada, o inconveniente é ter que importar do AliExpress (o que geralmente demora 30-40 dias), porque essas partes de reparo são fornecidas por empresas ligadas a fabricantes e em geral postam usando o correio comum na China.

          • Juazeiro do Norte é região metropolitana só no nome.

            Em tudo é tratado como cidade de interior, por isso qualquer importação além de ter prazos absurdos tem um ágio que termina desestimulando esses fretes.

  • binho

    R$700 num celular quad-core com 1GB de RAM e 8GB de ROM. Tá de sacanagem essa Lenovo..

    • Anônimo, seu amigo no XXX

      Nem fala, ainda mais com Zenfone ai na porta, fora as promoções que aparecem com desconto… Lenovo tá querendo mesmo virar Samsung.

    • 1GB de RAM pro Android é muito pouco, mesmo sendo o Android 6 ou 7. O ideal é 2 GB de RAM no 6.0.

  • caio.

    Uns dias atrás falei que quando esses celulares chegassem aqui, os G da 5a geração subiriam de preço… vi eles a partir de 799…vejamos o que vai vir nos próximos dias…

  • Pingback: Novos Moto C Plus, E4 e E4 Plus chegam ao Brasil com preços a partir de R$ 699,00 | Notícias Legais()

  • Germano

    Com pouco mais que 500 voce pega um Blu Energy M no mercado nacional, que tem a mesma capacidade de bateria e specs bem parecidas com esse C Plus – unica coisa que notei foi a versao do Android, mas um upgrade do OS do 6 para o 7 nao vale 200 reais.

  • iDorg

    Quando esses preços divulgados baixarem uns dois terços, pode ser que sejam alternativas viáveis no mercado brasileiro. Custando isso aí, não vejo vantagem pras versões de entrada das concorrentes (só a bateria mesmo…)

  • Cássio Amaral

    Dinheiro demais por esses MediaTek lixo. Estou sentindo cheiro de reajuste dos Moto G5 já já.

  • Leonardo Felippine

    Comprei um Redmi Note 4X, com 4GB de RAM, 64GB de armazenamento, processador MediaTek com DEZ núcleos, por R$590,00, semana passada. Mesmo que seja taxado, ainda valeu a pena.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples