Ansel Adams — arquivos de Manzanar

Ansel_Adams_manzanar (7)

Ansel Adams é um dos mais importantes fotógrafos do século XX. Ficou conhecido pelo registro das mais belas paisagens naturais dos Estados Unidos (um trabalho genuinamente voltado para a conservação destes locais) e também pela sua obsessão pela perfeição da imagem capturada, o que o levou ser responsável pelo processamento de seus negativos e impressão das cópias. Prova da importância do trabalho do fotógrafo é o valor alcançado por suas fotos em leilões. Fora a prova do valor monetário, não podemos negar a incrível beleza de suas imagens.

Porém, Ansel Adams não fotografou apenas natureza. O fotógrafo se dedicou a outros temas e outros projetos. Um deles é composto por uma série de imagens registradas no Campo de Relocação (ou concentração) de Manzanar. Em 1941, após o ataque de Pearl Harbor, o governo Norte Americano emitiu uma ordem executiva presidencial que determinou a realocação de 110 mil nipo-americanos em 10 campos de relocação. Ansel Adams, que teve um amigo afetado por essa decisão, se sentiu ofendido com essa injustiça e decidiu fazer a única coisa que podia: registrar o dia a dia do campo de Manzanar com sua câmera fotográfica.

A série de imagens são compostas por retratos, cenas do cotidiano, as atividades de lazer e os afazeres agrícolas. Um verdadeiro registro histórico de um fato que muitos querem esquecer e que alguns nem sabem que aconteceu. Em 1965 Ansel Adams começou a doar os negativos e imagens de Manzanar para a Biblioteca do Congresso Americano. Juntamente com as imagens, o fotógrafo enviou uma carta com os seguintes dizeres:

O objetivo do meu trabalho foi para mostrar como essas pessoas, que sofrem sob uma grande injustiça, e perda de propriedade, empresas e profissões, tinham que superar o sentimento de derrota e desespero através da construção para si de uma comunidade vital em um ambiente árido (mas magnífico)… Tudo em tudo, eu acho que essa coleção Manzanar é um documento histórico importante, e eu confio que ele pode ser colocado em bom uso.”

O projeto inteiro pode ser encontrado no site da Biblioteca do Congresso. Somente em 1988 o governo dos Estados Unidos pediu desculpas pela grande injustiça cometida para com as pessoas de ascendência japonesa durante a Guerra.

Ansel_Adams_manzanar (9)

Ansel_Adams_manzanar (8)

Ansel_Adams_manzanar (6)

Ansel_Adams_manzanar (5)

Ansel_Adams_manzanar (4)

Ansel_Adams_manzanar (3)

Ansel_Adams_manzanar (2)

Ansel_Adams_manzanar (1)

Fonte: Petapixel.

Relacionados: , , ,

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams “Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio”.

Compartilhar
  • Theuer

    Bela matéria Gilson.
    Obrigado.

  • Rodrigo Gomes

    Tô chocado, pois nunca tinha ouvido se quer falar a respeito em nenhum livro didático de história. Bela matéria.

    • ricms

      Como foram vencedores, eles escolhem os fatos que querem que façam parte da história.

      • Marlon

        “Eles escolhem os fatos que querem que façam parte da história”

        Cara, essas fotos fazem parte da biblioteca do congresso e o manzanar já foi tema de filmes e séries americanos (cold case por exemplo). O governo americano já pediu desculpas publicamente pelo ocorrido.

        Se alguém não conhece a história é por pura falta de conhecimento, e não por “quem está contando a história”.

        • Rodrigo Gomes

          De qualquer forma o o que falei sobre os livros didáticos(br) é verdade. E ainda bem que eu tenho falta de conhecimento, pois pra mim esse é o prazer da vida: aprender, conhecer e descobrir coisas.

    • Diego Marco Trindade

      No Brasil também houve discriminação, e acredito que campos de “relocação” também. Vou achar alguma fonte…

      • Rodrigo Gomes

        Esse tipo de história é importante. Ficamos meio perdidos em meio a tanta informação com toda essa modernidade. Mas os mais velhos contas várias histórias sobre esse período, até mesmo nos interiores mais remotos.

  • ricms

    Admiro muito o povo japonês não guardar mágoa desta época. Resiliência faz parte mesmo da vida deles.

    • Depois do controle quase absoluto imposto pelos EUA ao Japão, após todo o ocorrido e após a desgraça jogada em Hiroshima e em Nagasaki, não tem como demonstrar ressentimento. Os sobreviventes da época nunca irão esquecer, já as novas gerações terão parte do ocorrido em seus livros de história.

  • Marlon

    Lembrando que estes campos de concentração não foram somente causados pelo ataque de Pearl Harbor em si. Um dos pilotos que participou do ataque acabou pousando (caindo) no Hawaii e foi acolhido por descendentes de japoneses que inclusive atacaram americanos. Isso levantou a questão da lealdade dos japoneses, levando em consideração que o imperador tinha status de “Deus” para eles.

  • Marcvs Antonivs

    Não se estuda isso em escolas brasileiras por um motivo bem simples: A história dos EUA só é vista de leve, particularmente a colonização, a independência e sua presença na arena internacional a partir da Primeira Guerra. Embora negativo esses campos não eram exatamente campos de concentração como os alemães. Ninguém foi “eliminado” neles. Pelas fotografias do insuspeito Adams dá pra se ter uma ideia na diferença de tratamento. Eles se explicam pelo medo americano não apenas de espiões infiltrados mas, seguramente, aí eles estariam protegidos de possíveis histerias coletivas.

  • Buque17

    Parabéns pela escolha do tema, Gilson.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples