Modo restrito do YouTube está ocultando vídeos e canais LGBTQ+ com censura livre

O YouTube se enfiou em mais uma polêmica para varias. Diversos produtores de conteúdo estão acusando a plataforma de ocultar vídeos e canais inteiros dedicados a conteúdo LGBTQ+, mesmo os mais inócuos através da ferramenta de Modo Restrito, criada para filtrar conteúdos inapropriados que os usuários não queiram ver.

A princípio o Modo Restrito foi criado na intenção de ocultar vídeos e canais que tratem de conteúdos que possam ser considerados sensíveis; temas como sexo, violência, guerra, terrorismo e similares não aparecem uma vez que você deixe o recurso ligado, mas aparentemente o algoritmo anda filtrando conteúdos que não deveria: uma série de vídeos e canais inteiros de conteúdo voltado à comunidade LGBTQ+ e não apenas a eles, com produções livres para todas as idades não estariam sendo exibidas no motor de busca.

Outros usuários reclamam que alguns vídeos e canais de games e até de ASMR, para ajudar as pessoas a dormir também estão desaparecendo.

O vídeo acima destacado não é nada demais, apenas um casal fazendo seus votos matrimoniais. Ainda assim o YouTube o classificou como inaquedado e ele não aparece na busca com o Modo Restrito ligado (à direita).

O que está acontecendo? A princípio parece que o algoritmo do YouTube, na função de ocultar o que considera conteúdo inadequado para certas faixas etárias passou a classificar quaisquer vídeos sobre assuntos LGBTQ+ como impróprios. A grande questão é o que teria desencadeado tal movimento por parte do Google sendo que até então tudo estava normal, e ao que tudo indica há um lado feio nessa história.

Meses atrás, quando do atentado a uma boate em Orlando uma série de vídeos pró e contra o ocorrido foram publicados; alguns apoiando a causa LGBTQ+, outros aliados ao terrorista e fazendo críticas pesadas à vítimas por serem diferentes. Pouco tempo depois o serviço resolveu desmonetizar vídeos de assuntos polêmicos, o que causou uma tremenda controvérsia pois muitos canais LGBTQ+, alguns que não tinham nada a ver com a treta também perderam o direito de fazer dinheiro com seus vídeos.

Agora o algoritmo teria sido refinado a ocultar não apenas canais com temática LGBTQ+, mas qualquer um que ouse abordar um assunto considerado problemático como forma de melhorar sua própria imagem.

Até o canal da Mandy, que é um doce de pessoa entrou na dança.

Através do Twitter, o YouTube Creators informa que apoia a comunidade LGBTQ+ mas que o Modo Restrito serve para filtrar conteúdo considerado “adulto”. Logo, qualquer discussão sobre sexualidade (mesmo não explícita) não deverá aparecer e se um canal se identifica como conteúdo LGBTQ+, também será filtrado. A opção que o serviço oferece é… desligar o Modo Restrito.

Isso vai dar uma bela duma confusão. Aguardemos os próximos episódios.

Fonte: The Next Web.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis