Rally Fotográfico – Um dia você vai participar

Fotografar é muito bom. Fotografar por prazer e em grupo é melhor ainda. Atividades que tragam a possibilidade de unir fotografia e convívio social são muito bem vindas. Com a revolução da fotografia digital, muitas pessoas têm descoberto o prazer de fotografar. Junto a isso temos a criação de atividades que visam o incentivo à atividade fotográfica e a inter-relação com outros assuntos. Como o meio ambiente ou a preservação do patrimônio histórico. Usando a questão ambiental, já participei de Safáris Fotográficos. Aqui, o objetivo é capturar imagens da natureza em expedições a parques ou locais onde a natureza esteja preservada. Garanto que é bem melhor do que caçar. E no dia de hoje, domingo, participei do primeiro Rally Fotográfico de minha vida aqui na cidade de Presidente Prudente.

A idéia é comemorar o aniversário do município, no dia 14 de setembro, com uma exposição fotográfica sobre aspectos específicos da cidade. Valorizar coisas que passam despercebidas da vida urbana. A idéia partiu do pessoal do Fotoclube Prudente e que logo foi abraçada pela Secretaria de Cultura da cidade. Nesse primeiro evento (que pode muito bem se tornar anual), alguns fotógrafos foram convidados a participar. Segundo as regras, todas as fotos deveriam ser produzidas entre as 16:00h do dia 29 de agosto e as 16:00h do dia 30 de agosto. Os participantes deveriam entregar as imagens em formato digital e já editadas para o tamanho indicado da ampliação entre as 16:00h e 18:00h do dia 30 de agosto no Centro Cultural Matarazzo. Ou seja, paulera total.

Cada fotógrafo convidado deveria entregar no mínimo 5 fotos, sendo que cada uma deveria contemplar um dos assuntos a seguir: Esportes, Arquitetura, Lazer, Família, Noite, Cultura, História e Rural. Pode parecer uma coisa fácil, mas foi necessário espremer o cérebro para conseguir cumprir a cota. Mesmo conhecendo a cidade e já tendo uma leve idéia do que fazer, foi preciso muitas experiências para chegar ao resultado esperado. Em 24 horas, sai de casa quatro vezes para fotografar, e mesmo assim entreguei as imagens faltando 5 minutos para terminar o prazo.

Mas, porque isso é importante? Em primeiro lugar, o cidadão não tem conhecimento ou se importa com sua história ou com o patrimônio público. Por isso que tantas áreas de convívio social são pichadas e depredadas. Fazer com que as pessoas reflitam através das imagens que vão ficar expostas é uma pequena contribuição de nossa parte para a conservação desses locais. Um segundo ponto importante é a questão do patrimônio histórico. Mostrar que ele existe e precisa ser protegido também é um de nossos objetivos. E por último, mas não menos importante, a coisa toda foi muito divertida. Essa foi a primeira experiência desse tipo que participei, mas essa categoria de atividade tem se espalhado com muita freqüência por várias partes do país. Se você gosta de fotografia e tem espírito de desafio, então essa é sua praia.

Veja abaixo algumas imagens feitas nessas 24 horas de loucura.

 

 

Equipamento usado: Canon EOS 30D, Sigma 70-300mm, Canon 28-90mm, Canon 50mm.

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar
  • http://prasetorar.spaces.live.com jose alves de oliveira neto

    Muito interessante, no dia 1 de agosto participei de uma expedição fotográfica aqui em Recife. Fizemos uma viagem de trem até a cidade do cabo (fica a 50km). Foi organizado pelo FotoPE, grupo de fotografos que conseguiu reunir 90 pessoas interessadas e 58 presentes, pois a noite do dia anterior e a manhã do dia foi de chuva. O resultado foi um grande entrosamento do grupo e pela organização da fotografia em pernambuco. os registros (3 de cada, tema livre) foram publicados em um grupo no Flickr, e apresentados no dia mundial da fotografia, último 19, em evento específico. Sua experiência foi bem interessante, estou divulgando no FotoPE.