Wii U quatro anos depois: impressões finais

wii-u

E como já dizia o sábio Walter Joseph Kovacs: sim, “o fim está próximo”. No caso, o fim em questão é o do Wii U, videogame que a Nintendo lançou nos Estados Unidos no dia 18 de novembro de 2012 e que tinha a duríssima missão de substituir um aparelho que vendeu mais de cem milhões de unidades.

Com o seu sucessor estando a pouco menos de dois meses de chegar ao mercado e com canto do cisne do Wii U — o jogo The Legend of Zelda: Breath of the Wild — também estando muito próximo de ser lançado, acho que chegou a hora de fazermos um levantamento do que funcionou ou não no console.

Após conversar com amigos que também possuem o videogame, selecionei alguns pontos que considero importantes e nesse texto comentarei um pouco sobre eles. Então vamos lá.

— A falta (e o preço) de jogos

Quando se trata de criticar o Wii U, o principal alvo normalmente é sua lista de jogos. Sem o apoio maciço das desenvolvedoras e editoras externas, o console sofreu com a ausência de grandes produções, ajudando assim a reforçar a ideia de que videogames da Nintendo só servem pelos jogos da Nintendo.

Além disso, a plataforma nunca recebeu as generosas promoções que nos acostumamos a ver no PC ou mesmo nos aparelhos da Sony e da Microsoft. O que também atrapalhou na aquisição de novos games foi a ausência da Nintendo no Brasil, o que fez com que o valor cobrado pelos games demorassem muito a cair por aqui (isso quando caíram).

— Uma linha exclusiva de respeito

mario-3d-world

Tudo bem, quando se trata de jogos feitos por estúdios externos os donos de um Wii U tem muito a lamentar, mas se o assunto for os títulos criados pela própria Nintendo, aí a coisa muda bastante. Mario Kart 8, Super Mario 3D World, Yoshi’s Woolly World, Super Mario Maker, Xenoblade Chronicles X, Splatoon, Paper Mario: Color Splash… foram várias opções e principalmente, de altíssima qualidade.

É bem verdade que muitos fãs sentiram falta de um Metroid, de um novo F-Zero ou não engoliram o criticado Star Fox Zero, mas no que se refere às obras da Nintendo, acho que não podemos dizer que eles não tentaram e se você comprou um Wii U pensando principalmente nas franquias da BigN, não deve ter se arrependido.

— Uma rede online muito atrás da concorrência

Para quem achou que a Nintendo aprenderia com os erros cometidos com o antecessor, podemos dizer que a parte online do Wii U foi uma decepção. As partidas online estão lá; boa parte dos jogos lançados fisicamente podem ser adquiridos pela loja digital; podemos ter uma lista de amigos; existe um chat por voz, mas… Tudo funciona de forma muito precária, sem toda a facilidade e robustez oferecida pela PSN ou Xbox Live e sempre deixando a sensação de que poderia (e deveria) ser muito melhor.

Com a chegada iminente do Switch, a expectativa de melhoras na rede online foi renovada, mas como estamos falando da Nintendo, acho que o mais prudente seria esperar pelo pior, para o que vier acabar sendo lucro.

— Hardware limitado sim, mas isso não foi “O” problema

Por mais que algumas pessoas insistam em atacar o Wii U por ele ser tecnicamente muito inferior ao Xbox One e ao PlayStation 4, digo com toda a sinceridade que esse é um detalhe que nunca me incomodou. Eu sempre defenderei que um jogo não precisa ter imagens fotorealistas para ser bonito e se tem uma características que a Nintendo conseguiu manter com esse videogame, foi de entregar jogos com belíssimas direções artísticas.

Porém, é impressionante como a empresa japonesa conseguiu tomar algumas decisões equivocadas quando se trata tanto do hardware quanto do sistema operacional do Wii U. Desde  o confuso e pouco útil Miiverse até o ato de compartilhar uma screenshot pelas redes sociais, a impressão é de que a equipe nunca soube muito bem como explorar o sistema, o que se torna ainda pior ao pensarmos que eles foram incapazes de lançar atualizações que adotassem melhorias significativas.

Já em relação ao equipamento em si, a capacidade de armazenamento interno rapidamente se mostrou muito pequena (mesmo na versão 32 GB) e embora possamos utilizar um HD externo no Wii U, eu só consegui fazer isso sem problemas depois de adquirir um dock com alimentação externa. Mas aí chegamos ao meu principal motivo de críticas ao Wii U, o seu controle.

— O problemático (e desnecessário) GamePad

gamepad

Desde o início apontado pela Nintendo como o grande diferencial do aparelho, o GamePad foi capaz de despertar sentimentos conflitantes em mim. Oras, é difícil não se encantar por aquela enorme tela no controle do Wii U, algo que poderia render maneiras muito interessantes de jogo, mas infelizmente não foi isso o que vimos.

Conforme o tempo ia passando ficava claro que nem a própria Nintendo sabia muito bem como aproveitar aquele controle e salvo raríssimas exceções, ele acabou sendo um recurso que não disse a que veio. Sim, graças a segunda tela pudemos viver algumas experiências vem interessantes, como criar fases no Super Mario Maker ou gerenciar a mochila no ZombiU sem parar a ação, o que causava uma tensão danada, mas tenho dúvidas se valeu a pena.

Outro problema do GamePad é que, talvez numa tentativa de forçar sua importância, a Nintendo acabou cometendo erros que considero simplesmente ridículos. Um exemplo é que mesmo que você utilize um Pro Controller para jogar, assim que o Wii U for iniciado o GamePad ligará sozinho e por mais difícil que seja acreditar, não existe uma maneira de desligá-lo pelo videogame, fazendo com que a sua fraquíssima bateria continue sendo drenada.

Aí temos por exemplo o caso do Xenoblade Chronicles X, título que no próprio manual diz ser compatível com o Pro Controller, mas só jogando descobrimos que ao utilizar esse acessório não teremos acesso ao mapa. Isso mesmo, a Monolith foi incapaz de incluir uma opção de visualizarmos o mapa pelo menu, com isso só podendo ser feito através da tela do GamePad e infelizmente ele será fundamental para avançarmos na aventura.

Some a isso o baixíssimo alcance do GamePad, que ao contrário do que eu imaginava anteriormente não funciona em outro cômodo da casa e dessa forma até a ideia de jogarmos através da sua tela, liberando a televisão para outras pessoas, acaba perdendo bastante apelo.

— Valeu a pena?

Essa é uma pergunta difícil de ser respondida, mas mesmo tendo visto mais erros do que acertos por parte da Nintendo, eu diria que não me arrependo de ter comprado um Wii U. Quando optei pelo console, eu sabia que não deveria esperar por títulos multiplataforma de grande porte, então não posso dizer que ele me decepcionou quanto a isso.

Por outro lado, me incomoda ver como a Nintendo sofre para se atualizar, errando em certos pontos bobos e principalmente, sendo incapaz de corrigi-los  mesmo com a aeronave estado em pleno voo. Talvez seja por isso que ainda não me empolguei com o Switch, mas quando o Wii U finalmente foi deixado de lado pela fabricante, ao menos poderei dizer que ele me permitiu jogar alguns exclusivos fantásticos.

Relacionados: , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • abraaocaldas

    Acho o pior é que pelo menos para mim a nintendo é arrogante e não admite que errou, vai tentar fazer a mesma coisa com o switch ao que parece. Vamos ver como vai se sair, eu espero que ela aprenda com os erros e volte a ser mais relevante no mercado para sair dessa polarização MS/Sony.

    • Diego Nascimento

      Pior, arrogante e mercenária. O preço que estão cobrando pelos acessórios são absurdos.
      Estão enfiando a ideia de híbrido só pra poderem cobrar 60$ nos jogos. Por 300$ no laçamento que não inclui nem um mísero jogo é sacanagem. O pior ainda é que está no top q de pré vendas dá Amazon, e reservas esgotadas em algumas.

      • Ivan

        50 doletas em um controle, ridiculo.

        • Diego Nascimento

          70$*

          • Ivan

            o que era que custava 50? era tantos acessórios que nem sei mais o que era o que

          • Diego Nascimento

            O controle pro custa 70$. Sendo que DS4 e do Xone você encontra por 50$ ou menos as versões padrão.
            Aqueles joycons eu não faço idéia do preço, mas não devem ser baratos.

          • AlexLow

            O joycon sai por 80$ o par

          • Wallacy

            É $50 um só.

      • otaviodecamposg

        Por um momento pensei que estivesse falando da Apple.

      • infinite power of the cloud

        o switch tem um hardware de portátil e a Nintendo quer cobrar preço de console de mesa.

        • Ivan

          mas se vc colocar ele no dock ela pode cobrar preço de console? fica o questionamento.

          • infinite power of the cloud

            vai continuar tendo hardware de portátil.

            olha o tamanho do switch, e compare com os console de mesa…. pega o menor deles.

            não tem como dizer que não seja hardware de portátil mesmo acoplado no dock, que é so um suporte para carregar e adicionar novas saidas para conectar outras cosias.

            malandra a Nintendo, que fez um console portátil e botou um dock para acoplar na tv e por causa disso vai vender a preço de console de mesa e com jogos custando o mesmo que console de mesa (40 USD jogo portátil, 60 USD jogo de console)

          • Diego Nascimento

            Exatamente isso.
            Não passa de um tablet com um dock pra saída de vídeo.

          • Ivan

            Pelo menos vai flopar e o console vai ficar mais barato logo logo

          • bruno miranda

            Ela vai vender a preço de console de mesa porque o Switch pode custar mais pra produzir do que um PS4, aquelas caralhinhas de Joy Con não devem ser muito baratas de fazer dado os recursos que tem, e ainda com 20 horas de duração de bateria, cada lado tem uma bateria, o NS vem com uma tela capacitiva HD, coisas que os outros consoles não tem, vem também com bateria, não sei a capacidade mas mesmo com a baixa autonomia deve ser alta porque são poucos aparelhos que aguentariam 3 horas de BotW. Os jogos vem com preço de console de mesa porque o desenvolvimento é o mesmo de um console de mesa, BotW, Mario Odissey, FIFA, NBA2K, Xenoblade Chronicles 2, Fire Emblem Warriors, Dragonball Xenoverse 2 sendo que muitos desses em FullHD na dock e HD na tela do console. Agora um fator do preço também é que a Nintendo não gosta de sair sem lucrar o próprio Reggie disse que não colocaram nenhum título incluso para não subirem o valor do console, ou seja eles não estão disposto a deixar de ganhar nem no passatempo 1, 2 Switch. Enfim, pelo Hardware, não pelo poder de fogo, o preço está no limite do aceitável.

  • caio.

    Um jogo que curti o uso do GamePad foi Mario Party, quando vc controla o Bowser. Parece que fica mais difícil dos outros jogadores previrem qual vai ser sua jogada nos minigames.
    Já em hyrule wariors, vc vê as desvantagens. Apesar de não dividir a tela (alguém joga na tv enquanto alguem usa a tela do gamepad), parece que o jogo fica incrivelmente lagado e com a resolução reduzida no multiplayer local =| dividir a tela da tv igual multiplayer local em outros consoles talvez não precisasse reduzir resolução

  • Mike

    Aproveitou a retrocompatibilidade com o Wii?

    • Se eu aproveitei? Bem pouco, pois ainda tenho o Wii.

  • Adoro Mario Kart 8 mas joguei mais o 1º Xenoblade Chronicles no meu Wii U.

    Espero que a Nintendo dê algum desconto nos jogos digitais do Switch para aqueles que já os compraram no Wii U.

    • abraaocaldas

      Desconto? Nintendo?
      ….

  • Eu, como possuidor do Wii original, que tinha infinitamente mais jogos que o Wii U, já achei ele meio que um elefante branco, com controles desconfortáveis, mas que ainda tinha algum apelo, pela novidade. O Wii U pra mim é um dos maiores fracassos desde o crash dos videogames de 1983. Algo do nível de Sega Saturn e Dreamcast, com o diferencial de que esses ainda tiveram uma biblioteca de jogos de respeito, com vários third-parties. Pra mim, absolutamente tudo no Wii U foi um erro. Espero apenas que os poucos jogos bons (vide Mario Maker) tenham uma versão pro Switch onde mantenham os levels feitos pelos usuários. Isso se o Switch tbm não for um fracasso (o que tem grandes chances de acontecer). A Nintendo continua errando muito. Acabou de lançar o Mario Maker no 3DS sem suporte ao upload dos levels feitos no portátil (apenas trocas locais, o que só faz sentido em lugares como o Japão, muita gente tem 3DS). O Super Mario Odyssey me empolgou bastante, mas não coloco minha mão no fogo por mais nada feito pela Nintendo.

    • A N tem muito dinheiro, deve pagar bem por bons analistas de mercado. É provável que tenha uma clara visão do mercado e da tendência futura.

      Essa estratégia que ela traçou na última década se mantém firme e forte e agora, historicamente, levou suas franquias para outro hardware.

      Não me parece que ela esteja perdida. Tomou um caminho estratégico que console é pra toda família, é diferente de um computador que só tem potência e mais potência.

      Não sei se ela se deu conta, que somente hardware potente, vai ser mais do mesmo e existirá embarcado na TV, no set top box genérico da TV, tudo vai rodar GTA…

      Ela investe claramente nas suas franquias (seu real patrimônio) e num hardware dedicado pra criança, adolescente, adulto e idoso… Todo mundo se divertir.

      Para a faixa adolescente, adulta, adicionalmente compra um hardware whatever (iptv, computador, Xbox, PS), tudo igual pra jogar GTA.

      • Concordo contigo que a Nintendo tem um foco bem definido. Mas ainda assim, ela falha muito no que se propõe. Ela podia ter tudo isso, mas dar um suporte decente para seus aparelhos. Eu tenho um 3DS e não me sinto motivado a comprar muita coisa. Tudo na loja virtual dela é caro, e muita coisa não tem na loja virtual. Raramente fazem promoções de verdade. A conectividade é limitada. Fora que as compras estão atreladas ao aparelho, e que não pode ter mais de uma conta. Trava de região, coisa do século passado.

        O Switch já vai sair com um armazenamento ridículo de 32GB. Eu tenho isso no 3DS. Num cartão SD que paguei 12 dólares, preço de consumidor final, no BestBuy, de rua! Imagina direto de fábrica quanto sai? Eu acho que mesmo com esse foco, ela ainda peca em muitos aspectos. Fora que ela abandona completamente os aparelhos anteriores. Ela já vai sair com a promessa de dar jogos de NES/SNES mediante assinatura pra jogar por um mês?? Limitar jogar um jogo de 20/30 anos atrás? Qualé! Parece que o conselho da Nintendo que toma decisões são uns velhinhos barbudos de kimono que vivem na época que a Nintendo fazia baralhos de Hanafuda. =(

        • Essa falta de atenção as plataformas anteriores me preocupa. Queria ter o Wii Fit e a board ainda no Switch, queria jogar Wii Sport, Mario Maker e ainda os jogos que paguei uma fortuna na loja do 3DS… É o mínimo que espero.

          Sobre os velhos, é bizarro a apresentação que eles fazem. Tem exatamente esse tipo de pessoa, como eles podem entender alguma coisa desse mundo atual?? Kkkk

        • Nilton Pedrett Neto

          o problema de disponibilizar jogos antigos deve residir no inferno do licenciamento… não existia Internet, cada país (as vezes cada região de um país grande como os EUA) tem acordos de licenciamento de jogos diferente… conseguir renegociar tudo para tornar transparente para o consumidor deve ser um inferno (nem a Netflix consegue) e, provavelmente, os sempai da empresa não achem que valha o esforço.

          • Mas ela geralmente só disponibiliza os jogos dela mesma, ou de outras first-parties (vide Sega no Virtual Console).

            Jogos baseados em coisas já existentes (desenhos, filmes, quadrinhos, franquias esportivas, etc) geralmente não saem nesse modelo. Nem mesmo em coletâneas de jogos antigos para consoles. Vide o caso do Rare Replay. Tirando os Donkey Kong Country q são da Nintendo, o único jogo que não tem é o Goldeneye 007, que é baseado em filme.

            Então creio que é mais “mão-de-vaquice” do que licenciamento mesmo. =)

          • Nilton Pedrett Neto

            Depois veja o documentário sobre o tetris pra ver o que é o inferno do licenciamento…

          • Tetris é um caso à parte. Nem o criador tinha os direitos antes da queda da União Soviética. E quando saiu na América, era exclusividade da Nintendo para o Game Boy.

          • Nilton Pedrett Neto

            Não… Não foi assim….

      • Malloy

        Eu não concordo. A Nintendo conseguiu um sucesso estrondoso com o Wii, pelo fator novidade, controle por movimentos e etc. Se perdeu no WiiU totalmente e, acredito que se perderá no Switch. Quero muito que esse console faça sucesso, mas querer não é poder, e o fiasco do WiiU tem grandes chances de se repetir com o novo console da companhia. Como podem ter analistas de mercado, se sua network é horrível? Como esses analistas de mercado não ajudaram a Nintendo a melhorar o hardware do WiiU para pelo menos, se tornar interessante para que third parties pudessem trazer seus games para a plataforma. Pra mim, a Nintendo está recheada de vovôs que, de games, não estão entendo mais nada. Mais perdidos que cego em tiroteio. Eu tenho um 3DS e pra adquirir games é um porre. E olha que a rede online em que me cadastrei é a do Canada. Não aceita a maioria dos cartões de crédito, cartões esses que compro normalmente em sites gringos. O não suporte para o Brasil, jogos sem localização, diretores que desconhecem que a PSN e a Live existiam e por aí vai. Mas como disseram, a Nintendo ainda tem grana pra testar e errar. Mas não vai durar pra sempre. Acredito que o Switch vai ser outro console que, se sobreviver, vai ser por IPs da própria Nintendo.

        • Justamente, ela enxerga o mercado melhor que eu o tu, ela sabe muito bem o que um hardware menos potente deixa de rodar, e a sua estratégia é não rodar The Witcher, Fallout, GTA… isso qualquer hardware potente roda. Talvez ela veja o futuro sem saída nesse modelo que Xbox e PS adotam… só coloquei em questionamento isso. Pois afinal, é uma década com este foco bem definido em videogame pra família, em jogabilidade e diversão acima de tudo. Talvez daqui 10 anos ela esteja aí e os outros dois players do mercado já tenham abandonado o console pra seguir vendendo sistema operacional, walkman e afins… e GTA seguirá existindo rodando em qualquer caixinha genérica ligada na TV, ou embarcado na TV.

          Ainda acho que ela sabe o que esta fazendo, não esta perdida.

          Concorda dos serviços online dela… são uma aberração de tão ruim, me sinto em 1997.

    • Caio_RB

      “A Nintendo continua errando muito. Acabou de lançar o Mario Maker no 3DS
      sem suporte ao upload dos levels feitos no portátil (apenas trocas
      locais, o que só faz sentido em lugares como o Japão, muita gente tem
      3DS).”

      Assim, Mario Maker de 3DS ultrapassou a versão de Wii U em menos de um mês no Japão com 900k já e no mundo já superou 1 milhão, então eu diria que no fim foi acertada.

  • Ivan

    E como será feita adição de amigos no switch? digitar aquele mundo de numero do seu amigo, depois ter que passar o seu numero pra ele é ridiculo.

    • bruno miranda

      No Wii U já não precisa disso…

      • Ivan

        menos mal, 3ds tinha isso e era uma merda.

        • bruno miranda

          No 3DS ainda é assim, uma merda mesmo.

  • “videogames da Nintendo só servem pelos jogos da Nintendo”
    Essa afirmação se tornou um mantra no WiiU, e espero que seja menos frequente com o Switch.
    De uma coisa posso me orgulhar, o Switch não terá trava de região, considero um salto, finalmente!
    Nem vou tocar muito no quesito preço porque todos á sabem o obvio, vai sair caro na Banania como sempre.

  • bruno miranda

    Dori, e como “pai em tempo integral” o que achou do Wii U jogando com seu filho?

    • O Nicolas ainda não liga muito pra videogame, o negócio dele é só Minecraft. Mas para quem tem filhos que gostem, sem dúvida é um ótimo console.

      • bruno miranda

        Perguntei porque pra mim o Wii U foi um marco muito grande com meu filho, jogos com jogabilidade assimétrica, estimulo de comunicação e o caralho nos uniram muito como pai e filho, eu fico até emocionado, nos desenhinhos da escola ele fez várias vezes a gente jogando Smash ou nossos miis nos mini games do Nintendo Land. Assim fica difícil não amar o Wii U mas é uma coisa bem pessoal.

        • Boa!

        • Rafael Rodrigues

          Nindendo land para pai e filho é sensacional. O meu filho de 5 anos adora o jogo do fantasma.

          • bruno miranda

            O meu ja tinha quase 5 também quando comprei o Wii U mas as vezes eu tinha que deixar ele ganhar porque o bicho ficava nervoso, eu sempre preferi os coops o do Link foi o que eu mais me empolguei eu ficava no arco e flecha e ele na espada, eu tenho uma paixão danada por shooters on rail.

        • Fred

          Acho que essa é a sacada da Nintendo. Pq só mais um console para concorrer com PC/X1/PS4, o mercado não precisa. Consoles Nintendo são um ótimo complemento, faz muito mais sentido como segundo console, do que X1 e PS4, ou PC e X1 ou PS4.
          Não vejo a hora da minha filha ter idade pra começar a jogar videogame, aí certamente comprarei um novo Nintendo, que será o Switch ou qualquer um que o venha suceder quando ela começar a jogar. E vou fazer ela jogar todos os Marios, desde o NES 🙂

        • Jefferson Brito

          Comigo ocorre o mesmo, meu caro… Pikmin 3 que minha filha de 4 anos adora e o Mario Kart 8 que joga comigo…

          • bruno miranda

            Pikmin 3 foi um presente de aniversário pro meu moleque, ele tava internado bastante doente na época mas graças ao gamepad conseguiu jogar no hospital e facilitar a experiência ele gostou tanto de Pikmin que me fez comprar os curtas.

  • Smartfox

    O que a Nintendo não consegue entender é que nós, que jogamos video game antes do fenômeno Wii, vemos os consoles de forma diferente. Nós não queremos uma evolução do Wii, estamos esperando um sucessor do SNES e GC, os dois últimos consoles focados no publico hardcore dela.

    Não sei se o Switch vai cumprir esse papel de ser o sucessor que esperamos a tantos anos, mas tenho confiança de que mesmo com esse preço salgado ele vai vender bem, com certeza não vai chegar nem perto do PS4, mas se a Nintendo dedicar no desenvolvimento de bons jogos (principalmente daqueles que não vemos notícias a anos) eu não vejo porque não poderia fazer sucesso.

    E ela também precisa parar com essa idéia de que o Switch é um console de mesa e que vai coexistir com o portátil. Ela tem a maior oportunidade de abocanhar uma boa parte dos 80 milhões de usuários do 3DS, só precisam investir nos jogos certos! Com dois consoles portáteis competindo entre si no mercado (sim, o consumidor leigo não vai entender o que é o Switch), nenhum e nem outro vai vender bem… Vai acabar confundindo os consumidores e entrar no clube do Wii U.

  • Lincoln

    Pior do que o gamepad ligar sozinho ao ligar o Wii U, é quando você quer somente usar outro Joystick, é quando você usa o gamepad e a imagem dele é idêntica a da TV, alguns jogos não desligam a tela dele, e consome energia desnecessária. Isso acontece inclusive no Netflix! Já no Donkey Kong, quando você diz que quer ver a imagem na TV ele apaga a tela do gamepad.

    • bruno miranda

      Com outro controler aperta o botão Home e vai no menu de controles, lá é possível desligar a tela do game pad. Eu nem me dou o trabalho já que o meu eu nem tiro da tomada.

      Obs: no antigo app da Netflix era possível escolher aonde passava o vídeo, no Game Pad ou na TV, na ultima atualização resolveram deixar clonado as telas acredito que para simplificar o suporte ao app mas para mim trouxe uma melhoria muito grande, antes o som só saia de uma saída, ou no game pad ou na TV, agora como o som sai simultâneo é possível usar fones de ouvido no gameoad e deixar a TV muda, assim da pra ouvir o som no talo no meio da madrugada.

      Dica: o Wii U é otimo para pr0n, assumindo que o sitio reproduza em HTML5 da pra fazer esse mesmo esquema no navegador e ainda por cima o botão X fecha umas cortininha marota na TV em caso de emergência.

  • Felipe Braz

    Pra quem gosta de mario e zelda (eu por exemplo) não tem do que reclamar do Wii U, e ainda veio com alguns extras como xenoblade e bayotetta =)

  • Jefferson Viana

    O maior problema que eu acho com esses consoles da nintendo é que daria sim para eles fazerem um hardware pra atrair as thirds e ainda ter suas “inovações”.

  • Gesonel o Mestre dos Disfarces

    Tive um WiiU por um tempo, vendi quando saí do ninho e, como ficava praticamente o dia todo fora de casa, não compensava ficar com videogames que já não usava direito. foram-se embora então o DS, o Wii e o WiiU numa tacada só – E desses, só não sinto falta deste último.
    Sempre achei o gamepad pouco ergonômico. só o usei de fato no ZombiU. no New Super Mario Bros. era extremamente redundante. Sinceramente, até aquela área touch do controle do PS4 era mais interessante – embora também seja subutilizada.
    Foi um passo em falso da nintendo, e vejo grande risco do mesmo acontecer com o Switch – Mas ainda assim há muito potencial nesse novo console.

  • Pablo Lukan

    O maior problema do Wii U foi o Marketinr!

  • Juaum

    Desde o início achei e comentei que tornar o tablet obrigatório era o maior erro da Nintendo. Dificilmente conseguiriam aproveitar as capacidades extras do gamepad em muitos títulos.
    Ao invés do gamepad poderiam ter feito um console mais potente

  • O controle Pro do Wii U é muito bom, mas dúvido que vá ser compatível com o Switch.

    • Fiquei tão decepcionado com essa coisa de o videogame ligar o GamePad sozinho e de mesmo tendo suporte ao Pro Controller o jogo não funcionar direito, que estou até cogitando vendê-lo.

      • Se por algum acaso for compatível, vai valer uma boa grana. Acho melhor esperar o lançamento e ver.

  • SLCopetti

    Nintendo vem apostando há três gerações. Apostou com Wii, deu certo, apostou com Wii U, deu errado. Já a aposta no Switch inicialmente parece acertada, vide o Hype que está gerando. O que não entendo, é que já que estão apostando tanto, por que não apostar no que TODO MUNDO pede? Sei que já temos PC, XBOX, PS4, mas o povo QUER consoles potentes. Por que não apostar nisso? Entrega uma máquina FODA com controles tradicionais (muito mais baratos) e veja o que acontece. Se não vender, o que duvido, aí sim parte para esse monte de inovação(!?) que vem buscando há tanto tempo.
    Por outro lado, se pegarmos só o wii U, de acordo com o VGCHARTZ (relativamente confiável) os 16 jogos mais vendidos são da Nintendo, totalizando aproximadamente 48 milhões de unidades. Multiplicando isso por 50 dólares, daria apenas 2,4 bilhões de faturamento.
    Fica complicado argumentar contra um número desses.

  • Bruno

    Lado positivo do WiiU: Primeiro console de mesa em muito tempo a ter emulação completa antes de do sucessor tomar o lugar

  • Zalla

    Guarde essa matéria, em 3 anos substitua “WII U” por “Switcher”, pronto…

  • Manoel Jorge Ribeiro Neto

    O legal no Wii U é a possibilidade de rodar emuladores para várias plataformas. Simplesmente, é um excelente console para rodar jogos antigos via emuladores. E para mim, que sou um Sonysta nato, o Wii U só está me servindo para jogar novamente os Zeldas (única série da Nintendo que realmente gosto).

  • Celio Azevedo

    Eu adorei o Nintendo Wii U.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis