ad

CES 2017 — Qualcomm revela detalhes do Snapdragon 835, seu novo SoC top de linha

snapdragon-835-001

A Qualcomm aproveitou a CES 2017 para apresentar com pompa e circunstância seu novo SoC de ponta: o Snapdragon 835, anunciado em novembro último foi desfraldado em detalhes e é um chip poderoso e econômico, pronto para aguentar o tranco das novas tecnologias móveis (com o bônus de ser otimizado para Windows 10 full).

A Qualcomm informou dois meses atrás que o Snapdragon 835 seguiria o processo de litografia de 10 nanômetros, novamente utilizando sua arquitetura proprietária Kryo e se distanciando de vez do ARM depois do fiasco do 810. Os bons resultados do 820 estimularam a empresa a se empenhar para produzir um novo SoC potente, econômico e pela primeira vez, multiplataforma.

Assim sendo o Snapdragon 835 chega como um octa-core, baseado na técnica big.LITTLE com dois conjuntos de núcleos Kryo 280 de clocks diferentes: quatro com velocidade de até 2,45 GHz e quatro de no máximo 1,9 GHz. Os fabricantes de dispositivos que utilizarem o SoC decidem se utilizarão a frequência máxima ou se a reduzirão em seus projetos. Já a GPU é a nova Adreno 540, uma atualização ja hoje top 530 e que é compatível com Vulkan, DirectX 12, OpenGL ES 3.2 e OpenCL 2.0 ao mesmo tempo que é 25% mais rápida que sua antecessora.

Do que o Snapdragon 835 é capaz? Bem, muita coisa. Em primeiro lugar ele foi otimizado tanto para Android quanto para Windows 10, o que significa que ele não só consegue rodar a versão para desktop com desenvoltura como é compatível com aplicativos x86, na versão ARM do sistema operacional. Dessa forma teremos a partir de 2017 novos computadores ultrafinos que não necessitam de coolers e baterias de longa duração capazes de executar programas pesados como o Photoshop em sua versão completa, por exemplo.

Atrelado a isso a eficiência energética também é um fator muito importante, e o 835 consegue ser ainda menos comilão que seus irmãos mais velhos: segundo a Qualcomm ele consome 25% menos energia que os SoCs da série 820, principalmente porque a empresa utilizou computação heterogênea para delegar funções a componentes distintos e diminuir a carga de trabalho dos núcleos. Por exemplo, o DSP Hexagon 682 agora é o responsável pelo processamento de aprendizado de máquina (ele é quatro vezes mais eficiente que a CPU nesse caso), bem como agora realiza as tarefas de processamento de imagem e visão computacional com mais facilidade. Resultado, menos tempo ocupando os núcleos e consequentemente, menos energia gasta.

Não que o 835 não será amigo dos paranóicos: o novo SoC é compatível com projetos futuros de fabricantes mobile de dispositivos com baterias de 6.000 e até 7.000 mAh, e não estamos falando necessariamente de tablets. E por fim o Quick Charge 4.0 promete uma carga de cinco horas com apenas cinco minutos de tomada, com carregadores de 36 W. No entanto, o Google recentemente recomendou que os fabricantes adotem a especificação USB-PD de carregamento, segundo a mesma de modo a evitar problemas como o Galaxy Note7 apresentou (embora o problema fosse outro, de projeto mesmo). De modo a solucionar o dilema, a Qualcomm informa que o Quick Charge 4.0 é compatível com o USB-PD.

Já a performance geral também receberá um boost: de cara o Snapdragon 835 é plenamente capaz de executar 4K e VR e o tempo de latência entre um movimento de cabeça e a reprodução na tela caiu para ridículos 15 milissegundos, reduzindo em muito o delay que headsets VR apresentam. O suporte ao Q-Sync permite a atualização da tela na mesma frequência em que a GPU renderiza as imagens (excelente para games), o HDR10 melhora o alcance dinâmico e entrega uma resolução muito mais próxima do real (como o Galaxy Note7 fazia) e o suporte às câmeras foi sensivelmente expandido, agora o chip suporta um sensor único de 32 megapixels ou dois de 16 MP, podendo ser Clear Sight (um sensor colorido e outro preto e branco, o que melhora a nitidez das fotos) ou de Zoom Óptico, utilizando uma lente Grande Angular e outra Teleobjetiva. O software consegue alternar entre ambas facilmente.

Por fim, o modem LTE cat 16 do Snapdragon 835 suporta conexões 4G de até 979 Mb/s teoricamente (no Brasil? Quem sabe…) e para ambientes internos, ele é compatível com Wi-Fi 802.11 ad (ou WiGig), mais potente e de maior eficiência energética.

O Snapdragon 835 já está na linha de produção da Samsung (que substituiu a TSMC) e nos próximos meses deve dar as caras nos novos smartphones top de linha não só da fabricante sul-coreana (que costuma lançar versões de seus aparelhos com chips Qualcomm e Exynos) mas também da LG, Sony, Lenovo e outras, bem como em novos computadores Windows 10.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Rodolfo Oliveira

    Maior pesadelo da Intel está se tornando realidade: a Qualcomm entrando no mundo dos OS de mesa. A Intel perdeu o bonde do mobile na época que teve chance de ser a fornercedora de processadores pro primeiro iPhone e agora os chips mobile estão evoluindo de tal maneira que já começam a ameaçar a Intel no seu mercado.
    Com certeza esse chip não vai bater de frente com um I7 6800k com Iris Pro Graphics, mas ja pode entrar na zona do “bom o suficiente”.

    • Danchio

      Concordo e espero que esse “bom o suficiente” seja já em 2017 (max. 2018), pra ver se a dona Intel baixa o preço dos proc…

      • B4klaudio

        Ou se adaptar… Não seria nada mal também ver Core I3 com núcleos x64 de 3.9 ghz e arm a53/a35 em uma configuração semelhante ao big.LITTLE.

        • Ivan

          não entendi metade mas concordo.

          • Danchio

            kkkk eu entendi 63%, e concordo também.

    • Diego Marco Trindade

      Não é boa o suficiente para a PC MASTER RACE, mas já é suficiente para entrar nos box corporativos. Se eu fosse gerente de TI daqui, já teria trocado essas corroças de pentium 3 para Servers e boxes faz tempo, mas como estamos apenas em 2017… Acho que vão levar uns 15 anos pra fazer isso…

      • Danchio

        Nossa e quando vieram com aqueles ThinClient nas empresas (do tamanho de um aparelho telefônico) a uns 10 anos atras, que no hd só tinha o client do Citrix e rodava tudo nos servers…carroça total.

        Hoje com a internet e a capacidade destes novos procs, ficara bem melhor…

      • Rodolfo Oliveira

        Mas já pode ser bom o suficiente por exemplo para máster Race manter o PC no quarto e montar uma.caixa de streaming na sala pra jogar.

        • Diego Marco Trindade

          Excelente! Mas tenho que acertar meu Raspberry para fazer isso já. 😉

    • @cheesepaulo

      Um chip desse no melhor estilo rapsberry pi já da um steambox bom o suficiente pra chamar de seu ao lado da TV.

  • brunodmjr

    Boa Qualcomm. Achei que depois do 810 ia ser ladeira abaixo, mas veio com o ótimo 820, e agora ao que parece com o incrível 835. No fim das contas quem tá se dando bem mesmo é a Samsung, que tá se tornando uma das mais importantes (se não a mais importante) foundries de processadores de alta performance. Encontraram a magia de fazer os waffles em baixa nanometragem em estado da arte de um jeito a ser alcançado pela concorrência. E que venham as GPUs de desktop de 10nm! 😀

    • Diego Marco Trindade

      Isso que eu tava pensando. Já trabalham com arquitetura de 10nm em mobile, mas em desktop a intel tinha prometido 16nm (eu acho). Não seria bom já escalar os novos CPU e GPU de Pcs e Notes nessa arquitetura?

      • Nilton Pedrett Neto

        é uma questão de mercado. É obvio que eles já podem produzir neste processo, talvez até menos, mas, se eles lançam isso agora, o que lançarão no futuro? aí quando a concorrência anunciar algum passo importante, eles vão e anunciam um passo maior ainda. Desde que acompanho o mercado (na época do PC Jr? e CP/500?) é assim…

        • Diego Marco Trindade

          Aí chega uma Apple da vida que revoluciona o mercado e eles ficam chupando o dedo…

          • Rodolfo Oliveira

            A Apple é rainha de segurar tecnologias já prontas pra ter o que usar em futuros lançamentos…

          • Diego Marco Trindade

            Na verdade quis dizer com o lançamento do iPhone, lá em 2006 ou 2007. Alguém aparece com uma evolução tão disrruptiva que reinventa o mercado. Espero o que Switch da Nintendo faça isso…

      • Theuer

        CPU que se dane até, digo… os i7K esquentam como o diabo quando os estamos estuprando exportando vídeo e tal mas são feitas para isso.
        Agora… GPU é outro esquema! Essas sim precisam logo chegar em 10nm! E cair de preço também. 🙂

  • Lindo Qualcomm!
    Dizem que quando a água quente bate no popozão os acomodados se mexem, não é Intel?

  • Ivan

    Maldito capitalismo trazendo coisas boas, cade o governo pra processar a qualcomm por não repassar a tecnologia pras concorrentes?

    • Careca Voador

      A moderação não liberou meu comentário anterior que tinha um link para o Meiobit (???). Mas isso já está acontecendo, dá uma olhada nas postagens anteriores que tem uma falando justamente sobre isto. hahahaha

    • Gedson Junior

      Porra cara dá pra parar de ser chato?

      • Ivan

        ok parei, vou esperar até a proxima postagem.

  • Careca Voador

    Imagina que louco um Raspberry Pi on Steroids usando um chip desses e uns 4 GB de memória…

    • @cheesepaulo

      A versão 3 já é um puta ARM com esteroides comparado a versão 1 do pi. Rapaz um pi com um chips desses vai ser coisa de louco o tanto de emulador que vão enfiar nisso fora que é um grande candidato a uma steambox ridiculamente portátil capaz de n ser um pc master race mas pode coçar a bunda dos fabricantes de consoles.

      • Careca Voador

        Seria lindo de ver… Mas acho difícil que aconteça, uma vez que esse chip deve custar bem caro. E o Pi até então é um dispositivo de baixo custo.

        • Bruno Martins

          E porque não um pi versão performance? Seguramente iria haver muitos interessados nele

          • flavio

            também acho, desde que performance porém com custo benefício (performance com preço aceitável).

  • jack_snowstalker

    Como um fã da Intel eu tô com medo disso, a Qualcomm tá correndo com todo o gás enquanto a Intel tá caminhando com a bunda empinada porque ela tem x86-64. Sou puxa saco da Intel, mas mano, se ela não correr, vai virar a BlackBerry dos processadores…

    • Danchio

      Acho difícil, até pq a AMD ta aí faz tempo e não consegue passar o rodo, mas se a Qualcomm pelo menos igualar, ja está bom demais…

      • Rodolfo Oliveira

        Problema é a escala das coisas. Os qualcomm já dominam os dispositivos mobile e os dispositivos mobile já estão substituindo os PCS, a qualcomm começando a oferecer soluções pra PCS, e pior, acelerando a transição e aproximando os OS mobile e de PC ainda mais, o mercado que a Intel domina ( AMD é uma piada) vai diminuir cada vez mais e a Intel está sendo jogada pra escanteio.

        A Kodakzação da Intel é inevitável, por serem dominantes de um setor do mercado deixaram de dar importância na época certa pra não prejudicar os negócios principais e agora a reação pode ser tarde demais.

  • Rijanio

    Sou apenas um curioso no mundo da informática, então se alguém puder me explicar mais ou menos como a Qualcomm faz essa bruxaria de fazer um chip arm rodar aplicativos x86-64 eu agradeceria. É via emulação? Ou esse novo 835 não é um chips arm?

    • Queria é saber quando a Intel licenciou o codigo x86, pelo oque eu sei ela só licenciou a AMD e antiga Cyrix que já faliu a muito tempo.

      • Theuer

        ABREASPAS meu 386 33Mhz era um Cyrix sem radiador FECHAASPAS

        • Eu tive um 686 Cyrix, funcinava até bem, rodava meu emulador de super nes com frameskip, tipo 30fps .

          • Theuer

            Seu… Seu… Seu… PLAYBOY RIQUINHO FILHO DE AGENTE DO FBI!!!
            Hehehehe
            Naquela época depois dos 486 DX4/100, os 586/686/786… eram ficção científica daquelas que nas rodinhas de conversa sempre algum “entendido” dizia: “Ah, as empresas já tem até 786, só não liberam ainda porque (insira sua teoria da conspiração favorita aqui).
            Eu nem sabia que tinha existido mesmo algo depois do 486.
            Se fosse agora você poderia fazer até Funk Ostentação com esse processador. 🙂

          • Eu tinha o 686 na época que a galera tinha pentium 233 MMX , era montado com peça usada que eu conseguia com oque sobrava dos upgrades dos clientes, tempos dificeis, quase ninguém tinha computador, internet então isso sim era coisa pra rico, principalmente pelo custo do impulso.

          • Theuer

            Te entendo cara… Época de peças compradas a granel literalmente, upgrade de fazia arranjando um co-processador matemático para acompanhar a CPU 386, comprando mais dois pentes de 8MB de RAM, etc…
            Sobre Internet… Fui o “herói” de muitos amigos, soldando um interruptor de liga-desliga no lugar do relé de “linha” que queimava depois de tempestades nos USRobotics da vida!
            Ficava estranho, mas mas era só clicar em discar e ligar a chave. Hehehe
            Afinal, não dava para comprar um novo modem a cada verão. 😉
            Abraço cara.

    • PugOfWar

      uma busca rápida e vi que a arquitetura é ARMv8 de 64 bits, existem versões do windows compiladas pra ARM acho que esse é o caso, no link da matéria diz que os aplicativos x86 são emulados.

  • Theuer

    Amigos, ignorando cronogramas, não seria muito mais reconfortante ter um Nintendo Switch sendo lançado com um 835 desses no lugar daquela “velharia” do Tegra?

    Pô, aprendi mais com as specs desse SoC que em muitas aulas de eletrônica digital que já tive.

  • flavio

    particularmente acho que a intel precisa sacudir a poeira, e voltar a investir em dispositivos móveis, até para não virar outra.. outra AMD…outra kodak, enfim…

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis