Testes revelam que o iPhone 7 é ligeiramente mais rápido que o Galaxy S8

galaxy-s8-iphone-7

Todo ano é a mesma coisa: assim que a Samsung lança um novo Samsung Galaxy S o pessoal quer saber se ele enfim é capaz de enfrentar o atual iPhone de igual para igual, quando exposto às mesmas situações de uso.

No ano passado vimos que o 6s continuava à frente do S7 e de outros concorrentes mas com o Galaxy S8 na área, um smartphone realmente poderoso e que incorporou as melhores decisões de design do finado Note7, ignorando as explosivas novamente os curiosos se questionaram: será que desta vez a companhia sul-coreana acertou e deixou o iPhone 7 para trás?

O que sabemos até agora: o iPhone 7 e seu irmão superdesenvolvido 7 lus possuem o novo processador Apple A10 Fusion, um SoC pela primeira vez quad-core com dois núcleos de alta performance, que chegam a um clock de 2,34 GHz e dois de economia de energia, os que ficam ativos a maior parte do tempo e cuja velocidade não foi informada pela maçã. Ele segue o mesmo esquema big.LITTLE da ARM e é produzido pela TSMC, que ganhou a disputa com a Samsung e também produzirá o Apple A11. A GPU é uma PowerVR Series7XT Plus, com seis núcleos.

Digamos assim, em testes preliminares ele se mostrou mais potente que muitos processadores Intel para notebooks. O ganho em performance para o iPhone 7, em relação ao 6s foi de 40% em geral. Junta-se ao A10 3 GB de RAM, com a Apple enfim resolvendo dedicar mais memória a seus iGadgets (talvez por exigência da própria CPU).

Por outro lado o Galaxy S8 chega em dois sabores: a versão global conta com o poderoso Exynos 8895, octa-core proprietário da Samsung com quatro núcleos de 2,3 GHz, quatro de 1,7 GHz e GPU Mali Mali-G71 de 20 núcleos enquanto o dispositivo norte-americano, o demonstrado no teste é equipado com o novo queridinho da Qualcomm: o Snapdragon 835, octa-core Kryo com quatro núcleos de 2,35 GHz, quatro de 1,9 GHz e GPU Adreno 540; ambos possuem 4 GB de RAM e a fabricante da pior Coreia garante que ele é capaz de executar softwares verdadeiramente pesados, graças à compatibilidade com DirectX 12 e Vulkan.

Isso não é um blefe, usuários conseguiram rodar games do GameCube com perfeição e embora o console de 128 bits seja hoje bastante antiquado, ele nunca foi muito amigo dos emuladores móveis para Android.

Sendo assim, restava colocar ambos para brigar mas com regras bem claras: medir sua capacidade de abrir apps rapidamente, de multitarefa e de renderizar vídeos em tempo real, com soluções presentes em ambos sistemas móveis e sem fazer uso de características exclusivas. O resultado?


EverythingApplePro — Samsung Galaxy S8 vs iPhone 7 Plus Speed Test

De novo a Apple deu um banho na Samsung em uma situação de stress, com abertura intensa de apps. Mesmo com 1 GB a mais de memória RAM o S8 é incapaz de manter aplicativos abertos em segundo plano após a execução de uma tarefa pesada como renderização de vídeo, e fechou todos os softwares suspensos. Independente disso o iPhone 7 Plus conseguiu deixar o vídeo pronto para ser executado com quase três minutos de diferença. Em uma situação de uso mais comedida, a performance de ambos é bem parecida com vantagens de um e de outro ocasionalmente.

O caso é o mesmo do ano passado: o iPhone 7 acaba sendo ligeiramente mais rápido que o Galaxy S8 principalmente por conta da otimização de sistema, sendo que o iOS é escrito especificamente para aquele hardware e diferente do Android, ele não precisa dar suporte em uma infinidade de dispositivos de terceiros e por isso mesmo não precisa rodar uma camada de virtualização ou rodar “na média”. Um software bem escrito consegue extrair mais do hardware e isso era algo que a Microsoft também conseguia com o Windows 10 Mobile em seus dispositivos próprios.

A tela também precisa ser levada em conta: como o S8 conta com um display Quad HD ele precisa renderizar mais pixels que o iPhone 7, que possui resolução apenas Full HD. O TouchWiz, embora muita gente ainda deteste não teve muita influência desta vez.

A verdade é que o Galaxy S8 e o iPhone 7 são excelentes dispositivos, os mais poderosos em seus respectivos sistemas móveis e dificilmente alguém vá decidir por um ou por outro apenas por esse vídeo quando já é usuário de uma determinada plataforma, mas é sempre bom ver que a otimização de código, algo que muitos desenvolvedores relegam pela “era de fartura” do armazenamento (ninguém mais precisa medir memória em KBs) ainda faz muita diferença em situações extremas de uso.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis