Dona de café em Viena cobra de clientes que espetam carregadores de celular nas tomadas

soup-nazi

Existem donos de bares e donos de bares. Alguns são simpáticos, outros são fechados, alguns sentam e bebem com os clientes, outros só ficam no caixa. Tudo bem, a única coisa inaceitável é economia porca, medidas que o sujeito toma para salvar uns trocados, e no final são extremamente antipáticas.

É o caso de Galina Pokorny, ela é dona de um Café em Viena, e agora decidiu que não gosta de turistas entrando, pedindo um café e plugando seus carregadores de celular na parede. Galina instituiu uma taxa de € 1,00 para o cidadão que quiser alguns elétrons teutônicos.

Isso virou notícia internacional, é algo que está sendo visto como extrema má-vontade, algo rude mesmo para os padrões germânicos e, o pior de tudo, totalmente desnecessário.

Conforme publicamos um tempo atrás, o custo TOTAL de carregar um iPhone todos os dias durante uma vida útil de 3 anos é de… R$ 2,52.

Dona Galina está se queimando por praticamente nada, provando mais uma vez que Ciência é fundamental. Com um pouco de conhecimento ela teria evitado esse stress.

Fonte: Digital Trends.

Relacionados: , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • Didi Moco Sonrisal Colesterol

    Talvez, mas só talvez, ela queira evitar que pessoas fiquem entrando no seu estabelecimento apenas pra carregar celular e não consumir, o que pode atrapalhar os clientes. Mas isso é apenas uma suposição minha, podem desconsiderá- lá.

    • Josemar Barrêto Júnior

      Ué, era só proibir o uso da tomada pra quem não estivesse consumindo nada. Seria bem melhor.

      • Zalla

        mas o cara consome, paga um café e fica 6 horas, o starbucks tem muitos problemas com isso, cara vai leva o notebook, e fica 8h trabalhando no café…ou jogando mesmo, consumo: 1 café e 1 agua, por uma mesa ocupada o dia inteiro…é pouco

        • Othermind

          Tem ar condicionado no starbucks? Com esse calor que anda fazendo nao é má ideia passar um dia de trabalho lá.. rsrsrs

    • Gaius Baltar

      Em geral esse tipo “esperteza” não é comum nos germânicos, o normal é quem vai utilizar um serviço compre uma água ou um café no estabelecimento. Além disso é normal quando alguém senta em uma mesa o funcionário perguntar o que a pessoa deseja. Se a resposta for “só carregar o celular”, há duas opções: dizer que não é política do local ou dizer que custa “X”. Ninguém se prejudica.

      • Rodrigo M

        Vi isso em Paris também.

        • Gaius Baltar

          É meio que uma convenção aqui na Zooropa.

          • Grato pelo trocadilho… instalado na lista com sucesso…

          • Gaius Baltar

            Na verdade kibei do disco do U2.

    • ochateador

      Já vi isso várias vezes no bar aqui do bairro… O que tem de gente que só usa o wifi mas não compra nenhum produto do bar não é brincadeira (eu faço isso várias vezes).
      Não a toa a dona do bar troca a senha do wifi a cada semana e só divulga se der vontade.

    • Alvaro Carneiro

      Além daqueles que nada consomem e usam as mesas, há aqueles que pedem um café e ficam lá HORAS e HORAS sentados.

      Isso acontece no mundo todo, o que eu já vi:

      – Brasil: tinha um café legal em um shopping, com umas 8 mesas. Imitava o Starbucks. Invariavelmente todas as mesas ocupadas por gente que nao consumiu nada, e raramente 1 ou 2 ocupadas com gente que tomou um café a 3 horas atrás. Cansei de ir lá tomar um café e não conseguir sentar, muitas vezes desisti.

      – Londres: ali perto da London Eye tem um starbucks, uma rua paralela. Beleza, fui lá e nenhuma mesa ou cadeira disponivel. Observei as pessoas: todas no celular ou tablet, ninguém consumindo. Todas as tomadas ocupadas. Demos uma volta e passamos em frente coisa de 40 minutos depois, e eram as mesmas pessoas sentadas, incrível.

      Canso de ver esta situação e agradeço por não ser proprietário de um negócio deste tipo, pois ver clientes indo embora por causa disso é foda.

      • Guilherme Coelho

        Café são mais que lojas, são centros de convivência, lugares onde você vai passar o tempo, normal ir para passar o tempo e consumir pouco ou as vezes nada, aqui em portugal é super comum passar horas sentado num café tomando um único cafezinho

        • Rafael Rodrigues

          Ah, claro. E o dono paga o aluguel, os impostos e os salários dos funcionários com senha de wi-fi também?

          • Guilherme Coelho

            É um tipo de comercio diferente, é um lugar onde você e pode tomar café, e não onde você vai para tomar café e pronto. É a ideia por trás do starbucks, e tanto pelo sucesso da rede assim como os muitos que copiam esse modelo mostra que funcionam

          • Lux-a-Porter

            OMG!!! Sim, o Starbucks e todos os outros do género são a Santa Casa da Misericórdia…

          • Rafael Frozen

            Esse tipo de custo normalmente está embebido no preço dos produtos. Olha o preço de um café e uma torta em um desses Cafés

        • Zalla

          o dono deve adorar isso

        • Exato, até mesmo porque no final do mês o dono do café para impostos, aluguel, funcionários e demais custos com boa vontade.
          Realmente é algo inviável.

        • Lux-a-Porter

          Que comentário mais idiota!! Os donos não têm vida, trabalham que se matam, para o pessoal ir conviver?!
          Pois vá conviver para o jardim! Chama-se a isso parasitismo e falta de educação…

    • Luiz

      Era só colocar tomadas em 30% das mesas, as outras ficariam livres pois não tem carregador.

      • Rafael Rodrigues

        Esses xupins são profissas. Já vi na starbucks o cara tirar uma EXTENSÃO da mochila, colocar um T na tomada da mesa vizinha e usar a energia 2 mesas depois.

        • Kkkkkkk É muita filha da putagem isso!

    • Inquisidor

      já fui em restaurante em que nego ia tomava uma bebida + um prato qualquer e ficava o resto da tarde sentando vendo netflix na internet do shopping, enquanto isso a fila de 60 pessoas com presa que só querem comer.
      acho que se a pessoa não tem noção ,ela tem que tomar no cu na vida toda.

      • Yskar

        Esse tipo de gente deveria ser pendurada pelos tornozelos e ser chicoteada 30x com arame farpado para aprender a deixar de ser filha da puta!

      • “60 pessoas com presa que só querem comer.” Isso é Brasil? Achei que caçar fosse proibido.
        Sem brincadeiras, este tipo de pessoa é insuportável.

    • Leonam Ramos Folí

      se for que nem o padrão aqui de casa os djuntores serem 2 pra cada comodo (1 luz, 1 tomadas ) só desligar as tomadas daquela área, pronto, quem fosse cliente ficaria porque ta consumindo (e se ja comprou foda-se tbm) agora quem ta ali ocupando espaço, ia logo emburrar a cara e sair fora, não pagou nada mesmo, n faz diferença!

      • Ivan

        comercio é bem diferente de uma residencia.

        • Leonam Ramos Folí

          mas talvez seria ótimo isso, mais seguro também

        • Yskar

          Mas nada impede um proprietário de ter isso em mente e planejar a rede elétrica do estabelecimento para permitir isso, inclusive ele poderia setar cada tomada com um interruptor de luz se quisesse fazer esse efeito.

          • Ivan

            sim só para novos comercios, não acho que esse café seja novo.

          • Yskar

            Nada impede durante uma reforma se fazer essas alterações na rede elétrica, especialmente se o empreendimento usar forro e paredes falsas.

          • Ivan

            E se gastar milhares de euros com uma coisa desnecessaria…

          • Yskar

            Esse tipo de coisa não é tão cara assim nem aqui, quanto mais lá.

          • Rafael Rodrigues

            Como escrevi ali em cima, já vi xupim com T e extensão. Os caras não brincam.

    • rbsouto

      Por isso que vários cafés brasileiros simplesmente removeram as cadeiras. Só tem as mesinhas redondas. As pessoas tomam o café, ficam 5 min e vão embora.

    • duhehe

      Tem um local aqui na minha cidade, que é um café e serve almoço, tem umas 30 mesas +-
      Todas as tomadas foram tampadas.
      WI-FI é desligado as 11:00 e religado as 14:00 quem estava ali por causa da internet vaza e da lugar a quem veio comer.

  • Ivan

    Cade o procon? cade o governo pra impedir isso? tem que regulamentar.

    • Claudius Kummer

      Em Viena não existe Procon.

      • Alexandre

        Talvez por isso seja Viena e não algum lugar na Banânia. Se o cliente não gostar, vai a outro café. Diferentemente dessa piada de país onde o PROCON quer regular até como cobrar a pizza.

        • Cocainum

          Só na Banânia, consumidores reclamando da existência de órgãos que defendem consumidores. Deixa eu adivinhar: você saiu nas manifestações pedindo a volta de um regime que não permite manifestações?

          • Ivan

            O problema é o Estado Babá, que acha que sabe melhor que vc o que vc quer, não deixar abusos acontecer não é regulamentar tudo, até o saleiro ou usar o celular em restaurante.

          • Artur

            uma prefeitura de um estado e de um país resolveu proibir saleiro na mesa

            acabe com esse estado opressor que usa o procon para fazer a MS me dar um celular novo depois de ir para a assistencia tecnica 3x

          • Ivan

            Que comparação idiota hein campeao.

          • Jean

            de….de….defende consumidores? Aqui? Aonde??

          • Alexandre

            Não, muito pelo contrário! Prefiro pensar nos efeitos das ações, e não nas intenções. Em tiranias (e não importa o lado ideológico), o indivíduo é sempre tutelado pelo estado, inclusive em seu pensamento. Qual o efeito prático das nossas agências reguladoras ? Um mercado cada vez mais cartelizado e que impede a livre competição que beneficiaria os consumidores. Quer um exemplo prático? ANS que regula de forma absurda o mercado de saúde suplementar. Qual o resultado? Você não consegue mais comprar por um preço viável planos de saúde individuais. Ações que na intenção beneficiariam os consumidores acabam tornando um serviço muito importante (plano de saúde) acessível a poucos.

    • Concordo tem que regulamentar via lei:

      – Necessário laudo de um engenheiro elétrico devidamente registrado no CREA para garantir que não haverá sobrecarga no sistema elétrico,

      – Laudo dos bombeiros devido ao risco de fogo (e explosão de alguns modelos de celulares).

      – Exigir que o estabelecimento compre um medidor aferido pelo IPEN para controlar o tempo de carga, assim o cliente paga apenas o que consumiu.

      – Licença para comercialização de revenda de energia emitida pela ANEEL,

      – Emissão de EIA RIMA por empresa devidamente qualificada, demonstrando o impacto ambiental e plano de recuperação deste impacto nos próximos 5 anos.

      – A tomada tem que ser certificada (padrão ABNT – modelo brasileiro),

      – Registro CNAE da empresa (com recolhimento de impostos) para venda de serviços de energia e derivados.

      – Exigir a emissão de NF, com incidência do ICMS sobre a comercialização do produto.

      • Respeitei!

      • Alexandre

        Rindo aqui para não chorar! Bem cara do Grande Reino da Banânia isso.
        De qualquer forma, você não pode esquecer que é bem provável que alguma dessas normas a serem seguidas vai mudar em cima da hora ou vai ter interpretação duvidosa e algum dos 216 fiscais vai interpretar de forma exdruxula e vai multar.

      • Ivan

        esqueceu do alvará expedido pela prefeitura, que demora de 90 a 120 dias uteis para ser expedido, isso se não faltar nenhum documento, depois tem que esperar mais 90 a 120 dias uteis.

        E um relogio para cada tomada para que o consumidor só pague pela energia que usou.

        • Mas o relógio está lá.

          • Ivan

            mas não um medidor de consumo para cada tomada….

          • – Exigir que o estabelecimento compre um medidor aferido pelo IPEN para
            controlar o tempo de carga, assim o cliente paga apenas o que consumiu.

          • Ivan

            Ah sim, mas no caso não seria um, seriam varios, um para cada tomada, caso tenha mais de uma tomada.

          • E. Bicalho

            Ele não poderia aplicar um sistema de preços único/fixo? Como um rodizio, “boca-livre”.

            Adicionalmente, ele poderia manter alguns medidores portáteis de parede para quem opta-se pelo sistema de pagar pelo próprio consumo e estabelecer taxas elevadas para desincentivar a escolha por esta opção.

          • Ivan

            Não, pq é regulamentado que cada tomada deve ter o seu proprio medidor homologado pelo orgão regulador e apenas um modelo é aceito.

            Claro que falo de modo ironico mas não deixa de ser até condizente com a realidade.

          • Eder

            Só um adendo, seria IPEM (instituto de pesos e medidas) e não IPEN(instituto de pesquisa energética e nuclear).

          • Luís Eduardo

            Esqueceu o ISS, ICMS e as contribuições sociais.

        • Giovane

          Tem a vistoria anual do medidor (um de cada vez).

      • Sergio v.dias

        BURROCRACIA. O dono do estabelecimento resolve o que quer. A loja é dele. Chega de leis!!! daqui a pouco vamos ter de preencher oficio para usar o WC!!!

        • Lucas Linki

          Não esqueça de reconhecer firma antes de pedir a chave do banheiro.

          • André K

            Não vai precisar, as fechaduras evoluirão para aceitarem certificação digital (e-CPF).

          • ochateador

            Que só funciona usando ie8 e java 6u30.

        • Se for uma lei, não resolve não.
          Vem cá, já ouviu falar na iniciativa I.R.O.N.I.A.?

      • CtbaBr©

        Mas ai ficaria igual ao Brasil… 108,7 mil lojas fechadas em um ano!
        Nós fazemos um esforço enorme para que tudo de errado, não acredito que Austríacos teriam tanta determinação para isso!

        • Ivan

          Isso se chama ironia.

          • CtbaBr©

            Ironicamente?… Perfeito!

        • Ivan

          Nós tentamos dar certo, estado vai la e fode tudo.

        • Olá! Bem-vindo ao seu primeiro dia de internet. Sua experiência tem sido boa?

          Se SIM, pressione a tecla ALT + F4.
          Se NÃO, pressione CTRL + F4.

          Participe! Sua opinião é muito importante para nós melhorarmos o nível dos comentários!

          • CtbaBr©

            Olá! Me baseando no vastíssimo teor argumentativo dos participantes, e considerando as possibilidades de escolha, eu diria que a lua é mais importante que o sol, pois o sol só aparece de dia!

      • André K

        Senti falta dos sindicatos… O Sindicato dos trabalhadores em bares e afins exigiria aumento salarial em função de riscos elétricos.

        • Na verdade, exigiriam que o estabelecimento contratasse um técnico em eletricidade, pois o “dispositivo” reduz os postos de trabalho dos companheiros.

    • Rafael Rodrigues

      Não, é só não voltar ao referido café…

  • Faz mais sentido pagar pela eletricidade que você usa do que pagar os 10% do garçom, que já recebe salário, mesmo quando ele lhe atende mal.

    • Samuel

      Lá fora existe a cultura de não have salário. O cara vive de gorjeta literalmente

      • CtbaBr©

        Verdade!
        Mas isso só é possível la fora, por aqui linchariam o dono do estabelecimento se ele propusesse ao garçom trabalhar só pelas gorjetas!
        Mas mesmo assim, mesmo o garçom tendo um salario, muitos estabelecimentos cobram do cliente (novamente) o que certamente já foi contabilizado como custo operacional, e já esta embutido no preço a ser pago!

        • Ivan

          Aqui se vc fala que não vai pagar os 10% o garçom nem te atende e se vc fala depois ele responde que não te atenderia.

          • Tentaram transformar em lei, mas a Dilma vetou
            http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/08/dilma-veta-projeto-que-tornava-gorjeta-para-garcom-obrigatoria.html

            Acho que vou cobrar adicional de 10% sobre a mensalidade do colégio onde leciono de cada aluno

          • Ivan

            Se aceitarem vai fundo.champs.

          • Se carteiro não entrega suas cartas e pede “as festas”. Se gari não varre rua, mas aparece no fim de ano também pedindo “as festas”

            Eu nunca falto (para a tristeza de muitos alunos). Estou mais na condição de pedir as festas, doação pro Ross Hashaná, pro Ramadã, evento indígena etc.

            Aliás, vocês também podem contribuir. Amo vocês ♥

          • Já vi um cara que juntou folhas durante 3 meses da rua que ele morava e o gari ia somente para dormir debaixo da árvore, quando ele foi pedir “Boas Festas” ganhou 4 caixas de panetone cheias de folhas secas.
            Nem preciso falar que depois disso o gari varria toda a rua e empilhava o lixo em frente a casa do cidadão e ia embora.
            Foi legal ver a treta dos dois.

          • Lucas Linki

            Se funcionar me avisa, vou fazer também.

          • rbsouto

            É uma bela maneira, com uma canetada, aumentar a inflação de alimentação fora em 10%.

          • Cocainum

            Se esses 10% tiverem alguma influência na nota, garanto que vai ter fila.

          • ochateador

            Só das meninas bonitas/gostosas.
            O resto acho que ele vai abaixar a nota.

      • Salles Magalhaes

        Acho que isso ocorre mais nos EUA, nao na Europa.

        Alem disso, o garcom recebe pelo menos o salario minimo (se as gorjetas + um salario abaixo do minimo nao chegar ao valor do SM –> o dono tem que completar a diferenca)

        • Giovane

          “o dono tem que completar a diferença”, será o último salário se o problema for o garçom.

      • Eu não estava me referindo ao garçom DE LÁ.

        Mas sim, garçom lá tem salário, sim. Ridículo, mas tem. Mesmo que não tivesse… bem, o professor falou estudar.

      • rbsouto

        Lá fora onde? Nos EUA, sim, o salário deles vem essencialmente da gorjeta.
        Em alguns lugares mais turísticos, como Miami, eles instituíram o “gratuity”, uma taxa de 18% que é o salário do atendente.

        Na Europa, não é comum dar gorjeta. Alguns países da Ásia, pode ser inclusive considerado ofensivo.

        • Em alguns locais, entretanto, não existe conta. Você escolhe o quanto valeu o serviço.

          • Ivan

            ja tentaram isso aqui e vi reportagem que alguns faliram.

          • No pais que o cara pirateia app de 99 centavos, não se pode esperar muita coisa

          • Ivan

            Não que pirataria seja exclusiva do pais né…

          • Qualquer um de qualquer lugar que pirateia app de centavos é o tipo que vai ser desonesto com qualquer coisa

          • Rafael Rodrigues

            Eu falo isso pras pessoas, mas elas não entendem. A filhadaputice está no sangue de muitos.

            Antigamente: mimimi jogo 300 reais… não tenho dinheiro… mimimi vou pegar ali no torrent…

            Hoje: que bacana esse app? Puxa, custa 0,99? Ih, vou ver se tem no aptoide. Detalhe que esse cara ME chamou de otário porque todos os meus programas no telefone são legais. Não devo ter gasto nem 300 reais em TODOS os (muitos) apps, mas eu que sou otário…

          • Ivan

            Acho que vai se espantar com isso.

            http://atutec.com/brasil-esta-no-ranking-dos-paises-que-mais-usam-software-pirata/

          • cquintela

            Te refere aos EUA, China ou Rússia, que sempre lideram os rankings de pirataria mobile?

  • CtbaBr©

    Isso é só uma demonstração de ganância desmedida, ou ignorância total do assunto.
    O consumo elétrico de uma recarga completa é insignificante, qualquer cobrança seria abusiva!

    • Daniel

      Eu pensei dessa maneira também, mas a questão do povo pendurado nas tomadas e Wi-Fi sem consumir nada e faltar lugar para outros clientes realmente é algo a ser considerado, se foi essa a motivação a dona resolveu dá pior maneira possível.

      • CtbaBr©

        Olhando por esse prisma, justificaria!
        Por outro lado, já notou que a galera vai sempre onde tem movimento, ninguém chega num lugar vazio!

        • E. Bicalho

          Me corrija se eu estiver errado, mas parte de buscar um local movimentado fundamenta-se na qualidade dos produtos ofertados. Em outras palavras “casa cheia, comida boa”.
          Quem busca uma tomada não compartilha desses interesses, pelo contrário, eles precisam de tomada livre e, por conseguinte, assentos livres.

          • Cocainum

            Justamente por isso. Ela está espantando os “consumidores” que buscam tomadas e que, por sua vez, geram volume de pessoas no estabelecimento e assim acaba por espantar também os que iriam frequentar o local justamente por ter bastante gente.

          • CtbaBr©

            Um comerciante astuto teria “bom senso”!
            Um “bom cliente” também buscara uma tomada, e justamente por ser um “bom cliente”, se sentira lesado ao ser cobrado por isso!

        • Daniel

          Pois é, uma questão muito complexa para se resolver dessa forma porca, cobrando pelo acesso a energia.

      • Cocainum

        O Cardoso já mostrou que o custo desses “carregamentos” é mínimo. Bem menor que a propaganda negativa de cobrar pela energia. Mas mesmo que houvesse algum custo mensurável, bastaria observar por alguns dias quantos consumidores carregam seus aparelhos e determinar um percentual. Digamos que seja, por exemplo, 10% dos clientes. Então basta aumentar alguns centavos nos preços de alguns produtos para compensar o custo. Ninguém nem notaria a diferença e não haveria nenhuma propaganda negativa.

        Quanto ao wi-fi, poderiam entregar um papelzinho com a senha junto na bandeja dos produtos entregues pelo garçom. Gera todo dia uma senha aleatória e imprime junto com o pedido do cliente.

        • Ivan

          Estabelecimento é da dona se ela quiser cobrar entrada ela cobra.

          • Cocainum

            Claro. Se quiser ir a falência…

            Nem o Cardoso, nem ninguém que eu tenha visto disse que o que ela está fazendo é ilegal. É só burrice mesmo.

          • E. Bicalho

            A principio concordaria com você, mas após uma breve analise diria que , ainda que não tenha sido aplicado da melhor maneira, o resultado final pode ser satisfatório:

            – Eventualmente irá espantar os consumidores de Plugs & Seats. Ainda que seja um valor baixo, há o sentimento de ser passado para trás e não tenho dúvidas que não preciso ir até Viena para descobrir que o sabor de desgosto que isso deixa na boca há em todo lugar.

            – Sem esses consumidores os acentos ficaram livres para a clientela que ela deseja atingir. No futuro ela poderia aplicar o desconto dessa taxa para esta faixa de consumidores, por exemplo. Ou mesmo elimina-la ou aplicar sazonalmente.

            – E, é claro, não podemos nos esquecer da propaganda que à aplicação desta norma gerou. Não se enganem, propaganda negativa ainda é propaganda. Como diz o velho ditado: “falem bem, falem mal, mas falem de mim”.

          • André K

            E ainda, se a receita principal dela vem de consumidores já antigos e mais tradicionais que não ligam para isso, os “novos” consumidores estariam tomando espaço desses sem gerar receita. E, os antigos certamente não vão ligar para essa propaganda negativa.

        • Urso Azul

          Mas não acho que a medida foi feita pelo custo da energia. Perde apenas alguns centavos de energia com seu celular carregando, mas também perde clientes por chegarem no lugar e não ter onde sentar.

          • Cocainum

            Estou levando em consideração o que disse nosso colega @disqus_3GH8WsQZle:disqus, que na Alemanha o pessoal acaba consumindo alguma coisa, diferente daqui, onde o pessoal aproveita a energia e o wi-fi na cara dura.

    • Ivan

      Meu estabelecimento minhas regras, se não gostou só ir em outro café.

      • CtbaBr©

        Algo me diz que o seu estabelecimento ficara “as moscas”!
        Divirta-se com suas tomadas, tô fora… KKKKKKK!

        • Ivan

          É o livre mercado, se não gostam não vai, melhor do que pedir pro papai estado mudar o estabelecimento.

          • CtbaBr©

            Meu caro, sem o “papai estado” tutelando, eu sugiro que você trate bem os seus clientes!
            A liberdade é a base de toda evolução, em todos os níveis, em todos os setores!
            Mas a liberdade sempre anda de braços dados com a responsabilidade!

          • Ivan

            Com certeza, quem quer prosperar tem que agradar o cliente, mas se o cliente não gosta de algo no estabelecimento que comunique para que melhore ou pare de ir.

            Com papai estado ou sem papai estado todo empresario tem que agradar, o problema que o papai estado só fode o empresario com regras absurdas.

          • Cocainum

            Coincidentemente, em locais onde o “papai estado” não tem muito acesso, como fazendas no interior do país, é maior a incidência de trabalho escravo. Nem toda regra é absurda, nem todo controle é burro, nem todo empresário é bonzinho. Sempre se deve ter bom senso;

          • Ivan

            Não é só em locais com pouco acesso, se pesquisar vai ver quanto de trabalho analogo a escravos tem em fabrica de roupas em SP.

            Tem regras absurdas e regras boas, não é 8 ou 88, não é desregulamentar e deixar um anarcocapitalismo mas tbm não é pra ser um socialismo onde governo controla tudo.

          • Cocainum

            Sim. Principalmente com imigrantes ilegais, e para marcas super famosas, que custam uma fortuna. E o governo não divulga mais a lista de empresas flagradas com trabalho escravo.

          • Ivan

            As que vi eram pequenas, mas deve ter das grande tbm,

          • Cocainum

            São pequenas que prestam serviços para as grandes. Mas vai dizer que elas não sabem?

          • Ivan

            Não sei, duvido que vão atrás disso, tercerizam e foda-se.

          • Cocainum

            “Foda-se” é bem o espírito. Bom para quem está fazendo, não tão bom para quem está tomando.

          • CtbaBr©

            Mas é justamente essa a função do estado, equilibrar a balança e dosar de maneira inteligente o fluxo de capital! Algo que não ocorre por aqui infelizmente!
            Os melhores resultados são vistos em países de “estado minimo”, os piores surgem sempre em “estados totalitários” como no caso de um certa “Republica Imperialista” do Hemisfério Sul!

          • Ivan

            “equilibrar a balança e dosar de maneira inteligente o fluxo de capital! Algo que ocorre por aqui infelizmente!”

            O que quis dizer com isso?

          • Cocainum

            Sério? Me fale sobre o “estado mínimo” nos países nórdicos, com a melhor qualidade de vida do mundo.

          • Ivan

            Estado la é grande e tal, mas conte-me sobre a liberdade economica lá, me diz como é mais facil empreender lá do que aqui.

          • CtbaBr©

            Me diga você… Porque os EUA são uma das potencias, enquanto o Brasil não consegue sair do buraco? Porque só nos EUA surgem “os Bill Gates da vida”?

          • Ivan

            Pq lá é mais liberal do que aqui, não precisa ter ph.d em economia pra saber disso.

          • Cocainum

            Aff. Se o Brasil pudesse imprimir dinheiro a vontade sem desvalorizar a moeda, seria bem mais fácil. Te garanto.

          • Ivan

            Empresas grandes no EUA não existem por causa do governo imprimindo dinheiro.

          • Cocainum

            É. Eles imprimem dinheiro só pra fazer um monte beeemmmm grande. O governo não gasta. Esse US$ 1 trilhão por ano não vai para empresa nenhuma.

          • Ivan

            Claro vai pras pequenas empresas, para as pessoas, só que não.

          • Rafael Rodrigues

            Negativo. No caso do QE, 4 tri foram para o bolso dos tubarões do mercado financeiro. Não interessa se era dinheiro impresso ou virtual. Se saiu do Governo, saiu do bolso do taxpayer.

          • CtbaBr©

            Para chegar nesse nível de confiança mundial, os EUA já chegaram a comprar dólares falsos, para tira-los de circulação, por aqui se você pegar algum dinheiro falsificado e mesmo que não saiba disso, tentar passa-lo adiante, poderá ser preso! Existe muita diferença, assim não se pode chegar no mesmo objetivo!

          • Cocainum

            Dá uma estudada sobre Bretton Woods e o fim da paridade ouro-dólar. Daí você pode ver como é “pequena” a vantagem do Dólar ser a moeda universal de comércio internacional hoje. Aproveite pra ver o tamanho da dívida total dos EUA e o percentual em relação ao PIB.

            Qualquer semelhança com um esquema Ponzi não é mera coincidência. O gasto militar exorbitante dos EUA não é mais uma opção. É uma necessidade. Nem que quisessem, poderiam redirecionar esse dinheiro para saúde e educação.

          • Rafael Rodrigues

            “tentar passá-lo adiante”. Crime, sabe?

          • CtbaBr©

            Foi o que eu disse, mesmo que você não saiba que esse dinheiro é falso, você poderá responder criminalmente por passa-lo adiante!
            Ou seja, o cidadão alem de levar prejuízo, ainda corre o risco de ser preso, porque o Estado falhou em impedir a circulação de notas falsas!

          • André K

            Isso não ocorre nem mesmo nos EUA. Esse argumento não é válido.

          • Cocainum

            Refute então. De preferência com links. Eu tenho alguns aqui prontinhos para provar o que eu digo…

          • André K

            Eu já li sobre Bretton Woods e não é por aí. Nenhum governo pode emitir moeda à vontade sem desvalorizar a mesma. Ainda que os EUA tenham uma posição especial na economia, a percepção disso e a credibilidade derrubariam o valor da moeda. Nem eu vou ter links matadores sobre o assunto, e nem você, todos serão discutíveis e interpretáveis. Mas vai firme, creia nisso.

          • Cocainum

            Ok. Sou só “eu” que creio nisso.

            https://achadoseconomicos.blogosfera.uol.com.br/2013/10/04/eua-emitem-us-23-trilhoes-desde-2008-mas-bancos-retem-85/

            https://economia.terra.com.br/ministro-chines-emissao-de-dolares-esta-fora-de-controle,bb3ea8f241d2b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html

            Tenho outros, mas seriam longos demais e ninguém ia ler mesmo.

          • André K

            É, é bem como eu afirmei… passível de interpretação.
            O fato de mais gente acreditar não lhe ajuda.
            O ministro chinês afirmou isso! Sério mesmo!?

          • Cocainum

            Acho que seria meio difícil conseguir que a Janet Yellen (Diretora do FED) falasse isso…

          • André K

            Se ela só falar não vai adiantar de nada. Se você fosse o único que acreditasse nisso e montasse uma dissertação, uma tese ou um estudo equivalente e bem fundamentado, eu aceitaria.

          • Cocainum

            Bem, como não sou só eu quem acredita nisso, fico dispensado da dissertação. Nem tenho mesmo a menor intenção de convencê-lo em um tópico no Disqus. Já passei dessa fase, hehehe.

          • Rafael Rodrigues

            Os EUA podem. Aceite. País nenhum viveria 24h com um buraco de 19 TRILHÕES DE DÓLARES. Eles vivem muito bem, obrigado.

          • André K

            Em tempo, eu entendo o termo “a vontade” como tendendo ao infinito. Se a sua intenção com esse termo foi uma quantidade absurda (para nós) mas perceptivelmente finita, aí sim a sua argumentação é válida.

          • Cocainum

            “A vontade”, foi no contexto da comparação com o Brasil. Se só emitíssemos uma fração do que o FED emite, o Real valeria menos que o Marco na segunda guerra.

            De qualquer forma, meu argumento não é que essa emissão ocorre “impunemente”. Ela apenas não gera a hiperinflação e a desvalorização que geraria em qualquer outro país. Mas a conta ainda vai vir. Pode não ser amanhã, pode não ser no ano que vem, pode não ser nem daqui a 10 anos, mas quando a bomba estourar, 2008 vai parecer bombinha de São João.

          • Ivan

            Esse é o sonho da esquerda, encher a população de credito e não gerar inflação.

          • Rafael Rodrigues

            Não ensine fundamentos básicos de política monetária aqui. Vão te chamar de esquerdista!

          • CtbaBr©

            Eu prefiro falar sobre o um Estado com um tamanho parecido com o nosso, com um composição étnica parecida com a nossa, os EUA foram o Brasil que deu certo!

          • Ivan

            COMO??????????

          • Cocainum

            Estado mínimo no país que chega a gastar US$ 1 trilhão por ano em despesas militares? As forças armadas fazem parte do estado. Sabia não?

          • CtbaBr©

            Eu falei de estado minimo, não falei de estado desarmado!

          • Cocainum

            Ah, bom! Estado mínimo onde a educação é paga, onde a saúde é paga, mas as guerras são de graça. Se esse é o “Brasil que deu certo”, que Deus nos proteja.

          • CtbaBr©

            Acredito que todas as diferenças, mesmo as minimas, no final acabam contribuindo para o nosso resultado negativo!

          • Alexandre

            E você sabe o tamanho do PIB dos caras? E a questão tem mais com regulação excessiva da economia do que propriamente carga tributária. Isso vale para sua referência aos países nódicos que, embora com alta carga tributária, têm ambiente de negócios fácil e pouco regulado.

          • Artur

            cite ai os estados minimos.

            alias na Somalia não tem estado, é uma blz viver lá….

          • CtbaBr©

            Porque você não cita os estados totalitários e paternalistas?
            A Coreia do Norte tem um estado máximo, centrado no semi-deus gordinho, a vida la é um paraíso…

          • Jean

            Somalia não tem estado? Claro que tem, vários, em guerra. Não ser reconhecido não quer dizer que não exista. Isso é uma bobagem dita a anos.
            Singapura, Taiwan são bons exemplos de ex favelas a céu aberto, que se transformaram após o incentivo ao livre mercado. Dolarização da economia ( tirando assim, o poder dos burocratas sobre a moeda ) incentivo à empresas estrangeiras, pouca regulação, etc.

            Outra, eu ainda vejo pessoal confundindo pouca liberdade economica com estado do bem estar social, triste ver que qualquer um opina sem nem ao menos ler o assunto, ou quando lê vai nos blogs de esquerda, que tem material desse nível de “Somália não tem estado “.

          • Rafael Rodrigues

            Sim. Livre mercado. E na boa? Eu iria a um café assim. É um saco beber café em pé porque as mesas estão tomadas por xupins de energia e wifi.

    • Odilon Costa Neto

      Não é sobre o custo de energia e sim do fato das pessoas empacarem as mesas para novos clientes pela tarde inteira depois de pedir o item mais barato do cardapio.

      • CtbaBr©

        Convenhamos, deve ser pela grana também!
        Haveriam inúmeras outras maneiras de evitar esse “empacamento”!

  • Felipe A.G. de Souza

    Pior vai ser se essa Galina decidir abrir uma fábrica de tortas…

    https://uploads.disquscdn.com/images/4298ad42e33f32a9168a677ab0d790f7889a7b187586d324f77e0639d81fc980.jpg

    Bom dia a todos.

  • Acho que se a pessoa é pão dura nesse nivel, retire as tomadas do café. Mas faz mais sentido aumentar 1% no preço do café e liberar as tomadas pra todos os clientes.

    • E. Bicalho

      O problema não é consumirem a eletricidade sem pagar, o problema é consumirem o espaço do estabelecimento por horas para carregar os aparelhos e limitarem-se a pedir os itens mais baratos do cardápio.

      • Cocainum

        Não seria melhor então simplesmente retirar as tomadas, colocando espelhos “cegos” em todas elas?

        Todo dono de bar adoraria poder chutar o cara que só pede uma coca e ocupar o espaço com quem pede várias garrafas de cerveja importada. Mas não dá pra escolher cliente.

        • E. Bicalho

          Aplicar uma taxa é mais fácil que fazer o downgrade no estabelecimento… 😛

  • E. Bicalho

    Me parece que o problema não é às pessoas consumirem a energia do local sem pagar, mas ocupar o estabelecimento para tal e pedirem o item mais barato do cardápio para justificarem sua presença.
    Eu entendo perfeitamente a atitude do proprietário, o que, é claro, não signifique que eu aprove.

  • Isaias Freitas

    Wifi gratis la então…

  • Rin Tezuka

    – Uma mesa pfv.
    – Com ou sem tomada.

  • Eduardo Nobre

    É um assunto bastante polêmico, pq se olharmos como clientes, vamos gostar de sentar pra tomar um café e usar a tomada e até mesmo o wifi do estabelecimento. E ficar ali sentado por algum tempo, descansando e mexendo no celular, Tablet, etc…
    Mas deve ser muito ruim para o proprietário perder clientes e dinheiro, pq o local está cheio de gente que só está ali ocupando o espaço de outros clientes que queiram consumir algo, mas desistem pq está lotado.

  • Cão que chupa manga

    Os butecos que frequento não tem tomada na parede. E ninguem fica olhando pra telefone.

  • Convidado

    Não é a eletricidade, o custo mesmo é do ponto e da perda de clientes que deixam de ir pois o local está ocupado.
    Tem muita gente que trabalha em cafés, é muito mais barato para o “cliente”, pois usa um ponto comercial de fácil acesso, com internet, banheiro e pode até receber clientes para fechar negócio.

  • Dirriba

    acho que a unica vez que fui “cobrado” foi qdo estivesse em uma famosa rede pelos famosos atributos das garçonetes e uniformes onde os destacam e precisei de uma recarga para o meu celular….eles trouxeram a mesa uma bateria daquelas externas com a marca da vivo e a gerente logo veio me explicar que apareceria uma entrada e saída da minha conta de R$120,00 referente a bateria…que ali só permaneceria (obvio) se eu não a entregasse ao final da conta…

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis