Versão naval do F-35 terá que voltar pra prancheta

Pelo visto o Trump vai rolar mais barraco com o trem da alegria entre a Lockheed e o Pentágono. O F-35, o caça de um trilhão de dólares e que só vai poder disparar o canhão em 2019, por falta de software, fez de novo.

Desta vez o problema é sério mesmo, envolve a versão mais cara: a naval. São US$ 350 milhões por unidade, já estão em fases avançadas de testes operacionais e o problema apareceu. Parte da culpa é desse negócio aqui:

O capacete futurista digital integrado cheio de sacanagem do F-35, são US$ 350 mil de altíssima tecnologia projetando dados em um cenário 3D, criando um ambiente de alvos virtual, etc, etc. Só que é pesado pra caramba. Isso já não é bom em vôo normal, com seu pescoço tendo que suportar vários G’s nas manobras, mas é especialmente ruim na decolagem.

O F-35 naval é acelerado por uma catapulta a vapor a 4 G dependendo das condições de peso, vento, etc. O que foi descoberto é que no momento da decolagem o avião oscila. Se isso te lembra a ridícula cena de Top Gang, não está muito errado.

São esses movimentos aqui os culpados:

Não parece nada mas na prática sua cabeça é balançada para cima e para baixo, presa a um capacete pesado ao mesmo tempo em que é acelerada a trocentos milhões de km/h no espaço de alguns metros.

Dos 105 lançamentos estudados 74 produziram dor moderada nos pilotos, 3 em uma escala de 1 a 5. 18 causaram dor severa de nível 4 e um piloto relatou dor severa persistente. 12 relataram dor razoável, nível 2. Nenhum reportou 0 ou 1.

As oscilações causaram desorientação e impossibilidade de ler instrumentos críticos durante a decolagem.

A incapacidade de ler os instrumentos foi constatada em 51 dos 105 lançamentos. 7 pilotos não conseguiram ler nada, 9 só conseguiram ler alguns dados críticos e 51 relataram dificuldade em geral. Nenhum reportou dificuldade zero e facilidade de leitura dos instrumentos de vôo.

Ou seja: o trem de pouso dianteiro está macio demais, mas ele não pode ser muito rígido pois precisa absorver o impacto dos pousos. O problema terá que ser estudado e a unidade reprojetada. O F-35C deveria estar operacional em 2018, mas o que quer que seja decidido só começará a ser implementado em 2019. Ou seja: mais atrasos ainda.

Agora é tarde para cancelar o programa, mesmo que Trump exploda a Lockheed alguém vai ter que dar manutenção e upgrades pro F-35 nos próximos 30 ou 40 anos. Parabéns aos envolvidos e no final só posso rir dos chineses que tiveram o maior trabalho pra roubar os planos do F-35. Boa sorte com esse abacaxi.

Fonte: The Drive.

Relacionados: , , , , , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples