Propostas da ANCINE para o streaming no Brasil incluem regulação, tributação e cotas

Vocês se lembram quando a ANCINE (Agência Nacional de Cinema) propôs que os serviços de streaming de vídeo deveriam ser regulados no Brasil, de modo a “proteger o conteúdo nacional” e forçar empresas como Netflix e outras a reservar 30% de seu catálogo a filmes e séries nacionais? Lembra-se que pouco tempo depois a agência abriu uma consulta pública de modo a saber qual a opinião do consumidor sobre essa celeuma?

Pois bem, o relatório foi enfim encerrado e a ANCINE apresentou suas propostas de regulação do setor de streaming, e como esperado o cenário não é bom.

Em primeiro lugar, a ANCINE pretende que as novas regras se estendam a todos os serviços de reprodução audiovisual via streaming, sejam vídeos, áudio ou games; logo as modificações, se implementadas afetarão Netflix, Amazon Prime Video, YouTube, Facebook, Twitter (sim, serviços de transmissão ao vivo como o Periscope também contam como streaming), iTunes, Google Play, HBO GO, Crunchyroll, Spotify, Deezer, PlayStation Now e outros. Em segundo lugar a pesquisa de opinião obviamente não se restringiu apenas ao público, mas contou também com 57 opiniões expressas de 27 agentes privados, e não é segredo para ninguém que os grandes concorrentes do streaming, as operadoras de TV estão preocupadíssimas com o crescimento desses serviços.

As sugestões registradas abordam temas como importação de serviços frente às empresas nacionais, publicidade, conteúdo e outras coisas, e baseadas nelas a ANCINE elaborou suas recomendações. Em primeiro lugar a atribuição de responsabilidade do conteúdo deixaria de ser atrelada ao usuário a passaria para a plataforma, o que logo de cara é um duro golpe na cara do YouTube. Como ele apenas opera como vitrine e não atua como content provider, apenas monetiza as produções dou YouTubers tal mudança representa uma alteração em seu Modus Operandi completa. Ele passaria a ser responsabilizado como autor dos vídeos e dessa forma, seria forçado a filtrar e controlar a qualidade daquilo que veicula e promove.

Digamos assim: se a ANCINE, por recomendação de parceiros (anunciantes) decidir que vídeos de nutelleiros são inadequados, o YouTube será forçado a capar tudo ou será responsabilizado diretamente por eles, ao invés do que acontece hoje onde ele só repassa a bucha para o criador de conteúdo.

O segundo ponto diz sobre a Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional, a famigerada CONDECINE. O imposto, criado em 2002 para o fomento da indústria do cinema brasileiro cobra uma taxa de serviços de streaming seria estendida também para provedores de plataforma, afetando novamente o YouTube e similares. Porém a base de cálculo seria alterada para incidir sobre a receita bruta, de forma progressiva e não sobre cada título como é feito atualmente. As companhias precisariam apresentar relatórios de receita bruta ao governo, recolhendo até 4% do valor em impostos.

A proposta visa que os serviços de streaming também invistam 4% de sua renda em co-produções nacionais, porém não está claro no documento se isso viria a ser uma opção ao recolhimento da CONDECINE ou um investimento compulsório, onde elas teriam que pagar em ambos os casos.

O ponto mais polêmico, no entanto diz respeito às cotas de conteúdo nacional. Provando que o governo brasileiro é protecionista até dizer chega e não enxerga um palmo à frente do nariz, os serviços de streaming seriam obrigados a disponibilizar 20% de seu acervo para produções nacionais, metade desse número vindo de produções independentes. Sabe aqueles documentários sobre formigas que ninguém assistia, exibidos obrigatoriamente no começo dos filmes no cinema no passado? Prepare-se para ver 10% do conteúdo da Netflix tomado por produções desse tipo.

No mais as produtoras seriam compelidas a sempre recomendar e dar destaque a produções nacionais em suas páginas, de modo a estimular (eu diria incutir) no espectador a ideia de apreciar um filme ou série brasileira em detrimento de uma estrangeira. Esses últimos pontos seriam reflexo de uma pesquisa realizada pela ANCINE, onde em média apenas 0,8% do conteúdo de tais serviços é reservado a produções nacionais. Logo, prepare-se para ver esse número aumentar 20 vezes à força.

No fim das contas é uma proposta tão protecionista quanto à da União Europeia, exceto pela exigência das plataformas de também produzirem material local.

O relatório, agora fechado será encaminhado para o Conselho Superior de Cinema (composto por representantes civis, das teles e da classe em si) e caso sejam aprovadas, a ANCINE passa a ser o órgão regulador com poder de fiscalizar as empresas de streaming e inclusive aplicar multas e sanções, em caso de descumprimento das regras. E como aqui é Brasil não duvido nada que ele passe.

O que pode acontecer: em primeiro momento serviços pagos de streaming serão obrigados a inserir mais conteúdo nacional, deixar de destacar suas próprias produções desde que elas não sejam feitas aqui (como 3%), e plataformas de conteúdo como o YouTube poderão se tornar ainda mais restritas quanto ao conteúdo compartilhado (algo que já está acontecendo, devido a debandada dos anunciantes). Em última análise o custo operacional dessas plataformas irá subir, valor esse que será invariavelmente repassado para o consumidor que terá em suas mãos um produto caro e de pior qualidade, que o forçará a engolir conteúdo que ele em primeiro lugar não deseja assistir.

E sabe o que virá disso tudo?

Embora o público esteja acostumado à oferta de serviços de qualidade e com comodidade, fator que Gabe Newell sempre defendeu como a melhor estratégia para combater a pirataria o público não é besta, ele sabe o valor de seu dinheiro. Pagar mais por um produto de pior qualidade porque o governo brasileiro decidiu “proteger a hegemonia nacional” frente aos malditos ianques, como a história demonstra só trouxe consequências ruins para o país, vide a época da reserva de mercado.

O usuário vai preferir cancelar a assinatura desses serviços e voltar para a Locadora do Paulo Coelho a continuar pagando por algo de baixa qualidade e que foi transformado em uma vitrine ufanista por força de uma regulação governamental. Em última análise, é possível que Netflix e cia. limitada puxem o carro do Brasil porque sob essas condições seus negócios podem vir a se tornar inviáveis, e o governo ao invés de incentivar a produção nacional só vai conseguir estimular ainda mais a pirataria.

Mais uma vez, parabéns a todos os envolvidos.

Fonte: ANCINE (cuidado, PDF).

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Simples de resolver. Netflix pega os filmes da Atlântida e das Brasileirinhas.

    Pronto, resolvido

    • Maom

      Ou vc faz conteúdo nacional tipo “Comentando Breaking Bad”, um programa de auditório no qual um grande artista brasileiro vai comentar junto a plateia cada episódio da série. E começa com a Gloria Pires apresentando:
      “Boa noite auditório, hj vamos comentar sobre o episódio 4 da terceira temporada, vamos ver como ele ficou e depois comentar.”
      Passa o episódio na integra e no final ela volta para comentar junto do auditório.
      “Achei bacana! Obrigado por terem ficado com a gente, no próximo programa vamos comentar o episódio 5. Beijo e fiquem com Deus.”

      • Caio Barros

        Rapaz, isso pode ser uma bela saída!

        • Maom

          To ansioso pela nova temporada do programa do Tiririca comentando House of Cards Abestada.

          • major505

            Olha que tamo correndo risco real do Tiririca virar presidente interino, Ai termos o presidente do Brazil comentando House of Cards.

          • Maom

            Designated Survivor

          • nayara

            não caia na lenda de deputado mais votado estar na linha sucessória.

          • major505

            Se temer cair depois de um mês a camara tem que convocar eleições indiretas. Em teoria ele é tão elegivel quanto qualquer outro.

          • Gus

            Mução comentando o programa do tiririca que comenta house of cards.

      • Don Scopel

        Quando eu comecei a ler já imaginei q teria q ter a Gloria Pires rs

        • Pro Breaking Bad tem de ser a Glória Maria!

          • Maom

            Ela ia fumar os episódios. Tem que ser grandes artistas monossilábicos ou desinteressados.

      • Isso só nos mostra como o Silvio Santos é um homem visionário.

        • Antonio Menezes

          Não entendi…aconteceu algo parecido? O que?

          Pergunta inocente.

          • Foi só uma brincadeira com o fato do Programa Silvio Santos de domingo ser o “encapsulador” de várias séries na parte da manhã desde… basicamente sempre.

      • Udson Silva

        Mais ou menos um “Contos da Cripta” tupiniquim. Çei.

      • That’s pure evil. I liked it!

      • OverlordBR

        Tipo aquela porcaria de “Pipocando” que passa no Comedy Central?

    • Ivan

      ou tira conteudo internacional, como uma brilhante vereadora de Porto Alegre queria que 20% dos motoristas de UBER fossem mulheres, o que vc acha que iria acontecer?

      • Remover o conteúdo internacional será a solução. Não existe conteúdo nacional suficiente para atingir a cota disponível para licenciamento.

        • E o que vc acha que é a intenção?

        • nayara

          Existe, com a Globo Filmes. Daí só vai conseguir manter-se no país com um contrato desses, imagina o poder da empresa

          • A Globo Filmes SEQUER abre oportunidade para negociação com serviços de streaming. Ela monopoliza tudo em seus serviços próprios

          • James McBryan

            Ela quer mais é que o Netflix quebre.

          • A Globo não revende seus produtos para empresas concorrentes. Filmes da Globo são apenas para o Telecine Play e Globo Play.

          • nayara

            justamente por isso: dificultar a vida da concorrência.

    • Maezono

      e pornô chanchadas, aeuhaeuhuaehueah

  • Danilo

    All Hail, King Stremio and Queen Kodi-Quasar! kkkkk

    Gostei do post! Infelizmente, consigo sentir o cheiro de piratas só de pensar em tributação brasileira sobre serviços de streaming.

  • Tom

    Vamos ter que usar proxy pra assistir tralha no youtube se continuar assim.

  • Ana Lúcia Peluzzo

    Imagina o Crunchyroll, disponibilizando animes nacionais.

    • Caio Barros

      Existe anime nacional? Conheço algumas animações, mas nada em 2D como nas produções asiáticas…

      • Ana Lúcia Peluzzo

        Esse é o ponto…

      • Ivan

        É desenho não existe diferença de anime pra desenho, animação seja como queira chamar, é tudo DESENHO, se passar turma da monica ta valendo.

        • Não existe desenho brasileiro em quantidade suficiente para suprir a cota de vinte por cento. O serviço seria obrigado a remover quase que a totalidade do seu catálogo internacional para atingir a cota com a meia dúzia de animações brasileiras.

          • Ivan

            Sim, teriam que tirar material ou pagar para produzirem material, cartoon deve ter uns 4, 5 desenhos naiconais.

          • Exato. E como os estúdios de animação brasileiros demoram literalmente anos para produzir apenas uma temporada pro Cartoon, ficaria totalmente inviável para o Crunchyroll investir nessa área por aqui.

            Mas pelo menos seria uma oportunidade de finalmente termos um anime de Holy Avenger. 🤔

        • Caio Barros

          Tá certo, vamos chamar então Maga de HQ e light novel de Romance… São gêneros muito diferentes, traços diferentes, não dá para colocar tudo no mesmo saco.

          • Ivan

            Estilo é diferente mas não deixa de ser historias desenhadas em sequencia, qual diferença de um mangá pra revista da monica? é tudo revista em quadrinho, na moral é frescura falar que anime não é desenho.

            Pode ter genero diferente, pode ter traçao diferente mas muda o que? NADA.

    • Vai ser obrigado a sair do país. Não existe conteúdo nacional para o Crunchyroll.

    • Felipe Teodoro

      Quando eu li o nome deles na matéria eu pensei, como que eles vão colocar animes brasileiros?

    • Só fazer igual a band e botar uma gostosa de cosplay pra comandar o show e apresentando os episódios…

      • Leooo

        A crunchyroll ia dobrar o faturamento se adotassem essa medida!

    • Meu amado CR =/

      invisto no CR invés do Netflix e sou feliz e cheio de waifus lol

    • Gus

      Vão exibir aquela animação bem tosca de Holy Avenger.

  • Pedro Neto

    O tiro está saindo pelo Culatra…….quanto mais eu vejo , nos canais pagos que agora são obrigados a reproduzir as belas obras nacionais, incluindo as mais recentes, mais eu tenho vergonha de espalhar que sou brasileiro. É cada buesta que nem usando LSD dá pra ver e sem contar a qualidade do som que dá até pra ouvir o diretor peidando e sei lá o que mais….

    • OverPower

      O áudio dos filmes brasileiros realmente é a mesma M de 30 anos atrás.

      • pois é, cara!
        estava pensando nisso outro dia. como em uns 99% dos filmes brasileiros o áudio é uma bosta.

        • OverPower

          Isso acontece porque eles gravam com o microfone na cena. Um filme que presta os atores tem que refazer as falas na pós produção.

          • ADR é para produção de verdade, não filme estilo Zorra Total

  • Levi Leal

    Seremos obrigados a contribuir com uma coisa que não queremos (conteúdo nacional) pelo simples fato de foda-se.

  • Brasileiro é foda! Não podemos ter uma só coisa boa que acaba dando nisso…

    E eu que tava feliz com Netflix e Amazon Prime funcionando sem que as produções nacionais viessem me encher o saco. Ou alguém aqui assiste aqueles “seriados” (no sentido mais amplo da palavra) brasileiros que a Warner enfia na programação? Gogoni, no texto não fala nada de mudar os nomes das séries americanas não né? Se der mole da próxima vez que eu abrir o Netflix vai estar lá para eu assistir (como no Sony) “Anatomia de Grey”, “Como Construir um Assassino” e outras tranqueiras dessas…

    Já vi que vou ter que voltar a bater ponto na locadora de novo… Ou então o Netflix entende que o Brasil não é para principiantes e libera que a gente use VPN para acessar o conteúdo deles sem essa palhaçada da Ancine…

    • Hugo Marinho

      No Netflix já está “como defender um assassino”
      mano, os olhos sangram ao ver tamanha barbaridade.

      • PQP!!! Eu prefiro deixar o Netflix configurado no inglês, então não tinha nem visto que eles fizeram isso lá. MEO DEOS!!! Agora só falta dizer que tem um seriado chamado “Como eu conheci sua mãe”…

        • Rennan Lemos da Vinci

          Mano, eu tenho a impressão de que já fizeram isso!

      • Doomed

        “Agentes SHIELD da Marvel”

      • FrankTesl

        Bem que eles poderiam dar brhuerizada nessa determinação, “traduzindo” o título para “como se livrar de BO de morte”.
        House of Cards viraria “casa do baralho”,

  • Pingback: Propostas da ANCINE para o streaming no Brasil incluem regulação, tributação e cotas | Notícias Legais()

  • Monstro Medieval

    Poxa, estamos fazendo uma legislação com padrão europeu e reclamam?
    Nunca estão satisfeitos né?

    Sugestões:
    Netflix: parceria com Brasileirinhas e Youtubers, dane-se a qualidade do conteúdo nacional.

  • Outra coisa, isso não tem que passar no Congresso e tals não? É só por esse Conselho Superior de Cinema mesmo? Pelo menos nos políticos dá pra gente fazer um pouco de pressão popular… Nesses “artistas” e “protetores” da cultura brasileira não rola. Aposto que o Caetano aprova essa medida…

  • Mateus Azevedo

    1º de abril já não passou?

  • major505

    Eu tenho uma recomendação melhor: extinguir a ANCINE.

    • Maom

      Se vc colocar ancine de trás pra frente na vitrola vai ouvir o refrão “rede globo plin-plin”

      • Porque isso não beneficiaria nenhum outro canal, né? Tenho certeza que a Record e seus diretores fazendo parte da Bancada Evangélica no Congresso estão muito irritados com o que querem fazer com o Netflix

        • Maom

          Cara claro que beneficiaria a todas as operadoras atuais de tv aberta e fechada. Mas é inegável que a globo sozinha representa mais de 50% do mercado todo. Só estou resumindo.

      • Acho que a Globo tem seu próprio serviço pra exibir suas produções.

        • major505

          Que são todas nacionais. Então ela já paga pelo pato.

        • Maom

          E daí? Ninguem assina. A globo não esta perdendo consumidores pra ela mesma, está perdendo para a Netflix e similares.

          • De onde você tirou dados de que ninguém assina?

          • Maom

            Ah ta, preciso de uma pesquisa de campo para saber que “ninguém” assina globoplay. É como precisar de dados para saber que ninguém assiste rede tv e Gazeta.

          • Então tá.

    • É uma merda….

      Pra entrega de um mesmo VT, mesmo que seja alteração, exigem um novo número do ANCINE.

      Tudo pra arrancar o máximo de todos…

  • Ivan

    Toma no cu esse governo protecionismo só fode com as pessoas, tira oportunidade de termos produtos mais barato e de melhor qualidade pra sermos obrigados a usar o lixo nacional.

    Quero ver um fdp ainda defender isso.

  • Para o Netflix e Amazon restará apenas a opção de cair fora do país ou então reduzir quase que totalmente o catálogo de filmes e séries internacionais, pois não existe conteúdo nacional suficiente para atingir a meta de vinte por cento.

    Lembrando que a maioria do conteúdo nacional é pertencente à Globo, e ela não​ licencia o seu conteúdo para outras empresas.

    • radiobrasil

      Aí tambem queremos que a Globoplay inclua 80% de conteudo gringo… rss

    • Luiz Goulart

      Eles podem simplesmente sair do país e continuar cobrando como compra internacional, pra proibir isso só se o governo desse uma de china com o grande firewaal

  • Ivan

    Só enxer de stand up brasileiro já tem varios.

  • Christiano Nascimento Amorim

    e logo hoje que o extratorrrent morreu…

    • Hugo Marinho

      tem o yts . ag (:
      Particularmente, acho um ótimo site. rs
      E tem um de um alien que não lembro o nome agora.

    • DumbSloth87

      RARBG is life!

  • Como sempre as instituições brasileiras ao invés de fomentarem criação de conteúdo nacional, preferem atrapalhar quem traz bom conteúdo de fora. Protecionismo vem desde a época da ditadura, e oque a gente ganhou com isso? Pornochanchada. Tem que deixar as produções nacionais competirem com as de fora, só assim pra criarem conteúdo relevante.

  • tuneman
    • Hugo Marinho

      Mano, ainda existem locadoras nesse Brasil ?

    • Não vejo problema em cobrar impostos. Imagina que legal se fosse cobrado uns 5% de impostos para produtos “culturais” e nessa entra os games de console. Eu pagaria 1 real a mais no netflix na forma de impostos e ter jogos de xbox novos por 130 reais.

  • Ivan

    Imagina agora os “DoCUmentarios” que sairão, “A cirando com o dedo no cu – Um outro olhar sobra as necessidades humanas”

    • Macaquinhos – O Filme

    • OverlordBR

      Ou aquele daquela mina pelada correndo como uma retardada

  • niltonql

    Fazem uma merda de proposta dessas que não agrada ninguém (até os produtores nacionais devem se sentir desprestigiados com a muleta que ganhariam) e ainda dizem que se basearam em uma pesquisa. Só se essa pesquisa foi feita com intelectuais comunistas.

  • Já citei um exemplo cíclico da TV…. que vai regulamentando, reformando, regulamentando, refazendo… e acabaremos com a velha TV novamente….

    …é o que querem fazer com o streaming: transformar em TV pra controlarem tudo o que assistimos… de novo.

  • Cássio Amaral

    Falam que Anarquia não funciona, mas no Brasil eu sinceramente tenho dúvidas. Não sei se seria pior ter governo algum do que ter esse governo maldito que só nos oprime com burocracia, impostos e regulação. Estado no Brasil só serve para atrapalhar a vida do cidadão.

    • DanielBastos

      Depois de uma dessas, da pra repensar …..

  • Marks William

    Quando eu penso que vamos avançar, a carta do protecionista aparece e temos que retroceder algumas casas.

  • Andrė Agostinho

    Pelo menos vamos ver o filme do Pelé.

  • DanielBastos

    Se eu fosse a Netflix colocava uma categoria “Obrigatório da Ancine” e deixava feder.

    • Lucas Linki

      Por favor, seja o Netflix.

      • Luiz Goulart

        Pode produzir só bosta mesmo, tipo um documentário de 6 horas com a grama crescendo

        • James McBryan

          Tem uns vídeos no Youtube de barulho de chuva por 10hs. Fala que a chuva é nacional e tá tudo certo.

  • Acho 20% pouco. Tem que enfiar mais no rabo do brasileiro pra ver se aprende a deixar de ser otário

    • Nick234

      #SomosTodosOtários

  • Uma “solução” também seria a Netflix fazer um contrato com a Rede Tv e assim herdar todas as novelas e séries que a Tv Manchete produzia. Todo mundo ganharia: A Netflix teria parte da cota nacional dela e o público teria a cota de peitinhos garantida.

    • radiobrasil

      Será que existe acervo da Manchete? Lembro que Silvio Santos quando exibiu Pantanal comprou de um “terceiro”… não lembro direito, mas não estava sob dominio da Rede Tv.

    • Vitor RV

      Os donos da RedeTV! compraram apenas as concessões dos canais da Manchete, não a emissora em si. Essa foi repassada a uma tal de Hesed Participações que acabou falindo, e tudo que era da Machete passou a ser leiloado pra pagar as dívidas (Pantanal, p. ex. foi vendida ao SBT). A exceção foram as novelas produzidas a partir de 1995, que não eram da Manchete, mas de uma produtora chamada Bloch Som&Imagem (Xica da Silva, Mandacaru, Tocaia Grande).
      Tanto que a venda foi feita em maio de 1999 mas a RedeTV! foi ao ar apenas em novembro daquele ano pois os novos donos tiveram que gastar algo em torno de R$ 100 milhões para montar a nova emissora (até então eles tinham uma produtora chamada TV Ômega, que produzira alguns programas que eram exibidos na Manchete, foi por meio dessa produtora que eles compraram as concessões).

      • Bah, pensava que era tudo a mesma empresa. Muito bom saber. Deve ser por essa dificuldade então que nenhuma empresa comprou os direitos desse conteúdo ainda. É uma pena, pois tinha muita gente que gostava dessas novelas da Manchete. A empresa que conseguir esses direitos irá fisgar muita gente com a nostalgia.

  • Paulo Henrique Duarte

    Inacreditável.

  • Felipe Lino

    Youtubers são bem influentes no Brasil, o pessoal que é fan faz tudo que eles mandam. Vamos ver se vão se “rebelar” contra essa causa. Acho que da uns protestos grandes.

    • “formadores de opinião”

    • HAUSAHUSAHUSAHUASHSUAHAHAHAHAHAH

      Você é adorável. Preciso lembrar que filmes de YouTubers ganham verba governamental?

      • Felipe Lino

        A é. Tem centenas de You Tubers fazendo filmes. Não é uma minoria contada nos dedos não.

      • Ivan

        Internet- O filme hauheauehauehaueah

      • Flávio Pedroza

        Outros ganham dinheiro do governo para fazer propaganda dele.

  • Jefferson Viana

    Ta certo ora,proteger interesses nacionais, criar emprego no brasil o máximo, possível, Trump é nosso profeta,brasil em primeiro lugar , empresas estrangeiras tem que gerar riquezas que fique no brasil

    • Ivan

      Make Brazil great again.

    • Ivan

      Só tira uma duvida, tá zoando né?

      • Jefferson Viana

        Imagine o que Ivan, o terrível não faria pra fazer a russia grande novamente?

        • Mataria mais pessoas e quem não fosse morto seria mandado pra Sibéria, que nunca foi invenção de comunistas.

          • Ivan

            Mas os comunistas souberam usar muito bem.

          • Jefferson Viana

            Exato, e como ele era o escolhido de Deus e defensor da cristandade ele tinha direito divino de fazer o que fazia.

  • Inquisidor

    o Crunchyroll ta fodido se tiver que por 20% de animes brasileiros inexistentes , o brasil fede CC , feijoada nada acontece.

    • Ivan

      pq deveria ser anime? desenho da monica tbm poderia entrar.

  • A explicação para essas ideias cretinas da ANCINE é que ela é controlada pelo PCdoB. Comunista só pensa bosta. Tenho experiência. Já fui um.

    • Ivan

      ERA.

  • Andrey Castro

    Tchau Netflix, tchau Amazon prime. Bem vindo de volta Manicomio Share.

  • Maezono

    eu sabia que essa consulta seria inútil.

  • LV

    Arruma 3 caras, coloca R$15.000 na mão deles e fala: preciso de um filme por semana.

  • Jonas Martins

    Aprovando isso e com a ancine na fiscalização, vão pagar propina pra ancine pra deixar do jeito q tah sem levar multa. E assim o Brasil segue…

  • Rafael Rodrigues

    Sério que só 0,8% do conteúdo do Netflix é nacional????

    Pelo menos o Netflix e o Spotify que rodam nos meus dispositivos têm seguramente 20% de conteúdo nacional…

    • Na Netflix em si o volume estimado é de cerca de 2% de conteúdo nacional. Para chegar nos 20%, ou ela aumenta MUITO a compra de material de produtoras nacionais, ou reduz o catálogo “de fora” (ou as duas coisas ao mesmo tempo). E, claro, o preço aumenta e a qualidade do que é ofertado cai, pois vão colocar qualquer porcaria que tiver à mão para poder cumprir a cota

  • Maximus_Gambiarra

    Winderson conta como produção nacional?

    • Ivan

      pelo jeito vai ter que contar.

  • Diego Berlezi Ramos

    E depois tem gente que aparece para falar da censura e da reserva de mercado que vigorava na época dos militares. Para mim, isto é muito pior, pois restringe cada vez mais o acesso da população a estes serviços.

  • Vão lotar os serviços de streaming com produções naturalistas com crítica ao capitalismo e opressão.

  • Francisco Cunha Neto

    Eles não esquecem nada, mas, o pior não aprendem nada.

  • ElGloriosoRangerRojo™

    E qual foi o resultado da consulta pública da ANCINE?

    No mais, se isso realmente rolar, eu cancelo o NETFLIX e volto pro torrent mesmo. São 22,90 a menos sendo tirados do meu bolso. A NETFLIX perde um cliente, mas eu me recuso a colocar um centavo no bolso dessa agência.

  • Nem ficaria espantado se, no meio dessas, surgisse uma proposta ou emenda para FORÇAR a oferta de conteúdo nacional em horário nobre: das 20h às 22h só conteúdo nacional estaria disponível, e todo conteúdo “de fora” ficaria bloqueado e não poderia ser assistido. 😛

  • Felipe Cotta

    Quando o Estado se mete demais nos assuntos só faz merda.
    Este negócio de protecionismo só vai fazer as empresas desistirem do Brasil, eu sou é a favor de acabar com ANCINE, afinal para quê ela serve. Vai economizar uma grana.

  • OverlordBR

    Não vejo a hora de ver uma versão cinematrográfica do espetáculo Macaquinho no meu Netflix.

  • Thiago B

    Extinção da ANCINE é a melhor opção.

  • Smartfox

    E ainda tem idiotas que morre de felicidade pela Ancine apresentar projetos para a redução de impostos sobre os Jogos Eletrônicos no Brasil.

    Até parece que eles querem fazer isso pra favorecer o nossa felicidade. Eles só vão tirar uma lei que aumenta 70% de impostos e criar outras 7 que cobram 10% de imposto cada uma, conforme os anos se passarem eles vão aplicar as mesmas medidas nas lojas digitais. Ai você fica imaginando como vai por 20% de conteúdo nacional no GOG e no Steam!?

    Eu, no lugar do CEO da Netflix, Amazon, YouTube, cairia fora do Brasil. Só com essas empresas boicotando nosso mercado para ter mudanças, assim o povão que assina esses serviços e não costuma saber nada sobre essas notícias, ficam sabendo.

    Somos poucos, os que se mantém informado sobre esses assuntos. O resto da população ta ocupado demais rindo de memes no facebook.

  • dclobato

    Sempre me perguntei, e perguntei a outros também, mas não tive resposta. Essas limitações se aplicam aos Netflix e YouTube da vida porque eles tem escritórios no Brasil, e por tanto estão sujeitas às leis brasileiras, certo? E SE eles tirarem as representações do Brasil? Seria como “importar um serviço”. A lei brasileira os alcançaria? Seria igual querer aplicar o código de defesa do consumidor a uma compra feita na Amazon, não?

    • Se a empresa, mesmo que não tenha escritório aqui fornece o serviço ao Brasil é obrigada por lei a seguir as regras daqui.

      Caso não queiram se adequar a solução é não fornecer mais nada para o Brasil.

      • dclobato

        Então, no limite, eu poderia invocar o código de defesa do consumidor numa compra da dealextreme, por exemplo?

        Eu acho muito estranho isso: o cara não atua legalmente aqui, por que teria que se adequar à legislação daqui? Quem foi atrás dele foi o consumidor…

      • Ivan

        Mas se alguem criar uma conta americana por exemplo e assistir aqui isso ainda vale?

  • Leon Rocha

    Isso ta virando uma Coreia do norte!

  • Cacio Frigerio

    Discordo totalmente do autor. Eu era um cara que era contra a cota de produção nacional em canais de TV fechada. Quando entrou em vigor, foi uma grata surpresa. Primeiro que fomentou MUITO o setor, toda a cadeia se beneficiou e garantiu emprego para muita gente aqui. Segundo que a qualidade dos programas nacionais me surpreendeu positivamente.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis