Review — Zenfone 3 Max

A ASUS lançou meses atrás sua nova linha Zenfone 3 no Brasil, e entre modelos de ponta como o carro-chefe e ultra premium como o Zenfone 3 Deluxe, estava o “pobre porém limpinho” Zenfone 3 Max. Embora seja um aparelho com especificações mais modestas, quase um mid-low ele possui performance de gente grande, principalmente por sua inacreditável bateria de 4.100 mAh que parece ter saído direto de Star Trek: ela se recusa a consumir energia mesmo forçando a barra.

Resumindo, é seguro afirmar que hoje o Zenfone 3 Max é o aparelho com a melhor relação custo/benefício disponível. Acompanhe o que achamos dele após três semanas de uso.

O Hardware

O design do Zenfone 3 Max segue o de seu irmão mais potente, embora um pouquinho mais rústico. A traseira não é de vidro como o Zenfone 3 (o que propicia alguns… acidentes de percurso) mas por ser de policarbonato confere uma pegada excelente, não há risco dele deslizar na mão. Com um vidro frontal 2,5D levemente curvado o smartphone acaba por se apresentar como uma opção muito interessante e bonita para sua faixa de preço.

Falando no display, o modelo testado pelo MeioBit foi a variação mais poderosa, com uma tela IPS de 5,5 polegadas (o de entrada possui display de 5,2″) e resolução Full HD (401 ppi). Ele possui uma boa definição e ângulo de visão, a reprodução das cores é bem fiel (sem um branco com tons amarelados ou azulados) e por isso, é bem agradável para consumo de mídia. O conjunto de som também é bem satisfatório, embora não se compare ao Alcatel Idol 4 e seus dois alto-falantes estéreo e quatro saídas de áudio, duas em cada face.

Por dentro, o modelo testado vem com um SoC Snapdragon 430 da Qualcomm, octa-core Cortez-A53 com clock de 1,4 GHz e GPU Adrno 505, 3 GB de RAM, 32 GB de armazenamento interno expansível até 256 GB via micro-SD (infelizmente com bandeja híbrida; mais uma vez você terá que optar entre ter dois chips ou um só e o cartão de memória), sendo este um conjunto até respeitável. A variação de preço mais elevado possui apenas uma diferença, 64 GB de espaço interno. Já o modelo de entrada, o de 5,2″ é equipado com um SoC MediaTek MT6737M, octa-core com clock de 1,25 GHz e GPU Mali-T720 MP2, 2 GB de RAM e 16 GB de espaço interno, além de câmera principal de 13 megapixels e selfie de 5 MP. De resto, tudo igual.

O Software

Aqui é que as coisas começam a ficar interessantes. Em primeiro lugar vejamos as câmeras: a principal possui 16 megapixels e abertura ƒ/2,0; autofoco laser com detecção de fase e Flash LED Dual-Tone, o que permite fazer algumas gracinhas. No entanto ela é muito boa para sua categoria e entrega imagens externas e internas bem nítidas, mesmo com iluminação mais limitada. O software permite fotos em HDR e o modo de Ultra Resolução captura uma imagem de 52 MP, quando as condições de zoom não são favoráveis.

O controle fino não é nada como uma DSLR, mas permite controle manual de ISO, balanço de branco e compensação de exposição, entre outras coisas. O modo noturno, presente em todos os aparelhos da linha não faz mágica, mas ajuda e muito.

Confira as fotos em resolução full aqui.

A câmera selfie possui 8 MP e abertura ƒ/2,2; sendo apenas justa e honesta. Digamos que você não vai passar raiva com ela desde que entenda a ausência de Flash. De resto, ajustes permitem que suas fotos capturem mais pessoas por vez, para selfies mais animadas.

Mas é mesmo na perforance de consumo de mídia que o Zenfone 3 se destaca, onde entra em cena seu recurso mais alardeado: a suculenta bateria de 4.100 mAh. Digamos assim, a expertise dos desenvolvedores de hardware evoluiu muito nos últimos anos e os SoCs comilões não são mais a norma, e sim a exceção. Quando você acondiciona uma bateria potente em um conjunto menos exigente, como o aqui presente que utiliza o Snapdragon 430 a autonomia melhora bastante. Ainda assim os resultados aqui surpreenderam.

Primeiro, o Zenfone 3 Max nem transpira durante a execução de vídeos no YouTube, música e mesmo games pesados. O aparelho não esquenta e o consumo de energia é bastante civilizado, mesmo jogando Pokémon GO você não verá o marcador esvaziando loucamente. A ASUS desenvolveu este smartphone para também funcionar como um PowerBank, tanto que o kit acompanha um adaptador micro-USB/USB 2.0 para você conectar qualquer outro dispositivo.

Só que resolvi forçar a barra um pouco, utilizando outros métodos. Coloquei um filme de 90 minutos em Full HD no cartão de memória e o executei no VLC, que joga todo o processamento pesado nas mãos da CPU e normalmente drena as energias dos gadgets móveis. Nem assim o Zenfone 3 Max reclamou: a temperatura permaneceu a mesma e o consumo de energia foi de 100% a… 97%.

Em situações normais de temperatura e pressão a bateria do aparelho dura até 48 horas, já em casos de uso mais pesado (tethering, games e etc.) ela aguenta pouco mais de 24 horas, o que é excelente. Embora não conte com um hardware similar ao Moto X Force (já que o Z Force não veio para o Brasil), o 3 Max não faz feio.

 

Vale a pena?

Pois bem: sendo bastante simplista o Zenfone 3 Max é uma excelente opção no mercado mobile hoje, porém é preciso lembrar de que se trata de um smartphone da ASUS; o Android 6.0 Marshmallow possui a famigerada camada de customização ZenUI 3.0 e que desagrada bastante gente, sem contar que há uma grande quantidade de bloatware pré-instalado que só faz ocupar espaço. Embora os fabricantes tenham maneirado a mão nos últimos anos, ainda não atingimos um cenário ideal.

Você conta com uma série de opções para customização, adequando o Zenfone 3 Max a seu perfil e ritmo mas é fato que uma parcela dos usuários prefere um Android mais limpo, sem muitos penduricalhos e que permita o uso de suas ferramentas de preferência. É uma questão de gosto e comodidade, uns podem preferir assim e outros não.

Sobre preços: a versão de entrada com tela de 5,2″; 2 GB e RAM e 16 GB de espaço pode ser encontrada por cerca de R$ 899, o que é um negócio interessante; já a versão testada pelo MeioBit com 5,5″; 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento pode ser encontrado por cerca de R$ 1.299,00, o que não é tão em conta mas se considerarmos sua excepcional performance de bateria e os preçoc mais elevados dos concorrentes (como a linha Moto G4), o Zenfone 3 Max pode ser um smartphone muito bom para quem deseja um desempenho decente sem correr o risco de ficar na mão sem energia.


ASUS Brasil — Zenfone 3 Max: Além de tudo, muita bateria

Relacionados: , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Diogo

    Acredito que a ASUS mandou muito bem nessa última geração do Zenfone lançada em 2016. Uma pena que muita gente ainda tenha olhos somente para as marcas mais “populares”, tas como Moto (Lenovo), Samsung, LG…

    • jack_snowstalker

      Eu virei meus olhos pra Alcatel ano passado, não me arrependo, tirando a dependência de tomada ele é fantástico :3

      • Eduardo Copelo

        Idol 4? tô pensando em pega-lo, está por menos de 1300 com kit VR. Vale a pena?

        • Germano

          Tem um review aqui no meiobit.

          • Eduardo Copelo

            Eu sei. Pelo Review, vale muito, mas a experiência de um usuário comum que já tem também conta muito!!

    • Julio da Gaita ✔

      comparando as specs vc sabe que a Lenovorola leva vantagem não é? for a o software com erros de tradução e todo mexido na Asus, ouvi falar que a assistencia tecnica é bem ruim tbm…

      • Diogo

        Sobre as specs: o Zenfone 3 mais fraquinho (de 5,2 polegadas) possui exatamente a mesma configuração (memória, armazenamento, processador) que o Moto Z Play, sendo que o Zenfone custa 1.699 e o Z Play custa 2.199 (preços oficiais, atualmente dá pra encontrar ambos por um preço menor). Fora que em todos os reviews que eu vi, a câmera do Zenfone era superior ao do Moto Z Play. Daí dá pra ver a questão do custo-benefício…

        Sobre o software: realmente os erros de tradução são um problema, mas não encontrei nada tão gritante que eu tenha que olhar todos os dias, então são coisas que dá pra relevar…

        Sobre a assistência: também é outro problema, nunca precisei da assistência deles pra sentir isso na pele, mas sei dessa fama. Em todo caso, nada que o CDC e pequenas causas não resolvam 🙂

        • Julio da Gaita ✔

          eu quase comprei o zenfone novo com tela maior, mas depois que mexi no de uma amiga e vi vários apps inuteis e customização pesada, e como ja tive um moto g 2013 que funciona até hoje, e também a comunidade de roms customizadas é bem maior ( o zenfone da geração anterior tinha processador intel, a galera fala que não tinha como mexer no kernel ou customizar a rom direito) fui de moto z play, mas pra mim ele é bonzinho, nunca travou, a câmera é boa, interface limpa.. tbm não sou nenhuma “spec whore”, funciona bem mesmo… comprei o meu no final do ano passado paguei 1599,00 pra mim tá bom .)

          • Diogo

            O Moto Z Play é um smartphone ótimo, principalmente pela autonomia da bateria, que é excelente. Fiquei muito em dúvida entre ele e Zenfone, mas acabei optando pelo Zen mesmo.

    • Islan Oliveira

      Quando fui comprar um smart novo acabei indo de G4 Plus porque achei que compensava mais. A Asus tem custo-benefício interessante, mas não verá um centavo meu enquanto usar essa UI vinda direto de 2012.

      • Diogo

        Aí é como o Gogoni falou: é questão de gosto. Eu relevei essa questão da UI em nome do custo-benefício, e até que consegui me acostumar, atualmente tô gostando bastante da Zen UI…

      • Ed. Blake

        Sobre a ZenUI, fora a quantidade de bloatware, a mesma é
        excelente principalmente ao “usuário comum”: Bem otimizada em desempenho e autonomia de bateria, com bons
        recursos de custom ROM que o AOSP não tem e é bonita (questão de gosto) porém na versão Marshmallow não foi muito bem lapidada e conta com alguns erros de
        gramática e tradução além textos que não cabem nos botões ou interface.

        Mas no geral grande parte da comunidade do Zenfone sempre acaba voltando para a ZenUI depois de instalar uma ROM AOSP.

        Eu mesmo usei Motorola desde 2013 (era de ouro) e no fim do ano passado comprei um Zenfone 2.

      • Tbrz

        Eu acabei indo de Zenfone 3, e olha me surpreendeu muito: é MUITO rápido, a câmera é ótima e eu nem acho a ZenUI ruim – além do design do celular fazer inveja a muito high end

  • jack_snowstalker

    Mano, fico até deprê quando vejo o pessoal de reviews falando que um FUCKING octa core com 2gb de RAM não é incrível, embora muito bom é “modesto”. começo a chorar com meu quad core de 1gb de RAM comprado ano passado… (mas eu amo ele, tirando a bateria é um sonho em desempenho)

    • Michael Loeps™

      2gb é ótimo atualmente, mas com os high-end de 4,6,8gb a classe média fica se sentindo pobre.

    • Ed. Blake

      Pois é… Meu Zenfone 2 com 4Gb de RAM sempre tem ao menos 1GB (Marshmallow)/1,5 de RAM(Nougat) livre sem que eu precise fechar apps rodando em plano de fundo.

  • Vinicius Zucareli

    O meiobit sabe se realmente o Zenfone 3 zoom vem pro Brasil esse mês, mesmo?

    Eu sei que não é da mesma categoria, mas 5000mAh é muita suculência.

    • Thiago Cururu

      Porra, é a capacidade da bateria da minha moto…

      Antes que alguém fale, não estou discutindo utilidade ou tecnologias, só comentando o número.

      • Angelo Vale

        Há diferenças. A sua é feita para drenagem rápida de corrente enquanto aos de celulares, fornecem lentamente sua carga. Jamais funcionaria a contento numa motocicleta.

        • Thiago Cururu

          Sei disso, por isso falei antes que não estava discutindo utilidade, apenas comparando números sem contar com sua construção.

  • Só uma dúvida, vem com qual versão de Android e tem garantia de atualizações do Android?

    • Diogo

      6.0 Marshmallow. A Asus diz que tem garantia sim, mas pra saber quando, aí é outra história…

  • Renato Oliveira

    Eu ainda acho o de 5.2” melhor relação CxB.
    Por ter tela menor não tem mais durabilidade na bateria ?

    • Cássio Amaral

      O que lasca é que tem chip MediaTek, e ainda mais essa GPU Mali lixo. Pior que por R$ 899,00 não está barato, no fim do ano passado peguei um Moto G4 16 GB pagando 100 reais a menos.

  • Mestrechronos Daiô

    E se comprar um Asus, rezem para que ele não dê problema e o mesmo seja recorrente, porque mesmo com as leis do direito do consumidor relacionado a vício oculto, eles dão de ombros quanto a garantia quando isso ocorre.

    Esse é o depoimento de um consumidor da Asus que está para entrar no Procon contra empresa.

  • Marcio Faria

    Se as fotos são da qualidade daquelas exibidas acima (em resolução full) então a câmara não é nada boa porquê as fotos são péssimas.

  • bruno miranda

    Eu to querendo comprar um telemóvel inteligente para minha vó, esses zenfone vem com um modo para velhos né? queria saber se alguém tem alguma experiencia com esse modo.

    • GSite

      Instalei este Laucher (Wiser – Simple Launcher) num celular motorola D3, para minha sogra. Funcionou bem para ela.
      Botões grandes, e você põe só os apps e contatos que interessam.

    • mr_rune

      os recursos de acessibilidade na maioria dos aparelhos resolvem, só questão de configurar, fiz isso pra minha mãe, fica tranquilo pra idoso usar

    • tiago

      Tem um modo fácil, fica com os botões enormes e com letra grande, deve ser bom para idosos, lembra o SO Symbiam

  • Ed. Blake

    Se a versão de 5.2 tivesse um SoC Snapdragon eu trocaria meu Zenfone 2 sem pensar.

    Sobre a ZenUI, fora a quantidade de bloatware duvidoso, a mesma é excelente: Bem otimizada em desempenho e autonomia de bateria, com bons recursos de custom ROM que o AOSP não tem e era bonita na versão Lollipop (não foi bem lapidada na versão Marshmallow com erros de gramática e tradução e textos que não cabem nos botões ou interface).

    Ainda assim sempre existem versões da ZenUI customizadas sem os bloatwares com Root, Xposed e Viper4A pré instalados e geralmente são as mais usadas nos Zenfones. Mais do que as tradicionais ROMs AOSP.

    Sem falar que a Asus sempre mantém a versão do Patch de segurança atualizado durante o período de suporte oficial do aparelho.

  • Ariel

    Feliz ou infelizmente, depois que meu zenfone espatifou a tela com uma queda pífia de menos de 20cm não consigo mais olhar com bons olhos nenhum celular da Asus

  • Anderson Pontes

    Difícil é achar essa versão de 5,5″ pra vender no mercado –‘

  • Inquisidor

    calma aí, vc assistiu um filme em 1080p de 1:30:00 de duração e só gastou 3% da bateria? PQP meu moto g2 velho e cagado ia ter perdido uns 70% da bateria nesse filme, vish, ta na hora de aposentar o moto g.

  • Luan Cardoso dos Santos

    Corrige lá. A CPU é Cortex A53 e a GPU é Adreno.

  • Germano

    Ultimamente, lendo esse tipo de review e os comentarios que seguem, fico com a impressão que escolher um smartphone novo hoje aqui no Brasil e como escolher um candidato em época de eleição: você garimpa e pesquisa ate achar o “menos pior”.

  • Gustavo Borges

    Bom texto, especialmente pelo clipe escolhido.

  • No Brasil, no quesito bateria, nada bate o A9 2016.

  • tiago

    tenho um lumia 530 e comprei um desse, a câmera é muito boa, a bateria aguenta muito, mas o que me atraiu foi a saída OTG que permite usar um mouse caso aconteça de quebrar tela (Rip meu Nexus 4), não encontrei outro celular com esse preço com essa função.

    Não me acostumei ainda com o teclado do Zenfone 3 max, o teclado do Lumia era mais fluídico e mais inteligente nas sugestões (por incrível que pareça).

    Outra coisa que me desacostumei no android é a quantidade absurda de informação que o celular te joga, os lumias possuem menos aplicativos, mas também é menos apelão e muito mais direcionado nas funcionalidades que o android.

    Por fim o que senti falta é o App de mapas do Lumia que é muito bom no uso Off-line (uso muito o GPS em áreas rurais), não encontrei ainda alternativa similar para android.

    Quanto ao tamanho de tela ele é um pouco grande e meio pesadinho, para quem anda muito no interior não é muito interessante, mas para jogos deve ser muito bom, a carcaça dele é bem lisa e fragil, é preciso comprar com capinha, o canto arredondado não da uma pegada muito boa.

    Mas o Zenfone é muito bom, quem quiser uma versão igual e mais barata, procura por Asus Pegasus no Aliexpress (fica a dica)

    • Germano

      Sugestão de GPS offline: Here We Go. Esse derivou do antigo Nokia Here, e embora eu so conheça o original/antigo pelos elogios que li, posso fazer meus proprios elogios para esse atual. E meu app de GPS principal, mantendo tambem o Waze e o Google Maps no celular como alternativas mas ainda não aconteceu de precisar trocar.

      • tiago

        no meu caso, como uso no meio da mata msm, ai sobra poucas alternativas

        • Germano

          Sim, entendi o seu caso. Ja sucedeu de eu ir realizar um trabalho, uma vez, numa regiao de plantações de cana e usinas la em Minas, nem lembro o nome da cidade, e tive uma amostra do que acho que voce vive.
          Alem do que recomendei, o Google Maps hoje permite fazer download de uma area para uso offline. Mas realmente, GPS offline de qualidade no Android sao poucos, so recomendo o Here mesmo. E no seu caso ainda tem o problema de com que frequencia as vias sao atualizadas ou mesmo mapeadas.

  • Minha experiência com a edição ‘go’ foi péssima. O software era altamente bugado. Várias atualizações depois e ainda era péssimo.

    O MI Note que pode ser trazido por pouco mais de 500 reais (se tiver azar vai pagar mais 70% de impostos) é bem mais superior em hardware e software.

  • Felipe Lino

    Comprei um e estou com problemas, todas as opções de sons reativam sozinhas msm eu desativando varias e varias vezes, como por exemplo Whats, messenger e sons do teclado. Vou ligar no suporte.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis