Novo caso envolvendo Facebook demonstra que nada é preto e branco, nem mesmo suicídio

7-yfd6jg6

O grande “debate” na mídia polemizadora atualmente é se séries como a tal 13 Reasons Why conscientizam ou promovem suicídio. Pessoalmente acho que a série coloca toda uma série de péssimas idéias na mente dos jovens, principalmente usar fitas K7 em 2017 (sorry, James Gunn).

A questão do suicídio não é novidade fora da ficção, e a internet contribui para algo que até então a mídia séria e respeitável havia feito um pacto para não divulgar. Sim, crianças, pessoas se matam pulando nos trilhos do metrô e se jogando de pontes, mas isso não era divulgado, por um motivo simples: atrai imitadores.

Com a internet todo idiota com um celular corre pra fotografar um sujeito esmigalhado na estação, posta no zapzap pra virar o centro das atenções e acaba contribuindo com a morte de outras pessoas.

O Facebook tem sido acusado, com razão, de dar espaço para suicidas que juntam centenas, às vezes milhares de espectadores. Isso é ruim, e não só por demonstrar total falta de humanidade por parte de quem assiste sem fazer nada, mas também pelo efeito imitação.

Então o Facebook deveria bloquear imediatamente esses perfis caso o sujeito comece a transmitir o próprio suicídio, certo?

Nem tanto.

Uma adolescente em Atlanta fez uma Live pelo Facebook onde tomou comprimidos, enfiou um saco plástico na cabeça e se enfiou em uma banheira. Os amigos começaram a ligar pra 911, mas como eram amigos de Internet ninguém sabia onde ela morava.

57e3cd0ab36a35efd3a8d40507771fdb

A sargento Linda Howard assumiu o caso, descobriu a escola da menina, lembrou que tinha um sobrinho lá. Eles eram amigos. O sobrinho confirmou que o vídeo era real (estava restrito a amigos) e rapidamente a sargento conseguiu três endereços prováveis, despachou viaturas e conseguiram achar a menina ainda com vida, a Life ainda não tinha sido encerrada (acharam que eu não faria esse trocadilho?).

A maior dificuldade de polícia e bombeiros é chegar nas tentativas de suicídio antes que eles se concretizem. Se um profissional consegue conversar com a pessoa, as chances são boas que seja convencida a não se matar. Se o Facebook tivesse bloqueado a Live da menina ela teria morrido.

O Facebook defende essa postura de manter os vídeos no ar, enquanto houver chance de identificar e/ou dissuadir o suicida. Outros acham que o dano causado é maior. A grande questão é que não é matemática: são vidas, uma real versus várias hipotéticas, e se há uma coisa que eu aprendi é que nesse caso as necessidades da maioria NÃO se sobrepõe às necessidades da minoria. Ou de um só.

Fonte: Associated Press.

Relacionados: , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples