Amazon Go, o mercadinho do tio Bezos que não possui caixas

amazon-go

Já imaginou entrar num supermercado, pegar tudo o que deseja e ir embora simplesmente? Calma, não estamos falando de contravenções: o Amazon Go é um novo conceito apresentado pela empresa de Jeff Bezos para mudar a forma como fazemos nossas compras do dia a dia: um estabelecimento sem caixas para pagamento, inteligente o bastante para saber o que você pegou e efetuar a cobrança no momento em que você deixa a loja.

A ideia por trás do Amazon Go, que já está em fase de testes é bem elegante e simples: você chega no supermercado, utiliza seu smartphone para autenticar sua entrada (com um QR Code no caso) e pronto, é tudo o que você precisa fazer. A partir daí você pode pegar tudo o que precisa ou deseja, o Amazon Go sozinho adiciona os itens ao seu carrinho virtual.

Em caso de arrependimento basta colocar no lugar e o item é removido. Você não precisa tirar seu smartphone do bolso ou da bolsa em momento algum.

Terminadas as compras, você novamente não precisa fazer nada: apenas sair da loja. Uma vez fora o Amazon Go finaliza a compra e efetua a cobrança diretamente na sua conta de usuário.

Como funciona? Segundo a empresa as filiais do Amazon Go contarão com câmeras e sensores de proximidade, além de outras formas de comunicação com seus dispositivos (NFC, RFID, Bluetooth LE) e tecnologias de deep learning (muito provavelmente com recursos de reconhecimento facial) e aprendizado de máquina, similar à tecnologia dos carros autônomos. Quanto mais operações realizadas mais preciso o sistema se torna, cometendo menos erros e se tornando mais eficaz e eficiente.

O conceito não é nem de longe novo, a IBM já promovia o uso de tecnologias do tipo em 2006:

alcasish — IBM RFID Commercial – The Future Market

Já a Apple introduziu o Bluetooth LE em seus dispositivos, preterindo o NFC e possibilitando algumas soluções interessantes. Ela própria habilitou o iBeacon em todas as suas lojas dos Estados Unidos, mas apenas para notificações. A proposta da Amazon é no entanto dispensar o caixa completamente (com as outras é necessário o smartphone para autenticação em um terminal), não é preciso utilizar seu gadget para escanear códigos ou validar a compra. sua conta da Amazon é a única autenticação necessária.

Obviamente há alguns fatores limitantes. Num primeiro momento a tecnologia não deve ser escalável, o que a impediria de efetuar operações em larga escala (o caso de um hipermercado). Tanto é que os testes estão sendo realizados em uma loja de 160 metros quadrados, o que basicamente é um mercadinho de vizinhança. Ainda assim é um teste válido; uma vez que a tecnologia for viabilizada e for melhor que o Ruby, não há por que não expandir para estabelecimentos maiores.

A Amazon no entanto parece focada em manter o low profile. Ela pretende em 10 anos abrir 2.000 lojas no mesmo formato e atender os apressados e desesperados. Não é para o caso das compras do mês.

Amazon — Introducing Amazon Go and the world’s most advanced shopping technology

Por enquanto a primeira unidade do Amazon Go, localizada na cidade de Seattle, EUA (onde fica a sede da companhia, obviamente) é restrita apenas aos funcionários; a previsão é que ela passe a atender o público no início de 2017.

Fonte: Amazon.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • LV

    E as conversas aleatórias na fila do caixa ?

    • Viram conversa aleatória com a pessoa do lado, escolhendo um sanduba natureba enquanto você enche a sacola de bacon e cerveja. Vai ser tipo conversa sobre o tempo com taxista. “Bacana esse tipo de tecnologia, né?”

    • E a briga de pessoas preferenciais na fila???? Quem se invoca com a gestante que nem tem barriga ainda, quem se invoca com o cara de muleta que acompanha a família salvável que fez mesmo a compra, quem se invoca com o cara de 10 itens que tem 12 no carrinho….

      Essas brigas são boa de ver e vão entrar em extinção 🙁

      • Caipiroto, o Capeta Caipira 😈

        Uma vez comprei uma briga com a menina do caixa porque ela não quis passar dois fardos de cerveja. Sério, o negócio é vendido em fardos, cobrado em fardos, anunciado em fardos, mas na hora da fila a jumenta me falou que eram 12 itens e eu estava na fila de 10.

        • Metalmacumba

          Do ponto de vista os dois estavam certos não?
          Mentira, sacanagem do cão.

        • Claudio Roberto Cussuol

          Pergunta pra ela:
          Quantas vezes a máquina do caixa vai fazer beep?

          • Caipiroto, o Capeta Caipira 😈

            Mas foi o que eu falei. Principalmente porque o preço na gôndola era pro fardo, não pra cada garrafa. Como sou um cara bem chato persistente, quando a fila ficou grande o suficiente quem tava atrás começou a me apoiar só pra passar logo as compras e tudo resolvido.

          • Eu já vi o oposto, várias vezes e em vários estabelecimentos. “O preço anunciado era pra fardo, não pra cada item (lata, garrafa)”, ai chegava no caixa a infeliz RASGAVA A PORRA DA CAIXA/FARDO pra tirar um item pra passar a quantidade, por que de acordo com a infeliz não passava o código do fardo. Por essa eu sempre ia com algum a mais que mesmo não levando (largando no caixa) usava pra passar o código.

            E eu já liguei o foda-se, caixa de 10 se precisar eu passo com 11 ou 12, mas o foda é maluco levar carrinho cheio, que tu vê que tem 20 a 30 itens, pra fila do caixa rápido.

            Mas como estamos no Brazil na República da Banânia, Caixa comum com carrinho CHEIO passa mais rápido que fila de “caixa rápido”, onde uma única infeliz que tem que passar os produtos e ensacar, ainda o faz com ânimo e velocidade dignas de um caramujo com Alzheimer, fodendo toda a lógica por trás do nome do serviço.

          • Cássio Amaral

            Exatamente. O “item” a que se refere o limite, é de embalagens, e não de cada unidade. No próprio supermercado onde faço compras tem uma placa que fala isso, e a atendente no caixa só passa o leitor de código de barras uma vez. É uma coisa tão lógica que eu não sei como a moça do caixa queria implicar e considerar 6 unidades em vez de somente uma.

          • Leva um fardo (de 12 caixas) de leite, pra um caixa rápido de 10, sem levar um extra pra passar código, ou mesmo no caixa normal, pra tu ver o que é passar raiva.

          • Tem explicação: é item composto. Como eles vendem tanto fechado como fracionado é contabilizado como 12 latas (no fracionado), não um fardo.

            Isso não se aplica a uma dúzia de ovos por exemplo, já que não vendem unitário. É assim que funciona.

          • Caipiroto, o Capeta Caipira 😈

            Essa parte até entendo, mas acho um argumento meio fraco. O fardo tem código de barra e tudo, se a moça tem preguiça ou nunca percebeu que dá pra passar o lote inteiro, problema dela, o negócio comercializado tanto em unidade como em fardo, então na minha humilde opinião o negócio tem que ser considerado na modalidade que o cliente está levando.

          • Fabio Esteves

            Você tem toda a razão prática, quanto ao código, se não me engano eles não cadastram o código do fardo, só o da unidade (fonte: experiência em uma lojão de varejo).

          • Daniel

            Eu também sei disso, mas ela clica x12 e passa uma lata… logo é um item…

          • Fabio Esteves

            eu quis dizer que não funciona scanear o fardo, o caixa tem que fazer aquela merda de rasgar a embalagem pra passar 1 x12.

          • Daniel

            Eu odeio isso cara, tanto que já levo o fardo +1 pra mula não rasgar…

      • Claudio Roberto Cussuol

        Essa do cara de muleta é muito usada como idosos, a família leva a vovó pro supermercado, deixa ela sentadinha enquanto faz as compras, aí ela aparece só para eles entrarem na fila de idoso e volta a sentar enquanto o povo jovem passa e paga as compras.

        • all the time 😀

        • Cássio Amaral

          Em posto de saúde acontece muito esse tipo de abuso. Como vocês sabem, sempre tem muita mãe levando criança pra tomar vacina, e umas são bem folgadas, tanto que da última vez quase deu confusão. Eu já estava há quase meia hora na fila pra ser vacinado, porque entrava gestante e idoso toda hora na minha frente, aí quando eu era o próximo a entrar, chega uma mãe com a criança de uns 9 anos, completamente saudável, que podia andar com as próprias pernas, e queria passar na minha frente, como se tivesse prioridade.

          Aí eu me neguei a deixar o pirralho passar na minha frente e expliquei que quem tem prioridade são gestantes, mães com crianças de colo e/ou amamentando, e não um moleque esbanjando saúde de quase 10 anos correndo pra lá e pra cá que podia muito bem esperar sua vez. Rapaz, essa mulher fez uma confusão, e queria por que queria passar na minha frente, mas não deixei de jeito nenhum. A própria funcionária da sala de vacinação viu que eu tinha razão e me chamou logo pra entrar e tomar a vacina, e a mãe ficou lá puta da vida kkkkk

          E assim deveria ser em todo lugar, como estabelecimentos comerciais. Mãe com criança que pode andar e que não esteja doente não deveria ter prioridade não. E idoso também deveria apresentar um documento de identidade para comprovar que tem 60 anos ou mais, porque às vezes tem pessoas que parecem mais novas e outras que parecem mais velhas.

          • ricms

            Me incomodei no banco também. uma mulher MANDANDO eu dar o lugar para ela por estar com um menino pela mao. Argumentei q preferencial seria somente de colo, ela entrou em surto psicótico e começou a xingar todo mundo. Pelo menos a caixa me deu razão. Se tivesse pedido educadamente eu teria dado a passagem sem problemas.

      • ricms

        Nada é pior que o casal que cada um fica em uma fila, e se a outra andar mais rápido move o carrinho. Ja tive discussões memoráveis contra isso.

  • Manoel Guedes

    Este sistema obriga a pessoa a devolver o item ao local correto… Fico puto em ver as pessoas deixando produtos refrigerados (carne e iogurte) nas pratilheiras dos chicletes…

    • Ontem desiste de comprar uma almofada umas 20 fileiras/prateleiras pra trás de onde é o local delas… Em resumo, deixei em cima das caixas de panetone em promoção do outro lado do supermercado.

      • Um item não perecível, beleza… foda é você olhar as caixas de panetones, os desodorantes, os detergentes, as pilhas e revistas antes dos caixas e encontrar um pacote de peixe/frango/carne-bovina, iogurte, frutas…

      • Manoel Guedes

        O problema é quando é algo perecível que necessite de refrigeração constante, quando compro Iogurte para o meu filho sempre pego aquele que esta mais atras e mais embaixo evitando assim os que foram devolvidos depois de ficarem um tempo fora da geladeira.

        • Daniel

          Nunca tinha pensado nisso no caso de iogurtes…

          • Dirriba

            Este dias mesmo comprei um daqueles suco de laranja que ficam em geladeira e não notei a diferença (estava tão bem organizadinho) qdo abri as 4 garrafas estavam gasosas, ou seja….

    • … ou no chão ou no meio de outros itens ao lado do caixa.

      Essas criaturas deveriam ser obrigadas a pagar por aquilo.

      • Mirai Densetsu

        E o item em questão é um daqueles perecíveis que precisam de refrigeração constante (como carne, por exemplo).

      • OverlordBR

        E tem aquela turma que pega as embalagens de carne e fura… não sei se de propósito ou sem querer mesmo.

        • Cara, até ensacolador consegue furar sacola de açúcar e de arroz, daquela grossa, com desleixo na hora de pegar e ensacar. É foda… Biscoito então, quando não tá quebrado em prateleira, quebra na mão da puta do caixa ou do viado do ensacolador… >=(

          Faço minhas compras, boto sempre que posso em caixa, na hora de pagar EU pego passo pra “operadora de caixa” e recoloco na caixa.

  • Sai pegando o que quer, enfia no bolso e tchau… vai ser uma ótima desculpa pra ladrão “Desculpa ae, achei que tava na loja da amazon”. =P

  • Davi Leichsenring

    Pego uma bola de basquete, pinto de verde e troco pela melancia. Pronto, hueagem ativado.

    • Odilon Costa Neto

      Só acho que a bola de basquete é mais cara que a Melancia.

  • Imagem um desses no Hell de Janeiro.

  • Antonio Azevedo

    Eles estão testando com empregados, que devem ficar comportadinhos para pegar um produto de cada vez e aguardando o outro passar primeiro. Quero ver como o reconhecimento facial vai se entender quando dezenas de pessoas se acotovelarem para pegar o mesmo produto. Como é que vai entender qual mão é de quem… Ainda falta a prova de fogo de um mercado real.

  • Alvaro Carneiro

    Vai chegar no Reino de Banânia 6500 dias após o lançamento na civilização.

    • Odilon Costa Neto

      Otimista você heim!

    • Você quis dizer anos né? Por que nem na civilização vão colocar em qualquer lugar, imagina quanto tempo para ser seguro colocar aqui.

    • James Ocelot

      Nem vai chegar vai ser igual os postos de gasolina selfie servise que foram proibidos pelos sindicatos!

    • Carlos Vega

      E vai demorar mais ainda para o complexo de vira lata passar longe daqui. Desde 2003 já existem supermercados sem caixas nessa terra, e é bem comum ver supermercados que usam isso hoje em dia. Só tá faltando o RFID.

  • Xultz

    Manchete sensacionalista em outros sites: “Tecnologia da Amazon promove desemprego em massa de funcionários de supermercados”.

  • Haha, já estou imaginando altos cheats com esse sistema, um servidor pirada autenticando tudo e nada sendo debitado da conta e……não, Bezos é mais esperto que qualquer Konami Code (eu acho).
    Espero também que ele seja experto também nas pessoas que tiram as coisas da sua prateleira, se arrependem e deixam em qualquer lugar, os frios e perecíveis principalmente.

  • Isso vai ser um sucesso absoluto aqui no Brasil, onde estatísticas apontam que 1 em cada 5* brasileiros roubam mercados sem o menor pudor.

    *Fonte: meu rabo.

  • Jefferson Viana

    E lá se vai embora mais empregos, vão acabar com motoristas, médicos, atendentes, caixas, etc…, tomara que o Trump proíba isso.

    • Minatonami

      tem razão. aliás, vamos proibir os carros também, tem noção de quantos carroceiros e criadores de cavalos perderam o emprego por causa da maldita invenção do carro? e o que falar da eletricidade, que desempregou milhares de fabricantes de velas?

      • Jefferson Viana

        Te garanto que hj tem mais criadores de cavalos do que há 200 anos. E a eletricidade permitiu aos fabricantes de vela melhorarem sua produção, hj empregam mais gente do que há 200 anos. Isso ai não vai ajudar em nada quem não tem emprego, principalmente nos estados unidos, que já vão deportar 10 milhões de latinos e outros imigrantes pra ver se gera mais emprego, mas com isso serão apenas substituídos por robôs ou apps, o futuro será sombrio, teremos apenas uma classe de superricos sendo servidos por autômatos ou softwares, e uma legião de miseráveis, mas o povo sabio americano elegeu trump foi pra ter mais emprego, ele vai barrar isso e fazer a America grande novamente.

    • Fabio Esteves

      Sério. Você acha que tudo vai funcionar na mais poética harmonia, como mostra a divulgação? Sem mencionar os empregados mais óbvios nesse sistema, os programadores, os abastecedores, o povo que faz o “design de prateleira”, a limpeza, etc. Tu acha que não vão acontecer cobranças erradas e não vão precisar de atendimento ao cliente, telemarketing, chat online, etc? Sua mente já viajou pra um futuro onde a máquina resolve um cliente puto xingando no telefone ou no twitter?

  • Diego

    Galera que come salgadinho dentro do mercado e não se dá ao luxo de levar a embalagem para pagamento no caixa aprova a ideia do Sr. Bezos.

  • Daniel

    Certamente a Amazon não está pensando em nosso querido país ao desenvolver isso… (jura?) Porque por aqui vai ser como a história do posto sem frentistas, é proibido, assim como tirar empregos de cobradores, afinal se implementassem ainda que fosse em mercados pequenos onde iriam trabalhar os (as) pobres caixas? Se bem que com nosso atual presidente isso também não geraria crise, é só trabalhar com mais amor que dá tudo certo… congela por mais uns 20 anos algumas coisas e logo ultrapassaremos a China em termos de mão de obra barata… Oh Wait! em 20 anos a China também não tem mais o que fazer com mão de obra humana… Então o novo partido dos funcionários vai postar um bolsa comida, salário para todos de 1 dólar (298 reais em 20 anos) e todo mundo comemora feliz… acho que hoje vou pro G1.. acordei pessimista …

    • Lucas Macedo

      Bem, desobrigar os empresários a manter frentistas e cobradores só vai ajudar os próprios empresários. Dificilmente teríamos preços menores ou mais qualidade nos serviços, visto que para combustíveis e transporte há um gigantesco monopólio criado com a ajuda do Estado.

      Agora, se esses monopólios forem quebrados e houver incentivo a competitividade e mais empresas no mesmo setor, ai sim poderíamos pensar em nos desfazer dessas funções. Do contrário é só para inundar o mercado com milhares de desempregados e deixar meia dúzia de patrões/políticos ainda mais milionários.

      Quanto aos caixas de mercado o nosso querido Estado ainda não colocou suas garras intervencionistas na área. Vamos ver até quando vai isso quando a Amazon GO bater por aqui.

  • Goodtimes

    Sonho com o dia que as filas irão acabar.

  • Rafael de Moura

    O sindicato de birigui, dos operadores de caixas e empacotadores vão amar essa ideia!

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis