Dia quente no deserto — Irã lança mísseis e americanos trucidam avião sírio

vlcsnap-00004

O bicho está pegando no Oriente Médio. Eu sei, você está se contorcendo de surpresa com essa informação, mas agora vimos algo raro, depois de tantos anos acostumados com a bananice ocidental.

No começo de junho de 2017 vários terroristas do ISIS atacaram o parlamento iraniano e o mausoléu do Aiatolá Khomeini. Depois de horas de tiroteio o ataque terminou com 18 mortos e 42 feridos. Os 4 terroristas foram devidamente peneirificados.

Depois de botar a culpa nos sauditas, o Irã identificou de onde realmente eram os terroristas, e zerou sua base na região de Deir Ezzor, no leste da Síria. Aí entra o general Amirali Hajizadeh, comandante das forças aeroespaciais da Guarda Revolucionária Islâmica, que é como o Irã chama suas forças armadas:

Nosso inimigo precisa saber que Teerã não é Londres ou Paris, e se eles continuarem com suas ações, o resultado custará muito caro”.

Custou. Foram 6 mísseis, lançados a mais de 600 km de distância.


ali javid — Iran UAV captured images of moment IRGC missiles impact in Dayr al-Zawr on terrorist compounds Syria

Na cidade próxima os populares (adoro essa expressão) capturaram o lançamento:


24 Resistance Axis — IRGC launches 6 ballistic missiles on ISIS HQs in Syria

O Irã usou o Shahab-3, um MRBM, míssil balístico de alcance médio, capaz de levar uma ogiva de uma tonelada e voar por 1.930 km. Foi a primeira vez que ele foi utilizado em combate, demonstrando que já está operacional.

O ISIS foi avisado que isso foi apenas o começo, e o que é deles está guardado.

Ali perto, outro arranca-rabo. Como todos sabem ninguém se entende na Síria, russos apóiam o governo de Assad, que apóia alguns grupos rebeldes. Os americanos apóiam outros grupos rebeldes, que atacam Assad. O ISIS não apóia ninguém e ninguém apóia o ISIS mas nem sempre ele é o alvo. Para dar uma idéia do rebuceteio, esta é a página da Wikipedia que lista os grupos armados envolvidos na Guerra Civil da Síria:

grupossyria

Um desses grupos são as Forças Democráticas Sírias, apoiadas pelos EUA. Eles fizeram avanços importantes contra o ISIS, inclusive tomaram Tabqah, cidade sob controle do ISIS, a menos de 100 km de Raqqa, “capital” do Estado Islâmico. O governo sírio então atacou as FDS, e no dia 18 de maio um comboio do governo foi avistado por um F-15E americano.

Alertas foram feitos, os sírios continuaram em direção a Tabqah. O F-15E então atacou, destruindo um tanque e vários caminhões. Em 6 de junho um drone sírio armado atacou as forças rebeldes das FDS, e foi destruído por outro F-15E.

Os sírios tinham desistido mas agora voltaram a atacar Tabqah, dessa vez com um caça Su-22, a versão de exportação do Sukhoi 17. Ele lançou bombas sobre a cidade, o que provocou reação imediata dos EUA: um F/A-18E da Marinha explodiu o avião sírio. O destino do piloto é ignorado e fora dos press releases ninguém se importa.

Normalmente eu apóio a doutrina americana de só entrar em conflitos com superioridade de 10:1 mas dessa vez foi (ou seria, se houvesse isso em guerra) covardia.

ISTO é uma bomba síria sendo preparada para instalação:

1-p9vmeyjz77mp2xowrnut6a-750x350

Este é um Su-22, a versão de exportação do Sukhoi 17:

1_14

Se ele te parece um avião soviético da Guerra Fria, que voou pela primeira vez em 1966 e é ridiculamente ultrapassado, com performance risível e cujos manuais devem estar em sânscrito, você acertou.

Já este é um F/A-18E Super Hornet.

hornet

landscape-1497016928-fa-18-super-hornets-of-strike-fighter-squadron-31-fly-patrol-afghanistan-december-15-2008

O pobre Su-22 não teve a menor chance. Assad não gostou muito, foi chorar pitangas com Putin, e a Rússia emitiu um comunicado dizendo que os aviões americanos passarão a ser considerados alvos.

syria-1

Um Su-22 depois de um bate-bapo com a antiaérea rebelde. O derrubado ontem não deve ter ficado muito diferente.

Depois avisaram que as missões sírias, de caças ou drones serão escoltadas por caças russos. Isso pegou mal além da conta, e retificaram dizendo que as missões serão protegidas por mísseis antiaéreos russos.

Ou seja: é real a possibilidade de que em um futuro próximo russos e americanos se estranhem no ar, diretamente. Mas calma, isso não significa guerra nuclear amanhã se não chover. Os dois vêm trocando tiros eventualmente faz tempo, e se consultarmos o placar, durante a Guerra Fria os russos ganharam de 15 × 3 em termos de aviões derrubados. São riscos da profissão.

O mais assustador é que esse foi o primeiro avião derrubado por um caça americano desde 1999, o ano em que o Super Hornet entrou em serviço, mas isso é assunto para outro artigo…

Relacionados: , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples