Novidades Apple: novo iPad, iPhones 7 e 7 Plus vermelhos e mais espaço para o iPhone SE

A Apple lançou uma série de novidades nesta terça-feira, renovando seu portfólio com edições especiais de seu campeão de vendas e novas versões de seus produtos “menores”. Vamos dar uma conferida:

iPhone 7 e 7 Plus (PRODUCT)RED

Falemos primeiro do iPhone, o carro-chefe da maçã. Na verdade a única característica é a nova cor vermelha, alinhada com a campanha (PRODUCT)RED de combate à AIDS. É o exato mesmo hardware, com o adicional de que parte da arrecadação vai para a Global Fund, a ONG que auxilia na prevenção e combate a diversas doenças mundo afora.

Os preços dos modelos seguem também sem alterações:

  • iPhone 7 (PRODUCT)RED 128 GB: R$ 3.899,00;
  • iPhone 7 (PRODUCT)RED 256 GB: R$ 4.299,00;
  • iPhone 7 (Plus PRODUCT)RED 128 GB: R$ 4.499,00;
  • iPhone 7 (Plus PRODUCT)RED 256 GB: R$ 4.899,00.

As novas versões dos iPhones 7 e 7 Plus estarão disponíveis para pedidos a partir do dia 24 de março.

Sai iPad Air 2, entra iPad

A linha iPad Air, que não recebe atualizações há algum tempo deixou de ser a queririnha da Apple, e por causa disso não seguirá sendo atualizada em eventos. Tal privilégio evidentemente ficou para o iPad Pro, que Cupertino posicionou como um rival do Surface e dos PCs em geral (nota do autor: hahahahaha).

Assim sendo a linha foi novamente renomeada e volta a se chamar simplesmente… iPad. Nenhum sobrenome, nenhum número. Por dentro ele conta com duas únicas atualizações pontuais, o processador A8X do Air 2 deu lugar ao A9 (o mesmo dos iPhones 6s, 6s Plus e SE) e a memória RAM, embora tenha permanecido em 2 GB agora é LPDDR4 ao invés de LPDDR3. De resto ele mantém a câmera principal de 8 megapixels e a frontal FaceTime HD, o display Retina continua com as mesmas 9,7 polegadas e resolução de 2048 x 1536 pixels (264 ppi), sensor Touch ID e bateria de 8.827 mAh “que dura o dia inteiro”, segundo a fabricante.

Como ele difere do iPad Pro, o novo iPad carece do conector dedicado para teclados e essa nem é a proposta: a Apple propositalmente distanciou um do outro e o modelo “vanilla” agora é um instrumento para consumo de mídia, enquanto seu irmão mais parrudo será vendido como uma solução para quem precisa de poder de fogo de modo a trabalhar com programas pesados.

Isso posto a Apple pegou leve nos preços: lá fora o novo iPad começa em US$ 329, um valor consideravelmente atraente, e mesmo aqui os preços estão razoavelmente decentes:

  • iPad Wi-Fi 32 GB: R$ 2.499,00;
  • iPad Wi-Fi 128 GB: R$ 2.999,00;
  • iPad Wi-Fi + Cellular 32 GB: 3.199,00;
  • iPad Wi-Fi + Cellular 128 GB: R$ 3.699,00.

Segundo a Apple o lançamento brasileiro deverá levar mais dois meses, obviamente porque ele ainda não foi homologado para ser vendido por aqui. Já o iPad mini 4 ganha mais capacidade e passa a ser vendido apenas na versão com 128 GB, seja apenas Wi-Fi (R$ 2.999,00) ou Wi-Fi + Cellular (R$ 3.699,00). Sim, são os mesmos valores do iPad “vanilla” com mais capacidade interna, e agora fica a critério do usuário escolher o modelo apenas por conveniência já que pagará o mesmo preço no grande ou no pequeno.

Em tempo, o iPad Air 2 foi evidentemente descontinuado.

Mais espaço para o iPhone SE

O iPhone SE, o pequeno notável para quem deseja um smartphone da maçã compacto mas incrivelmente potente também recebeu upgrade no espaço interno. Ambos os modelos de 16 e 64 GB passam a contar com o dobro de capacidade, respectivamente 32 e 128 GB. As demais características permanecem as mesmas, é um dispositivo equivalente ao iPhone 6s mas do tamanho do 5s, ideal para quem não gosta de smartphones grandes.

Os novos iPhones SE também estarão disponíveis para compra a partir da próxima sexta-feira.

Clipes, uma nova forma de criar vídeos divertidos (e de copiar o Stories do Snapchat)

A Apple pode não ser o Facebook, mas ela não iria ver o movimento de Zuckerberg em copiar o Stories do Snapchat na cara dura e ficar quieta num canto. O Clipes não é no entanto um Ctrl+C, Ctrl+V completo: ele é um novo app que permite ao usuário criar vídeos divertidos com gravações, fotos, legendas e stickers animados através da interface do iPhone ou do iPad, de forma bem intuitiva. O recurso mais interessante no entanto é o chamado Live Titles, que utiliza algoritmos de reconhecimento de voz para compor títulos e legendas em suas criações. Dessa forma você não precisará apenas digitar para escrever mensagens, poderá dita-las.

A diferença é que desta vez a Apple não manterá o Clipes em seu Jardim Murado: as criações dos usuários poderão ser compartilhadas obviamente através do iMessage mas também poderão ser postadas no YouTube e Vimeo, bem como Instagram, Facebook e outras redes sociais.

O Clipes será lançado no próximo mês e roda em iPads e iPhones com no mínimo iOS 10.3.

Swift Playgrounds em mais idiomas, mas nada de português por enquanto

Agora o momento “developers developers developers”: o Swift Playgrounds, o app para iPad desenvolvido para ajudar programadores, entusiastas e novatos a se familiarizarem com a linguagem de programação da Apple (que hoje é open source) até então só falava inglês, e embora a língua seja obrigatória para quem trabalha na área é importante também dar acesso a quem está começando e não tem tanta intimidade com ela. Dessa forma o app foi atualizado e agora pode ser apreciado em chinês simplificado, japonês, francês, alemão e espanhol latino-americano.

A grande ausência é novamente o português, mas é importante notar que a Apple está se esforçando para localizar a ferramenta e por isso mesmo, não deve demorar para que possamos utilizar o Swift Playgrounds em nossa língua.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Acho os SE mais bonitos do que o “sabonete”….. este, mais anatômico para os “hard users” da La Manzana Del Diablo™.

    • Monkey

      Esse sabonete é o galaxy S3?

    • Vin Diesel

      Eu fiquei duas semanas com o iPhone 6s como no android o botão voltar é na parte de baixo e a mesma função no iPhone é na parte de cima mesmo tendo uma mão maior era um desespero. Peguei de um colega um 5s e realmente confirmei que o tamanho dele e de um SE é o ideal. Apesar de isso nao refeltir com o S7 justamente pq umas das funções mais utilizadas é justamente o uso do botão voltar. E seu posicionamento. Se eu voltar a usar um iOS vai ser em um SE.

      • Metalmacumba

        essa é a razão que fez eu comprar um iPhone se depois de um 5c. o tamanho dele é suficiente.

      • Você sabia que da pra voltar arrastando o dedo da borda esquerda para o meio?
        E também nos plus (não sei nos S) da pra dar 3 toques no botão e a barra de voltar desce à altura do dedo.

  • Não entendo qual a da Apple em colocar o iPad Mini e o “normal” com o mesmo preço.
    iPhone SE é o melhor aparelho da apple atualmente, nunca vi nenhuma reclamação ou polêmica, é o mais confiável.

    • Cristiano Borges Milhomem

      Tenho um SE de 64 gb, depois de ter tido um 5s (prefiro telefones compactos), bateria muito boa (comparado com outros phones da Apple), câmera muito boa, rodando a 10.2.1 lisinho sem nunca ter dado um “lagzinho” pra fazer nada, paguei lá fora 1750 reais, preço de muito mid end aqui no Brasil!

      • Eu to de boa com o 5s, até agora só a bateria que tá me preocupando mas nada foi trocado desde 2014, então acho que vou ter que trocar a bateria

    • Fred

      Poderiam ter um SE Plus também, com tela por volta de 5,2″… Aí sim a coisa ficaria interessante…

      • Continuar a linha SE com versões Plus e deixar pra trás aqueles sabonetes problemáticos seria bom

    • Minha namorada comprou um SE logo no lançamento (trocando o antigo 5 que ela tinha). Tenho um 5S e fiquei com inveja. Era rápido, câmera ótima e bateria durava o dia todo. Minha única reclamação era com a câmera frontal. Logo depois ela trocou pelo 6S porque queria uma tela maior. Coitada, se arrepende desde então.

  • Dio

    transformem US$ 329 em R$ 2,5k.

    • João Alves

      O dólar tá baixo, senão era pra ser 3,3K

    • Rafael Rodrigues

      Lucro escorchante?

  • Alexandre Salau

    Houve um tempo em que a Apple era inovadora, agora não serve nem pra imitar chinês.

    • A Apple ou o mercado ? Se for citar, existe apenas 4 ou 5 inovações que revolucionaram o mercado nas últimas 4 décadas, finalizando com o iPhone em 2007 da própria Apple. Qual outra empresa de lá pra cá, nesses últimos 10 anos trouxe alguma inovação para o mercado ? Ou qual está dispontando como candidata para trazer uma próxima inovação ? Não venhamos dizer que smartphone de tela grande é inovação, que biometria, que blindagem a água, que mais megapíxel ou mais núcleos em processador seja inovação… quem inovou e revolucionou o mercado de lá pra cá ? Quem ditou o caminho da indústria nos últimos 10 anos ?

      Infelizmente, ninguém conseguiu assumir esse papel de inovação. A Nintendo com o Switch ? Hehehe

      Apostaria na TESLA, apostaria em algum tipo de device que ninguém previu ainda, afinal se fosse fácil prever não seria inovação. No nicho de device mobile (smartphone) a inovação já aconteceu em 2007, não tem mais o que espremer, agora serão melhorias em cima de melhorias apenas… Deve vir pela frente a autenticação 3D, o carregamento sem fio (realmente sem fio, sem base), a biometria diretamente na tela touch, a tela inteira sem a mínima borda física (só borda virtual),… e etc, mas isso são só melhorias. Inovação é difícil tirar da cartola dos dispositivos móveis, é a minha opinião.

      • Eu to no aguardo disso aqui:

        https://uploads.disquscdn.com/images/8256bd7c43e6ac35a0a0545a7329810fcd697412edfd504cbfbd41e46156a3e8.jpg

        mesmo sem a parte holográfica. ou algo similar ao que tínhamos em outro seriados, com telas desse tipo ,mas flexíveis.

        Além de esperar a conectividade desse da foto e os recursos interessantes, que até seriam possíveis no nosso mundo atual, se não houvessem tantos padrões de tantos fabricantes pra tudo que é coisa.

        *do seriado “The Expanse” (1ªtemp. disponível no netflix, segunda em andamento, disponível na locadora)

        por que até agora… só temos isso…

        https://uploads.disquscdn.com/images/fdf692afca182bca3226c1abccb366ed5feba4bb537e5d409958a5e95c38022e.jpg

        • Um negócio desses é “super surpreendente”, mas sinceramente não sei opinar. Por um lado, impressiona, por outro, não sei precisar se é de fato útil e funcional. De fato, tenho as minhas dúvidas se o manuseio disso seria produtivo e eficaz, me parece limitado na forma de segurar e operar. Difícil opinar. Nos últimos anos, vemos tantos vídeos conceitos de futuro, lembro de ter um da SAMSUNG e um da MICROSOFT sobre futuro de forma geral e o vídeo conceito do GOOGLE sobre o GLASS e todos esses vídeos parecem ser muito mais impressionantes e criativos do que factíveis de serem implementados, tanto que nada do mostrado lá tem se concretizado ou se direcionado para aquele caminho. O próprio GLASS foi precipitado em mostrar conceitos do uso que na prática não se concretizaram, então abortaram o projeto para virar algo interno (acho que essa abordagem seria a correta desde o início) para quem sabe trazerem de volta para o mercado quando for útil e funcional.

          O GLASS foi uma invenção levada e público e não uma inovação. Uma invenção é bem diferente de uma inovação. A XEROX inventou a GUI, a APPLE inovou o mercado com a invenção da XEROX. A invenção é uma ideia, a inovação é algo funcional e útil. O Woz inventou uma arquitetura de computador pessoal, o Jobs foi o visionário da dupla, que inovou e revolucionou o mercado de computadores pessoais.

          E assim sigo divagando… acho que esta caindo de maduro o momento de surgir uma inovação… faz tempo que o mercado é mais do mesmo.

          • Assista o seriado (se ainda não assistiu) pra ver o aparelhinho em uso. É um sonho, ver coisas viáveis no nosso tempo sem picuinha entre empresas de que “o padrão a usar é o meu”. As coisas simplesmente funcionam. (*como disse, tirando a holografia).

            Coisas do nível do Glass pode esquecer, no nível do Hololens é o que vamos ter de bom (realidade aumentada). Talvez com uma área de visão maior e alguns recursos atuais já melhorados, além de mais poder de fogo pro hardware.

          • Ta aí, o HOLOLENS apareceu matando a cobra e mostrando o pau. Mas daí, faz dois anos (ou mais) que tento ter acesso a um e nada, aqui no Brasil nenhum executivo da Microsoft tem acesso a um, nem para demonstrar, nem a Paula Bellizia consegue um desses, o acesso a esse device é extremamente restrito. Me parece que a MS já tá passando do ponto de levar isso para o consumidor revolucionando o mercado de realidade virtual de uma vez por todas. O negócio está pronto ou não ? Agora o discurso é o uso corporativo, que não querem deixar marcado como acessório pra jogos.

            Vou assistir o seriado, não vi este ainda. Me interessa.

      • Christian Oliveira

        Talvez a Hololenz.

  • Alvaro Carneiro

    Agora vem uma chuva de críticas dos experts de plantão, todos eles trabalhadores braçais que mal sabem como vai ser o dia de amanhã. Enquanto isso a Apple, toda “errada”, continua sendo a empresa mais lucrativa do mundo e enche o rabo de dinheiro.

    • Rafael Rodrigues

      Traficantes igualmente enchem o rabo de dinheiro e isso não quer necessariamente dizer que o que eles fazem é bom ou correto.

      Um julgamento não deveria influir em outro.

    • Também né, convenhamos… tem nem como a Apple não lucrar, quando a mesma paga ZERO (ou praticamente zero) de impostos em alguns países ai … né não?

    • O povo já amadureceu bastante… de 2010 a 2015 foi um alvoroço anti-apple, surgiu um fanboysmo irracional por Android que não existia nada melhor no universo. As coisas estabilizaram, a empolgação baixou, o povo pode usar e reusar, trocar de aparelhos nestes 7 anos e perceber todas as qualidades e defeitos e entender a realidade, que não é a melhor coisa do universo, pelo contrário é muito bom numas coisas e muito ruim em outras.

      Hoje não é mais igual os comentários do GIZ em 2015, difícil ver essas críticas que que previu. O povo amadureceu 🙂

      • Felipe Braz

        Da uma olhada nos comentários do G1 ou da play store e perca sua fé na humanidade novamente.

    • Super Suporte

      alguem se doeu

  • um iPhone cor de hemorróida? Vai camuflar e sumir na capinha humana chamada iUsuário.

  • DiMais

    o ‘fracasso’ do Surface (e derivados) obrigou a Apple a repensar sua linha de tablets, pode ser o dispositivo mais vendido individualmente mas as frequentes quedas nas suas vendas e a ascensão dos dispositivos híbridos Windows alterou a forma da maçã comercializar sua tábua de consumo de mídia.

  • Christian Oliveira

    Comunistas! Gritaram os bolsominions aqui.

  • Ivan

    Agora sim, socialistas de iphone piram.

  • OverlordBR

    Simplesmente iMágico!

  • Natan Facchin

    O SE é legal e tá vendendo bastante :}
    [Poderiam ter colocado a câmera frontal maior, fora isso é um bom aparelho].
    A bateria é bem melhor que a do 6S/7. :}

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis