Nova geração de cartões com leitor de digitais da MasterCard é ridiculamente simples

Segurança de dados é um mantra forte hoje em dia, e nem falo apenas de grandes empresas que precisam proteger informações proprietárias e/ou de seu usuários (ouviu Yahoo?). A tecnologia do dia a dia é igualmente importante e crítica, e pensando nisso muitas funções hoje requerem não senhas, mas impressões digitais.

Por isso mesmo que a MasterCard está trabalhando para levar a biometria para um de nossas ações mais corriqueiras, implementando leitores de digitais nos cartões de crédito/débito.

A tecnologia foi demonstrada pela primeira vez em 2014, através de uma parceria entre a operadora e a empresa de tecnologia Zwipe. Na época o cartão utilizava NFC e por causa disso dependia de uma carga periódica para funcionar, o que convenhamos não é lá muito prático. De lá para cá os cartões com biometria evoluíram bastante, e se baseando no conceito “menos é mais” a MasterCard apresenta agora a nova geração, que está em fase de testes na África do Sul.

O novo cartão com leitor de digitais é exatamente igual aos normais com senha, sendo o sensor a única adição. O cliente precisa fazer um cadastro biométrico junto ao banco e cadastrar as digitais (no máximo duas, como já ocorre nos caixas eletrônicos), e as informações ficam armazenadas diretamente no chip EMV. Para funcionar o cartão utiliza energia da própria maquininha e a autenticação é local, não mais necessitando entrar em contato com o banco via telefone (apenas após a autenticação). Com isso a liberação da compra é muito mais rápida e do lado do comerciante, como o cartão é pouca coisa mais espesso a maquininha não precisará ser substituída ou mesmo atualizada; o chip resolve tudo (claro que haverão casos em que a compra poderá não ser liberada, mas isso é uma outra história).

Tal tecnologia seria rapidamente adotada por aqui, visto que abraçamos o EMV com extrema vontade (culpa de nosso passado tenebroso, a inflação galopante fez nossas instituições evoluírem anos-luz além de muitos países civilizados) mas por outro lado, poderia ser muito importante para alavancar a adoção do chip nos Estados Unidos; lá o uso dos modelos com fitas magnéticas ainda é grande e há muita resistência por parte dos comerciantes, que não querem/não podem se atualizar por n motivos.

A MasterCard estuda expandir os testes na África do Sul nos próximos meses para então levar a novidade para a Europa e região Ásia-Pacífico. A expectativa é lançar o novo cartão com biometria até o fim do ano.

Fonte: MasterCard.

Relacionados: , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Nos EUA levam seu cartão para passar no sistema deles, geralmente o mesmo que faz os pedidos, acho que isso impede um pouco também, eles não tem os terminais para levar nas mesas de restaurante e bares, por exemplo. Por outro lado, isso permitiria digitar a gorjeta diretamente na máquina e acabar com alguns problemas que acontecem por lá às vezes.

    • Diego

      Sério que eles não usam as maquininhas móveis? o.O

      Teve um “causo” curioso, lembro de quando fui para a Dinamarca, na minha primeira noite lá fui a um restaurante e após jantar, pedi a conta. O garçom veio com a conta e a máquina, deixou-as na minha mesa e voltou para o caixa. Fiquei uns minutos esperando o dito cujo, como ele não voltou, fui até o caixa e disse que estava tudo correto. Então ele pediu para eu mesmo fazer o pagamento, pegar a máquina, digitar as coisas ali. Foi muito estranho, ele ficou apenas olhando para mim enquanto eu fazia todas as operações (numa máquina em dinamarquês).

      • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

        Em alguns restaurantes aqui eu mesmo faço, aonde conheço os donos, é até mais rápido que os garçons, gosto de fuçar nesse tipo de coisa.
        Nos EUA trazem a conta pra você conferir, aí levam a conta e seu cartão, passam no sistema deles, e vem um papel pra você assinar e colocar o valor da gorjeta à caneta, aí vc pode ir embora, vc não digita a senha e quase ninguém tem cartão com chip lá, e o garçom volta lá no sistema dele e coloca o valor da gorjeta, que se for de má fé ele pode colocar o quanto quiser, é difícil mas acontece…
        Você tem a sua via mas aí é aquela briga com a empresa de cartão se acontecer algo… Eu nunca tive problema em 4 ou 5 viagens que fiz, mas sempre dou entre 12% e 15% de gorjeta, o normal lá é entre 15 e 18%, e o povo dá mesmo que o serviço seja ruim, tipo aqui, é difícil alguém não dar.

        Edit: As exceções nos EUA são lojas, farmácias, mercados, lugares que tem algum tipo de caixa, nesse caso tem as maquininhas com fio ou tipo um tablet aonde vc vê a compra toda, passa seu cartão e assina na tela.

        • ElGloriosoRangerRojo™

          Esses tempos fiz questão de não pagar os 10% dos garçons. Fui em um restaurante onde o prato MAIS BARATO custava 75 reais. Gastei quase 200. Quando fui pagar, dei meu cartão alimentação, e o garçom disse que naquele cartão só poderia passar até 60 reais.

          Chamei o gerente, rodei a baiana na parada e não quiseram passar a conta toda no meu cartão. Mandei tirar os 10% do garçom, paguei 60 no alimentação e o resto no crédito.

          • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

            Que ridículo isso… os restaurantes às vezes se queimam por besteira, já passei um VA inteiro de uma vez, tava saindo da empresa e paguei o almoço de 15 pessoas.

  • Jairon C M

    Serei o chato a apontar que “anos-luz” ali está sendo usado incorretamente como medida de tempo, justamente no Meio Bit? Não serei.

    • Michael Loeps™

      So interpreta como “medida de tempo” ali quem quer ser esse chato.

      • Jairon C M

        Eles alteraram e corrigiram o texto.
        Mas eu podia citar também o caso do verbo ‘haver” no plural (“haverão casos em que…”), mas não o farei.
        Já pode largar a foice.

        • Michael Loeps™

          Larguei a foice, mas manterei a tocha acesa.

        • Diego

          “Mas eu ‘podia’…” ou “Mas eu ‘poderia’…”?

          Edit: é uma pergunta mesmo. Fiquei na dúvida.

          • Jairon C M

            Nesse caso, as duas formas dão o sentido que eu quero à frase. Admito que “poderia” facilita a compreensão, ainda mais com o futuro do presente logo em seguida. Ótima observação. Ponto para o time dos meninos!

    • Chicken Little

      Licença poética

      • Jairon C M

        ¯_(ツ)_/¯

    • Henrique Crivelli

      Se considerar “anos-luz à frente [na linha do tempo]”, não fica incorreta a aplicação. Mas daí já é abstração minha

    • Rinaldo

      Não estaria sendo chato em hipótese alguma. Dá para aprender muito nos comentários.

  • Minion

    Tem tantos casos de fraudes em equipamentos de biometria, será que essa cartão e tão seguro?

    • André Rocha

      Verdade, com a senha nunca ouvi falar de problemas!

      • Minion

        Eu em algum momento disse que senha é mais seguro? Não! Para de ser binário, só quis dizer que falam desse tipo de tecnologia como se fosse impossível, entendeu ou quer que desenhe?

        • Rafael Chagas

          Qual seria a sua sugestão de tecnologia?

          • Minion

            Então eu não tenho ideia, mas eu simplesmente disse que se isso é tão seguro, talvez você não conheça os testes em biometria.

  • Felipe Lino

    Aq na minha cidade tem vários casos de clonagem de cartão. Se a autentificação é local, n vejo vantagem no quesito segurança, da pra contornar, não da ?

    • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      Dedo de silicone?

      • Felipe Lino

        Tava pensando em inserir outras digitais no Chip clonado, mas pode ser também kkkkk

      • …os que destravam iPhongs?

        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Os que batem ponto no SUS…

    • Limpo obsessivamente as impressões após o uso do caixa eletrônico….

    • Gustavo Bandoni

      Eles pensaram nisso
      Segundo as especificações ele valida se a digital é a mesma armazenada , se for ele transmite um hash de verificação da digital que será validado no lado do banco

  • Marcogro®
    • Rodrigo Carvalho

      Se eu estiver falando besteira, alguém por favor me corrija.
      Me parece que o leitor biométrico só consegue reconhecer a impressão digital quando há circulação sanguínea… Ou seja, quando o dedo lido está no seu respectivo dono e o mesmo encontra-se vivo.

      • Marcogro®

        Ironicamente não…

      • Reinaldo Matos

        Sim e Não… Isso vai variar do modelo de leitor biométrico que está sendo utilizado…
        Os mais vagabundos verificam apenas o padrão das digitais dos dedos.

        Os mais sofisticados, além de verificar o padrão das linhas da digital, verifica também o padrão de absorção da luz através dos dedos, isso é influenciado pela circulação sanguínea do corpo.
        Em uma pessoa “Viva”, o espectro de absorção de luz fica entre 550 e 1450 nanômetros. Em dedos de silicone, pessoas mortas (ou zumbis), o espectro de absorção passa longe disso.

        Outra coisa que também é corrigido em alguns leitores mais avançados, são pequenas cicatrizes que possa ter no dedo.

        • ElGloriosoRangerRojo™

          O leitor de digitais do Itaú aplica essa etapa de verificar a absorção de luz. Quando você coloca o dedo ele pisca uma luz branca duas vezes e verifica isso.

          • Daniel Belini

            Não é azul?
            E quando será que o app deles de Android vai funcionar com a biometria?

          • ElGloriosoRangerRojo™

            Quando o leitor é ligado é azul, mas quando você encosta o dedo ele pisca uma luz branca duas vezes.

            Quanto ao app, boa pergunta. O de iOS já memoriza a senha de acesso ao bankline pra usar o TouchID. Funciona bem, to usando já deve fazer uns 2 meses.

          • dai vc nasce sem digitais por bug divino e jamais vai poder sacar seu salario !!!

            posso chamar isso de investimento divino ou falência?

          • ElGloriosoRangerRojo™

            Aí usa a senha, oras…

            Ou você acha que se o leitor de digitais do caixa eletrônico estiver estragado você não vai conseguir usá-lo?

          • mas tem banco que acaba querendo ativar isso no caixa eletronico como modo automatico e obrigatorio, tendo que ir ao gerente brigar eplas coisas

          • ElGloriosoRangerRojo™

            Com certeza se você tem problema no dedo, vai ter que ir no gerente avisar que não vai poder usar o sistema biométrico. Você queria que o gerente adivinhasse?

          • SIM

          • Oberaldo Gilmentoo

            Não, não vai.
            Pode até ser que ainda exista algum atm que funcione sem o leitor de digitais, mas eu acho que não tarda a chegar o dia em que todos os ATMs estarão com digitais e a senha será descontinuada.
            V. já não consegue fazer operações se o teclado, ou a tela, ou o touchscreen, ou o dispensador de notas estiverem estragados.
            Será uma evolução perfeitamente “natural” a máquina não fazer nenhuma operação se o leitor de digitais estiver com defeito.

          • Oberaldo Gilmentoo

            Eu usava o Banco do Brasil em computador normalmente. Um dia resolvi aderir a uma opção de segurança de sei-lá-o-que, pois precisava fazer um determinado pagamento e a tal opção tinha um limite maior.
            Depois disso, toda e qualquer operação que eu faço no computador só será validada se eu escanear um QRCODE com o aplicativo do celular (o celular não precisa estar online, o programa funciona, creio, como um e-token). Em suma, eu não consigo mais usar SÓ o computador para usar as aplicaçoes do BB.
            Eu já tentei “voltar” à forma anterior, mas não tem jeito.
            Enfim, se o celular estiver estragado, nada feito.

            Será uma evolução perfeitamente “natural” a máquina não fazer nenhuma operação se o leitor de digitais estiver com defeito. Se é que já não acontece isso.

          • Dirriba

            O do Bradesco já é assim, se o treco lá de punho não conseguir processar e ler suas veias vc não consegue fazer nada, mesmo com o cartão atolado e voce ter senha contra senha etc…o que ele aceita em caso de falha do mecanismo a redundância do cartão de segurança….como me acostumei a não usar o meu cartão físico nas máquinas e usar o sistema de senha e biometria para as principais operações, tb reduzi as probabilidades de fraude pela clonagem do chip…..

          • Dirriba

            Agora tem um problema nele, pois as vezes se o caixa for mais antigo a CPU – que demora uma eternidade para processar- ou se a conexão (acredito ser internet ou LAN) estiver com lentidão por qualquer motivo vc tem que ficar ali um tempão esperando o processamento com a mão no mecanismo.

        • Cássio Amaral

          É por posts como esse que eu pago a minha assinatura do Meio Bit.

      • DanielBastos

        Mas a chave continua efetiva pra quebrar a biometria se vc usar ela no dedo do pé do assaltado 🙂

      • Caipiroto, o Capeta Caipira 😈

        Mas aí até você convencer o ladrão disso…

    • Melhor do que ficar “sem” mão

  • Maom

    Se é mais seguro ou não, não me importa. Com as ferramentas certas qualquer um canta a senha na hora. Agora, que é bem mais prático dar uma dedada do que ficar digitando senha naqueles botões de borracha suja, isso é.

    • O problema não e só a sujeira e que os botões com o tempo vão pifando, já tive que digitar parte da senha de novo porque o botão de um número não ia…

      • Maom

        Sim… Aqueles botões estilo chiclete são uma merda.

  • Erik Silveira

    É interessante saber que pelo menos em algumas coisas estamos alguns milímetros à frente dá civilização. O cartão com chip teve uma inserção tão natural por aqui, já lá fora há relatos de coisas bem traumáticas.
    Outra maravilha é o boleto bancário. Merecia um artigo comparativo, eu mesmo fiz algumas pesquisas rápidas, de curiosidade, e vi que nos EUA é um parto de trigêmeos pagar uma conta atrasada. Não existe boleto, a conta tem que ser paga no próprio banco ou num correspondente bancário do emissor da cobrança. No máximo se consegue ligar para um call center e obter um código para pagar via internet com cartão de crédito.

    • otaviodecamposg

      Não acredito em nada que voce falou.

    • mr_rune

      O cartão com chip teve aceitação praticamente obrigatória aqui, considerando que segurança nesse quesito sempre foi precária, então foi necessário avançar mais rápido. Boleto bancário teve aceitação porque a maioria da população é pobre e burra demais pra usar tecnologia ou confiar em pagamentos online, ou pagar contas em dia.

      • Daniel Silva

        eu pago as contas em dia, não me considero burro, e também não confio no numero da minha conta na internet, eu uso o boleto por isto.

      • O boleto foi inventado e se popularizou bem antes do internet banking, pobre e burro é esse seu comentário.

    • Herança de um passado de passado de hiperinflação. Não que eu ache ruim.

      E concordo contigo com relação ao boleto. Só pago minhas contas por boleto. Não sei como não tem gente que faz parcelamento por boleto. Nem fodendo que eu passo dados da minha conta bancária ou do meu cartão pela Internet.

  • Claudio Roberto Cussuol

    Premissa básica da segurança de informação: “A corda sempre arrebenta do lado mais fraco.”

    Existem vários métodos de fazer uma compra com cartão de crédito:
    1 – Chip
    2 – Tarja magnética
    3 – Digitando os números

    Enquanto o 3 ainda existir, sofisticar a segurança do 1, do 2, ou criar métodos ainda mais seguro, só protegem o logista/operadora, não protegem o usuário.

    Eu entendo que o chip é infinitamente mais difícil de clonar do que a tarja magnética, mas porque eu clonaria o chip se a tarja magnética ainda funciona? Ou, porque eu me preocuparia de clonar a tarja magnética se dá para fazer compras apenas com uma FOTO do cartão?

    Compras com os números são fundamentais para o comércio eletrônico. Pelo menos enquanto os nossos computadores e/ou smartphones não vierem com um hardware para interagir com o cartão físico.

    • O que você compraria na internet que faria com que você não fosse identificado?

      • SignaPoenae

        Dá pra fazer muita falcatrua. Basta não ser burro.

      • Claudio Roberto Cussuol

        Desculpe, acho que você não entendeu.
        Não estou me referindo a privacidade, e sim ao uso indevido do meu cartão de crédito.
        As operadoras podem até criarem novos cartões mais seguros, porém as compras online ainda precisam funcionar apenas com o número do cartão devido aos nossos hardwares não interagirem com ele.
        E enquanto uma compra puder ser feita apenas com o número do cartão, o chip não me garante segurança nenhuma, basta não usar o chip.

        • Rodolfo Oliveira

          Pra compras online a melhor solução é usar PayPal, PagSeguro ou alguma dessas coisas que amarzena os dados do seu cartão no servidores deles e que te permitem comprar sem precisar ficar digitando o número toda vez. Não e perfeito mas e melhor. Alem que pra comprar de maior monta o ideal é que a operadora do cartão ligue pro usuário pra verificar.

          • Rafael Chagas

            Depois que conheci o cartão virtual do Itaú, que só funciona por uma compra, nunca mais coloquei meus números do Cartão principal em compras pela Internet… espero que os demais bancos desenvolvam tecnologia parecida.

    • Gedson Junior

      Só um adendo, se o cartão tem chip a maquina não aceita fazer a venda pela tarja.

      • Claudio Roberto Cussuol

        Sim. É verdade.
        Mas faz pelos números, que são ainda menos seguros que a tarja.

    • Mirai Densetsu

      E quem está preocupado com o usuário?

  • jairo

    Demorou demais para finalmente isto começar a ser implantado

  • O bom da biometria e não ter que ficar digitando a senha, já peguei muita maquininha que tive que apertar o botão númerico de novo porque o mesmo não funciona direito mais, com a biometria isso não ocorreria…

    E nosso sistema bancário não evoluído devido a inflação, e evoluído devido aos golpistas, aqui existe muito mais fraudes bancárias que no resto do mundo…

    Minha mãe uma vez teve a bolsa roubada e tinha vários cartões de créditos, apenas um deles não tinha chip e esse mesmo foi usado pelo ladrão para fazer compras, os outros cartões o ladrão não conseguiu usar, depois disso cartão sem chip em casa nunca mais, o banco não queria extornar a compra porque minha mãe não tinha feito seguro, mais ele processou o banco e ganhou mesmo sem o seguro…

  • Orion Beta

    Quem vê assim a biometria dá digital é segura como único meio de autenticação…

  • Daniel

    Se essa moda pegar por aqui, tá lascado o cara que esquecer a carteira dentro do carro da auto escola…

  • Theuer

    Aquela história do cara que registrou o pinto como digital ainda está valendo?

  • Mario Junior ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    E mesmo assim aposto 10 conto que os muricas irão viver apanhando pra usar, como acontece com os cartões com chip.

  • André Lima

    Aqui na europa é muito comum o uso de cartões “Contactless”… Pra pagamentos até 60 BRL (cotação de hoje), você só encosta na máquina (que é igual aos modelos que geralmente temos no brasil) e voilá, sem senha, sem nada. Se o valor for maior que isso, ele simplesmente pede a senha. Acho super prático, pena que no Brasil isso nunca pegaria =/

    • Rodolfo Oliveira

      No Brasil tem uma putaria que não passam menos de 10 reais no cartão, e no banco também não tem nota menor que de dez reais, entao ter 9,70 e 0 reais acaba sendo a mesma coisa.

    • Carlos Magno GA

      Isso nunca pegaria porque o cara ia andar de metrô com o marca de cartão ligada, com um amplificador de sinal e encostando nas pessoas até ouvir o bipe no fone de ouvido.

    • Bob

      Isso de certa forma já está entrando no mercado via Samsung Pay e aquela pulseira da Visa:

      https://www.bpptag.com.br/

      A maioria dos terminais possui a funcionalidade de contactless há anos mas ficava desativado.

  • FSilva

    Medicos cariocas criaram dedos falsos de silicone pra outra pessoa bater o ponto pra eles. Pilantras. Acho q NENHUM sistema de seguranca é 100% seguro. As coisas evoluem as poucos mesmo. Toda mudanca é bem vinda.
    Bancos aqui investem muito em seguranca porque Brasil é unico pais do mundo onde eles são responsabilizados pelas fraudes. Nosso código defesa consumidor é melhor do mundo (se é que algum outro país tem). E povo baba ovo de EUA.

  • Oberaldo Gilmentoo

    Os dois primeiros parágrafos tem um texto tão banal que parece press release copiado. 🙁

    (bla, bla, bla) “hoje em dia”
    (…) “pensando nisso” (…)
    “por isso mesmo a (…)”

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis