ad

Rumor: a Google Assistant pode estar a caminho do iOS

O Google, nós sabemos não se preocupa muito com a funcionalidade de suas ferramentas em plataformas concorrentes, desde que elas estejam presentes e possam ser utilizadas (e rendam dinheiro, claro). A Apple sempre prezou para que suas próprias soluções, mesmo as que não funcionavam direito (né Apple Maps?) tivessem acesso exclusivo à integração em seus dispositivos, enquanto os produtos da concorrente que funcionam de forma orgânica no Android são tratados como meros apps no iOS.

E isso é exatamente o que pode acontecer com a Google Assistant, que segundo rumores será o próximo aplicativo do Google a ser lançado para o sistema móvel da maçã.

De acordo com fontes próximas ao Google, a companhia pretende revelar o lançamento de sua assistente virtual para o iOS durante a conferência Google I/O 2017, que começa amanhã e vai até sexta-feira. Nela é normal a gigante das buscas apresentar uma série de novidades para o Android, desde as primeiras informações sobre a futura versão do sistema a outras particularidades e produtos, e este seria obviamente o palco ideal para revelar uma nova “parceria” de negócios com Cupertino. A princípio e como é de praxe a Assistant estaria disponível apenas nos Estados Unidos, em uma data ainda a ser revelada e os poucos seria liberada para os demais mercados onde já está presente (você não, Brasil).

Só que como era de se esperar a Google Assistant não será mais do que um app, que deverá ser acionado manualmente cada vez que o usuário tiver intenção de usa-la. A integração com os iPhones e iPads permanecerá agora e sempre exclusividade da Siri, algo que a Apple não abre mão em hipótese alguma e sendo sincero, o Google nem está preocupado com isso. Para a companhia é melhor ter sua solução disponível no máximo de plataformas possível, ainda que com funcionalidades limitadas do que não lançar de maneira alguma.

Ela até mesmo esteve disposta a pagar (e caro) para que o Google Search permanecesse como o motor de busca padrão do iOS, algo que só foi aceito porque a Apple não possui uma solução própria à altura (o mantra da experiência de uso permanece) mas nem por isso ela deixaria de faturar uns muitos cascalhos em cima da rival. E Mountain View pagou rindo, para uma empresa cujo mais de 90% de sua receita vêm de anúncios, boa parte deles exibidos pelos motores de busca US$ 1 bilhão é troco de pinga.

Claro, há de se levar em conta que tais informações são rumores e não há nada concreto; só teremos a certeza do que o Google pretende amanhã, quando a I/O 2017 começar mas há de se convir que o movimento faz sentido: com o SDK liberado para desenvolvedores adaptarem a Assistant em diversos dispositivos, é de se esperar que o iOS de fato acabe recebendo a rival da Siri e reserve um puxadinho para ela em sua casa.

Fonte: Android Police.

Relacionados: , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • jairo

    Resumindo , ainda não sabemos , e isto é ótimo

  • Fabrício Roque

    “Para a companhia é melhor ter sua solução disponível no máximo de plataformas possível, ainda que com funcionalidades limitadas do que não lançar de maneira alguma”

    Mais ou menos né? Google fazia questão de não investir nem um centavo no Windows Phone.

    • Rodrigo de Melo

      Exato. Mesmo quando o WP se tornou relevante nos mercados latino-americano e europeu, o Google não só moveu um dedo sequer para estar na plataforma, quanto ainda impediu outros de levarem seus serviços para lá.

      O app do YouTube que a Microsoft desenvolveu, o Google inventou de tudo pra não deixar a Microsoft publicá-lo, mesmo havendo 50 apps third-party na loja que violavam todos os termos que o Google queria que a MS cumprisse e mais alguns. A Microsoft até anunciou que estava trabalhando com o Google num app novo, mas como esperado, nunca saiu nada.

      Google sabia que sem seus serviços o WP teria ainda menos chance de competir com o Android um dia.

      • tuneman

        sei que o Google tem sua parcela de culpa, mas pimenta no zóio dos outros é refresco.
        em sua história a Microsoft tambem fez muitas “jogadas desleais” de mercado.
        Isso é livre mercado…. Ou espera que a uniao européia obrigue o Google a re-lançar uma linha Nexus com Windows Mobile?

    • B4klaudio

      Porque ele nunca considerou o Windows Phone como uma plataforma.

    • “no máximo de plataformas possível”

      Windowsphone Mô-rreu

    • Fabrício Roque

      You’re missing the point. O autor argumenta que o Google tem um plano de se espalhar por todas as plataformas que puder, se isso der dinheiro. Isso não é verdade. Ela fez o que pôde para enterrar o Windows Phone enquanto este era vivo. Ela só não pode fazer isso com o iOS porque não dá conta.

      Já que não pode liquidá-los, junte-se a eles.

      Aliás, mesma estratégia da Microsoft de uns tempos pra cá. Sempre foi uma empresa centrada no próprio umbigo. Viu que Windows Phone não ia ter futuro e virou “MS paz e amor”, “todos nossos softwares onde você precisar”.

      • DiMais

        e a Apple chutando a bunda do Google o quanto pode… os mapas foram um chute e a Siri usando o Bing como motor de busca foi outro!

    • Gaius Baltar

      Windows Phone era traço de marketshare. O Google já tinha o Android com uma base grande, mas com penetração muito dispersa. O filé do mercado publicitário está no iOS, pois em geral é um público com maior poder aquisitivo, e para o Google o que interessa é ter público-alvo para seus anunciantes.

  • Raposão do Ártico 🦊

    MS e Google levam seus produtos para o iOS

    E ainda tem gente que acha que o iOS não “domina” os smartphones.

    • Ivan

      Não vejo sentido em não levar seu app pra outra plataforma, ainda mais se é uma com grande base de usuarios

      • DiMais

        nesse aspecto até a Microsoft entendeu como o mundo funciona, ter um ecossistema inteiro funcionando independente de SO é mais vantajoso e lucrativo do que se fechar numa bolha tentando trancar o usuário nas suas soluções proprietárias!
        cada empresa fornece algo melhor que a outra em algum aspecto e poder conciliar tudo isso independente de dispositivo e sistema operacional é o mais inteligente a se oferecer para o consumidor.

        • Gaius Baltar

          A questão que o Raposão colocou é que os usuários do iOS têm todas as funcionalidades nativas MAIS as funcionalidades fornecidas pelas apps do Google e da Microsoft.

          • DiMais

            sim, mas a questão que me refiro é a do Ivan: não tem problema levar suas soluções para outras plataformas.
            são 1 bilhão de dispositivos da Apple, 1 bilhão de Androids e meio bilhão de Windows 10… é gente pra caramba pra ser ignorada.

          • Gaius Baltar

            Você se refere ao Windows 10 desktop ou Windows 10 Mobile?

          • DiMais

            Windows 10, apenas!
            a Microsoft não separa esse meio bilhão por celular, pc, vídeo game, geladeira…. é apenas Windows 10.

          • Gaius Baltar

            Temos que ter em conta o perfil das 3 empresas:
            * A Apple vende hardware, então para ela é menos fulcral quem provê o software, sendo que os serviços são um receita cada vez maior na sua atividade.
            * O Google vende anúncios, logo para ele é fulcral estar no maior número de plataformas possível. Se você falasse em Windows 10 Mobile então poderia não valer a pena à empresa de Mount View investir na plataforma, já que teria de portar os apps e manter servidores dedicados e ter pouco público para oferecer aos anunciantes. Já no Windows 10 desktop o Google não precisa criar apps para ele, pois todos os seus serviços funcionam via browser. Para o Google não interessa tanto o software ou o hardware, desde que seus serviços possam funcionar.
            * A Microsoft é basicamente um empresa de software, ainda que venda hardware através do Xbox One (mas com pouca margem de lucro) e com linha Surface (que ainda não tem um peso significativo do mercado). Os serviços são ligados ao suporte de software (Office 360, Skype, Outlook), mas onde a Microsoft ganha mesmo é nos grandes clientes corporativos que usam os seus serviços basicamente porque os softwares de Redmond são os mais utilizados profissionalmente. Logo a Microsoft precisa que seus programas sejam os mais utilizados, mesmo em plataformas diferentes.
            Resumo: Google precisa de gente para ver propaganda, independente da plataforma. Microsoft precisa de gente para usar seus programas, independente da plataforma. A Apple não precisa de ninguém, mas agradece que as outras forneçam serviços e apps para seus aparelhos, desde que não concorram com os serviços nativos pagos da Maçã.

    • LV

      Leva pois são as maiores e possuem os melhores produtos.
      Quem iria instalar um Apple Maps, um Itunes ou qualquer outra coisa dessas em um Android ?

      • Apple Maps? pra quê? eu vivo no Brasil (que lástima…) não em Mordor… =P

      • Raposão do Ártico 🦊

        e desde quando os apps se resumem ao apple maps?

        só mostra a tua ignorância

  • Pingback: Rumor: a Google Assistant pode estar a caminho do iOS | Notícias Legais()

  • “hey Siri, call the Google Assistant…”

    pronto, próximoooooo

  • Danilo

    Legal, usuários do iOS terão o Google Assistant antes do meu Android 6.0 🙁

    • Gaius Baltar

      Como utilizador das 3 (?) plataformas já me acostumei em ter algumas coisas mais bacanas do Google no iOS que no Android. É triste constatar isso, mas é verdade.

  • DiMais

    “Para a companhia é melhor ter sua solução disponível no máximo de plataformas possível, ainda que com funcionalidades limitadas do que não lançar de maneira alguma.”, desde que não seja o Windows 10.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis