Refugiado da selfie com Angela Merkel está processando o Facebook

Anas Modamani aprendeu da pior forma como o mundo dá voltas: a selfie que o refugiado sírio tirou com a chanceler alemã Angela Merkel, quando esta visitou o abrigo em que ele estava em 2015 rodou o mundo, o colocou nas capas de jornais e foi parar em noticiários, promovendo a política alemã de dar abrigo aos que fugiam da guerra. Ele foi inclusive acolhido por uma família graças à foto.

Só que não durou, e os desdobramentos recentes fizeram com que a foto virasse um meme, com Modamani sendo inclusive chamado de terrorista. Como o sírio não mais pretende que sua imagem seja mal utilizada ele resolveu bater cabeça com aquele que considera o maior responsável por seu atual infortúnio: o Facebook.

Modamani conta que teve cinco meses de bonança graças a foto, que considerava “um amuleto de boa sorte”. No entanto a sorte virou quando dos ataques em Bruxelas em 2016, seguido dos demais no decorrer do ano. Diversos posts no Twitter, Facebook e sites mundo afora (a maioria de memes e notícias falsas) passaram a se referir à imagem como “Angela Merkel tira selfie com um terrorista sírio”. O refugiado foi inclusive identificado erroneamente e mais de uma vez como Najim Laachraoui, imigrante marroquino simpatizante do Estado Islâmico e um dos dois homens-bomba do atentado ao aeroporto belga. Outras montagens mostravam ele e Merkel colados no caminhão do ataque a Berlim no Natal.

Modamani acabou por retirar sua foto da internet e solicitou que todos os sites e redes sociais fizessem o mesmo, em mais um “caso Nissim Ourfali”. E tal como ocorreu com o garoto que adora ir para a Baleia tal esforço é inútil, pois uma vez na internet é impossível remover qualquer coisa, é como tirar urina da piscina com uma rede de pesca.

Anas Modamani e seu advogado Chan-Jo Jun durante audiência ontem na corte de Wurzburg, em que o Facebook é acusado de mau uso de sua imagem.

No entanto Modamani não pensa assim e contratou um advogado para cuidar desse caso. O primeiro passo foi levar o Facebook ao tribunal, já que no entendimento de Chan-Jo Jun a rede social não fez nenhum esforço para impedir o mau uso da imagem de seu cliente, e tem os meios necessários (através de algoritmos de reconhecimento) para impedir a repostagem da selfie por outrem, não importa sob que circunstâncias.

Claro que Modamani tem direito de tentar impedir que tirem onda com a sua cara, mas e em casos de sites de notícias sérios que veicularem notas sobre o processo? Este post entraria na mesma categoria. Afinal, embora seja prática corriqueira da rede de Mark Zuckerberg impedir uma foto de ser hospedada, independente do contexto pode ser algo bem ruim.

O Facebook até está tentando combater as notícias falsas, mas numa realidade onde deleta fotos de cotovelos mas mantém vídeos de tortura nem dá para dizer se farão o que Modamani deseja. E o sírio pode muito bem seguir em frente, inclusive entrando em modo full Ourfali e exigir que o Google atomize a imagem de toda a internet. Aguardemos.

Fonte: CNN.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples