Phil Spencer Capitão Óbvio: “o Xbox One não vende no Japão porque os jogadores preferem games locais”

xbox-one

Não é segredo para ninguém que a Microsoft só amargou fracasso atrás de fracasso no Japão com a linha Xbox. Os três consoles tiveram vendas pífias e uma série de fatores contribuíram para isso: embora o 360 fosse visto como um videogame de otakus, a verdade desagradável é que o japonês é bairrista demais, preferindo dar prioridade à Sony e à linha PlayStation simplesmente por serem produtos japoneses.

Os números são ridículos: na última semana o Xbox One registrou a venda de apenas OITENTA E OITO UNIDADES, contra 31.071 PS4 na terra dos samurais. Em média, um console da Microsoft é vendido a cada dez da Sony. Ela pode ser a campeã nos EUA, mas no Japão a linha Xbox sempre foi menos que nada.

Phil Spencer, o chefão da divisão Xbox sabe disso. Embora no passado a Microsoft tenha realizado esforços para lançar uma grande quantidade de games apelativos ao consumidor japonês (desde os vários shmups da Cave aos RPGs da Mistwalker, como Blue Dragon e Lost Odyssey e claro, os vários Eroges e Dating SIMs), nada disso deu resultado e o Xbox 360 comeu poeira. O One da mesma forma não vende grande coisa desde o lançamento, e a estratégia atual de focar em títulos multiplataforma e/ou produções internas com lançamentos simultâneos para o console e o Windows 10 não estão ajudando em nada a reverter a situação.

phil-spencer

Em entrevista, Spencer reconheceu o óbvio ululante de que os gamers japoneses “preferem títulos como Persona 5 ou Nioh”, presentes no PS4 ao invés de investirem em um Halo 5: Guardians ou em um Gears of War 4. O executivo acrescentou que para aumentar a participação no mercado serão obrigados a “lançar games que os japoneses irão realmente gostar”.

Há outros fatores, e um é justamente o nome: no Japão o “X” é desde sempre um sinal associado a erro ou cancelamento, enquanto o círculo é o acerto/confirmação. É por isso que o layout japonês dos controles da família PlayStation utiliza o botão O para confirmar e o X para cancelar, sendo o contrário no ocidente (temos para nós o “X” como assinalar/preencher uma opção, logo uma confirmação).

Spencer tem planos para se aproximar de desenvolvedores locais de forma a fazer com que eles desenvolvam títulos para o Xbox One, sem mencionar que farão de tudo para garantir a presença de franquias consagradas no Japão em sua plataforma. Final Fantasy XV, que tem lançamento previsto para o próximo mês (se não atrasar de novo) é o mais celebrado desse novo esforço da Microsoft em tornar sua plataforma de games mais apelativa para os nipônicos.

Só que esse pode ser um caminho sem volta. Por mais que a Microsoft se esforce para agradar o jogador japonês e lance uma série de games exclusivos voltados para aquele consumidor, ela continuará sendo a empresa gaijin que concorre diretamente com a Nintendo e a Sony, dois orgulhos nacionais que o japonês defende com unhas e dentes. A única grande exceção é a Apple, que é líder do mercado de smartphones e é seguida sem muita surpresa por companhias locais. A Samsung fica bem para trás na preferência do consumidor no arquipélago.

É provável que a Microsoft consiga incrementar as vendas do Xbox One, One S e do futuro Scorpio? Talvez, mas dificilmente ele será uma séria ameaça à hegemonia da Sony, muito em parte por conta apenas da preferência do japonês em promover a prata da casa.

Fonte: Play-Asia.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Diego Marco Trindade

    Qual é a proporção de WiiU lá?

  • Não Tio Phil, insistir no XONE no Japão é chutar cachorro morto.
    Nintendo e Sony tem uma força que você desconhece por lá. Isso porque a Sega só se concentra em desenvolvimento e nos Arcades.
    Até o WiiU se bobear vendeu mais.

    • Wii U era líder até praticamente ontem.

    • Renato Sevegnani

      está nas entrelinhas uma boa ideia: vender o Xone como console da SEGA no Japão.

  • Paulo de Tarcio Santos Freiri

    Que teoria da conspiração que é essa do X no nome e ser relacionado a cancelamento e circulo ser confirmação, wtf kkkkkkkkkk

    • Sinceramente eu não me surpreenderia se isso fosse realmente verdade. Japonês é supersticioso de mais.

    • Não é teoria, é fato. Japonês é supersticioso à beça, basta mencionar que muitos edifícios e hospitais não tem o quarto andar, porque o som de “quatro” em japonês (“shi”) é o mesmo da palavra “morte”.

      • O que explica então o Xenoblade Chronicles X ter tido um ótimo desempenho no Japão?
        E tenho minhas dúvidas também sobre o PlayStation vender mais porque é feito por uma empresa japonesa. Se fosse assim o iPhone não dominaria o mercado por lá.

        • Samuel

          Acho que faz sentido. Relação dos consumidores com consoles é bem diferente com celulares. Aqui, até pouco tempo, ninguém abria mão de escolher por um PlayStation, imagina lá

        • Paulo de Tarcio Santos Freiri

          Eles dão valor para os produtos do País deles, isso não é novidade, é só observar nas ruas, se você ver algum oriental dirigindo, vai reparar que o carro é sempre de montadora Japonesa.

          • Sim, dá pra vender um monte de gente usando iPhone. E veja só, nos EUA está cheio de gente usando carros americanos, na Alemanha todo mundo anda de BMW e Mercedes e na França as ruas estão entupidas de Renaults.

          • heber28

            não generaliza. tenho um citroen e ja vi varios descendentes com carros diferente de toyota ou honda.

          • Paulo de Tarcio Santos Freiri

            Sempre tem as exceções, mas a grande maioria é do jeito que eu falei concorda?

          • heber28

            acho que sim. as vezes eles dao preferencia aos carros japoneses (quando os carros sao iguais ou parecidos), mas quando os carros dos outros sao melhores ou mais vantajosos, essa preferencia desaparece. o negocio vai acima da nacionalidade. Eles nao sao tao patriotas como parece.

          • Paulo de Tarcio Santos Freiri

            Nisso vou ter que concordar também viu, os caras não gostam de perder dinheiro.

        • Sassá

          Pensei o mesmo, deve ter outro fator na equação…….

          • Dan_Marx

            A quantidade de títulos voltados pras preferências orientais é absurdamente maior, franquias exclusivas e o uso IP’S de animes são com certeza fator de peso nessa equação.

        • No caso do iphone acho que não tem uma empresa nacional que seja motivo de orgulho para eles e esteja em sintonia com os gostos locais. Se tivesse provavelmente estaria vendendo celulares com flip e uma camera bluetooth para acoplar ao sapato e tirar fotos das calcinhas das estudantes.

          • Celulares Flip ainda vendem muito http://meiobit.com/310157/japao-vendas-celulares-flip-crescem-smartphones-caem/

          • O velho novo celular de flip, barato e funciona com todos os emotions em ascii que os japoneses adoram

          • “uma empresa nacional que seja motivo de orgulho para eles e esteja em sintonia com os gostos locais”
            Ou seja, se o PlayStation não caísse no gosto deles eles não comprariam. Por isso acho que não é só uma questão de bairrismo.

          • Claro que qualidade tem a ver, mas se tivessem dois produtos de igual qualidade eles ainda comprariam o de origem nacional para gerar empregos locais.

          • Concordo, mas aí acho que a diferença não seria tão grande.

        • Acho que a questão envolvendo o iPhone é simplesmente a moda do “Se você não tem um, você não anda com a gente” Fora a quantidade de cacarecos que tem para o iPhone, fazendo qualquer XPERIA Top chorar.

      • Rolando

        Legal, dessa eu não sabia.

      • Pelo jeito, não são supersticiosos na hora de comprar o PS4, né? =D

        • Acho que não porque o 4 não está sozinho, tem o PS junto =D
          E mais, o PSVR é uma ótima ferramenta de entretenimento (sim, você entendeu)

        • Claro que o fato de ser japonês pesa, e por isso mesmo a Sony não é burra: o nome do console está em inglês, se lê “Puraisuteishon Fo”, não “Shi”. Tem diferença.

    • Othermind

      Nos PLAYSTATIONS japoneses o “X” cancela e o “0” confirma. Na dash..

  • Gostaria muito de ser nacionalista com video game, mas acho que eu teria que criar um para poder fazer isso, afinal o Zeebo não foi um console, apenas uma piada de mau gosto.

  • Vendeu mais Xboxs no Japão na última semana que Smartphones com Windows Mobile no mundo todo.

  • O gosto do publico japonês é algo muito diferente daquilo que o rosto do mundo curte. Apesar de ser um grande mercado e etc, será que realmente vale a pena pra MS gastar tantos recursos para conquistar um mercado que é diferente do resto do mundo?

    Por que não gastar esses recursos aumentando ainda mais a vantagem dela no ocidente? Aumentando a lista de exclusivos e fazendo novas parcerias.

    Japonês não vai abandonar uma empresa local para abraçar um console americano.

    • Samuel

      Nisso o Japão leva vantagem. Temos a percepção aqui de produtos japoneses como algo de alta qualidade. Até os americanos, que não abriam mão da sua indústria automobilística, já pensam diferente

  • Germano

    E se duvidar os Xbox que venderam lá foram comprados pelos imigrantes, do Brasil por exemplo.

  • RôShrek

    Ué gente, e o Xone não é forte nos EUA pelo mesmo motivo?

    • Gaius Baltar

      Não há essa disparidade. O PS4 esteve à frente do XBox One até bem pouco tempo atrás.

      • RôShrek

        Sim, mas grande parte da força do console vem desse nacionalismo americano também. Não fosse por isso o console provavelmente estaria bem pior.

    • Jorge Dondeo

      Não.

    • Não, é porque é mais barato. Até 3 meses atrás, o PS4 nem via o Xbone no retrovisor.

  • Fred

    Mas nos EUA o PS4 ainda não está na frente no acumulado de vendas? (ok, sei q nos 3 últimos meses o X1 vendeu mais que o PS4, mas foram ANOS com PS4 liderando).
    Como o argumento dele explicaria isso?

    • Americano != japonês.

    • mr_rune

      Fizeram muita merda no lançamento do X1 e queimaram a imagem bonito. Por isso.

  • Alex Silva

    Eu concordo com a Matéria. O motivo por eu preferir um PS ao Xbox são os jogos. O PS tem jogos que me agradam mais. O Xbox parece que só tem FPS e não fazem o mínimo esforço pra trazer bons jogos de RPG, trazer um 1 ou 2 jogos não faz diferença.

    • Fora o preço dos jogos também, ontem estava vendo o preço do gears na loja do windows (que suponho ser o mesmo do console) pow… 139,00 pelo primeiro jogo da série? Sério mesmo?kkkk Estamos no 4º jogo

      • Dan_Marx

        Não sei se seu exemplo está correto, mas nos dois últimos anos o custo beneficio do Xone foi bem melhor do que o do PS4, se falarmos somente de preço de jogos acho que a diferença é ainda maior.

        • Então cara… olhei ontem na loja da M$, o valor era este, R$250 o gears of wars 4 e R$ 139 no gears 1

          • Dan_Marx

            Eu acho que esse versão é uma que vem com um pacote de skins extra, a versão simples deve ta uns R$ 90,00 que eu ainda acho caro, mas pra assinantes gold ela sempre entra em promoção acho que já vi ela por R$60

          • Se for isso menos pior, mas ainda é caro, na steam um jogo da mesma idade sairia por uns 40 – 50 reais, o que considero um valor bem pago por um jogo tão antigo.

            Eu paguei 45 no Shadow Of Mordor GOTY Edition por lá

          • Christian Oliveira

            Esse Gears 1 é a versão remasterizada, vem também no pacote os 3 primeiros Gears para 360 que roda tanto no 360 quanto no one por retro.

          • Dan_Marx

            Bem lembrado.

    • Christian Oliveira

      Para fazer isso teria que comprar as produtoras destes jogos, as demais produtoras do resto do mundo são mais preocupadas em jogos AAA de franquias que não mudam a jogabilidade a décadas.

  • Othermind

    Detalhe do bairrismo… Tem RPG pra kct pro Vita no japão….

  • Ok, a Microsoft pode tentar uma versão personalizada para o Japão do One (sem o X com ênfase do O), mas, por outro lado, ela também poderia dar uma “valorizada”, tipo jogador de futebol cavando falta, a respeito desse bairrismo japonês. Estou pensando em algo do tipo apresentar esses números para os consumidores americanos e apelar para o ufanismo de um dos povos bairristas mais famosos do planeta: “Olha… Os japoneses não querem saber de console feito fora do país deles, só mesmo nós, com nosso COMPLEXO DE VIRA-LATA, ficamos dando dinheiro para o que vem de fora e desprezando o que é da terrinha… Blá blá blá….” 🙂

    • Jorge Dondeo

      Será mesmo que é tão bairrista? O país com mais imigrantes no mundo, que mais financia pesquisadores não nacionais no mundo, que recebe os produtos de outros países sem problema, as vezes em detrimento dos seus próprios, que financiou e construiu a industria chinesa, etc etc…

      • Christian Oliveira

        aqui em SP 11 em cada 10 pessoas com traços orientais possuem ou um Honda ou um Corola.
        japinha casada com mameluco? never…

        • Jorge Dondeo

          No caso eu tava falando dos Americanos. O japoneses são bem bairristas mesmo, isso todo mundo sabe.

          • Christian Oliveira

            Para assinar embaixo mesmo.

  • Jorge Dondeo

    Imagina se os americanos fizessem o mesmo?

    • Rogério Dantas

      A Sony quebraria, possivelmente.

  • O iPhone faz muito sucesso no Japão por um motivo simples: a Apple é mais japonesa que a Sony. Steve Jobs sempre se inspirou na japonesa e conseguiu superá-la nos smartphones.

    • Mike

      Exactly!

  • Bruno do Acre – (Etevaldo)

    e a Nintendo?

  • Christian Oliveira

    Ou a MS compra a Sony (mantendo a marca), ou pode esquecer.

  • Cristiano Viana Alves

    Se você, andando tranquilamente pela sua cidade, acha-se no chão uma cópia do Halo 5, você pegaria? Ou reclamaria que uma nota de 2 reais ninguém perde e deixaria o jogo no solo esperando algum catador de recicláveis e continuaria sua caminhada.

  • Julio Verner

    Japonês não é bairrista, é retardado mesmo. País de velhos gagás e jovens virjens… Esperar o Mercado fluir como no Planeta Terra simplesmente não dá!

  • Mike

    E3 e TGS são universos muito distintos.. só olhar o top 30 japonês semanal de jogos para cada plataforma que você percebe.. Xbox nunca chegou a ser equivalente em biblioteca e exclusivos, diferente da postura PS no ocidente, não vender dentro de casa estando em uma posição favorável é complicado.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis