A Olympus vai para o espaço

A Olympus está comemorando 90 anos de existência. Nada mal para uma empresa que começou sua especialização produzindo microscópios. Hoje, ela também é uma das grandes empresas voltadas para a produção de equipamentos fotográficos e uma das poucas que controla todo o seu processo de produção, desde os sensores até as lentes. Para comemorar essa grande data, a empresa está lançando o Olympus Espace Project. A meu ver é uma grande jogada de Marketing, mas nem por isso deixa de ser bacana.

Em 2009, o astronauta japonês Dr. Koichi Wakata da JAXA (Japanese Aerospace Exploration Agency) vai passar três meses na Estação Espacial Internacional para fazer experimentos em gravidade zero. Ele vai ser o primeiro tripulante do KIBO, um módulo experimental japonês que foi levado para o espaço durante as três últimas missões espaciais e montado acoplado a estação. Uma das atividades do Dr. Koichi no espaço é fazer imagens do planeta terra. Uma vez que a estação espacial completa uma orbita ao redor da Terra a cada 90 minutos, ele vai ter a oportunidade de fotografar grande parte do planeta.

A câmera que ele vai levar para realizar essa atividade é uma Olympus E-3 e as lentes ZUIKO DIGITAL 11-22mm F2.8-3.5 e ZUIKO DIGITAL ED 50-200mm F2.8-3.5 SWD além de alguns acessórios como filtros e um battery grip. Muito legal é a frase de abertura do texto que está na página do projeto: “A Olympus tem se dedicado a observar tudo, desde o mundo microscópico até a vastidão do Planeta Terra”. Todas as imagens feitas com a Olympus E-3 no espaço estarão disponíveis no site do projeto. Agora só temos que aguardar.

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar