Versão naval do F-35 terá que voltar pra prancheta

Pelo visto o Trump vai rolar mais barraco com o trem da alegria entre a Lockheed e o Pentágono. O F-35, o caça de um trilhão de dólares e que só vai poder disparar o canhão em 2019, por falta de software, fez de novo.

Desta vez o problema é sério mesmo, envolve a versão mais cara: a naval. São US$ 350 milhões por unidade, já estão em fases avançadas de testes operacionais e o problema apareceu. Parte da culpa é desse negócio aqui:

O capacete futurista digital integrado cheio de sacanagem do F-35, são US$ 350 mil de altíssima tecnologia projetando dados em um cenário 3D, criando um ambiente de alvos virtual, etc, etc. Só que é pesado pra caramba. Isso já não é bom em vôo normal, com seu pescoço tendo que suportar vários G’s nas manobras, mas é especialmente ruim na decolagem.

O F-35 naval é acelerado por uma catapulta a vapor a 4 G dependendo das condições de peso, vento, etc. O que foi descoberto é que no momento da decolagem o avião oscila. Se isso te lembra a ridícula cena de Top Gang, não está muito errado.

São esses movimentos aqui os culpados:

Não parece nada mas na prática sua cabeça é balançada para cima e para baixo, presa a um capacete pesado ao mesmo tempo em que é acelerada a trocentos milhões de km/h no espaço de alguns metros.

Dos 105 lançamentos estudados 74 produziram dor moderada nos pilotos, 3 em uma escala de 1 a 5. 18 causaram dor severa de nível 4 e um piloto relatou dor severa persistente. 12 relataram dor razoável, nível 2. Nenhum reportou 0 ou 1.

As oscilações causaram desorientação e impossibilidade de ler instrumentos críticos durante a decolagem.

A incapacidade de ler os instrumentos foi constatada em 51 dos 105 lançamentos. 7 pilotos não conseguiram ler nada, 9 só conseguiram ler alguns dados críticos e 51 relataram dificuldade em geral. Nenhum reportou dificuldade zero e facilidade de leitura dos instrumentos de vôo.

Ou seja: o trem de pouso dianteiro está macio demais, mas ele não pode ser muito rígido pois precisa absorver o impacto dos pousos. O problema terá que ser estudado e a unidade reprojetada. O F-35C deveria estar operacional em 2018, mas o que quer que seja decidido só começará a ser implementado em 2019. Ou seja: mais atrasos ainda.

Agora é tarde para cancelar o programa, mesmo que Trump exploda a Lockheed alguém vai ter que dar manutenção e upgrades pro F-35 nos próximos 30 ou 40 anos. Parabéns aos envolvidos e no final só posso rir dos chineses que tiveram o maior trabalho pra roubar os planos do F-35. Boa sorte com esse abacaxi.

Fonte: The Drive.

Relacionados: , , , , , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • Ivan

    amarra o capacete no teto, problema de peso resolvido.

    • Inquisidor

      só usar imobilizador de pescoço daqueles que se usam em acidentes, ai coloca um sensor ou um controle para o cara virar a cabeça virtualmente kkkk

      • Julio da Gaita ✔

        virar a cabeça virtualmente…kosakoskaos, obrigado por me fazer rir logo de manhã…rs

      • Gustavo Rocha

        Oloco!
        Virar a cabeça virtualmente foi mítica!

        Kkkkkkk

    • Guilherme

      O duro se precisar ejetar e ter a cabeça arrancada.

      • Ivan

        só não ser tão resistente a ponto de não arrebentar quando ejetar.

        • Irá gerar um projeto de tempo e custos igual ou maior ao estudo do trem de pouso dianteiro.

          • Ivan

            Foi zueira, mas ainda sim sairia mais barato

      • GOOOOOOSEEE!!!!

    • Black Bomberman

      A primeira coisa que me veio à mente foi um projeto baseado naqueles estabilizadores de câmera que você pode colocar ela em uma máquina de lavar que ela não balança. Isso para o trem de pouso dianteiro.

      • Ivan

        Não sei se aquilo aguenta muito tranco.

        • Black Bomberman

          Talvez colocar no banco possa resolver

      • Kvra

        problema é a velocidade dessa bagaça

    • Gustavo Rocha

      Se amarrar o capacete vc produz mais balanços por conta da elasticidade que o material precisa ter para que o piloto n seja decapitado nas decolagens e aterrisagens.
      E os balanços nessa força G produzem danos seríssimos ao piloto. Por isso tem gente que é impedido de pilotar F1, imagina um F-35 em construção podendo ter mais erros ainda mais na frente.

      Kkkkkkkk

    • Gustavo Rocha

      History Channel tinha um programa sobre armas de guerra eles já mostravam pilotos com danos irreversíveis causados pelos aviões liberados hj. Nesse caso ai então…

      • Junior Capitanio

        é sussa, e so aposentar o piloto depois do primeiro voo que nao da nada

        • Gustavo Rocha

          Kkkkkkkkkkk

    • jairo

      A Fórmula 1 poderia ajudar os.pilotos utilizam um acessório para evitar que a cabeça balance tanto nas curvas

      • Ivan

        Também, além que não iria pesar tanto no pescoço do piloto.

  • Rodrigo Simão

    Eu colocaria uma válvula de inércia tipo as que vem nas bikes Specialized com o sistema Brain, e já estaria resolvida a treta kkkkkk

  • Imagens exclusivas da equipe da Lockheed trabalhando o problema do F35 no CAD:
    https://uploads.disquscdn.com/images/8c1c4d0d7268e3fe5c42409084a47fcfe6438ba9972f542d39253fd638bd8f55.jpg

    • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      Que jogo é?

      • Tiago Antunes De Souza

        herege, este “jogo” se chama kerbal

        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Ah tá, já peguei em promoção mas não joguei ainda, mas o Kerbal não era só espacial?

          • Tiago Antunes De Souza

            não, é aeroespacial, jatos são otimos para coletar ciencia em kerbin(planeta inicial) e da de fazer um ônibus espacial também se quiser

            e com mods da de colocar ate barcos e submarinos

          • PugOfWar

            só que é uma bosta pousar, qualquer encostadinha já explode tudo

          • Tiago Antunes De Souza

            isso era antigamente, com as atualizações ja resolveram isso

    • Tiago Antunes De Souza

      então espera eles instalarem o MechJeb

  • Ivan

    Isso que da colocar o estagiario pra projetar um avião.

    • DiMais

      chamem os russos, eles aceitam pagamento em vodka!!

  • Heronim Antonio Marçal

    A USNavy está acostumada a lidar com caças bugados, como é o caso do F-18 SuperBug!

    • DiMais

      deveriam ter comprado nossos Super Tucanos!

  • Jorge Dondeo

    Essa parada de querer fazer coisas que atendem vários propósitos, quase sempre resultam em patos.

    • Ivan

      Patos: voam, andam e nadam.

      • Tiago S

        Nenhum dos três direito.

        • Cocainum

          Mas dão ótimos personagens de desenho animado…

          • Alvaro Carneiro

            e como não fazem nada direito, são excelentes alvos para abate.

          • kleber peters

            “Você é desprezível”.

          • Gustavo Rocha

            Kkkkkkk

          • Ivan

            e ainda magos implacaveis

          • Patolino Verde

            Ou policiais intergaláticos.

        • Yago Oliveira

          Tadinho dos patos.

        • Luiz Antonio

          É, mas patos não precisam de capacete. 🙂

      • Cid

        Voa mal, anda mal e nada mal…

    • DiMais

      o propósito era ter uma aeronave de ‘relativo’ baixo custo… atingido com sucesso!!

      • Jorge Dondeo

        kkkkkkkkkkkkk sério?

        • DiMais

          com certeza, com o custo de uma única aeronave dessas já dá pra financiar o projeto do J-20 e J-31 chineses!
          tem que explicitar a ironia?

          • Jorge Dondeo

            A ironia eu entendi, só questionei se custo menor era um dos objetivos do projeto.

          • DiMais

            era sim, ter basicamente a mesma aeronave para diferentes propósitos mas com diversos componentes compartilhados..
            seria o mesmo princípio de empresas como a Gol que tem uma frota composta exclusivamente de Boeing 737 (em suas várias versões) porque reduz tempo de treinamento de pilotos, equipes de manutenção padronizada, remanejamento de frota, etc… … …

          • André Rocha

            Hahaha não sabia dessa. Falha atrás de falha.

          • Junior Capitanio

            em teoria era pra baixar o custo operacional por causa da padronização da frota, maaaaas, esse troço nem voa ainda pra saber do custo

  • Atrollando Natuacara
  • brunodmjr

    F-35: POGCat 😀

  • Leiner Vitor

    Top Gang!!! Melhor besteirol Ever!!!

    O problema deve ser esses pilotos frescos, chamem Topper Harley é de a seguinte mensagem aos envolvidos “eles estão dentro, vcs estão fora!”

  • Cocainum

    É só decolar com o capacete no colo e colocar depois, hehehe.

    • Ivan

      catapulta o capacete depois.

  • Parte da tecnologia poderia ser colocada no avião e transmitida para o capacete por alguma rede sem fio rápida de curtíssima distância, e o capacete apenas teria que retransmitir os dados ao piloto de forma legível #mecontratem #ézoeirakct

    • Hugo Vinícius

      Aproveita e já coloca no projeto o uso do padrão WiGig (IEEE 802.11ad), que é justamente para essas situações: altíssima taxa de transferência de dados sem fio a curtas distâncias. Vai ter dar menos dor de cabeça do que reinventar a roda.

      • Muito bem observado

      • DiMais

        e o medo de ter os dados interceptados?

        • Tiago Antunes De Souza

          se o cara chegar perto o suficiente para interceptar parabéns para ele, mas cabo é algo mais facil ja que eles tem que conectar o capacete a uma fonte de ar mesmo poderiam ja usar isso para os dados, porem acho que aqueles phd,s e doutores devem ter pensado nisso e não feito por algum motivo

          • DiMais

            pense em quanta informação um avião desse troca com outras aeronaves e controladores, mais dados sendo transferidos via rádio poderiam ser um empecilho para os aviônicos embarcados.
            além disso, num cenário de guerra não se pode dar sorte ao azar achando que ninguém conseguirá interceptar dados apenas por serem transferidos em distâncias curtas.. os alemães também achavam que ninguém jamais conseguiria quebrar a codificação da ‘Enigma’, até que os britânicos criaram a máquina que automatizou o processo de decodificação.

          • Ivan

            na verdade quebraram pq um comedor de chucrute ficou com preguiça de trocar a codificação, se não estariamos respondendo em alemão.

          • kleber peters

            Hummmm… vejamos… possibilidade de interferência eletrônica por jammers ativos… já existe necessidade de conexão física para o oxigênio… mais peso no capacete por conta das baterias (acho que com capacetes mais leves o problema não é tão crítico)… Bom… os caras estão ganhando um putilhão de dólares pra isto… que resolvam.

          • Ivan

            povo que gosta de complicar né…

        • Hugo Vinícius

          Em redes WiFi, a criptografia está na camada de enlace. Claro que estou super simplista aqui, mas acho que basta alterar o padrão IEEE 802.11ad, substituindo a criptografia utilizada. Não precisaria mudar nada na camada física.

          O negócio é que o 802.11ad é utilizado em pilha de protocolos, não sei se, nesse caso, precisaria de ter toda a pilha implementada. Então, eu acho que ainda dava até para capar da camada de rede pra cima. No fim das contas, você só pega a camada de rede já pronta e altera a camada de enlace de forma a reforçar a segurança e descarta todo o resto.

          • Gustavo Rocha

            Mas ainda assim seria vulnerável a hackers n? Implementar atividades de firewalls e anti-vírus n diminuiria a capacidade e velocidade de transmissão desses dados por conta da sobrecarga dessa mini-rede?

          • Hugo Vinícius

            Sim, sim. Para essa aplicação, melhor usar somente as camadas física e de enlace. Descarta tudo da camada de rede pra cima.

        • Hugo Vinícius

          Eu fiquei pensando aqui: com esses aviões todos eletrônicos, basta o inimigo jogar um pulso eletromagnético que deve, no mínimo, dificultar bastante a vida do piloto. Claro que tudo que tem aplicação militar deve ser super reforçado, mas, mesmo assim, tem muito sistema aí que pode não aguentar o tranco.

          • Gesonel o Mestre dos Disfarces

            PEM? Bombas Nucleares.

          • Ivan

            tem “bombas” que fazem isso sem precisar de uma bomba nuclear.

          • Ivan

            ia cair que nem pedra.

        • Junior Capitanio

          nao daria pra fazer um cabo ocm plug? o piloto entra, pluga e sai avuando

    • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      cabo HDMI

      • é possível

      • Ivan

        usb-c

        • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

          Serial 9 pinos

    • E. Bicalho

      Bluetooth, tudo fica melhor com bluetooth.

  • DiMais

    coitados dos chineses?
    eles vão pegar um F-35 e adaptar um trem de pouso de algum Sukhoi ou Mikoyan e tá tudo resolvido, mais rápido que a equipe da Lockheed.
    enquanto isso a Boeing deve dar umas boas gargalhadas pra cada trapalhada nova dessa que aparece.

    • Isso que pensei, divertido vai ser se os chineses MELHORAREM o F-35, gastando muito menos.

      • DiMais

        já surpreenderam o mundo quando apresentaram pela primeira vez o J-20 no final do ano passado e eles tem ainda o o J-31 que será destinado à exportação para os países aliados com custos muito inferiores aos do caríssimo F-35 ou mesmo dos F-22 ou F-18.
        os EUA estão cada vez mais perdendo seu protagonismo mundial com o avanço dos chineses.

        • Junior Capitanio

          ta certo que sempre se fica com a pulga atras da orelha na hora de comprar produtos made in china, mas é aquilo, da pra comprar uns 4 com o preço de um americano entao se de cada 4 só um prestar ja ta no lucro pq sobrou 3 sucata pra canibalizar kkkk

      • Goodtimes

        Eles podiam instalar o Baidu, por exemplo.

  • Felipe Torrezini

    Façam como os russos. Instalem uma rampa e assim terão decolagens bem suaves.

    • com 1/3 do peso máximo de um lançamento com catapulta.

      • Carlos Mirandópolis

        Ou seja, o peso do capacete.

      • Felipe Torrezini

        O Su-33 decola do porta-aviões mesmo tendo uma relação peso-potência menor que o F-35: thrust/weight 0.83 contra 0.87.

  • Me lembra as cenas finais de “Homens de Honra”, onde ele descobre que a roupa de mergulho que já era pesada ficou mais pesada, e a regra de não ter auxílio pra levantar com aquele trambolho foi mudada e ele (e os demais mergulhadores) teriam que usar, apenas por que um arrogantezinho de patente alta quis.

    https://uploads.disquscdn.com/images/9ee4c5d8b8a588e294f86833ee67a5f82e5340b50c34da32b69322e021612507.jpg

  • Daqui a pouco eles botam a segunda versão do capacete em testes, …

    https://uploads.disquscdn.com/images/d00cba4aa082ffc153283fa5ca54349a8e79255006b44f83cc41ecdb26ae261a.jpg

    … removem o cockpit da aeronave e botam o piloto pra se encaixar no avião ao melhor estilo R2D2.

    https://uploads.disquscdn.com/images/53004ae7ea06d47e0525f986ae87be4d2002054d3832a404f7b865a74315f143.jpg

    =P

  • José Carvalho
  • rbsouto

    Eu fico imaginando os russos olhando pra essa dinheirama toda e pensando: meu deus, esses capitalistas tem dinheiro demais sobrando.

    • Luiz

      Pelo menos 1tri fez algo, aqui 1tri simplesmente sumiu, alias, não sei o que o governo faz para sumir com 1 tri por ano, esse pais nem tem infraestrutura, nem nada.

  • ELY

    Os chineses agradecem a informação e irão corrigir o problema.
    É provável que as versões ligadas deles entrem em operação antes dos originais.

  • Jose X.

    russos hackeando eleições, chineses roubando planos do super-avião (em preço, pelo menos), papai noel entregando presentes, cegonhas entregando bebês, etc etc etc

  • Dreadful

    Não desdenhe da capacidade dos chineses de resolver problemas. Um pedaço de espuma aqui, um pedaço de papelão ali, um balanceamento fino com uma moeda. There, I fixed it.

    • SignaPoenae

      Como eles possuem estoques infinitos de chineses, o piloto precisa sobreviver apenas a decolagem, e não ao pouso.

  • Hugo Vinícius

    OFF TOPIC: saiu um documentário sobre o Amiga. Está disponível para alugar (ou comprar) em diversas lojas.

    https://amigafilm.com/

    Posto aqui, pois eu sei que tem muitas pessoas aqui que podem se interessar.

  • Ricardo Nunes

    Que texto mediocre. Sem nenhuma análise tecnica dos fatos. Primeiro que já se encontra em operação um capacete mais leve, para isso que servem os testes, sanar problemas antes da entrada em operação plena. E segundo que trem de pouso se troca em menos de 1h e tem custo infimo , tanto que a produção da versão C vai continuar normalmente , bastando a troca seeeee realmente for necessária. Amadores falando de meios militares complexo, só poderia dar nisso.

  • Marcos Paulo Betinardi

    Velcro atrás do capacete. Seria uma solução elegante.

  • Rodolfo Bendinelli

    É só tirar o capacete na hora da decolagem.
    .
    .
    .
    Não, pera.

  • Bruno Aveiro

    Só agora que descobri (googlando) que aquela porcaria de jogo pra PC que comprei no ano 2000 do Supergames 2000 do Jornal Folha de São Paulo, jogo Joint Strike Fighter, é na verdade esses F35.

    • Kleiber Toscano Cavalcanti De

      Na verdade… o jogo era baseado no concorrente do f-35 o Xf32

  • Marcos

    Simples, só colocar aqueles amortecedores magnetohueahuehaueaheauhueahreológicos, que dá pra controlar eletronicamente a rigidez (UI!).

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis