Apple, Google, Uber e IBM se recusam a participar de plano de Trump para a criação de um “registro de muçulmanos”

x-men-mutant-registration-act-flyer

Quando Donald Trump foi eleito, muita gente acreditava que o magnata tomaria jeito e revisaria muitas das propostas feitas por ele em campanha, principalmente as mais absurdas e controversas. O muro na fronteira com o México, por exemplo sumiu da pauta. No entanto, outra igualmente polêmica está gerando preocupação generalizada por aparentemente não se tratar de um blefe: a criação de um registro nacional de muçulmanos, seja daqueles morando no país ou geral (para monitorar potenciais turistas).

E tendo como base declarações recentes, não só a ideia é real como enfrenta forte resistência de diversas empresas de tecnologia.

A ideia de implementar um sistema de monitoramento de muçulmanos surgiu pela primeira vez em dezembro de 2015, e de lá para cá Trump mudou de ideia e fez declarações contraditórias várias vezes, ora confirmando, ora negando. Só que para todos os efeitos o presidente eleito de fato acredita que de forma a proteger o país contra potenciais terroristas, é imperativo implementar um banco de dados do tipo. Ele acredita que as agências governamentais (NSA principalmente) possuem plena capacidade para vigiar tanto os islâmicos residentes nos Estados Unidos quanto fora dele, para ficar de olho em turistas em potencial.

O problema para Trump é que para fazer tal sistema funcionar ele vai precisar de apoio irrestrito de diversas empresas de tecnologia. Elas teriam que se dispor (ou serem obrigadas, embora a segunda opção pegue muito mal) a abrirem os dados de seus usuários e fornecê-los ao governo, para que a coleta seja realizada.

Na última quarta-feira uma reunião de cúpula foi realizada na Trump Tower, em Nova Iorque entre Trump, o vice-presidente eleito Mike Pence e diversos executivos de grandes empresas de tecnologia do país. Estiveram presentes Tim Cook (CEO da Apple), Satya Nadella (Microsoft), Larry Page (Alphabet Inc.), Eric Schmidt (presidente da Alphabet), Elon Musk (Tesla/SpaceX), Jeff Bezos (Amazon), Sheryl Sandberg (COO do Facebook), Chuck Robbins (Cisco), Ginni Rommety (IBM), Brian Krzanich (Intel), Travis Kalanick (Uber) e Safra Catz (Oracle), entre outros. O encontro foi arranjado pelo investidor do Vale do Silício Peter Thiel, conselheiro de Trump e figura não muito quista em seu meio hoje em dia (o mesmo que comprou uma briga gigante com a Gawker Media por ter sido exposto como homossexual contra a sua vontade).

A pauta não foi divulgada, a única informação concreta foi a de que Musk e Kalanick vão integrar o conselho consultivo de Trump, fazendo companhia a Thiel. No entanto declarações dadas pelas companhias após a reunião dão a entender que o gabinete de Trump colocou o assunto do registro de muçulmanos em debate, muito provavelmente buscando a cooperação das companhias com o compartilhamento dos dados de seus usuários.

achmed-santa-claus

Dois dias depois Apple, Google e Uber declararam em nota que não pretendem de maneira alguma cooperar com a ideia, ainda que não tenham deixado claro se foram ou não solicitadas a cooperar. Tanto a Apple quanto o Google afirma que não foram impelidos a cooperar, mas não vão ajudar de qualquer forma. Já o Uber respondeu apenas “não”, a mesma dada pelo Twitter duas semanas antes da reunião e que fora seguida deste link, sua política sobre proibição de uso de seus dados para fins de vigilância. A IBM igualmente declarou que não pretende cooperar com “tal projeto hipotético”.

Outras companhias não responderam aos contatos do BuuzFeed para comentar o que foi discutido na reunião. A Oracle, entretanto foi a única a se recusar a tecer comentários sobre o registro, bem como se recusou a informar se ainda tem a NSA como um de seus principais clientes. Vale lembrar que o ex-CEO Larry Ellison declarou em 2013, na época do vazamento de dados realizado por Edward Snowden que as práticas da agência eram essenciais, logo pode ser que a Oracle esteja bem mais próxima do gabinete de Trump do que as demais (ou é a única que deixa isso mais claro, vai saber).

Fonte: BuzzFeed.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Nah, bullshit esse lance todo

    Primeiro, já deve ter um cadastro assim desde os atentados de 2001. Depois que a NSA pode muito bem fazer tal cadastro mesmo contra a vontade dessas empresas, afinal, são a NSA.

    E outra, realmente houve um pedido que foi negado, ou é tudo hipotético e daqui a pouco sai uma nota do Tory Bruno dizendo que a ULA não vai mandar muçulmanos pro espaço se o Trump pedir?

    Por fim, na pior das hipóteses mesmo, é só catar aquelas máquinas de cartões que a IBM vendeu pro 3º Reich catalogar judeus, ainda devem servir e serem o verdadeiro Cards Against Humanity

    • PH Silva

      Exatamente o que pensei, “O quê?? A IBM não vai participar dessa vez? Não querem ganhar novos mercados dessa vez?”.

      Mas com certeza eles devem ter um sistema se cadastro e acho que as empresas querendo ou não o Governo já tem acesso a essas informações.

    • Jorge Dondeo

      Isso já existe e foi intensificado pelo Obama, mas como é o Trump, o Gogoni da piti, a velha coerência esquerdista.

      • cquintela

        Adoro gente que só enxerga preto e branco, esquerda e direta…

        Procure por teoria da ferradura.

        • Jorge Dondeo

          Só estou ressaltando uma característica atual da esquerda, não que ela só exista na esquerda, mas é claramente mais latente neles.

      • Rodrigo

        Gogoni esquerdista? Rindo litros.

        Ele até pode ser, mas ainda não vi algo que indicasse isso.

        O que é ser de esquerda pra você?

        • Jose X.

          não pergunte…

        • Não, não comecem isso… por favor… aqui não… xD

        • Ivan

          Pra muitos falar mal do Olavo já te faz esquerdista lulista.

          • Sophos Nsm

            tempos dificeis

        • É dizer tudo aquilo com a qual o mongoloide politizado de facebosta discorda.

          • Errado, mas errado com simetria. Vou corrigir:
            “Ser de DIREITA, hoje em dia, é dizer tudo aquilo com o qual o mongoloide politizado de facebosta discorda.”
            Sua declaração, por exemplo, é claramente de direita, pois para ofender você comparou o “politizado de facebosta” com um “mongoloide”. PÉÉÉÉÉÉÉ! Crime gravíssimo detectado!
            O correto é “portador de Síndrome de Down” e você JAMAIS deve usar um PORTADOR DE SÍNDROME DE DOWN para fazer comparações pejorativas. Só o fato de ter feito isso já te expulsa do clube dos SJW e te arremessa nas trevas do extremismo de direita, seu fascista!

          • Fiquei ofendido. Continue assim.

        • Jorge Dondeo

          Pessoal se exacerba demais, chamar alguém de esquerdista não quer dizer que o cara é comunista, socialista etc. Aliás, uma pessoas podem ser de esquerda em alguns aspectos e de direita em outros. Um cara pode ser a favor de políticas econômicas mais conservadores e em outros aspectos sociais ficar a direita do espectro.

          O gogoni, a meu ver tem posicionamentos bem mais a esquerda (como um todo), principalmente se comparador com outros jornalistas que eu consideraria de centro ou direita.

        • O Gogoni dá a impressão de ser de esquerda porque adora uma teoria da conspiração e, via de regra, aparece sempre culpando alguma grande empresa de TI por alguma coisa. Um exemplo entre tantos: no caso Uber vs Funcionário Demitido, Gogoni comprou integralmente a versão do demitido.

          Mas, ser de “esquerda”” ou “direita” tanto faz. O importante é saber se o sujeito defende a ideia de que o Estado deve resolver diretamente todos os problemas ou se deve apenas criar condições mínimas e deixar sempre o Mercado, em primeiro plano, buscando as soluções.

          A grande disputa ideológica que vai definir o Brasil nos próximos anos é esta: intervencionistas vs não-intervencionistas.

        • Erik Morelli

          Ele é SJW.

          • Rodrigo

            Expicação digna dos grandes mestres da ciência política. Se você escrevesse um tratado, seria equiparado aos grandes, Rousseau, Montesquieu, Maquiavel, Locke, Hobbes…

            Agora resta explicar porque SJW são considerados de esquerda.

          • Erik Morelli

            São considerados de esquerda pois defendem vigorosamente ideais de esquerda como estado forte e liberdade individual.

            Já aquetou a prexeca?

          • Rodrigo

            Trump defende estado forte. É esquerda? Mises defende a liberdade individual. É esquerda?

          • Erik Morelli

            Trump defende estado forte aonde? Ele defende o MERCADO forte e pouco regulamentado. Você não é capaz de citar UMA fonte onde ele diz que o estado deve intervir mais no mercado, inclusive suas primeiras ações como presidente foram DIMINUIR regulamentações e dizer que pra cada regulamentação que sugerirem, outras 2 devem ser eliminadas.

          • Rodrigo

            Mesmo no caso de empresas se instalarem fora dos EUA, ameaçando com a cobrança de extorsivos impostos de importação? Isso não é muito livre mercado e sua teoria das vantagens competitivas.

            O Trump até pode não ser o melhor exemplo, nisso você tem razão, mas muitos republicanos defendem, sim, subsídios e intervenção do estado na economia e na vida privada. Alguns só defendem a intervenção do estado na vida privada. Enfim.

            O ponto é que estado forte e liberdades individuais NÃO SÃO bandeiras que definem esquerda ou direita.

    • Ikari Gendo

      Eles não querem polêmica com sjw e os politicamente corretos, visto que são mais chatos de se livrar do que o Baidu.

      • Mirai Densetsu

        SJWs não tem esse poder todo que você está imaginando.

    • tuneman

      certo que a NSA já coleta uma porrada de dados. só não utilizam de forma plena por que não é legalizado.

    • major505

      Praticamente todos os atentados, se não todos a maioria, já sabiam das inclinações dos caras. Ou eles estavam em uma lista de militantes mantidas por forças de segurança de cada país, e e m alguns casos já tinham sido investigados e interrogados por agentes. Foi o caso da Bataclan, da boate gay nos eua, dos dois pirralhos na Maratona de Bostom, dos caras do Charlie Hebbo, e dos caras da Bélgica da estação de trem, e os malucos que decapitaram o padre em Paris..

      O fato é que a informação já era conhecida mas serviços falharam forte em filtrar esses dados e tirar as conclusões necessárias antes para prevenir o desastre.

      E também é necessário fazer campanhas para mudar a maneira como islâmicos vêem o mundo ocidental. O cara sai do Yêmen para morar nos EUA mas o Yêmen não sai do cara. Muitos dos terroristas, operam com aval e adminiração da família e comunidade, e embora a maioria dos muçulmanos não se explodiria em um local publico, ou entraria atirando em uma boate, a maioria deles admira, apoia (mesmo que indiretamente) e concorda em certo grau com o que os terroristas fazem.

      • Bruno

        Não quero causar polêmica, apenas obter informação, mas como sabe que a maioria dos muçulmanos apoiam os terroristas ?

        • tuneman

          ele conhece todos os muçulmanos.

        • Luís Eduardo

          Já foram feitas várias pesquisas (é só googlar). O apoio a ações terroristas varia em cada país muçulmano, em geral sendo muito alto em países como Paquistão e Nigéria. Mas em todos os países muçulmanos a maior parte da população ou apóia ou é indiferente ao terrorismo ou violência praticada contra países/cidadãos cristãos. A situação muda quando as pesquisas são referentes a atos terroristas contra os próprios muçulmanos.

          • Raoni

            Googlei mas não achei essas “pesquisas”. Se tem algum vies sério no meio academico dizendo isso poste pra gente ou de mais referências.

          • Caramba! Como foi que você realizou essa busca no Google, Mister Magoo?
            Comece aqui:
            https://en.wikipedia.org/wiki/Muslim_attitudes_toward_terrorism#Polls
            Você verá que tem um resumo dos resultados de pesquisas sobre esse tema (alias, corroborando o que o Luís Eduardo afirmou).
            As pesquisas são feitas desde 2006 (2006, 2007, 2010, 2011, 2013). Não sei se atende suas expectativas de “viés sério no meio acadêmico”, mas as listadas foram feitas por instituições como: Gallup, Pew Research Center e Arab American Institute. Creio que indo nos respectivos sites desses institutos, você obterá maiores informações se as que estão na Wikipedia não lhe forem suficientes.

          • Raoni

            Não entendi seu ponto Samael, já conhecia essas pesquisas, o link que você colocou confirma o que eu disse. Está escrito lá:

            “A maioria das pesquisas descobrem que a maioria dos muçulmanos se opõe ao terrorismo”

            Muito diferente da idéia colocada pelo Luís Eduardo.

            “em todos os países muçulmanos a maior parte da população ou apóia
            ou é indiferente ao terrorismo ou violência praticada contra
            países/cidadãos cristãos”

            Entendeu?

          • Ei! Tem razão! Me passe para cá o chapéu do Mr. Magoo! Cabe ao Luis Eduardo explicar de onde tirou que é “a maioria…” (pô, Luis!).

            No entanto, também não vamos tapar o sol com a peneira. As pesquisas indicam uma média de uns 30% desses muçulmanos considerando válida

            alguma forma de violência! Isso já são milhões que, se consideram válida, por óbvio também não se esforçam em dedurar potenciais terroristas. Em alguns casos, podem até ajudar a encobertar suas ações.

            Se, dessa galera toda, 1% que seja já considerar partir para as vias de fato, então temos milhares de terroristas a um passo de aprender a dirigir um caminhão e sair fazendo miséria.

            Como deter esse grupo e ao mesmo tempo respeitar as liberdades individuais? Não, eu nem tenho palpite para arriscar.

          • Raoni

            Considerar valida alguma forma de violência não é o mesmo que apoiar os atentados terroristas específicos que ocorreram contra o ocidente, temos que lembrar que muitas nações estão em estado de guerra ou grande agitação civil, mesmo aqui no ocidente um bom percentual de pessoas consideram valido agir com violência em determinadas situações.

            Se tentarmos extrairmos desses números o real suporte ao terrorismo ele será provavelmente percentualmente muito pequeno, certamente mesmo assim é significativo pois mesmos grupos pequenos fazem grandes estragos, mas nunca devemos falar contra uma cultura inteira criminalizando a mesma e propagando o ódio contra inocentes. Falemos contra Daesh, contra Al qaeda, contra Boko Haram, mas nunca contra muçulmanos ou contra o islã de maneira genérica.

          • Aí eu já discordo do começo, pois suponho que os muçulmanos entrevistados nessa pesquisa vivam aqui no planeta Terra e, por consequência, saibam qual o tipo de violência que extremistas islâmicos praticam.
            Mas concordo que não devemos condenar toda a cultura muçulmana por conta de radicais, fazendo a grande ressalva de que me parece ser, no geral, uma cultura machista e homofóbica. Porém, acho que eles estão apenas mais atrasados que o ocidente na luta contra machismo e homofobia.
            (e aqui lembro da péssima experiência da Suécia e da Alemanha, com aumento dos casos de estupro por consequência de política de imigração muito liberal).

          • Luís Eduardo

            Bom, tive uma experiência pessoal com o assunto enquanto fazia meu mestrado na Inglaterra. Durante anos convivi com muitos muçulmanos de diversos países. Todos, sem exceção, eram misóginos ao extremo (alguns não permitiam que as esposas tocassem em dinheiro ou saíssem dos alojamentos conjuntos durante todo o período acadêmico) e justificavam, de alguma maneira, qualquer ato de terrorismo contra não-muçulmanos. Conheci alguns poucos católicos que vieram de países muçulmanos e as histórias eram sempre de perseguição e violência. Nunca conheci o tal muçulmano da paz e da beleza do Islam.

          • Luís Eduardo

            Bom, não é só maioria, mas maioria esmagadora em diversas pesquisas. Em algumas, mais de 90 % da população muçulmana apoia a execução de alguém por abandonar o Islam ou criticar o Mohammed. Deixei vários links lá em cima.

          • K9s10

            Veja isso. Lei Islâmica em Ação
            Aqui você fica sabendo de tudo que os islâmicos fazem no mundo.

            http://infielatento.blogspot.com.br/

            É o Brasil vai mal nesta estória, já que temos muitos esquerdistas na mídia (digital é TV).

            https://uploads.disquscdn.com/images/fc5b39e9c8a6237985985438517a670c65730a03efdf770f2aeb42c12bb2e9ad.png

          • Raoni

            Outro detalhe é que colocar numa pesquisa “ser indiferente” junto com “apoiar” é ser desonesto. O ocidental médio é indiferente a violência praticada no oriente médio, nem por isso pode-se dizer que apoia o terrorismo.

          • Luís Eduardo

            Não, não é ser “desonesto”, mesmo pq isso indica um prejulgamento que vc não tem base para realizar. Tudo depende da forma como se examina a questão, como relacionar “regular” a “bom” ou “ruim”.

          • PugOfWar

            Cada só enxerga o seu, pergunte o mesmo para católicos

          • Luís Eduardo

            Não. Nao há uma cultura de terror entre católicos no século XXI. O último foi com o IRA, mas muito mais relacionado à geopolítica do que religião.

        • K9s10

          É só você ler todos os artigos deste site, é já era.

          http://infielatento.blogspot.com.br/

          • Raoni

            k9s10 eu descarto essa propaganda anti islã, ela simplesmente não é séria intelectualmente e nem se sustenta, por isso pedi por um viés acadêmico.

          • Ivan

            Vai no youtube e olha os videos, grupos islamicos impondo sharia nos paises europeus, mulçumanos falando que quem bate em mulher não é radical que é apenas a cultura deles por ai vai.

          • Raoni

            Ivan, não podemos basear nosso julgamento apenas por esse tipo de video. Recomendo o material produzido pelo Ivan Mizanzuk ele é acadêmico e comunicador. Ele aborda a questão com muito tato na série de Podcasts “Projeto Humanos” segunda temporada e também em alguns “Anticasts”. Ele entrevista o refugiado, o torturador do exército americano, a mulher com véu e como ela vê essa questão do feminismo, aborda a primavera árabe, etc.

            http://www.b9.com.br/projeto-humanos/

          • Ivan

            Vou julgar pelo o que? Não posso julgar por um video feita por uma moradora do lugar em que mulçumanos estão xingando ela pq esta usando shortinho e querem impor a sharia? por favor cara.

          • Raoni

            Bem que poderia ser cristãos fundamentalistas xingando essa essa moradora, mas então não polemizaria tanto. É verdade que a média do mundo muçulmano precisa avançar muito na questão do feminismo mas você generaliza a questão e não entende que o mundo muçulmano não é homogêneo por isso digo pesquise mais seriamente sobre o assunto ou vai ficar sempre com a sua visão limitada.

          • Ivan

            Mas não são cristãos xingando a moradora e querendo impor lei religiosa no bairro, é tão dificil aceitar?

            Como não é homogeneo? Ou vc segue o al corão ou não segue, ta la, diferente do cristianismo em que acho que nem 0,00001% seguem o que está escrito 99,999% dos mulçumanos seguem.

            Não só no feminismo mas em tudo, respeito pela vida, pelo proximo, pelo quem não segue a fé deles, simples assim, enquanto não respeitarem não tem como aceitar como se fossem paz e amor.

          • Raoni

            O meu ponto no comentário anterior é que cristãos fanáticos também tentam impor seu ponto de vista (assim como muçulmanos) mas que não devemos culpar o cristianismo ou islamismo e sim o fanatismo. Sobre o video só mostra que existe fanatismo e não que o fanatismo é o padrão do muçulmano. Existem 1.2 bilhões de muçulmanos no mundo se todos fossem tão ruins quanto você acha que são o mundo seria um lugar bem pior. Você só enxerga essa pessoas como homogêneas pois é ignorante sobre as diferenças delas, então jovem recomendo que você estude mais sobre o assunto para afastar essa sua islamofobia.

          • Ivan

            Claro que temos cara, quando a religião deles diz que é pra fazer isso, se a religão do cara diz que tem que matar infieis e o cara sai matando infieis é culpa do cara ou da religião?

            Mostra fanatismo? É fanatismo o cara seguir a religião dele? Serio?

          • Raoni

            “Abandonar pai e mãe”; “apedrejar homossexuais” e uma infinidade de outras barbaridades são suportadas pela interpretação da bíblia cristã, nem por isso a nossa sociedade é assim. O vale que é a interpretação da bíblia e assim como do alcorão existem uma infinidade de interpretações possíveis.

          • Ivan

            como falei eles seguem a relgião deles, isso é ser fanatico?

          • Raoni

            Ser fanático é seguir sua religião de forma a violentar e não respeitar o direito do próximo, isso a maioria dos muçulmanos não faz.

          • Ivan

            É o que a religião deles diz, então ser violento e não respeitar os outros é normal.

          • Raoni

            Você esta totalmente errado, fure essa sua bolha de preconceito com estudo, comece com o link que lhe enviei, só por que você olhou tantos vídeos de muçulmanos radicais no youtube que acredita que todos são assim. E boa parte dessa da propaganda anti-islã é propagada por fundamentalistas cristãos e pelo próprio Daesh que quer que o mundo Ocidental se una contra os muçulmanos moderados para que eles deixem de serem moderados. Sinto lhe dizer meu caro mas você é só massa de manobra desses caras.

          • Ivan

            é o que esta no al corão e a suna diz, não sou eu, não é preconceito, esta escrito que devem agir assim.

            Então o video que passei da palestra do cara foi feita por um cristão pra servir de propaganda anti-islã?

            Outra questão é que mesmo que maioria dos mulçumanos não sejam violento ainda existe uns que são e que irão pregar o que o al corão e a suna dizem, esse que é o problema, como mostrei o video de uma passeata de mulçumanos na frança ou inglaterra xingando a policia, querendo impor sharia, ainda vai falar que é uma minoria e que não tem problema? por favor né cara…..

          • Raoni

            O seu preconceito não é em se indignar com esses muçulmanos é simplesmente generalizar esse tipo de comportamento para todo muçulmano.

            Eu não vou mais discutir com você só lhe desejo sinceramente que você amadureça sua opinião ampliando seu horizonte de estudo a respeito do assunto para fontes menos tendenciosas, mesmo que no final ela continue sendo contra muçulmanos.

          • K9s10

            Não perca o seu tempo é o tipico caso de troll

          • Raoni

            https://pt.wikipedia.org/wiki/Troll_(internet)

          • Luís Eduardo

            Bom, sugiro que vc se afaste desse bias acadêmico-esquerdista-multicultural (sem ofensa) e, na boa, converse com um cristão residente num país muçulmano. Vc vai enxergar a realidade, ver o que é ser perseguido por uma religião intrinsecamente intolerante. Vc consegue isso com uma pesquisa em fóruns ou mesmo em redes sociais. Tente e veja.

          • Raoni

            Luís, mesmo partindo do principio que você esta correto em suas últimas
            afirmações, não devemos criminalizar uma cultura
            inteira, isso seria simplesmente uma falacia de generalização não
            qualificada.

          • Gui

            Já li que o Islã também possui divisões internas. Você por acaso teria mais fontes disponíveis que embasem o seu ponto?

            “Existem 1.2 bilhões de muçulmanos no mundo se todos fossem tão ruins quanto você acha que são o mundo seria um lugar bem pior.”

            O fato de que não há liberdade de opinião e crença, homossexuais e mulheres serem cidadãos de segunda classe em países ou regiões nas quais a população é majoritariamente muçulmana não seria um indicativo que, embora todos os fiéis não se envolvam em atividades extremistas eles acabam sendo coniventes e apoiando tacitamente estas?

          • Raoni

            Gui, o portal do islã na wikipédia (em inglês) é muito completo com relação a essas diversas correntes.

            https://en.wikipedia.org/wiki/Portal:Islam

            “O fato de que não há liberdade de opinião e crença, homossexuais e
            mulheres serem cidadãos de segunda classe em países ou regiões nas quais
            a população é majoritariamente muçulmana”

            Eu concordo em parte mas acho que é simplificação e generalização da situação. Cada pais tem suas peculiaridades no Egito por exemplo há leis diferentes se você for muçulmano ou se você for cristão, o bares que servem álcool, por exemplo, só podem ser frequentados por cristãos e são proibidos para os muçulmanos.

            “Não seria um indicativo que, embora todos os fiéis não se envolvam em
            atividades extremistas eles acabam sendo coniventes e apoiando
            tacitamente estas?”

            É verdade que o islã se comparado com a moral laica secular é retrógrado, tão retrógrado quanto o cristianismo, mas o fato do pastor evangélico considerar o homossexualismo uma abominação não significa que o mesmo vá financiar ou apoiar qualquer tipo de barbárie contra esse grupo, o mesmo vale para o islã. Existe é claro os que apoiam, os salafistas jihadistas por exemplo são em numero considerável, aproximadamente 10 milhões, mas percentualmente pequeno se comparados com os 1,2 bilhões de muçulmanos.

          • Luís Eduardo

            Não há como comparar a cultura cristã atual com o de países de maioria muçulmana. Não há pesquisa que mostre maciço apoio à execucao de um indivíduo em países cristãos pq ele deixou de ser católico para ser budista, chega a ser cômica essa colocação. Se apenas 10 % dos muçulmanos forem simpatizantes do terrorismo, seriam 120 milhões de apoiadores do terror. E isso é muito menos do que revelam as pesquisas.

          • Ivan

            https://www.youtube.com/watch?v=qtkzgYLCqNE da olhada.

          • Ivan

            E outro video de um mulçumano falar que bater em mulher não é ser radical, é normal, islã é amor, ta serto.

        • Sergio Rainor

          Isso é fato sabido. Muçulmanos são cães raivosos que riem quando alguém fala em coexistência pacífica com outras religiões ou com o laicismo. Eles usam a liberdade do ocidente para destruí-lo.

          • Ivan

            Discordava disso algum tempo, achava que era uma minoria, que nem todos eram assim, mas to vendo que isso é inerente ao islamismo, nunca vai viver em paz com outras culturas, sempre tentará impor o seu modo de vida a outros mesmo que não seja em seu pais de origem.

        • Julio Verner

          Maomé é o terrorista… Ainda mais que os seguidores do zumbi de xana virgem.

      • Raoni

        Você não deve conhecer muitos muçulmanos, a maioria deles vê terroristas como malucos que seguem uma versão deturpada da religião, eles veem esses atentados da mesma forma como a maioria dos cristãos veem os atentados de 22 de julho de 2011 na Noroegua. Quem mais sofre nas mãos desses grupos terroristas não é o ocidente, e sim os próprios muçulmanos das regiões onde há Daesh e Al Qaeda.

    • OverlordBR

      O pessoal fala da IBM mas esquece que várias outras empresas norte-americanas continuaram a negociar com os nazistas durante a guerra.

      A Standard Oil, uma empresa de Nova Jersey, por exemplo, fornecia combustível para Alemanha (através da Suíça) enquanto que os consumidores norte-americanos e britânicos penavam nos postos de gasolina para conseguir abastecer seus carros no período de guerra.

      O chefão da ITT, um conglomerado norte-americano de telefonia, foi pessoalmente à Berna se encontrar com membros do governo nazista para aprimorar os sistemas de telecomunicação do Hitler. 🙂

      Tem muito mais… do Chase Bank até a Ford…

  • Gaius Baltar

    Ronaldo, dê uma revisada no último parágrafo, pois não está clara a razão de Kalanick ser citado quando se fala da Oracle já que ele é do Uber. E o ex-CEO não seria Larry Ellison?

  • McLovin

    “… Vale lembrar que o ex-CEO Larry Edison declarou em 2013…”

    Você quis dizer “Larry Ellison”?

  • Caipiroto, o Capeta Caipira 😈

    Dizem isso agora, na surdina, longe da vista público geral acho que todas vão, se já não estiverem, cooperar.

    • O melhor “muro” eles já tem, o digital, o de vigilância, que estão querendo ampliar e melhorar. Se na surdina já tem o tanto de informação que tem, com o apoio das empresas em aberto ainda deixam claro que estão realmente de olho, serve como política de medo.

  • gfg

    Só chamar a loira má pra um chazinho, que ela coloca toda a equipe de desenvolvimento nisso.

  • Cocainum

    Tá “serto”. Isso com certeza evitaria atentados como o de Oklahoma City. Não, pera…

    • Ivan

      Coisa na Europa ta feia, grupos islamicos querendo impor sharia em alguns bairros na Inglaterra e Alemanha….

  • Samuel

    O tema nasceu e agora está em discussão. Só esperar outro atentado para ele começar a ser alimentado.

    • Jose X.

      verdade, só esperar outro atentado com “explicações” suspeitas como aquele de Boston, onde o cara que foi morto tinha sido informante do FBI por uns 6 meses ou mais

  • Christiano Nascimento Amorim

    yahoo não precisou ser convocado because reasons.

    • Anderson Oliveira

      O yahoo não precisa concordar em compartilhar esse tipo de dados, as informações deles já estão disponíveis pra todo mundo mesmo…rsrs

  • Jorge Dondeo

    “O muro na fronteira com o México” O que tem de tão absurdo em colocar um muro em sua fronteira? Por sinal, ja existe muro em várias regiões.

    Gogoni, sua casa tem muro? Ou fica aberta para quem quiser entrar?

    • otaviodecamposg

      Acho válido seu ponto. Sempre pensei que o abusrdo, tem haver com o custo x eficiência.

      • Jorge Dondeo

        É, esse foi o único fator que pensei, será que é eficiente de verdade, qual seria o custo etc. Mas colocar muro, cerca etc, é uma forma de manter pessoas indesejadas do lado de fora.

        Afinal, existe a fronteira, quem quiser entrar na boa entra, pela fronteira legal, e de forma Legal. E tem mais, quem mais sofre com a imigração ilegal nos EUA, são as pessoas mais pobres, principalmente os negros.

    • James Ocelot

      Dia 25 churrascada na casa do Gogoni!

      • Jorge Dondeo

        To dentro!

        Obs: Não vou levar a carne, ele que pague, e quero ter direito de opinar sobre a decoração na casa dele, assistir tv no sofá e dormir na cama do casal.

    • cquintela

      Para mim o idiota na questão do muro é achar que o muro vai impedir alguém de entrar…

      • Jorge Dondeo

        Resolver não resolve, mas ajuda, facilita um pouco, só não sei se o custo de um muro realmente eficiente seria viável. Acho que o mais interessante é intensificar a busca/retirada de imigrantes ilegais, começando pelos criminosos.

        • cquintela

          Acho que seria como os muros residenciais, dariam sensação de falsa segurança.

          • Jorge Dondeo

            Então, depende do muto, uma muro de 400 metros de altura e 100 de largura, com patrulheiros vestidos de preto, resolveria fácil.

          • cquintela

            El Chapo cavando túneis de mais de 100 metros por baixo do muro também resolveu fácil. Guarda recebendo propina também resolve fácil.

          • Jorge Dondeo

            Caraca 100mt! Ou o México é muito merda ou os EUA são muito bons.

          • cquintela

            Suficiente para transformar os EUA no maior consumidor de drogas do mundo.

          • luciano

            400m de altura!!!! hahahaahahah

          • PugOfWar

            Nossa maior que o muro contra Titãs, que tem 50 m

      • Jose X.

        mas o objetivo do muro não é apenas dificultar a imigração ilegal, tem todo um caráter simbólico, e atende aos extremistas que sempre procuram inimigos externos…mutatis mutandis, é como aquele pessoal separatista do sul do Brasil, que quer se livrar do “peso morto” que é o “resto” do Brasil (atenção, palavras deles, não minhas, porque acho tudo isso escapismo de gente ignorante)

        • cquintela

          Sim, sou do Rio Grande do Sul e esses movimentos separatistas são vistos como maluquices por aqui também. Se o RS se separasse hoje ia virar um Uruguai, só que pior hahahah.

          • tuneman

            centenas de vezes pior.
            o pessoal adora o lema “o sul é meu pais”, mas esquece que dependemos muito de outros estados para recursos energéticos e financeiros.
            (alias, fala baixo, senão logo aparece alguem alegando que o Mujica é deus na terra)

          • Ivan

            Qual o problema? Não se pode comprar energia de outros paises? Até até gente no nordeste começando movimento desses, eu acho otimo, teriam um Estado menor poderiam fazer leis locais bem melhores.

          • cquintela

            E o custo da alimentação? Teria que importar tudo que não fosse produzido no estado, preços iam disparar. Isso só para citar 1 setor afetado.

          • tuneman

            Fora energia elétrica, combustível, previdência, programas sociais, universidades federais… Só pra citar alguns e lembrando que a separação não anularia a dívida do RS com a união.

          • Sim, porque é IMPOSSÍVEL pensar num modelo de separação progressivo que garanta preços e estabilidade durante uma fase de transição.

          • Opa! Chegou a opinião igual a minha. Acredito que, no futuro, o Brasil deveria levar bem a sério a ideia de se separar em muitos novos países, que já nasceriam, claro, mantendo uma forte União Comercial nos moldes da União Europeia. mas, cada um definiria suas leis e manteria suas fraldas sujas (os políticos) por perto.

            Sejamos honestos: o Brasil não funciona. Há cinquenta anos que existe uma Ilha da fantasia chamada Brasília e a ladainha é sempre a mesma: dinheiro de impostos de todos país (principalmente São Paulo) indo para o Governo Federal e NÃO CHEGANDO onde é necessário. Nossa desigualdade social segue sendo uma das maiores do mundo, nosso escândalos de corrupção são os maiores do mundo, nosso código de leis é o maior do mundo (tem lei pra definir até o que é cachaça!).

            E isso tudo sem nem entrar no mérito das diferenças culturais. Eu, enquanto gaúcho, me sinto muito mais ligado por afinidade com o modo de vida do povo nordestino do que com o modo de vida dos cariocas, por exemplo.

            E o problema é que do Rio de Janeiro, por conta da influência de uma certa organização de mídia “global”, saem as definições do que é “ser um brasileiro”, com conceitos que certamente entram em choque com as culturas de outros estados.

            Enfim, eu já perdi há muito tempo a esperança que um Brasil gigante desse jeito vai, em algum momento, conseguir se organizar.

          • Sophos Nsm

            falta de visão

          • Sophos Nsm

            uma amiga minha sempre disse que que os gauchos não levam a serio os malucos do separatismo

          • Mudou um pouco: o forte do movimento separatista está, agora, concentrado em Santa Catarina. O Estado mais bem sucedido, pelo visto, sempre quer largar o resto da tralha. Escutei també notícia de um movimento separatista do RIO DE JANEIRO. Um grupo de cariocas, pelo visto, está indignado com a falência do Estado, ao mesmo tempo que ali estão as jazidas de petróleo. “Como assim?”

          • Você sabia que, apesar de ter um PIB menor que o dos gaúchos, os uruguaios tem um IDH mais elevado? E outra coisa também é certa: a desigualdade no Uruguai é menor que no RS.

        • O problema da imigração ilegal nos Estados Unidos é complexo e vai além dos milhares de ilegais que estão presos em penitenciárias americanas por conta de crimes. Por exemplo, existe tudo o que os Estados deixam de arrecadar porque esse trabalho ilegal não gera arrecadação de impostos. Ao mesmo tempo, os imigrantes usam a infraestrutura dos Estados Unidos. Então, enquanto que a Califórnia deixa de arrecadar milhões de dólares em impostos, vê ao mesmo tempo sua infraestrutura de transporte público estar sobrecarregada porque existe atualmente quatro vezes mais pessoas utilizando o sistema nas grandes cidades do que aquilo que foi previsto quando tal sistema foi projetado. E o mesmo vale para os sistemas de Saúde, obviamente.
          Então, temos a tempestade perfeita nos Estados Unidos: milhares de ilegais sobrecarregando os sistemas públicos; baixa arrecadação de impostos; dinheiro acumulando nas mãos de empresários inescrupulosos que utilizam os ilegais; junto com os ilegais que querem trabalho honesto temos uma invasão de cartéis de traficantes resultando em aumento da criminalidade e sobrecarga também no sistema penitenciário (que deve ser bancado pelos impostos que estão deixando de ser coletados!).
          Numa manifestação em época de campanha, bancada segundo dizem por um cartel de drogas mexicano, o “Capitão México” reuniu manifestantes para queimar a bandeira americana, em solo americano, pois aquele grupo separatista acredita que, como os astecas viviam naquela região séculos atrás, o certo agora era aquela parte da Califórnia ser separada dos Estados Unidos e virar o “Estado Asteca” (os sujeitos só esqueceram de dizer que os astecas saíram dali, séculos atrás, para ir barbarizar e arrancar os corações (não no sentido metafórico) dos habitantes da meso-america, mas, enfim… É o CAPITÃO MÉXICO queimando bandeira americana em solo americano…).

          Então, esse problema vai muito além de ser apenas “extremistas procurando inimigos externos”.

        • Ariadna Grande

          por mais tentadora que seja a ideia do brasil se separar, isso provavelmente não irá acontecer tão logo, se um dia acontecer. a nossa historia é muito curta e que eu saiba o game over é só no apocalipse

    • Lucas Timm

      E a maior parte do muro foi construida por Bill Clinton…

      • Jose X.

        isso, o muro já existe, mesmo que não feche toda a fronteira

      • Jorge Dondeo

        Mas o Clinton é bonito, chique, estiloso. O Trump é feio bobo e tem cara de mamão.

      • Raoni

        A questão é mais simbólica, Bill Clinton não se elegeu prometendo o muro, Trump sim. Isso diz muito sobre para onde esse mundão caminha, e assusta.

        • Ivan

          Uau e acham estranho votar num cara que fala o que quer fazer ou um que paga de legalzão e constroi um muro?

        • Lucas Timm

          Ou não, eu não me assusto.

          Em 20 de dezembro de 2016 13:28, Disqus escreveu:

    • Rodrigo

      Não confunda alhos com bugalhos. O muro da casa tem o intuito de proteger a propriedade privada, o muro em um país, dificultar a livre circulação de pessoas, logo, um entrave ao liberalismo. Se quisermos um mundo cada vez mais liberal, deveríamos nos horrorizar com políticas isolacionistas e nacionalistas. No mais, acredito que Samuel Johnson estava certo com a célebre frase atribuída a ele.

      • Jorge Dondeo

        “… dificultar a livre circulação de pessoas ILEGAIS, logo…”

        • Sophos Nsm

          LIBERALISMO

        • Rodrigo

          Se a circulação de pessoas fosse livre e incentivada, não existiria o ilegal. Logo, políticas do tipo são anti-liberais.

          • Jorge Dondeo

            Heim?

          • Rodrigo

            Hã?

          • Sergio Rainor

            Assim como ter muros em casas, afinal todo mundo deveria poder ir e vir para onde quiser, não é mesmo?

          • Rodrigo

            Sim, mas essa é outra discussão. Uma concernente aos direitos individuais, a outra, aos coletivos.

      • Ariadna Grande

        Estamos falando de países com políticas diferentes, então acho que essa ideia não cabe.

        • Rodrigo

          E por qual motivo países com políticas diferentes não poderem adotar a ideia? Qual a implicação das políticas diferentes nisso? Elabore melhor, por favor.

    • Meganegão

      O problema é o custo absurdo que isso ia gerar, tem área que esse muro passaria que é quase inacessível, teriam que construir uma infraestrutura gigante para ter pessoas e máquinas trabalhando lá. Principalmente agora que se fala em cortar custos de todo lado. E o benefício é questionável.

    • Leonardo

      o muro no EUA é feio, não deixa as pessoas necessitadas passarem!

      já a fronteira da Venezuela fechada é amor ao próprio povo, apenas para ajudar eles que não sabem o que querem!

      • Jorge Dondeo

        Verdade.

  • Ivan

    Pelo menos IBM aprendeu a lição.

    • Arrã, vão vender por baixo dos panos usando um outro nome.

    • Mirai Densetsu

      Ao menos publicamente. Porque no particular o dinheiro sempre fala mais alto.

      • Ivan

        Com certeza, pelo menos não vai fazer abertamente, mas se fizer e vazar vish….

  • James Ocelot

    É só ele citar nsa e patriotic act que ele literalmente “Grab them by the pussy”!

  • Empresas de investigação e espionagem espionando suspeitos e potenciais terroristas? Que terrível! Onde esse mundo vai parar?

  • kenji

    Não que algumas dessas empresas já participem, sabendo ou não.

  • Luis Pereira

    Ai caramba, usando Buzzfeed de fonte pra uma não notícia dessas. Primeiro, Twitter não estava na reunião, então como falaram não a essa hipotética proposta, qual a relevância do Twitter para a matéria? Segundo, ninguém confirma que isso foi sequer discutido na reunião, citam a nota do Twitter, mas não apontam o link pras notas das empresas que estavam presentes, para os leitores checarem se faz ou não sentido a suposição que na reunião se discutiu um cadastro de islâmicos. MeioBit descendo ao nível de Gizmodo da vida

    • Erik Morelli

      MeioBit não, alguns editores.

  • jairo

    Que venha a segregação

  • Jefferson Viana

    E todos os atentados feitos por terroristas feitos por americanos branquinhos no decorrer da historia? e toda vez que um louco entra em uma escola , universidade etc., com uma metralhadora comprada no supermercado matando todo mundo? e querem derrubar qualquer tipo de fiscalização em cima das vendas de armas, pelas liberdades individuais dos americanos.

    • Mirai Densetsu

      Nah! É mais fácil colocar a culpa nos latinos e nos muçulmanos do que admitir que colocar armas na mão de alguém perturbado é pedir para ter um incidente. Mas colocar armas nas mãos de um povo doente é pedir para ter incidentes do tipo sempre.

      • Erik Morelli

        Claro, claro. Funcionou muito bem no Brasil, certo?

        • Mirai Densetsu

          Ô… Somos um exemplo de como funciona implantar uma lei criminal e não se esforçar para cumpri-la.

          Na prática é quase como se armas tivessem liberadas no país.

  • Bueno, primeiro vamos lembrar que as proBostas de Trump foram as preferidas tendo em vista que ele venceu a eleição, então, a linha de ação de seu Governo deve procurar seguir e cumprir as promessas.
    Claro que o muro é ridículo e caro, mas controlar melhor a imigração de latinos e, obviamente, ao menos extraditar os criminosos para que não fiquem ocupando as penitenciárias americanas… Bom, quem pode ser contra isso?
    Já no caso dos muçulmanos, a situação é complicadíssima. Basta um tipo até então normal escapar do controle, pegar um caminhão e fazer miséria como foi feita na França. A monitoração desses potenciais suspeitos tem que ser constante e imagino o custo disso. Pior ainda: como fazer isso sem virar uma espécie de Grande Irmão?
    Minha opinião: tem que ir resolver a causa disso lá no Oriente Médio. É tolice imaginar que “deixando eles quietos, eles param de amarrar bombas no corpo”.

    • Cocainum

      O problema é: em qual milissegundo deste século (e do anterior), os EUA “deixaram eles quietos”? O que mais eles fazem é interferir no oriente médio.

    • Bruno do Acre – (Etevaldo)

      Bombas atômicas no oriente médio??

      • Não… Isso não funcionaria, acredito que colocaria até a maioria dos ocidentais contra o Governo que tomasse uma atitude dessas.
        Tem que ser algo mais no estilo guerra tradicional, ocupação de território, até reduzir o Estado Islâmico a pequenos grupos de guerrilha.
        O petróleo daquelas terras poderia servir para pagar o custo da operação. Afinal, a opção atual está sendo acompanhar o crescimento do exército e as barbáries que ele provoca: cristãos degolados e queimados vivos, estupros coletivos, homossexuais arremessados de prédios. pense só: uma bomba atômica mataria os vilões E as pessoas que você precisa ir salvar.

  • Macaquinho feio do bananal

    Führer!

  • E Trump está errado?

    Aceitar refugiados é o mesmo que brincar de roleta russa. Você puxaria o gatilho mesmo sabendo que há apenas 1 bala?

    • Rafael Rodrigues

      Tem trocentos atentados à bala nos EUA. Mais de um por dia.

      Não parece que islâmicos sejam o problema. Tem muito mais preconceito contra o credo dos caras do que efetividade estatística.

      • Então pq já tem trocentos atentados à bala, não tem problema trazer mais alguns certo? Isso é falácia.

        Agora, se existe preconceito contra o credo dos caras, seria este infundado? Os países islâmicos que são ricos não estão nem aí para os países pobres, e os pobres, estão matando uns aos outros em nome do próprio deus Allah, e sobra pro ocidente limpar a bagunça e pagar a conta depois…

      • Sergio Rainor

        Mentira, há tiroteios (um décimo do que há no Brasil), mas não são “atentados” coisa nenhuma.

  • Viphug

    Que usuário continuaria usando os serviços da Apple, Google, etc… se eles apoiassem veementemente essa medida?
    Essas empresas precisam continuar contando com seus usuários sempre e sempre.
    É mais do que obvio que vão dizer que NÃO ao acesso e soltar notas negando. Mostrar o quanto se sentem indignadas e horrorizadas em permitir que as sagradas informações dos seus usuários sejam violadas em interesse de um cara que quer por ordem na casa. Na prática, quando Trump estiver na famigerada “Situation Room” como presidente e precisar do acesso aos dados, as empresas vão ajudar o quanto ele precisar com prazer, sem ninguém saber ou desconfiar.

    • Erik Morelli

      Eu.

  • Rafael Rodrigues

    Bah, pra quem ajudou a “etiquetar” judeus, catalogar os seguidores de Alá é fácil. Essa negativa deve ter sido jogada do Marketing.

    Até porque, quando a carteira é colocada sobre a mesa de reunião, a moral e a ética saem pela porta mais próxima.

  • André Pessimista

    Toda a Internet é vigiada……sorria para câmera de seu dispositivo.

  • Só sobre os muçulmanos que essas empresas falaram?
    Acho que a proposta de vigiar latinos, mexicanos, negros, judeus e todo o resto do mundo foi aprovada então. :-}

  • Mirai Densetsu

    Ahh… Então aquela reunião daquela foto que postaram nos comentários dizendo que supostamente bugaria esquerdistas era para ver se dão um jeito de catalogar muçulmanos.

    Sabendo disso, aí é que a tal foto não buga MESMO. Cairia no caso do “tava demorando”.

  • K9s10

    Poxa “Ronaldo Gogoni” essa matéria sua está meio rasa, vai uma ajuda ai…¬¬

    https://uploads.disquscdn.com/images/94fc3845992af8fd03e0b3dc62c6f398fdb2a48e003c94ae2c77ec43a8b7e4a6.png

  • Sergio Rainor

    Depois de mais um ataque muçulmano contra inocentes em Berlim, acho que a ideia não é tão absurda assim.

  • Ivan

    Esse multiculturalismo não ta dando muito certo.
    http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2016/12/20/suspeito-de-ataque-em-berlim-pediu-asilo-na-alemanha-diz-ministro.htm

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis