Procurador-geral dos EUA declara guerra à maconha medicinal, e está apanhando feio

Quando Donald Trump assumiu a presidência dos EUA houve um temor muito grande de que o governo iria tentar reverter os esforços estaduais na legalização da maconha, de forma a não apenas combater o tráfico mas regularizar o uso medicinal da erva.

A nomeação do senador Jeff Sessions como procurador-geral e chefe do Departamento de Justiça reforçou esse sentimento, visto que ele já declarou que “pessoas de bem não fumam maconha” e poderia ser uma pedra no sapato das administrações que legalizaram o consumo. Dito e feito, mas Sessions está enfrentando resistência d próprio Congresso.

Vale explicar mais uma vez como funciona a lei americana quanto ao consumo de maconha: a legislação federal proíbe veementemente seu uso em quaisquer circunstâncias, mas os estados podem decidir o que fazer independente da instância superior. No atual cenário 28 dos 50 estados possuem regras mais frouxas quanto ao consumo da maconha, seja descriminalizando-a ou legalizando formalmente. Vários estados possuem leis específicas para uso medicinal leve ou específico, que demanda processamento de variantes com alta concentração de canabidiol (CBD), indicada para o tratamento de doenças como epilepsia. A Califórnia recentemente descriminalizou o uso, bem como Nevada e Massachussets.

Outros estados são bem mais rígidos. No Texas, por exemplo o porte e uso ainda é crime, e mesmo a aplicação medicinal controlada é proibida. No estado do Alabama, reduto eleitoral de Jeff Sessions apenas o uso medicinal de CBD é permitido, mas ele próprio já havia dado a entender que nem isso ele viria a tolerar em seu mandato à frente do Departamento de Justiça. Em fevereiro, quando questionado sobre o assunto o procurador-geral disse o seguinte:

“Eu definitivamente não sou um fã do uso expandido da maconha; os estados, no entanto podem passar as leis que quiserem. Eu digo apenas que distribuir a erva nos Estados Unidos permanece sendo um crime federal, independente de um estado legalizar seu uso ou não.”

Sessions não aprova sequer o uso medicinal controlado de maconha nos EUA

Sessions vem trabalhando para reforçar as leis federais acima da legislação dos estados, tentando frear todo o avanço da discussão sobre a criminalização das drogas e mesmo o uso medicinal não foi poupado; é seu desejo voltar ao estado anterior criminalizando toda e qualquer aplicação do cânhamo nos Estados Unidos, independente se para uso recreativo ou tratamento de doenças graves. Infelizmente para ele o Congresso não pensa assim.

Em abril a Câmara aprovou o orçamento de US$ 1,1 trilhão para o atual ano fiscal, sancionada por Trump em maio que incluía uma cláusula muito específica: o Departamento de Justiça fica impedido de usar seus fundos para combater leis estaduais referentes ao uso medicinal de maconha. Não satisfeito com a puxada de tapete, Sessions contra-atacou escrevendo uma carta ao Congresso (cuidado, PDF) pedindo autorização para combater os fármacos baseados em cânhamo e utilizando uma série de argumentos furados, visivelmente apelando para o FUD (Fear, Uncertainty and Doubt ou Medo, Incerteza e Dúvida).

Sua lógica não tem um pingo de caráter: Sessions diz que o uso de maconha aumenta o consumo de opioides quando estudos apontam exatamente o contrário: estados em que a erva é permitida, mesmo na forma do cigarrinho de artista o consumo de analgésicos e outros medicamentos perigosos está caindo. No entanto Sessions deve enfrentar dura resistência e não por causa de princípios moralistas:

A verdade é que a maconha está rendendo MUITO dinheiro aos EUA. A legalização/descriminalização reverte US$ 1 bilhão em impostos ao ano, sem falar no menor consumo de medicamentos verdadeiramente perigosos e o tratamento de doenças debilitantes que os tradicionais não combatem tão bem. Pais de crianças com epilepsia severa e outros distúrbios graves têm muito a agradecer ao governo Obama, que brigou pela legalização dos fármacos.

Mesmo Trump não possui uma agenda concreta sobre o assunto. Décadas atrás ele disse que país deveria legalizar e controlar todas as drogas ilícitas, a fim de injetar os impostos na educação. Mais recentemente ele declarou ser 100% a favor do uso medicinal da maconha. No Twitter o assunto é tabu, o presidente não menciona uma vírgula sobre.

O mais provável de acontecer é o Congresso dar de ombros para as declarações alarmistas de Sessions, que pode sim utilizar o Departamento de Justiça para combater o uso recreativo em nível federal; por outro lado sua cruzada contra a maconha medicinal soa como um mimimi fundamentalista, sendo que seu uso já foi provado como benéfico e é feito por gente séria.

Fonte: Ars Technica.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • O Donald não quer dar o braço a torcer pra nada do que foi feito no governo Obama por isso colocou esse sujeito aí, talvez antevendo que não iria dar em nada porque ele na verdade está é muito feliz com a legalização mas não pode mostrar

    • Carlos Taylor

      Uma hora ele vai ter que falar, aí vamos poder reclamar dele. No momento o ideal é puxar o saco do procurador mesmo.

  • an_drade

    Bom, canabis é mais barato que remédios baseados em opioides. Então, a indústria legal de opioides está muito, muito preocupada, pois o uso de canabis vai afertar duramente o faturamento.

    Isso é política, sim claro. Mas os números valem muito mais no bolso das empresas que ideologias.

    • Bambino VJ

      Se legalizarem a cannabis são as mesmas industrias que vão usar ela para fazer novos remédios.
      Inclusive vários laboratórios mundo a fora já tem autorização para fazer pesquisas com a cannabis.
      Não vejo pq os laboratórios que fazem remédios baseados em opioides ficariam para trás.

      É um incomodo? É. Mas não sei se é pra tanto.

      • É muito incômodo sim, pois foram investidos muito dinheiro no estudo desses opioides e se vier a “popularizar” a cannabis, estudos do zero terão que ser feitos por esses laboratórios que já injetaram caminhões de dinheiro em outra substância.

        • Diego Marco Trindade

          No entanto hoje os laboratórios estão gastando mais em Marketing que em pesquisa. Li, acho que aqui no MeioBit mesmo, que metade do orçamento da industria famarceutica vai para marketing. O dinheiro da pesquisa já foi recuperado há muuuuuito tempo.

          • E qual o ramo que não coloca metade ou quase a metade em marketing? Marketing é o que coloca o dinheiro pra dentro.

          • Diego Marco Trindade

            O problema é que remédios nos Estados Unidos são vendidos como se fosse farinha. É uma problema de saúde, não de mercado. A pessoa deve comprar um remédio tarja preta apenas pq precisa, não pq o médico recebe comissão sobre as vendas dele. Deus do céu, tem propaganda de tudo quanto é remédio na TV. Apesar de não ser ilegal, é muito imoral. Assista o documentário Sicko do Michael Moore.

      • Anarco Nerd

        Vou fazer coro com o @shimatai:disqus. Já existe toda uma infraestrutura já instalada e com o planejamento pronto pra instalar mais no futuro, além da técnica já dominada e barateada. Fica muito caro pra mudar o que for necessário.

        E pra que gastar rios de dinheiro em algo que qualquer maconheiro que planta sua erva no quintal pode fazer com um pouco de álcool? O óleo de CBD é meramente uma extração alcoólica, “lavando” a resina na superfície da inflorescência da Cannabis, de uma genética específica que contenha alta concentração de CBD e baixa em THC.

    • Inclusive estão começando uma ação pra substituir os opióides (menos a morfina) no FDA…

  • SacoCheio

    Se vale a pena legalizar o uso recreativo é outro assunto, mas é burrice não aproveitar o uso medicinal da cannabis.

    Pensando assim, ele devia tirar do mercado vários medicamentos com componentes que viciam. Quem nunca soube de um viciado em sorine, ou xarope, ou antidepressivo?

  • Ivan

    Mania de quererem regular tudo, mais liberdade menos Estado.

    • Pra você ver como é confusa pra entender a questão de direita e esquerda. Nos USA a direita quer mais estado, no Brasil a esquerda quer mais estado.

      • Ivan

        Qualquer lugar direita e esquerda querem mais Estado, só que cada um quer mais Estado em questões diferentes.

  • Gogo Tomago

    Então essa luta do Sessions simplesmente não faz sentido nenhum e não vai levá-lo a lugar nenhum.

    • Esse é o objetivo

      • Gogo Tomago

        Ora Ora

    • Basicamente ele quer pagar parecer que vai fazer oque o eleitor dele, aquela galerinha que acredita nos blogs da extrema direita prega, tipo aquecimento global é uma mentira, pra poder falar depois que a culpa é da esquerda por todos os problemas, por que não deixa ele trabalhar. Políticos sabem usar gente estupida como ninguém, eles focam em um publica alvo e tentam parecer que estão agradando eles, mas com certeza tudo que querem é dinheiro ou poder. A diferença com os políticos brasileiros e só que eles perderam totalmente a vergonha na cara .

      • Gogo Tomago

        Oloco.

      • DanielBastos

        Só adicionaria: os blogs da “esquerda” fazem a exata mesma coisa.

        Pq enrolar gente estúpida infelizmente ultrapassa a barreira da ideologia

        • O da esquerda, o da direita, de centro, o partido comunista, o arena, PT, PSDB, democratas, PSOL, todo mundo faz isso, finge trabalhar para o seu publico alvo, elege um inimigo em comum e toda vez que faz merda bota a culpa nele. Ideologia de político é dinheiro no bolso.

          • SiouxBR

            Arena? Buscou essa no fundo do baú, hein?

          • Tem uma galerinha jovem que nasceu uns 20 anos depois do fim da ditadura, que não entende nada de historia que fica querendo ressuscitar esse partido. E quase como tentar ressuscitar uma religião antiga tipo a asteca, que faziam sacrifícios humanos, mas alguém mesmo assim ainda consegue achar algo de bom e acha como justificativa para trazer de volta do passado.

          • SiouxBR

            Ressuscitar a Arena? A Arena simplesmente mudou de nome para PFL por que ficou queimada. E o PFL mudou para DEM depois de ficar queimado também.

            Ou seja, a Arena não acabou, só mudou de nome…

  • palatoqueimado

    E o parágrafo que fala sobre tecnologia nesta notícia, ficou aonde mesmo?

    • Diego

      E desde quando o Meio Bit é só tecnologia? Affff…

    • Mario Neis

      tu acessar muito fácil essa parte…

      “ctrl+W” é o atalho 😉

    • Lá no GIZMODO, no post sobre biohacking e nullificação…

      vá lá buscar… tá caído lá, sem uso…

    • Ivan

      Sobre o Meio Bit
      Linha Editorial
      Há 12 anos no ar, o Meio Bit é um dos sites de tecnologia mais importantes e relevantes do Brasil. Nosso grande diferencial é sermos um site 100% autoral, assim nossos autores têm a liberdade para emitirem suas opiniões sobre tecnologia, ciência, games e entretenimento. As opiniões dos autores são pessoais, e não refletem necessariamente as opiniões do site.
      Também usamos e abusamos de sátira e sarcasmo, assim recomendamos que você sempre leia o texto todo (e também as tags e a categoria onde ele foi postado) antes de ficar chateado com algum tema abordado.

      • “As opiniões dos autores são pessoais, e não refletem necessariamente as opiniões do site.”

        …deve ser isso….

      • SiouxBR

        Maconha entra na categoria “entretenimento”… 🙂

    • Fabio

      “No Twitter o assunto é tabu”

      aqui.

    • Tom

      O nome do site é meio bit, metade é tecnologia, o resto ninguém sabe é sobre tudo, e aliás, ctrl+w é serventia da casa (ou do site)

    • A matéria trata sobre um assunto científico (uso medicinal da maconha), portanto se encaixa no que o site recorrentemente aborda, ou seja, tecnologia e ciência.

      Ah! O martelo é um objeto de tecnologia, se os redatores quisessem poderiam escrever uma matéria inteira sobre como pregar sem arrebentar o dedão que ainda assim teria correlação com a proposta do site.

    • Em “medicina”.

    • OverlordBR

      É um absurdo mesmo!
      É por isto que procurarei notícias sobre tecnologia em um site que é expert no assunto, o Gizmodo.

  • Paulo Lemes

    Faltou mencionar que Sessions é sócio de fundos de investimento que exploram o mercado de penitenciárias privatizadas. Mais presos, mais grana.

    • Rodrigo M

      Isso me lembra do escândalo Kids for Cash: https://en.wikipedia.org/wiki/Kids_for_cash_scandal

      • c1c3ru

        Me lembrou o doc 13º emenda.

    • Luiz

      tava obvio

  • Cássio Amaral

    Também sou contra legalização da maconha para uso recreativo, mas não dá pra não ser a favor para uso medicinal. Como menciona o texto, há um tipo muito severo de epilepsia que geralmente responde bem ao tratamento com canabidiol. Pelo que eu sei, a maconha medicinal pouco tem a ver com a para uso recreativo, por ter bem menos ou não ter THC, que é responsáveis pelos efeitos nocivos da droga. Fundamentalismo barato desse senador.

    • Ivan

      No EUA existe medicinal para dores, você vai no médico diz que está com dor e o médico receita 20 gramas de maconha.

      • Marcelo Eiras

        O que poderia dar errado ?

        • Ivan

          Nada?

          • Marcelo Eiras

            “Dor crônica” e larica

        • Xultz

          Mais bandas de reggae?

        • Luiz

          nada, é igual a pessoa que toma cerveja, ainda bem que é proibido, provavelmente o cara que usou maconha é mais seguro no trasito, pois ele vai estar de boa, nem vai estar correndo, e não vai ficar estressado

  • Inquisidor

    sou a favor do uso medicinal, seja por pilulas, comprimidos,fumo,liquido,colirio, seila, mas sou contra o uso recreativo.
    porque sou contra? tenho conhecidos que eram chaminés de maconha de tanto que fumavam, hoje são lesados pra kct, tem um delay enorme entre pergunta e resposta, e isso que eles não usam tem anos

    • Ivan

      Se é proibido como usam?

      • Inquisidor

        uso medicinal vc compra na farmacia com receita medica, uso recreativo vc compra do traficante e alimenta o PCC

        • Ivan

          Ou pode ser tudo recreativo e não ter trafico, em lugares que tem lojas que vendem maconha em alguns estados americanos, já pensou nisso?

          • Mesmo legalizando a venda, sempre existirá o traficante, pois na mão dele sempre será mais barato, pois não há imposto e o peso da mão do Estado no produto.

            Isso já acontece com esses cigarros paraguaios, onde o Congresso brasileiro aprovou uma lei que proíbe a venda de cigarros por menos de R$ 3, pois geralmente esses são fruto de contrabandos ou cigarros sem o selo da ANVISA.

          • Ivan

            Então tem que deixar mais barato e legalizar o plantio pra uso proprio.

            De novo o problema é o Estado.

          • Inquisidor

            no bananal nada funciona, desde politicos até o oreia de obra.

    • Ivan

      Agora ministério da saúde quer proibir refil de refrigerante, já tem lei proibindo sal em mesas de restaurantes, sério que é preciso de um Estado babá?

      • Julio Verner

        Brasileiro adora achar que o Estado deve limpar sua bunda… Achas que mudará? Só pra pior, só pra pior…

      • Foda-se a lei, o brasileiro dará um jeito… sempre…

        https://uploads.disquscdn.com/images/beffde69b2e5f3e2b5195ed2d5e70abbe5a1870abd25216e7c363e8ca5ac6f20.jpg

        http://noticias.r7.com/cidades/para-burlar-lei-que-proibe-sal-sobre-a-mesa-restaurante-no-es-pendura-saleiros-no-teto-11072015

        • Ivan

          kkkk já tinha visto isso, brasileiro é foda msm

      • Inquisidor

        não, o estado tem que se explodir e começar do zero, mas ter pessoas se drogando por todo lado não é legal.

        • Ivan

          Então vamos cortar cigarros e bebidas e tudo que faz mal também, gordura, sal e açucar.

          • Inquisidor

            cigarro e bebida eu usou parceiro de proibir tudo, gordura se for animal não, sal (dependendo do sal não)e açucar podia ser limitado tmb.

          • Ivan

            Serto…

          • Ivan

            E a liberdade das pessoas fica onde?

        • Luiz

          o estado fode a vida das pessoas, depois não quer que elas usem drogas para suportar, vai se foder

    • André Luiz

      Sei lá, conheço gente muito produtiva e bem posicionada na sociedade que da seus pegas de forma recreativa.

      É a mesma coisa que querer proibir o uso recreativo do álcool porque ” eu conheço um bebum que come álcool gel se for necessário.”

      • Fabio

        Conheço um cara que bebeu e bateu o carro. Outro que bebe e nossa, fica um idiota, não tem como falar. Conheço um cara que comeu tanto chocolate que ficou com diabetes.

        • Flávio Pedroza

          Vamos proibir a bebida, os carros e chocolates então!

        • André Luiz

          Acho que o que mais incomoda as pessoas em relação a maconha não é de ela faz mal ou não ao organismo e sim a
          ” brisa”, ” a viagem” a busca por um estado alternativo de consciência.

          Mal por mal o cigarro faz mais.

          E se nao me engano o THC tem no chocolate tambem só que a ” brisa” é menor, se o cara entupir o rabo de chocolate morre de diabetes antes

        • Lucas Timm

          Escrevi ali em cima: Meu pai fuma maconha desde os 17 anos, e já tá beirando os 60. Todos os dias e não é viciado. Vive normalmente, maconha não “pega” nele.

          Aí se ele beber uma lata de cerveja, não tem quem aguente tanta estupidez e idiotice vindo de uma pessoa só. 😛

    • Lucas Timm

      Meu pai fuma maconha desde os 17 anos.
      Ah sim — diariamente.
      Ele está beirando os 60 anos. E eu posso comprovar tudo o que tu disse, só que não:

      Ele não é lesado, não tem “delay” entre pergunta e resposta, vive a vida ordinária dele sem maiores problemas, lê, escreve, dirige, enxerga bem, é saudável as fuck.

      Logo, seus amigos são retardados mesmo, simples assim. Não tem relação com a maconha.

  • Julio Verner

    Dinossauros burocratas e seus Whiskey’s… O que dizer? MORRAM TODOS!!!! De preferência com câncer no cu!

  • Jefferson Viana

    Tem tanta coisa errada nesse sessions, ora não são republicanos que querem mais independência para estados? e na hora H ele quer reforçar leis federais em cima das estaduais? não foi ele que disse que que achava o pessoas da KKK era legal até q descobriu que eles fumavam? Fora isso se perde muitas oportunidades para tratamentos , deveriam fazer testes com com LSD e outras substancias, como uma pessoas com autismo severo iria reagir usando LSD?

  • Ruan Rodrigo

    “sou a favor do uso medicinal mas contra o recreativo, algum retardado vai fumar e ficar mais retardado”, amigão tu paga 150 mil para tratar o câncer de pulmão dos fumantes, outra porrada a cada imbecil que bebe e bate o carro e vem falar que é contra a liberação recreativa de drogas? deixa esses bunda-rachada se foderem e pagarem pelos erros (bateu e matou alguém? responde por assassinato por dolo eventual qualificado, com a liberação de drogas vai sobrar MUITO lugar nas cadeias para esses caras) “mas o brasileira não está pronto pra ter liberdade, é um povo sem educação”, ta que pariu, vai me dizer que você confia mais na classe política do Brasil para decidir pela SUA vida? Aqueles que roubam o dinheiro da educação?

  • Ed. Blake

    Merchants Of Doubt: Se bobear existe forte atuação do mesmo grupo de publicitários que ‘lutou’ com publicidade contra a marginalização do tabagismo e contra o fato do aquecimento global para que se propague a dúvida em relação à ciência em nome de uma indústria farmacêutica (com um lobby muito forte e muito dinheiro a perder com estes novos tratamentos à base de cannabis).

    • Rodrigo Arnoud

      Esse documentário é muito bom. Independente do assunto cannabis, merece ser visto para entender como a opinião pública é “gerenciada”.

  • c1c3ru

    Pense numa expressão que tá dando asco “pessoas de bem””cidadão de bem”.

    • Luiz

      vem do mesmo lixo que “politicamente correto” e “justiça social”, é a maldita direita classica

  • Pingback: Procurador-geral dos EUA declara guerra à maconha medicinal, e está apanhando feio | Notícias Legais()

  • Luiz

    Este cara deve ser dono de prisão, não é possivel. EUA, 5% da população do mundo, 1% da população do mundo está presa por conta de consumo de maconha.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis