Patent troll processa Netflix por armazenamento offline de vídeos

Levou um bom tempo até a Netflix se convencer de que não poderia deixar a Amazon Prime Video fazer a festa sozinha, e meses atrás anunciou a implementação do recurso de visualização offline; agora usuários podem baixar seus filmes e séries favoritos e assisti-los on the go, sem a necessidade de conexões ultrarrápidas.

Obviamente que alguma patent troll tentaria tirar uma casquinha, como sempre acontece nesses casos.

A esperta da vez é uma companhia até que bem conhecida no meio tecnológico, chamada Blackbird Technologies. Esta é uma patent troll no sentido mais óbvio da expressão, já que ela não possui nenhum produto no mercado. Seus únicos bens são patentes, ela é uma companhia que como muitas aproveita o maluco sistema de registro norte-americano (que permite o patenteamento de uma ideia, algo que não acontece por aqui) e sai catalogando ideias a esmo; no momento em que alguma companhia séria apresenta um produto funcional ela e outras empresas do tipo entram com processos tentando arrancar dinheiro.

No caso envolvendo a Netflix, a Blackbird alega que sua patente registrada em 2000 (que descreve o método de download de conteúdo e envio ao usuário via e-mail, mediante gravação offline em… CD-R) cobre qualquer serviço que ofereça visualização offline de conteúdo disponibilizado por streaming. Além da Netflix a patent troll despachou processinhos para Vimeo, SoundCloud, Starz, Mubi e Studio 3 Partners, empresa dona da Epix TV. Estranhamente a Amazon não fora citada.

Embora pareça perda de tempo, patent trolls costumam atirar para todos os lados em busca de juízes que comprem suas alegações malucas e validem suas patentes, o que costuma acontecer frequentemente e rende mordidas ferozes nos bolsos de grandes empresas. Por exemplo, a Apple foi condenada no ano passado a pagar US$ 3 milhões em multas para a MobileMedia Ideas LLC, empresa de registro de patentes controlada por Nokia e Sony pela tecnologia referente ao Alerta de Chamadas e Silenciar Toques no iPhone. Ainda que seja troco de pinga, o ideal seria não pagar um tostão a esses chupins.

Pode ser que não dê em nada, mas enquanto os EUA não derem um jeito nas regras loucas de registro de patentes tais empresas continuarão tentando, e eventualmente conseguindo arrancar dinheiro de quem realmente desenvolveu produtos de qualidade ao invés de patentear vapor.

Fonte: Ars Technica.

Relacionados: , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples