Asa do F-35 será reprojetada para poder carregar mísseis, mas isso não é o pior.

arming_the_f35_body_img_lg

O F-35 é aquele elefante branco que o Trump não quer engolir, e com razão. Já está uns 7 anos atrasado, o projeto custa uma fortuna e toda hora surgem novos problemas, como o canhão não poder ser disparado por falta de software. 

A última novidade foi uma falha estrutural. Originalmente para manter o stealth o armamento seria todo interno, mas isso não se mostrou viável. Para ser minimamente útil o F-35 precisa de tanques externos, e como quem tá no inferno abraça o capeta, melhor espetar uns mísseis também.

Eis que descobriram que os suportes de mísseis na ponta das asas não eram fortes o suficiente. Em manobras de alta velocidade como as de um combate aéreo os mísseis corriam o risco de ser arrancados. Isso… não é bom.

Agora os testes foram concluídos, e os caças que foram entregues para a Marinha em 2015 vão ter que voltar pra fábrica. As asas vão ser reforçadas para compensar as oscilações e turbulências quando voam com mísseis Sidewinder AIM-9X, mas calma que piora.

Como os aviões terão que ser reformados e testados, eles entrarão certificados somente para o AIM-9X, que é uma versão uma geração mais antiga que o AIM-9X Block II e o AIM-120D, que é usado nos caças F-18 Super-Hornet.

Isso mesmo, o caça do futuro vai voar com o míssil do passado, mas calma que piora MAIS AINDA. Está vendo este carro sendo atingido por uma bomba guiada por laser, lançada de um drone?

ezgif-1-6007b6f0e1

O F-35 não consegue fazer isso. Algum gênio decidiu que ele iria combater tanques e blindados lentos, então seu designador laser de alvos não consegue calcular como atingir um alvo que se mova a mais de 112 km/h em linha reta, ou 62 km/h se fizer manobras de mais de 0,2 G.

Camelos conseguem correr a 65 km/h então, NÃO É PIADA: se o Achmed subir no Kabubi e mandar ele dar tudo que tem, estará a salvo do avião mais caro e moderno de todo o arsenal dos EUA.

Como outro upgrade de software está fora de questão, a alternativa pode ser usar uma bomba inteligente que corrija as alterações no alvo, mas a GBU-53B da Raytheon só deve estar operacional por volta do ano fiscal de 2022.

Fonte: Next Big Future.

Relacionados: , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Ricardo Gadelha

    F35, a piada mais sem graça e cara da recente história militar.

  • Eu ia dizer que não consigo entender como é possível gastarem tanta verba em um projeto tão ruim como esse. Mas aí lembrei que é um projeto financiado pelo governo. Parece que não importa o país, qualquer projeto para o governo tem mais chances de custar mais caro e menos chances de ser um sucesso comparando com um projeto de uma empresa privada, usando recursos próprios ou de um investidor/cliente.

    • Emílio B. Pedrollo

      O braço militar do governo costuma ser exceção a essa regra. Costuma.

    • Rafael Rodrigues

      Todas as grandes empresas privadas que tive a chance de conhecer por dentro (e não foram poucas) funcionam como um “governo”.

      A diferença é que a imprensa não acha que é notícia um projeto atrasado em uma empresa privada.

      Mas acredite, projeto “fantasma”, projeto com cronograma estourado em ANOS, projeto com orçamento estourado em mais de 100% é mato no mundo corporativo.

      Existe uma diferença abissal no caminho entre o PPT, o MS Project e a realidade.

      • Alexandre Salau

        O problema é que no caso do governo, a grana queimada é dos eleitores, e isso não pega bem. Já na empresa privada se o projeto atrasou, deu problema, não funcionou, quem paga o pato é a própria empresa, mesmo que ela consiga financiamento público, no fim das contas é ela quem paga.

        • Sem falar queas cabeças rolam com mais facilidade. Se o CEO faz uma hagada da grossa, como criar problemas, tratar os funcionários feito lixo e quase levar a empresa à falência, é mais fácil os acionistas chutarem a bunda dele

      • Luiz

        Projeto com orçamento estourado em 200% é comum em TI, se o teu projeto não estourou o orçamento, é porque ele não tem utilidade e nunca vai ser um projeto real. Somento projetos fracassados não estouram o orçamento.

  • Convidado

    F35 está adaptado para ser kamikaze.

    • Allahu Akbar

    • Cocainum

      Desde que o alvo não se mova, hehehe.

  • Emílio B. Pedrollo

    Com mode de estar usando chapéu de alumínio sem perceber, tenho que fazer uma pergunta: Existe alguma possibilidade desses problemas todos em volta desse avião sejam somente para despistar os inimigos dos EUA? Eu tenho problemas em conceber que um empreendimento de literalmente trilhões de dólares consiga ter tantas falhas de projeto.

    • DiMais

      pode sim acontecer, trapalhadas e desvio de verbas não são exclusividade de países de terceiro mundo.

    • Como profundo conhecedor dos meandros do governo americano, o Tom Clancy adorava espetar a incompetência governamental, como colocar a frase do Jack Ryan “eu gostaria que a CIA tivesse 10% da competência que acham que ela tem,”

    • Jhonathan Vieira

      Me peguei pensando a mesma coisa: É tão ridículo que não pode ser verdade!
      Mas na real, acontece direto por aqui, então lá fora tbm deve ter essas putarias né.

  • DiMais

    pessoal da Boeing deve se divertir a cada nova notícia desse F-35.
    agora os russos acharam um parceiro com bastante grana pra financiar os caças de quinta geração deles (Emirados Árabes) e tem ainda os chineses que podem surpreender com a tecnologia “própria” que também está na boca do forno, só olhando essas trapalhadas e se certificando que não farão o mesmo.

    • Alexandre Salau

      Se os chineses contrabandearam o projeto do F35 é melhor jogarem no lixo e partirem para algum outro genérico.

      • DiMais

        na verdade os chineses pegaram o melhor de vários caças (americanos e russos) para criar seu J-20, o próprio Pentágono classificou ele como uma plataforma eficiente com capacidade de atacar furtivamente objetos em alto mar a grandes distâncias (sem mencionar diretamente o poderoso arsenal naval nuclear dos EUA).

    • Mr.Wolf

      O problema do PAK FA, é que ele não é tão quinta geração assim (mas não se encaixa na 4,5 geração dos futuros grippens br), por exemplo precisa ser “invisível ao radar” até onde eu sei, a assinatura do f-22 voando de frente, é a mesma de uma gaivota, o pak-fa parece um boi voando, mas ok usa materiais que absorvem ondas do radar. Fora a assinatura térmica que por conta do direcional dos motores parasse um usina a carvão em comparação ao f-22 (exagerei muito aqui), eles tem uma vantagem por isso como funcionam em ambas as direções (no f-22 é só no eixo y). Outra, ai não tenho informação suficiente do lado russo, é a parte dos sensores, o f-35 tem uma versão superior do f-22, que funcionam amplamente integrados (sério isso é muito foda) e conseguem travar o inimigo antes dele descobrir que tinha que decolar, até onde eu sei o raio é de 500 km (mas já vimos que não rola com a Achmed e seu camelo turbinado). E não há informação do lado russo sobre isso.

      • DiMais

        o problema do F-35 é que tudo era lindo no papel, mas sempre alguma coisa volta para as pranchetas: asa, trem de pouso, capacete, software além de uma alegada falta de capacidade da LM em manter centros de manutenção em outros países… até o F-22 altamente furtivo anda perdendo sua pintura de invisibilidade…
        Os Russos conhecidamente fazem projetos menos “milagrosos” que os americanos, mas custam milhões (ou bilhões) de cifras menos também…

        • Mr.Wolf

          Umas das coisas que mais me impressiona nos projetos de aviões russos, é a robustez na operação. Enquanto é necessário limpar uma pista de hora em hora, o russos fazem aviões projetados para aguentar porcas, parafusos e toda a sorte de sujeira. Está certo que o ciclo de manutenção pode ficar menor, mas na guerra isso é uma fator essencial. E sobre o F-22 é só dar uma mão de tinta invisível e já era, não eh, rsrs.

          • DiMais

            perder a capacidade stealth DURANTE um combate pode não ser exatamente o que o piloto espera desse tipo de aeronave.
            A Lockheed Martin ainda vai passar uns maus bocados nas mãos do Trump por conta dessa sequência sem fim de trapalhadas.
            Enquanto isso a dupla F-18 e B-52 segue na ativa, mostrando toda a confiabilidade e robustez de suas plataformas mesmo após muitos anos de serviço prestados.

  • AfterBurner

    Esse projeto do F-35 é tão zicado que parece até obra do governo BR.

    • major505

      Governo é governo em todo lugar.

    • Se fosse obra do HueHueBRasil ele explodiria na decolagem, ou não teria Software para LIGAR e DECOLAR.

    • Olha, a parte do “canhão não poder ser disparado por falta de software” bem me lembrou a magnífica façanha brasileira de mandar um satélite pro Espaço sem ter software de controle

      • Inquisidor

        isso é real? num podi ser bicho, agora fiquei sem esperanças kkkkkkk

        • http://meiobit.com/316481/cbers-4-satelite-brasileiro-em-orbita-nao-estaria-sendo-util-por-falta-de-software/

          • Inquisidor

            santo cristo kkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • kleber peters

            Alguém leu Ponto de Impacto do Dan Brown na NASABR.

    • Eugênio Augusto

      Procura aí por embraer kc390….

      • Mr.Wolf

        Desculpa a ignorância na interpretação do seu comentário, mas o KC390, é um projeto que até onde eu sei se encontra nos devidos conformes. Inclusive recentemente fizeram todos os procedimentos de REVO, mas sem abastecer propriamente dito.

        • Eugênio Augusto

          Exato. É uma resposta à quem disse que parece projeto brasileiro.
          O projeto brasileiro vai muito bem, se não me engano até mais adiantado do que o planejado.

          • filipe

            kc390 é um projeto brasileiro, mas não é do governo, a embraer é privada… se ainda fosse estatal eles estariam fazendo licitação pra comprar tinta pra máquina de escrever.

          • Eugênio Augusto

            O KC-390 está sendo projetado pela Embraer, uma empresa privada, seguindo especificações da Força aérea brasileira.
            O F35 está sendo projetado pela Lockheed Martin, uma empresa privada, seguindo especificações da força aérea americana.
            volto a dizer, o projeto brasileiro vai muito bem.

  • Arnoud Arnoud Rodrigues

    Só pra ficar claro, além de todos estes problemas, a capacidade stealth também foi pro saco?

    • Ao usar misseis e tanques de combustíveis externos, sim, a furtividade fica seriamente afetada, porém no conceito de guerra americano a furtividade só é necessária nos primeiros dias de guerra. Após os radares, centros de controle, defesa anti-aérea e aviação inimiga terem sido eliminados, a furtividade passa a ser desnecessária e só então aviões como o F-35 e o F-22 poderão carregar armamento e combustível externo para poderem atacar mais alvos por surtida.

      • Arnoud Arnoud Rodrigues

        Levando em consideração que os EUA já tem um bombardeiro “invisível”, o B2, que são os primeiros utilizados segundo a doutrina americana(destruir a capacidade antiaérea do inimigo) então parece que o F35 seria uma versão mais moderna e piorada do F16…

        • Bombardeiros e caça-bombardeiros tem funções diferentes no campo de batalha, enquanto o primeiro ataca alvos estratégicos o outro ataca alvos táticos. Sobre o F-35 ser uma versão piorada do F-16 nem vou comentar.

  • O avião tem problemas? Sim.

    O programa é uma bagunça? Sim.

    A ideia de começar a fabricação seriada enquanto ainda não terminaram de fato de projetar o avião (em inglês chamado de concurrency) foi uma decisão estúpida? Sim.

    Mesmo assim o F-35 é muito mais avançado do que qualquer coisa que os inimigos tem? Sim.

    Quando finalmente pronto vai revolucionar o poder aéreo americano? Sim.

    “F-35 Scores Impressive 15:1 Kill Ratio at Red Flag War Games
    http://www.popularmechanics.com/military/aviation/a25078/f-35-red-flag-war-games/

    • Cocainum

      Lendo o texto, fiquei com a impressão de que a verdadeira estrela do dogfight foi o F-22.

      • Verdade, afinal o F-35 é um caça-bombardeiro e sua função na arena ar-ar é secundária, mesmo assim o kill ratio ainda foi impressionante.

        • Cocainum

          Mas se eles contabilizam para o F-35 os aviões derrubados pelo F-22, só porque o F-35 coordenava o ataque, aí fica fácil. O kill ratio do AWACS então deve ser insuperável, hehehe.

          • Acho que não, normalmente o kill ratio é especificamente o número de inimigos derrubados pelo avião em questão para cada avião perdido. Não se conta abate por outro tipo de avião, até porque se contar é covardia, o kill ratio do F-22 em uma operação de 2008 foi de 221:0!

    • Esse comentário foi super tendencioso? Sim.
      Mesmo com boas expectativas tudo ainda pode continuar dando errado? Sim.
      Existe a possibilidade dos inimigos apresentarem uma solução melhor antes do F-35 ficar pronto? Sim.
      Devido as consecutivas falhas o projeto pode ser abandonado e o EUA voltar a usar uma aeronave anterior? Sim.
      Não entendo nada do que estou falando e ainda assim quis responder seu comentário? Sim.

      • É extremamente improvável, para não dizer impossível, que o projeto seja abandonado, simplesmente porque não há um plano B e a USAF, US Navy, Marines, Israel, Japão e mais uma caralhada de países necessitam de um substituto pra seus F-16, F-18 A/B, F-4 Phantom, etc. pra ontem e não podem esperar o novo projeto de um avião que atualmente costuma levar décadas entre o Auto CAD e se tornar operacional(vide F-35, Rafale, EF-2000).

      • DPSousa

        “Existe a possibilidade dos inimigos apresentarem uma solução melhor antes do F-35 ficar pronto? Sim.”

        A chance disso acontecer é zero.

        • kleber peters

          Sukoi T-50 e Chegdu J-20 mandam lembranças.

          • DPSousa

            Em comum com o F-35 têm somente a suposta capacidade furtiva e nada das trocentas novas tecnologias embarcadas do F-35.

            Como o F-35 é produzido numa democracia, os problemas do projeto são divulgados e passam constantemente pelo escrutínio público. Enquanto que na China e na Rússia, problemas de desempenho ruim e de custos excessivos não são divulgados at all. E com ou sem problemas sem correção, o governo executa suas encomendas.

            Aliás, sendo o caça chinês uma quase cópia do projeto roubado do F-35, pode-se esperar que sejam replicados todos os problemas já corrigidos do projeto americano e muitos mais.

          • Daniel Silva

            quer dizer que vc acha que os chineses são incapazes de resolver este problema?

          • DPSousa

            Incapazes eu não sei. Mas muito, muito, muito menos capazes (e com menos recursos) que a Lockheed Martin e seus parceiros. Afinal de contas, são 30 anos construindo aeronaves furtivas e experiência não se compra.

            Não é a mesma coisa, mas veja uma situação semelhante nos investimentos chinês e russo em aeronaves civis. Muito dinheiro, muitos atrasos e resultados pífios, além de utilizarem motorização ocidental.

    • Flávio Pedroza

      As vezes “o ótimo é inimigo do bom”.

    • major505

      Eu acredito que com alguns upgrades, e uns 20 anos o F-35 tem potencial para se torna um avião razoável para o trabalho.

      A questão que pelo que no final ele ainda vai ser um exemplo de como não tocar um projeto, porque no final das contas vai ser aquela coisa: vou mandar para uma missão um avião super-avançado que faz a tarefa razoavelmente ou vou mandar meu f-18 que 50 anos que faz a missão extremamente bem?

      No final tudo vai se resumir a custo/beneficio e eu não acho que no cenário atual ou num futuro de de curto-médio prazo, o f-35 não vai compensar o investimento, ainda mais em detrimento de outros aviões que voam hoje na frota dos americanos.

  • Geraldo Dal Berto Jr.

    E um super-super-hornet fica cada vez mais próximo da realidade…

  • Gui

    O que adianta um avião supermoderno se ele não pode entregar toneladas de freedom and democracy adequadamente?

    • jairo

      O ideal é utilizar drones para entregar esta benção divina aos não convertidos, mais barato , mais eficiente e sem.perdas de vidas divinas.

      • Drones só funcionam em cenário de total superioridade aérea. https://youtu.be/dNpABtIKERg

        • major505

          Vi uma entrevista com um cara que é um dos pilotos mais experientes de f-16 que drones são ótimos quando se trata de usa-los como alvos para revelar posição de defesas do inimigo, e tão logo eles voem em formação com pilotos humanos esse provavelmente vai ser um uso muito comum para eles.

          • Raposão do Ártico 🦊

            sim, os drones podem dar uma de kamikazi tbm… não é o ideal, já que é caro pra caralho

            mas mais barato que um caça

          • major505

            E não tem que treinar um piloto novo rsrs.

  • Maxnoob

    Estou eu, sentado em minha cadeira aqui no escrtório à frente do computador limpando as lágrimas dos meus olhos. Pois estou tentando segurar um gargalhada descomunal dentro de mim na hora que lí sobre o camelo do Achmed. E eu ja to chorando hahahahaha
    Não consigo deixar de imaginar essa cena, meu deus

  • Mauro Mosczynski

    Força Aérea esperta é a brasileira que usa um avião com comprovada capacidade de combate. Projeto com quase 60 anos e a FAB voando inclusive com o primeiro protótipo. Tá serto.

    • Rodrigo Dias Javornik

      Você está falando do Gripen ou do F-5?

      • José Carvalho

        E o Gripen tem 60 anos, criatura ?

        • Rodrigo Dias Javornik

          Não criatura. O intuito da pergunta foi saber se eu levaria o comentário dele a sério ou não. Se a responta fosse Gripen eu estaria gargalhado aqui.

    • Rafael Rodrigues

      Meia verdade. As células são velhas. Os aviônicos são todos atuais.

      • Mauro Mosczynski

        Se fosse assim a USAF voava até hoje os F-5, F-4, F111, F105, etc, com aviônicos atuais. Ainda bem que o Brasil é um bundão em relação a política internacional e tem 0 expressão no mundo. Não aguentamos um peido de um agressor externo.

        • Rafael Rodrigues

          Sério que você quer comparar a FAB com a USAF???

          Um único NAe deles deve ter mais aeronaves operacionais que nossa FAB inteira.

          • Claudionor Buzzo Raymundo

            Se não for o dobro ou triplo.

          • kleber peters

            Não querendo ser chato, mas sendo, a USAF não tem NAe, e sim a USN. No mais, basta um pra fechar nosso espaço aéreo inteiro.

          • Um avião ou um porta-aviões? OK, as duas respostas são corretas.

          • kleber peters

            Sad but true.

          • Rafael Rodrigues

            Eu sei que os navios são da marinha, mas a comparação foi por isso mesmo. Só um dos dez porta-aviões deles deve ter mais caças que a FAB toda.

            Bom, de acordo com a Wikipedia, temos 57 F5E e 53 AMX. Dá 110 jatos.

            Um classe Nimitz carrega 90 aeronaves.

            Bom, a gente ganha por pouco (desconsiderando que são F/A-18 do lado de lá). kkkkkkkkk

          • kleber peters

            Ganha nada… Apenas temos mais alvos do que eles avião. São aproximadamente 40 F-18, cada um saindo com pelo menos 2 AIM-120 (só ai já vão os F-5 pro saco, pois os Hornets não deixarão os Tigers chegarem perto, e nosso Derby é perna curta). Depois sobra pelos menos 2 AIM-9X para os AMX, que não teriam chance alguma também. E no final de tudo ainda teria o Vulcan de 20 mm pra abater os A-29. Resumindo… corrão para as montanhas.

  • Rodrigo Dias Javornik

    Penso que se os EUA estivessem participando de uma guerra cujo oponente fosse igualmente avançado em termos bélicos, esse F-35 já estava 100% operacional e sem falhas. Olha o que os caras construíram durante a Segunda Guerra e a Guerra Fria.

    • Marcelo Eiras

      É a necessidade que faz o sapo pular.

      • wzwellington

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • José Roberto Teixeira

      Exatamente o que penso. Nada como uma pressãozinha para as coisas funcionarem à um décimo do tempo do custo e do preço.

      • Rafael Rodrigues

        Não do preço.

        “Esforço de guerra” geralmente é cheque em banco.

        • José Roberto Teixeira

          Não sei. Na guerra do Golfo, em 91, eles desenvolveram uma bomba de destruir bunker em um tempo ridiculamente pequeno. Não lembro quanto tempo foi mas lembro que o que levaria alguns anos levou poucos meses. Nem daria para gastar muito nesse tempo. No caso da asa, se fosse necessário, eles colocariam uma margens de segurança mais altas no projeto e despachariam em pouco tempo. Parece que querem fazer tudo academicamente perfeito e aí a geringonça saí exorbitantemente cara, tanto a pesquisa quanto a produção. Isso é estrategicamente perigoso. Numa guerra, repor essas unidades rapidamente pode ser proibitivo. Vão acabar recorrendo aos velhos F-15, F-18, F-16. Espero que nada disso seja necessário, mas me preocupa.

      • Rodrigo Dias Javornik

        Isso. Falta um “pequeno” estimulo….

        • Christian A. Francisco

          cara, ja custou +1.5Trilhoes e é provavelmente o projeto mais caro da historia de qualquer projeto ja projetado, acho que ja deram bastante estimulo :V :v

          • Aguarde a próxima copa do mundo na República do HueHueBRasil …

        • Gui

          Talvez os xing-lings em algum futuro próximo?

          • Rodrigo Dias Javornik

            Isso seria um bom estimulo 🙂

      • PugOfWar

        lembra da matéria do missil anti saddam que fizeram em 28 dias, então

    • Anderson Fernandes

      Correção, o que os avôs desses caras construiram durante a Segunda Guerra.

  • José Carvalho

    A diferença mais evidente entre o F-35 e quaisquer projetos avançados dos anos 70 pra cá, é que nunca esta fase de projeto e implementação foi tão aberta e midiática… Se lembrarmos do F-111, até mesmo F-15, vamos ver que projetos complexos são atribulados mesmo.

    • Helmut

      Vim aqui me perguntando se é normal toda essa exposição de um projeto desse tipo e até onde esses reports são/precisam ser verdadeiros.

      • José Carvalho

        Estamos na era da informação, medo e publicidade, os projetos futuros, modernos e caros precisam ser midiáticos para conseguir o financiamento necessário, aprovações em câmaras, marketing para vendas… No caso do F-35 é pessimamente gerida esta questão da mídia, mais sucesso tem tido os russos e chineses, anunciam seus tampões como as armas mortíferas do século XXI

  • Esse X-35 tá mais engraçado e gourmetizado que lanche na hambugueria do Bozo…

  • Felipe Torrezini

    E aqueles aviões entregues com toda pompa e circunstância ao Japão e Israel, foi só propaganda ou passaram a perna neles?

    • Mr.Wolf

      Se não em engano, a treta toda está no modelos da marinha, inclui o que pousa na vertical.

  • azardo

    F-35 é que nem a Volkswagen Amarok, é grande, cara e é humilhada no offroad por um Mille com pneu 165/70 R13.

    • PugOfWar

      pior que aprendi esse padrão de nomenclatura esses dias, quando tava procurando umas rodas melhores

  • DPSousa

    Seja qual for o distúrbio psiquiátrico do Trump, é fácil identificar que ele não tem muita conexão com a realidade e adora ter seu ego afagado. Ele é bem parecido com aquele seu colega de trabalho que acredita em todo tipo de conspiração facebookiana favorável às suas visões, mas se recusa a acreditar nas desfavoráveis, muitas vezes atribuindo tais notícias à “invenção da Globo” ou coisa do tipo.

    A Lockheed, que não é boba nem nada, identificou e explorou tal característica do Mr. President. Bastou que ela atribuísse ao Trump uma redução já programada de preço no próximo lote de F-35, que ele já twittou que conseguiu uma enorme redução de preço e que o avião é muito bom.

    Então esqueçam essa história do programa F-35 sendo cancelado ou qualquer coisa próxima disso como foi ameaçado durante a campanha. O Fact Checking da Casa Branca é esquizofrênico.

    • BadVibes

      Esse tipo de comentário é equivalente a como um afegão vê a política de Israel.

      • Rafael Rodrigues

        Pois é. É aquele caso que te colocam tudo só para em seguida tirar a metade e você achar que se deu bem. Fazem isso conosco direto no Brasil.

    • Jorge Dondeo

      Não entendo por que o Obama não cancelou.

      • Flávio Pedroza

        “Algumas vezes o melhor jeito de convencer alguém que está errado é deixá-lo seguir seu caminho.”

      • DPSousa

        Pelo mesmo motivo que presidente nenhum cancelará: não existe plano B ao F-35.

        Ele foi pensado para substituir vários outros caças, em várias funções, em 3 Forças. Duas décadas de pesquisa e mais de um trilhão foi investido nele. Se ele fosse cancelado hoje, o EUA voltariam duas décadas em tecnologia (e não recuperariam o dinheiro).

        A única alternativa minimamente viável num hipotético cancelamento do F-35 é o F-22, que foi fabricado em número extremamente limitado, não cumpre todas as missões do F-35 e não possui todas as tecnologias do mesmo.

        É super caro e problemático, mas… Ruim com ele, pior sem ele.

        • Gabriel Melo

          É igual ta escrito na matéria se já está no inferno é melhor abraçar o capeta, uahuehaueah

          • CtbaBr©

            Eu prefiro a frase do Churchill:
            “Se você está atravessando o inferno…não pare.”

        • PugOfWar

          aí eu fico pensando, já perdeu 1 trilhão, vale a pena perder mais pra ver se dá retorno? Ou assume que perdeu esse dinheiro e inicia um projeto de verdade (canibalizando o que puder do projeto f-35)?

  • Jorge Dondeo

    Por que o Obama não cancelou essa porcaria?

  • Coffinator

    Capaz do F35 levar fumo do Super Tucano se forem colocados frente a frente.

  • Cássio Amaral

    Os F-35s Lightning II entregues à Marinha eram a variante C, que segundo a Wikipedia, só vão entrar em operação em 2018. A variante B entrou em operação com o Corpo de Fuzileiros Navais em 2015, e a variante A, com a Força Aérea em 2016.

    As variantes B e A também vão precisar de por os mísseis nas asas e voltar pra fábrica para serem reforçadas?

  • Orion Beta

    Moço, trás esse troço pra min que soldo uma barras de direção/mola de caminhão…quero ver essa porra quebrar…

  • Orion Beta

    Daqui a pouco vão criar um lugar, tipo aqueles aviões antigos de guerra, onde um cara vai ficar sentado só mirando e atirando com o canhão…kkkk

  • Marcelo Santos

    Cardoso e seus artigos sensacionais!

  • Cesar Paulo

    Alguem por favor empresta para a Lockheed o software do Arma 3 pra eles 😂😂😂😂😂😂😂

  • Junior Capitanio

    quantos camelos tem no oriente medio? é acho que o F35- ta fuu mesmo

  • Francesco Andrade

    O NOSSO TURBO HÉLICE AQUI, DÁ CONTA DO RECADO…E CUSTA MAIS BARATO!

  • Onemaster

    “A gente aceita gambiarra, a gente não aceita é a derrota. ”
    Martins, Leon

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis