Depois da Fox fora da Netflix, conteúdo da HBO sairá do Amazon Prime Video em 2018

hbo-amazon-prime-video

Quando o streaming chegou para desbancar a farra das operadoras de TV a cabo, que vendiam pacotes de canais diferenciados e exigiam outros planos para liberar o filé, todo mundo viu na Netflix e similares uma opção para assistir suas séries, filmes, documentários e outras atrações num só lugar a um preço camarada.

Só que a realidade é cruel. Os estúdios perceberam que ao invés de licenciar suas produções para os serviços de terceiros é muito melhor elas próprias criarem seus canais, mantendo suas pratas da casa sob seu controle direto, e assim a balcanização da TV migrou para a internet.

Hoje além dos agregadores Netflix, Hulu e Amazon Prime Video os principais estúdios possuem seus canais de distribuição online, que conservam suas produções e de vez em quando negociam as obras com terceiros. A Fox possui um canal só para Os Simpsons e outro, o Fox Now para suas demais produções e que são ligados aos planos de assinatura dos pacotes de TV. A Sony possui na PSN o seu canal de streaming (Powers) e a CBS também tem o seu, que exibirá Star Trek: Discovery (quando estrear, o que ainda não tem data; é complicado); a Microsoft teria o seu serviço com produções próprias, mas desistiu.

A HBO, que possui o Now recentemente desatrelou o serviço da assinatura da TV, e por isso mesmo começou a considerar a possibilidade de trancar suas séries exclusivamente e concorrer com os demais pelo conteúdo exclusivo e de qualidade. O problema: muitas de suas obras estavam disponíveis no Amazon Prime Video, algo que não era lá muito bom para os negócios.

Assim sendo, o CEO da HBO Richard Plepler confirmou em uma reunião com acionistas sobre os resultados financeiros do primeiro trimestre que a partir de maio de 2018, suas séries não mais estarão disponíveis no serviço do agora concorrente Jeff Bezos e permanecerão exclusivas do canal e dos serviços Now e convenientemente, DirecTV Now (a Time Warner, dona da HBO foi adquirida pela AT&T, que também possui o referido canal).

fox-netflix

Esse não é um movimento isolado: a Fox também não renovou contrato com a Netflix e séries como How I Met Your Mother, Prison Break e Sons of Anarchy, entre outras deixarão o serviço de Reed Hastings em breve. Embora o motivo não seja claro em ambas as ocasiões é evidente que os estúdios desejam acima de tudo colocar todos os ovos numa cesta só e promover suas próprias soluções de streaming; em fevereiro o HBO Now atingiu a marca de 800 mil assinantes e olha que ele não é global, já que poder assistir Game of Thrones ou Westworld em qualquer ocasião é algo que muita gente adoraria.

Claro que há exceções: a Disney por exemplo mantém um contrato de exclusividade com a Netflix nos Estados Unidos mas a regra hoje são os serviços de streaming investirem em produções próprias, exatamente para não ficarem sem conteúdo por conta de uma mudança de humor dos parceiros. A Amazon Prime Video possui um excelente catálogo, indo de The Grand Tour a O Homem no Castelo Alto, já a Netflix nem se fala e tanto uma quanto a outra estão investindo pesado em novas séries, filmes, shows e documentários.

O grande problema é que isso não é um cenário ideal para o consumidor. Ao invés de contar com apenas um serviço ele será obrigado a assinar uma série deles para assistir o que quer, vai ter gente pagando o tio Bezos só para assistir os três patetas petrolheads ou à HBO para ver a Dolores, algo não muito diferente de quando pagávamos um extra para a operadora de TV liberar o sinal da Sony ou da só por um outro show.

Em última análise nem todo mundo tem tanto dinheiro assim, e a balcanização ao invés de prestigiar os canais das produtoras acabará levando ao aumento da frequência de visitações à Locadora do Paulo Coelho. Os usuários manterão nas finanças um, no máximo dois serviços e apelarão para fontes alternativas para consumir as atrações dos demais. Pode até ser que a estratégia de trancar tudo até potencialize as assinaturas entre aqueles que não querem as complicações da pirataria, mas que o número de downloads ilegais vai aumentar é certo.

Fonte: Digital Trends.

Relacionados: , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples