Deu ruim: vereadores de SP aprovam projeto de lei que proíbe o Uber

uber

Mais cedo, você leu, aqui no MeioBit, que o Uber estava pedindo socorro aos usuários de São Paulo para evitar que o Projeto de Lei 349/2014, que pretendia proibir o modelo de economia compartilhada adotado pela empresa, fosse votado pelos vereadores. Para isso, o Uber disponibilizou um texto padrão e a listagem de e-mails dos parlamentares de São Paulo. Mas não deu muito certo não.

Em primeira votação, os vereadores da maior cidade do país aprovaram, por 48 votos a favor e um contrário, a proibição da prestação de serviço feita pela empresa. Para que a determinação entre em vigor, ela deverá passar por outra votação na Câmara Municipal e, sendo aprovada e definitivo, será enviada para a sanção do prefeito municipal.

Em uma nova postagem feita no site do serviço, o Uber avisa que, até que Fernando Haddad sancione a Lei, a empresa continuará operando normalmente na capital paulista. Ainda segundo o Uber, a campanha feita pela empresa surtiu efeito e mais de 200 mil mensagens eletrônicas foram enviadas aos vereadores de São Paulo. Mas, aparentemente, os representantes da população não deram muita atenção ao apelo não.

uber-200-mil-vezes-obrigado

No mesmo comunicado, o Uber afirma que a sua intenção é defender o direito do usuário de escolher por qual meio quer se movimentar na metrópole. A empresa afirma, ainda, que, “em um momento que se fala tanto em mobilidade na cidade de São Paulo, a inovação é crucial para que as cidades fiquem cada vez mais conectadas, transparentes e inteligentes. A Uber acredita que é possível criar novas oportunidades de negócio para milhares de motoristas parceiros e ao mesmo tempo oferecer novas opções de mobilidade urbana”.

Aos usuários do serviço, restará pressionar ainda mais os parlamentares para tentar, na segunda votação, reverter o cenário. As chances são muito pequenas, mas… brasileiro não desiste nunca.

Atualização

Não foi somente em São Paulo que deu ruim para o Uber. Ainda na noite desta terça-feira, os deputados do Distrito Federal aprovaram o Projeto de Lei nº 282/2015 que também torna o uso do Uber irregular na capital federa. O PL, que foi aprovado pelos 17 parlamentares presentes, ainda precisa ser sancionado pelo governador.

Caso a decisão de Brasília seja sancionada e a de SP seja aprovada em segunda votação e sancionada pelo prefeito, o Uber poderá continuar explorando o serviço apenas no Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Ao menos até que haja decisões semelhantes em ambas as cidade.

Relacionados: , , , ,

Autor: Ricardo Fraga

Mineiro de Juiz de Fora, é amante de tecnologia. Jornalista por vocação e em formação, foi editor do Google Discovery e, atualmente, escreve sobre tecnologia no TechTudo e Meio Bit.

Compartilhar
  • Uber paga impostos? Não
    Uber tem representante na Câmara Municipal? Não
    Uber tem sindicato? Não
    Uber elege vereador? Não
    Uber dá um serviço que compete melhor que taxistas, essas criaturinhas lindas que nos deixam peloo meio do caminho e reclamam se vc não vai parea onde eles querem ir ou por onde eles querem? Quem se importa?

    • NLandim

      Provavelmente o Uber não vai passar justamente por ser mais um exemplo de pequeno poder, uma pena apesar de achar o Uber bem controverso.

      • Ünder

        uma companhia avaliada em 80 bilhões de dolares não é exemplo de pequeno poder.

        • NLandim

          quando falo de pequeno poder falo dos taxis. apesar que no texto foi isso que ficou evidenciado. valeu 😉

    • cquintela

      Sim, porque em outros países do mundo as empresas podem funcionar legalmente sem pagar impostos, inclusive concorrendo com outros serviços que pagam impostos.

      • E lá taxistas lhe deixam dentro de favelas, lhe assaltam ou fazem “turismo” para vc pagar mais caro?

        • cquintela

          Ué? Os motoristas do Uber no Brasil vão ser importados? hahaha

          Cubanos talvez?

        • O que impede o motorista do Uber de fazer a mesma coisa? A falta do taxímetro?

          • Ué. Motorista do Uber não é feio, bobo e chato, e taxistas são pobres coitados? manchetes de jornal contam outra história. Maldita imprensa golpista que vilaniza essa classe tão boa e decente.

          • A imprensa é livre quando interessa ao argumento e quando não interessa é comprada, elitista e manipuladora, impressionante.
            Vamos avaliar o período de imprensa livre no Brasil, que tem só 30 anos. O serviço de taxi oficial tem, nesse período, 29 anos e alguma coisa a mais que o Uber. E mesmo assim o Uber chama a atenção negativamente (por ser ilegal) muito mais do que o serviço de taxi oficial (legalizado). Tudo questão de ponto de vista não?
            O que interessa na discussão é que você sempre coloca o mesmo exemplo fraco de que “motoristas de taxi são bandidos” quando há bandidos em todas as atividades profissionais. E colocando de forma matemática, o saldo dos taxistas é muito melhor do que de médicos que exercem a profissão ilegalmente ou policiais que se corrompem. Não vou citar os políticos porque na minha opinião política não é profissão porque até analfabeto se elege aqui na república das bananas.
            O que interessa é que não há garantias de que 100% dos motoristas do Uber sejam honestos. E essa coisa de antecedentes é ridículo porque todos os taxistas do RJ tem que apresentar todo ano documento que não estão envolvidos em investigações de atos ilícitos por parte da polícia civil.

        • Acontece comigo toda vez que pego taxi… Só que não

          • Eu ainda não fui morto. Assassinatos não existem, vivemos um clima de tranquilidade. Eu não fui assaltado. Assaltos são obra de ficção. Ninguém da minha família foi sequestrado. Sequestro? Pfff… invenção de gente maluca. Ser deixado no meio do caminho por taxista que se recusou a me levar e tentativa de fazer passeio turístico por toda a cidade, pensando que eu era turista.

            Sim, por isso eu passei.

      • Alvaro Carneiro

        cita aí os países que voce pode chegar abrir empresa e nao pagar impostos e concorrer com outros serviços que pagam impostos.

        (veja que sua afirmação é interessante, voce diz que tem países que nao se pagam impostos e que voce pode concorrer com quem paga imposto, mas se nao paga imposto porque a concorrencia paga imposto?)

        mas vamos ao que interessa: que país mágico é este que permite voce chegar lá, abrir uma empresa, nao pagar impostos sobre os lucros e concorrer com empresas que já pagam impostos no mesmo lugar?

        • cquintela

          Nome disso é sarcasmo. E realmente, não funciona bem na internet hehe.

          Mas aparentemente, é o Brasil, ou pelo menos o pessoal quer que seja.

        • Bruno

          Uber é uma empresa de software. Uso de softwares não pagam impostos. Ou os governos vão cobrar impostos sobre todos os serviços digitais? Você é maluco?
          O anti-uberismo é puramente lobby porco dos sindicatos.
          Pau no rabo do povo.

          • Ünder

            IBM, TOTVS, microsoft não pagam imposto no Brasil??? o/

          • Ünder

            Aliás, acabei de assinar com a bloomberg um contrato, e veja só, eles fecham direto com a bloomberg usa, 2000 dolares por mês de uso pago lá nos eua, eles descontam os 35% de imposto de ny e eu recolho este imposto no brasil e pago uma darf para o governo brasileiro.

            Existem meios de fazer a coisa legalmente, só não faz quem é picareta. E vcs ficam defendendo uma empresa que ganha em cima de todo mundo, é surreal isso…

          • Uber é uma empresa de prestação de serviços que usa um software para comunicação e não uma empresa de software. O objetivo da empresa é prestar o serviço de encontro entre motorista e passageiro – cobrando comissão como uma cafetina – e essa prestação de serviço não recolhe imposto devido ao caráter informação da relação de comércio estabelecida.
            Se o uber ganhasse dinheiro com software, todos pagariam pelo aplicativo.

    • Bruno

      Posso está errado, mas pelo que me falaram, os motoristas tem que ter empresa aberta e para receber do Uber, eles precisam lançar nota fiscal, e por isso eles pagam impostos.

      • Saulo Henrique

        Errado. Eles não precisam ter empresa aberta, ou CNPJ. Pagam impostos como qualquer autônomo.

    • Pedro Silva

      Uber é da baidu assim como o du speed,…. O du speed andou sendo proivido pela justiça a esses tempos atrás, e vários países estão proibindo o uber por questões de segurança. Acho que já dá pra se tr uma ideia de que tipo de bomba que é.

      • Saulo Henrique

        Errado. Uber não é da Baidu, a Baidu apenas investiu dinheiro no Uber.
        Outra coisa nenhum país proibiu o Uber até hoje.
        Já andou com algum Uber? Teste e conte como foi..

        • cquintela

          Só a Alemanha, França, Holanda, Tailândia, Espanha, o estado de Nevada nos USA e Índia, por enquanto.

          • Mas qual das modalidades de serviço? O black (que é esse que existe aqui), ou aquele serviço mais mequetrefe deles?

          • cquintela

            Acho que a modalidade mais simples.

          • Então, pelo que me lembro estão abolindo esse serviço mais simples por aí, deixando o Black prosseguir. Acho que o Brasil pode ser o primeiro.

        • Rodrigo Lago

          Já isei, foi bom, embora eu tenha que ter ligado meu GPS porque como não era um profissional treinado não sabia como sair de Tooting Broadway até Heathrow sem escapar de um mega protesto no meio do caminho… E como o cquintela falou, vários países já proibiram. Cuidado, fera, se informa antes aí.

        • Pedro Silva

          Alemanha, França. Tailândia, Holanda, Espanha, China, e várias grandes cidades espalhadas por aí, como Nova Deli, por exemplo. Dá uma googlada fera.

    • Rafael Rodrigues

      Com os aplicativos móveis, o serviço de táxi (pelo menos no Rio) melhorou muito. Pego taxi umas 20 vezes por mês e minhas corridas raramente passam de R$ 20,00 (moro bem perto do centro). Nunca tive problemas com taxistas.

      • Saulo Henrique

        Experimente o Uber. Uma só vez.. Na primeira corrida você ganha R$20, então não vai gastar nada pra experimentar.
        Depois nos conte como foi.

        • Rafael Rodrigues

          Eu agradeço, mas os bônus da easy e da 99 me bastam. Quando ele for legal, experimentarei. Infelizmente eu gosto de poder criticar o que e quem eu quiser, sem que me apontem falhas de caráter, o que me impede de usar por enquanto.

          Mas obrigado mesmo assim.

          • Saulo Henrique

            O que as pessoas críticas ao Uber esquecem é que Transporte Executivo sempre existiu e continuará existindo. O Uber apenas conecta o motorista ao passageiro de forma mais simples. Sendo uma plataforma completa pra isso. Não sendo necessário ligar para a empresa Executiva, solicitar um motorista, calcular o preço… Etc e etc.
            E isso é ilegal?

          • Rafael Rodrigues

            Transporte executivo emprega, assina carteira, tem CNPJ e paga imposto.

            Uber, não.

          • O problema do Uber não é esse. E taxista não tem CNPJ e carteira assinada. Eu apontei os outros problemas dele.

          • Rafael Rodrigues

            Entendo seus pontos, André. Mas a ilegalidade me incomoda muito. Não existe essencialmente diferença entre um camelô e um motorista do uber. Ambos são informais competindo com quem está legalizado.

          • Como se não existissem taxis piratas, além dos legalizados não serem essas maravilhas todas. Olha como é simples: legalizem o Uber, ué.

          • cquintela

            Ué, mas é só o Uber querer. Poderia se registrar como empresa de transporte executivo, tipo serviço de limousine. Não é o governo que tem que se encaixar no Uber, é o Uber que tem que se encaixar na legislação.

            O Uber não quer é pagar ISS para as prefeituras, pois quer se vender como se fosse apenas um software.

          • Rafael Rodrigues

            Todos os problemas enumerados podem se repetir com o Uber legalizado. A propósito, legalizar como? E se um concorrente sobe um servidor em Tuvalu e passa a competir com o Uber legalizado?

            Eu sou usuário contumaz de táxi e realmente não acho o serviço essa m… toda não.

          • alexandre de carlis

            Que linha simplista a sua de raciocínio, então pq o governo não legalizou as drogas ainda? Sendo que temos traficantes ilegais. Pelo simples fato de que não há como contabilizar e cobrar impostos. Legalizar por Legalizar e fácil.

          • Obrigado. Acabou de concordar comigo sobre o fato que a celeuma com o Uber não é por ele não ser legalizado, justificando o primeiro comentário do artigo, que por sinal é meu. 😀

          • Luciano Nunes

            ééééé… desculpe, de que realidade estamos falando mesmo?
            O transporte executivo que mais tem representatividade é o informal. Sem carteira assinada, sem CNPJ, sem imposto.

            Sempre existiu, sempre vai existir. Com ou sem aplicativos…

          • Rafael Rodrigues

            O problema não é o transporte executivo. Ele, de certa forma, não compete com os taxistas e sempre esteve lá. O problema é o Uber distribuir o serviço em larga escala.

          • Eduardo

            Consulte o CNPJ 07.117.319/0001-40.

          • Eddie Xavier

            Até parece que vc nao é parente de taxista ou taxista né?

          • Rafael Rodrigues

            Incrível, não tenho nenhum amigo ou parente taxista. Para falar a verdade eu nem gosto muito de taxista. Do mesmo jeito que não amo lojistas e igualmente reprovo a camelotagem.

          • Em muitas cidades, o que as prefeituras fazem? Delimitam uma área onde o camelô pode atuar. Simples e eficiente. Nada que uma regulamentação bem feita não resolva. Quem não se adequar, aí é outra história.

          • cquintela

            Nesse caso são vendedores registrados, geralmente como ME.

          • Rafael Rodrigues

            Na Uruguaina resolveu? Sinceramente, resolveu? A máfia só mudou de mão lá. Você é assaltado na Pres Vargas e o telefone ainda com as suas marcas de dedo vai para uma barraquinha lá.

            Fora que contrabando e descaminho é pinto lá.

          • NLandim

            Verdade, aqui em Palmas-TO os camelôs foram regulamentados e existe o Camelódromo. Tudo funciona as pampas 😉

          • Ünder

            Esse pessoal aqui vestiu a camisa do Uber como se fosse algo libertador!!!

            “eu quero poder pegar um ‘taxi’ com qualquer um, não pagar impostos, dane-se minha segurança, dane-se se não gera divisas pro país, dane-se se ele quebra regras estabelecidas no país, o uber merece levar 20% do meu dinheiro!”

            Pros ignorantes de plantão, quando vc faz um outorga onerosa, como é o caso dos taxis no pais todo ( em curitiba a prefeitura cobra 150 mil por taxi) e vc quebra o contrato no meio do caminho, tipo aceitando que um qqer pegue seu onix e va operar no mesmo mercado que vc empenhou um civic + 150k, a prefeitura é obrigada a ressarcir os outorgados, com multa. Aqui são 5 mil taxis, nada menos que R$ 750 milhões em indenizações mais uma multa de sei la, uns R$ 300 milhões pelo menos. Tudo isso para os espertalhões que querem pagar menos numa corrida possa dizer “o uber é livre”

          • Oli

            Até onde eu sei as licenças são gratuitas, o que custa 150 mil é comprar a licença de algum outro taxista.

          • Rafael Rodrigues

            É gratuita para pegar e custa R$ 150.000,00 para passar adiante? Meu Deus, estamos diante do melhor e mais lucrativo negócio da face da terra!

          • cquintela

            Não, esse é o tráfico de drogas, mas é ilegal também, assim como o procedimento que tu citou.

          • Rafael Rodrigues

            Quem citou foi o bacana ali acima. Và ler as leis municipais que regem o táxi e volte aqui só depois de compreendê-las.

            Nego nem sabe como um táxi funciona e vem cagar regra sobre Uber.

            E ainda acham que estado mínimo no Brasil funcionaria.

          • cquintela

            Leis municipais não podem sobrepor leis federais.

          • Rodrigo Lago

            Não, não podem. A lei federal proibiu a venda por pessoas físicas, no entanto garante a venda
            dessas licensas pela Prefeitura em caso de mortes ou desistências sem herdeiros ou caso ela queira aumentar o número de licensiados (os taxistas). DE NOVO: é uma outorga pública onerosa de direito de se oferecer um serviço! Não é para se ganhar dinheiro com a venda, lucro e tal,brother . Vamos lá, função social da infra-estrutura urbana no que tange aos serviços públicos: cabe ao município oferecer serviços básicos de qualidade ao cidadão (dentre eles a possibilidade de transporte),
            através de prestadores próprios (concursados) ou terceiros
            (licenciados). O terceiro pode ter lucro sim, mas através do exercício da função, não com a venda da licensa, lembre-se, não é dele tipo “comprei, é meu, faço o que quiser”, é uma outorga de prestação de serviço, o governo municipal pode tomar quando quiser, caso ele não exerça bem a função (se o município fiscalizasse, claro). Entendeu? Fica complicado desenhar isso.

          • cquintela

            Não sei porque está tentando explicar para mim o que eu expliquei para o colega acima: Taxistas não podem ganhar dinheiro com a venda da licença.

            Quem achava que poderia haver comércio entre os taxistas foi o Rafael Rodrigues.

          • Rodrigo Lago

            Verdade, vou mandar para ele, li novamente auqi, desculpa.

          • Rafael Rodrigues

            Cara, mostre no texto legal onde proíbe a venda. Quem determina se pode ou não vender é cada município. De toda forma, a autonomia entra até no Imposto de Renda do cidadão…

          • cquintela

            O taxista não pode vender algo que não é dele, a licença é uma concessão. Ele tem que devolver para a prefeitura vender ou passar de forma hereditária para algum parente.

          • Mas bem que tentam e é engraçado …

          • cquintela

            Taí a lei da responsabilidade fiscal que não me deixa mentir heheh.

          • Rafael Rodrigues

            Fora que a lei federal que ninguém aqui leu diz em vários lugares: “requisitos exigidos em legislação municipal”, mas tá beleza.
            Podiam pelo menos ler o que diz a lei 12.587/2012 (procure no site do planalto, link aqui é moderado) e voltar para discutir.

          • Rodrigo Lago

            Taxistas não podem vender a licensa. A lei federal proibiu a venda por pessoas físicas, no entanto garante a venda
            dessas licensas pela Prefeitura em caso de mortes ou desistências sem herdeiros ou caso ela queira aumentar o número de licensiados (os taxistas). DE NOVO: é uma outorga pública onerosa de direito de se oferecer um serviço! Não é para se ganhar dinheiro com a venda, lucro e tal, brother. Vamos lá, função social da infra-estrutura urbana no que tange aos serviços públicos: cabe ao município oferecer serviços básicos de qualidade ao cidadão (dentre eles a possibilidade de transporte), através de prestadores próprios (concursados) ou terceiros
            (licenciados). O terceiro pode ter lucro sim, mas através do exercício da função, não com a venda da licensa. Lembre-se, não é dele tipo “comprei, é meu, faço o que quiser”, é uma outorga de prestação de serviço, o governo municipal pode tomar quando quiser, caso ele não exerça bem a função (se o município fiscalizasse, claro). Entendeu?

          • Rafael Rodrigues

            E pelo menos aqui no Rio, algumas autonomias podem sim ser legalmente vendidas.

          • cquintela

            Em 2013 foi aprovado a Lei que garante a passagem hereditária da licença, mas não a venda. Como quem regula são os municípios, muitos deles “fazem” leis próprias e ignoram as federais. Mas pela lei federal é proibido a venda.

          • Rafael Rodrigues

            A lei federal garante a hereditariedade. Se você tivesse se dado ao trabalho de ler a lei, veria que no parágrafo anterior ela garante a transferência para outras pessoas que atendam aos requisitos:

            “§ 1o É permitida a transferência da outorga a terceiros que atendam aos requisitos exigidos em legislação municipal. (Incluído pela Lei nº 12.865, de 2013)”

            Custa ler o que “embasa” o seu argumento????

          • cquintela

            Sem poder comercializar, não falei que não pode ser transferido, falei que não pode ser comercializado a lei não permite ganhar dinheiro com a venda da licença!

          • Rodrigo Lago

            DIacho! Porque é uma outorga pública onerosa de direito de se oferecer um serviço! Não é para se ganhar dinheiro com a venda, lucro e tal, filhote. Vamos lá, função social da infra-estrutura urbana no que tange aos serviços públicos: cabe ao município oferecer serviços básicos de qualidade ao cidadão (dentre eles a possibilidade de transporte), através de prestadores próprios (concursados) ou terceiros (licenciados). O terceiro pode ter lucro sim, mas através do exercício da função, não com a venda da licensa, lembre-se, não é dele tipo comprei é meu faço o que quiser, é uma outorga de prestação de serviço, o governo municipal pode tomar quando quiser, caso ele não exerça bem a função (se o município fiscalizasse, claro).

          • cquintela

            Eu não sei contra o que você está argumentando, mas ok…

          • Rodrigo Lago

            Oops, desculpa, agora que vi que quem estava contestando isso era o chamado Oli. Vou editar para melhorar.

          • Rafael Rodrigues

            Cara, você se incomoda em indicar o artigo da lei federal que proíbe?

          • cquintela

            O mesmo que você citou, é só ler os outros artigos da mesma lei.

          • Rafael Rodrigues

            Custa indicar qual artigo PROÍBE?

          • Rodrigo Lago

            Custa tempo, mas assim que parar de trabalhar vou procurar. É concessão pública, como o direito de se ter uma empresa de ônibus, explorar um serviço de pedágio, etc.

          • Rafael Rodrigues

            Não tem problema, eu espero. Só gostaria sinceramente de saber onde está.

          • Rodrigo Lago

            Rapaz, vou procurar, mas é como foi falado a licença não é dele, é uma outora, concessão, brother, nem precisa pesquisar, não acha?

          • Rafael Rodrigues

            Eu gostaria de ler. Existe na constituição uma cláusua pétrea que diz que tudo é permitido salvo legislação em contrário. Se não é proibido, é liberado. Por isso precisa estar claro.

          • Rodrigo Lago

            Então procura aí, poupa tempo nosso também e aproveita se informa melhor. Trabalho com desenho urbano tem uns 15 anos, muitas das leis que sei foram conhecidas com o tempo, não me recordo do número de todas, mas sei um bocadinho sobre direito urbano e sobre transporte.

          • Rafael Rodrigues

            Mas eu não estou de zoeira contigo! Na lei citada NÃO DIZ que é proibido. De acordo com a mema lei, as regras ficam a cargo da legislação municipal. Você está repetindo uma informação errada sem saber e sem checar a fonte.

          • Rodrigo Lago

            Procura em concessão pública, lá você acha.

          • Rafael Rodrigues

            Lá não fala especificamente de taxista. E na lei citada, o direito à transferência é garantido no artigo 12.

          • Rodrigo Lago

            Transferência, não venda.

          • Rafael Rodrigues

            O que entre pessoas físicas dá no mesmo.

          • Luciano Nydras

            bom, então estamos diante de um impasse. pelo que sei, as autonomias são comercializadas desde que eu era criança. É lamentável que seja proibida a pratica de transporte alternativo, a cidade perde uma opção maravilhosa principalmente na madrugada. quantas vezes alguém tentou pegar um táxi de madrugada e nenhum dos 20 para os quais fez sinal, pelo menos parou para te dar uma explicação? ou seu filho precisou voltar para casa e ninguém aceitou a corrida? não discuto a ilegalidade, realmente deveríamos regulamentar e regularizar a prestação do transporte alternativo. mas isso é algo que incomoda apenas as cooperativas e os donos das autonomias que por sinal não são quem realmente trabalham no transito.

          • Rodrigo Lago

            Foi proibida a venda por pessoas físicas, no entanto garante a venda dessas licensas pela Prefeitura em caso de mortes ou desistências sem herdeiros.

          • Rodrigo Lago

            Não é gratuita.

          • alexandre de carlis

            Tá barato 150k em Curitiba, em São Paulo custa 700k e no aeroporto pra lá de 1kk.

          • Rodrigo Lago

            Não, não é gratuita. Você compra uma licensa que te dá o direito para exercer a função de taxista, como foi falado acima uma outorga onerosa do direito de exercer uma função trabalhista. As Prefeituras são responsáveis pela venda destas licensas. No entanto, como há um número máximo firmado por elas (as Prefeituras) próprias, por isso atualmente só se consegue comprar licensas de taxistas através de outros taxistas que deixam o serviço (morte, aposentadoria, etc). Em várias capitais do mundo (Londres e Paris, por exemplo) o serviço está sendo proibido justamente pela questão da qualidade – não se referindo apenas ao fato de chegar mais rápido e tal, mas outros fatores como segurança, treinamento, atendimento, etc. Um taxista em Londres, por exemplo, além de pagar taxas altíssimas, precisa fazer uma prva de conhecimentos muito difícil. Embora esse sistema de seleção não seja como o nosso, as taxas que aqui se pagam também são altas, mesmo levando em consideração o desconto no IPI que os motoristas recebem para trocar de carro (ferramente de trabalho, tipo o seu laptop). É realmente isso: há uma quebra na corrente de maneira não justa com os profissionais (honestos, claro). A questão da demora do taxi (maior queixa nacional) pode ser resolvida com a liberação de mais licensas (algo já levantado por alguns governos municipais). Outra coisa que pode ser feita para melhorar o serviço é a proibição de aluguel de veículos/licensa para terceiros, estes sim os vírus que contaminam o sistema.

            Se há problema com o serviço prestado pelos taxistas (e há, claro, todos sabem que o sostema no país é ruim pra baralho) a maneira de se reverter isso é com fiscalização, treinamento, etc. Basta a prefeitura impor. O Ubber é uma idéia até boa, pena que peca justamente na questão do atendimento/segurança.

          • A questão de demora do taxi você vê em tempo real no Easy e outros que puxam os dados de localização do pelo GPS no smart do taxista, e isso eu adoro, o cara tá falando que chega em 5minutos do “fucking outro lado da cidade”, no easytaxi tu vê na hora a mentira, liga e cancela a corrida. Além de ter marcado a cara do sujeito, o carro e telefone se quiser… e pela mentira de tal lugar tá com trânsito, no waze tu vê em tempo real o que tá acontecendo e é lindo de poder mandar o sujeito tomar no rabo achando que tu não é da área querendo dar a volta e cobrar o dobro ou mais…

            Taxista é na maioria das vezes safado sim, mas a questão do UBER aqui no Brasil é bem mais complicada que em outros países dada nossa “imensa segurança” ao botar o pé fora de casa dada pelo estado que cobra direitinho os impostos cabíveis a tal …

          • Rodrigo Lago

            Sim, verdade, Easy Taxi e Waze são duas ótimas ferramentas para fiscalizar taxistas enrolões. Eu mesmo já enviei várias reclamações para o SAC da Easy e sei que realmente os taxistas foram punidos (eles ficam em um ponto perto da minha casa, aí quando por lá passei escutei eles reclamando de usuários que fazem queixas rsrsrsrs). E sim, verdade também, sobre a questão da segurança (falei acima). Com o Ubber a situação pode piorar (e muito). São ferramentas que se todos usassem um serviço como o Ubber não seria nem cogitado.

            O que mais me deixou intrigado foi a falácia o discurso da melhoria da mobilidade, quando que para isso é fato que investimento em transporte público coletivo é a solução (junto com as biciletas, claro).

      • Aplicativo de taxi? Não se preocupe, ele também já causou problemas: www gazetadopovo com br / vida-e-cidadania/taxistas-sao-punidos-por-usar-aplicativo-9fc54dbs1z20p2olz4053w40e Não demora serão proibidos no país todo, também.

        • Ünder

          Nossa, matéria antiga, hoje os aplicativos são totalmente legais em curitiba e até patrocinam eventos, times de futebol e afins… vc ta por fora hein… isso foi tão 2014

          • Escolinha de língua portuguesa do tio Pryderi

            1) Conjugação de verbos.

            “Não se preocupe, ele também já causou problemas”

            Pretérito perfeito do indicativo. Se fosse para ser corrente, seria “ele causa problemas”.

            2) Interpretação de texto.

            O autor do comentário implica que proibições se dão por puro capricho de legisladores, e tais caprichos podem mudar mediante o interesse político. Por exemplo, no Rio de Janeiro foi votado a proibição do porte de armas brancas, sendo que é permitido se tais vierem em mochilas, sacolas, bolsas etc.

            Com isso, o ponto primordial fica implícito que não é porque há permissão hoje, que ela nunca poderá ser revista e/ou revogada.

            Mas eu entendo. Você é da nova geração antenada, que pouco atenção deu ao professor quando ele falava sobre essas minúcias. Não fico ofendido. Sempre que precisar, eu explicarei melhor. 🙂

            Agora, faça os exercícios da página 123 a 149, para eu dar visto na sexta-feira.

    • É foda. Agora resta saber o teor da lei, que deve ter lá suas brechas e permitir alguma adaptação. Ou combatê-la por alguma ilegalidade (por ser incompatível com lei federal, por exemplo) ou inconstitucionalidade, mesmo.

  • Alpha Delta Victor

    Nem precisava de lei. O Uber já nasceu fora da lei pelo menos aqui no Brasil.

    • Claudio Roberto Cussuol

      Penso a mesma coisa.
      Precisa de lei pra isso?

      • Bassi

        Sim precisa… Princípio da Legalidade: o que não é proibido, é permitido.

        • Claudio Roberto Cussuol

          Justamente por isso. É proibido. Sempre foi.
          Desde o momento que estabeleceram que você precisa ter uma licença emitida pelo governo para transportar alguém no carro e cobrar por isso.

          • Ünder

            tudo que é ilegal atrai o apoio da criançada anarquista!

          • Era ilegal casamento entre homossexuais, pessoas de raças diferentes etc. Era ilegal mulheres votarem. Era ilegal ter operadoras de telefonia fora as estatais. Nenhuma lei foi escrita em pedra. mesmo porque, pedras podem ser quebradas.

          • alexandre de carlis

            Cara, anarquismo não significa ilegalidade, e sim agir conforme sua consciência porém ciente das consequências, ou como vovo dizia, seu direito termina quando começa o do outro.

  • OverlordBR

    Mensagens do povo para os políticos?

    O Uber é como o Jon Snow: sabe NADA!

    Tem que liberar um agrado, dar um presentinho, molhar a mão, largar um bufunfa!

    • Isso aí! :/

    • Alvaro Carneiro

      te garanto que estao tentando soltar um presentinho – mas nem tudo é dinheiro.

      em épocas de eleiçao, todo politico baba-ovo de taxista, porque sao milhares de votos dos motoristas, amigos e familiares.

      ir contra uma classe inteira é complicado politicamente.

      • É, ano que vem tem eleição municipal, bem lembrado!

      • Ünder

        O uber podia liberar o codigo fonte deles, ai eu lançava um aplicativo igual o deles, cobrando mais barato. A idéia é livre mercado sem amarras ou impostos não é? então pq se apegar a propriedade intelectual?

        • A MS não liberou o código-fonte do Windows. Por isso n~]ao existe mais nenhum sistema operacional. A Adobe não liberou o código-fonte do Premiere. Não existe nenhum outro editor de videos.

          Vc não é muito esperto, filho.

    • #FATO

  • Van Ilegal é feio, táxi pirata é cool. Não entendo isso. #TeamVanDamn

    • OverlordBR

      É que van ilegal é coisa de poooooooooobre… “cê” vai junto com trocentas outras pessoas + cachorro + papagaio, tudo “chunta, reunida” mais apertado que sardinha.
      É tipo um… mini ônibus público.

      Táxi pirata é show, “cê” vai no ar condicionado, na boa… e se bobear ainda pode ser assaltado sexualmente (UI) pelo taxista.

      • Bruno

        Não é bem verdade. Há mais conforto nessas vans que em qualquer ônibus, ainda mais que costumam ter ar condicionado e cinto de segurança.
        Ah…. E são mais baratos.

        • OverlordBR

          Bom, se tu diz… as vans piratas que vi sempre eram lotadas, sem cinto e tudo mais.

          Em Porto Alegre, existem as lotações… mas são oficiais (regularizadas e tudo mais). Daí não contam.

        • Rafael Rodrigues

          Cara, coloque “van passageiro em pé rio de janeiro” no google.

          Depois veja suas definições de compactadores serem atualizadas.

        • Claro, claro.

          • Rafael Rodrigues

            Obrigado, Pryderi!!

  • Super Suporte

    é incrivel como as pessoas resistem a evolução… não entendo

  • Tejobr

    Independente do assunto Uber, taxi etc o fato é que os nosso “quirido” prefeito tem feito uma campanha maciça contra os carros, vendendo a ideia de que todos deveriam usar transporte público. Esse que é composto por Ônibus, trens e Metros. Todos super confortáveis, que funcionam como relógio suíço, nunca quebram, motoristas super educados.

    Vamos resolver o problema da mobilidade Urbana pintando asfalto com cores diferentes. Afinal de contas, estamos na Inglaterra. Para que andar de carro?

    Prefeito do c#r#lho: vai aprender a fazer asfalto na Alemanha e malha metroviária com Hong Kong. Pare de trocar buracos por morros!

    Prometo para você que, depois disso, só tiro o meu carro da garagem para viagens com a família.

    • henriquett

      Não acho q tem feito uma campanha contra os carros,
      só tem incentivado o transporte público e o transporte por bikes.

      Não quero transformar isso aqui em um blog de política,
      mas a culpa da malha ferroviária ser pequena é do governo do estado.

    • Mauro Moraes

      Mais um paulista “paulistando”?
      Nunca vi gente mais alienada do que paulistano. Nunca, JAMAIS importa de quem é a responsabilidade. A culpa é sempre do prefeito! (Mas só se ele não for do PSDB).
      Só pra constar, transporte sobre trilhos é responsabilidade do estado, tá? 😉
      E é bem o que ele falou mesmo: Paulista quer que as coisas mudem, mas não querem que mexa em nada.
      O mais bizonho que vejo aqui em SP é gente descendo o pau em ciclovia porque ninguém usa. Eu na verdade vejo a adesão cada dia maior às ciclovias. Só que uma coisa que vejo com MUITA frequência: pessoas andando a pé na ciclovia, com uma calçada gigante ao lado e com espaço pra todo mundo, motos ultrapassando pelo ciclovia, carros ultrapassando, e até mesmo trafegando por ciclovia… e depois não sabem porque elas não estão tendo uma adesão em massa ¬¬
      Eu não quero ser atropelado enquanto ando de boa por uma ciclovia.
      Aí ficam de mimimi reclamando de transporte público. Os caras acham que é só despejar 10.000 ônibus na rua e tá resolvido. Dane-se que precisa de espaço pra esses ônibus, dane-se que o sistema precisa ser revisto para que as rotas se tornem mais eficientes (e ai do prefeito se mudar uma rota!).
      Sinceramente, o que o paulistano quer se chama “mágica”.
      E não, não sou eleitor do PT, e não votei no Haddad. Mas esse cara ganhou o meu respeito por chutar bundas e ter a coragem de começar a fazer o que ninguém quis, e já passou da hora numa cidade desse tamanho.

      • Eu

        Cara, já vi gente pedindo “mais ruas em SP” pra acabar com o trânsito.

        • Eu

          Depois dessa, só digo…

          • Mauro Moraes

            Me empresta o jetpack aí que eu tou indo também, haha!

        • Mauro Moraes

          Nossa, essas coisas desanimam qualquer um de tentar manter uma conversa sobre esse assunto! Acho que o povo jogou muito SimCity. É só sair derrubando as casas e prédios e fazer mais ruas. Simples, oras! Ou então vamos começar a empilhar ruas!
          Já ouvi falarem também que era melhor construir pistas pros ônibus em cima dos rios nas marginais, pra não tirar espaço dos carros! o.O

          • Rapaz, do jeito que o (des)governo de cada estado é, podem destruir e abrir mais ruas a vontê, já não tem a Lei ao lado deles e o interesse coletivo é maior que o individual?

            Já que não se importam com as invasões e loteamentos ilegais, destruição de áreas de proteção ambiental, e ocupação de morros cujo terreno é de alto risco em períodos de chuva e de locais desnivelados ou abaixo do nível que inunda com facilidade… Já que deixam tantos bairros e comunidades começarem da forma errada e não dão opção ou ajuda pro povo nisso, como também não se importam com a quantidade de prédios que vão aparecendo nas cidades sem prover sequer mais escolas e outros itens (lista longa) necessários ao quantitativo populacional da região.

            Podem abrir mais ruas a vontade … mas não o farão …

          • Eu

            Sabe o que é o pior? Eu me desloco de/para o trabalho normalmente de moto ou andando, pois moro relativamente perto. Porém em ambos os casos o que eu mais vejo na rua são carros com apenas 1 pessoa dentro. Trabalhei em uma empresa uma vez que ficava um pouco mais afastada de casa, precisava pegar dois ônibus pra ir e dois pra voltar, ia e voltava tranquilamente sentado, somente às vezes os ônibus estavam um pouco cheios, mas era a exceção (sem falar que com o bilhete único eu pagava uma passagem pra ir e uma pra voltar). E na mesma empresa tinha um colega que precisaria pegar apenas um deles, o mais tranquilo, e acabava indo de carro, sozinho, SEM NUNCA SEQUER TER TENTADO ir de ônibus, e vinha com o discurso “transporte público bosta, não vale a pena, prefiro vir de carro”. É o mesmo discursinho “mimimi, tenho carro, tenho direito de usar a rua, bla bla bla, có có có”. Claro que tem. Porém, aguente as consequências de um trânsito infernal. Tenho noção que nem sempre é assim tão simples andar de transporte público (também já peguei muito metrô lotadaço às 6 da tarde na SÉ), o ponto é que muitos criticam sem ao menos experimentar as opções de transporte público – que estão longe de serem perfeitos, porém não são tão obscenamente terríveis como alguns pintam por aí.

            Esses são os MEUS dois cents. Estou certo? Não sei. Mas estou falando o MEU feeling sobre o assunto.

            Como dizem por aí “A cidade avançada não é aquela em que os pobres andam de carro, mas aquela em que os ricos usam transporte público”

          • Mauro Moraes

            Perfeito. Assino embaixo sem mudar uma única vírgula! Joga meus dois cents no potinho também

          • Miguel

            Pois é, no Brasil se você usa bicicleta você é pobre. Rico são os que andam de carro. Se vivessemos na Dinamarca, Holanda ou em outros países, seríamos vistos de outra forma. Parece-me cultural. E tem outra, a coisa piorou ainda mais agora em que as motocicletas se popularizaram como nunca antes. Por que comprar uma bicicleta, se posso ter uma moto e ainda impressionar muita gente por aí. Sem educação, isso não vai mudar tão cedo.

          • Eu

            E mesmo no quesito moto estamos atrás da Europa. Em Paris a proporção entre motos e scooters é inversamente proporcional a de SP. Scooters são muito, mas muito melhor para o trânsito do que “motos”.

          • alexandre de carlis

            Não cara, na Holanda e Dinamarca o relevo ajuda. Se vc for pra uma cidade litorânea vc vai perceber a quantidade de gente andando de bicicleta, agora experimente a ir do imirim até parada de taipas que da uns 20 km no máximo, são só morros, isso desestimula as pessoas a andar de bike.

          • Leonardo

            Existem exceções, mas a grande maioria dos usuários enfrentam transporte público lotado e de péssima qualidade (ônibus desconfortáveis, péssimos motoristas e pavimentação), tem gente que sai do serviço as 18:00 pra chegar em casa as 21:00
            Bicicleta muitas vezes não é uma opção, principalmente pra quem faz o trajeto periferia-centro ou mesmo outras cidades da região metropolitana, seja em razão das longas distancias envolvidas, seja por causa da (in)segurança.
            Não sou contra ciclovias, muito pelo contrário, porém o que Haddad e Tatto estão fazendo em São Paulo é inaceitável, tanto que até o ministério público interveio. Obras sem critério algum, uma busca rápida no Google mostra ciclovias com tartarugas disfarçadas (um perigo, quem já andou de bicicleta sabe do que falo), em alguns lugares simplesmente pintaram calçadas de vermelho(sem deixar espaço para os pedestres, e não são casos isolados, simplesmente estão lambuzando a cidade com tinta vermelha a torta e a direita, isso pra mim é nada mais nada menos que populismo barato.
            Além disso estão reduzindo sem motivo algum os limites de velocidade e instalando radares pra todo lado, ou seja, quando o trânsito não esta parado você é obrigado a dirigir a velocidades ridículas, mais tempo olhando pro velocímetro que pra rua, não é questão de segurança, é simplesmente pra aumentar a arrecadação, não consigo ver outro motivo.
            Solução pra São Paulo seria uma rede metroviária eficiente (sim, eu sei que é responsabilidade do governo do estado), melhor conservação do pavimento e ônibus de qualidade pra suprir as rotas que o transporte por trilhos não atendesse, ao invés disso pioraram a situação de quem tem carro sem oferecer uma alternativa viável a grande maioria.

          • Aqui no Rio o prefeito resolveu diminuindo as pistas dos carros para passar o BRT. BRT, a linda solução levando mais gente.

            O problema é que ele reduziu em 50% a quantidade de linhas em cartos bairros. ADORO ESTE PREFEITO!

      • O prefeito do Rio é do PSDB e faz um monte de merda. Trocou o itinerário dos ônibus, trocou a cor dos ônibus e trocou, também, a numeração dos ônibus. Ninguém mais sabe andar a cidade e os próprios rodoviários não sabem te dizer com certeza por onde a bagaça passa.

        Sim, prefeitos fazem besteiras, independente de seus partidos políticos. Eles estão lá para se manterem no cargo, não para fazer algo pela cidade.

        • Miguel

          PSDB? Não era PMDB? Já trocou de partido? kkkk

      • Tejobr

        Mais um colecionador de “terminhos”…
        Eu deveria opinar sobre Minas? Mais um paulistano Mineirando?
        Não. Sou “mais um de opinião, opinando”.
        Para a sua informação, sou do interior e me mudei para a capital ha mais de 20 anos. Então, tecnicamente, sou Paulista. Te garanto que nas ruas de terra do interior os veículos são menos prejudicados que no “asfalto” da cidade.

        Não! A responsabilidade pela baixa qualidade dos ônibus, pelos buracos, pela falta de sinalização adequada é toda minha. Eu saio com britadeiras toda noite esburacando a cidade e, quando o prefeito manda recapear um trecho inteiro, eu desfaço a ordem e mando só colocar um morrinho no buraco. Aliás, recapear nem deveria existir, se usassem material adequado. Conheço lugares que tapavam um buraco de 15 em 15 dias. Ninguém sabe que era eu que ia lá com a minha britadeira, pois sou um paulistano alienado. Sou alienado! Pagar impostos como o IPVA é fazer nada. Afinal, o IPVA é para pintar ciclovias.
        O que aconteceria se todos os que andam de carro passassem a andar de ônibus? Provavelmente veríamos ônibus como vistos na Índia. Porque não dão conta nem de quem os usa agora.

        Vim para a cidade com 21 anos, mas só tirei carteira de motorista aos 36 e comecei a andar de carro porque já não aguentava mais pegar 8 ônibus por dia, tentando encontrar um espacinho para tentar ficar em pé, com gente pisando no sapato, xingando etc. Meu braço direito era uma barra de aço, porque segurar com as duas mãos era impossível. Não consigo me lembrar de quantas vezes fui ao trabalho sentado, depois de 13 anos andando nesses comboios de gado. Eh! Oh! Oh! vida de gado, povo marcado eh! Povo feliz!

        Não desço o pau em ciclovia. No interior só andava de bicicleta. Quando vim para cá só tentei uma vez para nunca mais.
        Na Paulista faz todo o sentido. Afinal, foi feita no canteiro central. Embora eu ache que deveria ter grades em toda a extensão.
        Como curiosidade, ontem mesmo vi um ciclista efetuar uma frenada brusca em um fechamento de semáforo e quase atropelar uma pedestre na faixa de pedestre!

        O problema é que estão vendendo a ideia de segurança onde não existe. E tem sim locais em que fizeram faixa de ônibus e ciclovias sem nenhum estudo de impacto econômico. Acabaram com o comércio em muitas ruas. Alguém acha que aqui vai virar Amsterdã?

        Acho que pelos comentários gerais, Engenharia de Tráfego e Mobilidade Urbana deve ser um curso bem fácil. Afinal, não vamos exercer a cidadania tendo opiniões sobre os governos, não vamos opinar sobre os problemas e possíveis soluções, vamos sim, estudar tintas e pincéis, ficar de quatro e agradecer o prefeito.

  • henriquett

    Por que proibir?
    Por que não buscar uma forma de regularizar o serviço?

    • cquintela

      Por que se regularizar, o preço sobe e a “mágica” dos preços baixos do Uber some.

      • henriquett

        Sim,
        Mas ai é problema da Uber.

        Não entendo o motivo dos políticos simplesmente proibirem algo que é bom só porque afeta uma serviço já existente que muitas vezes não é bom.
        Que regularizem o serviço e deixem o problema do custo para a Uber

        • cquintela

          Mas a parte de regularizar tem que partir do Uber, o serviço de transporte executivo já é regularizado, é só o Uber aderir a ele. Não vão criar uma nova lei só para encaixar o Uber.

          O Uber não é algo inovador, é simplesmente um transporte executivo acionado por um app, não existe uma nova categoria de serviço.

    • Está aí uma boa questão. Que se legalize o Uber e o faça cumprir as regras que os taxistas formais, cobrando os mesmos impostos e impondo os mesmos valores para o KM rodado, além dos mesmos requisitos para trabalhar nesse serviço e exigências de fiscalização como INMETRO, IPEM, SMTR, etc. Resolvido o problema.

      • Lofin

        Fiscalizar, ok; estudar formas de tributar também.
        Mas “impor os mesmos valores para o km rodado”?

        Sério que você disse isso?

        • Sim, eu disse. O valor do KM rodado é o teto não o piso. Entendeu?

    • Porque não rolou propina.

      Mais alguma pergunta?:

  • Se o Uber não se colocasse como serviço de software apenas, mas como algo tipo uma cooperativa de motorista particular, centralizando o cadastro, certificação e demais itens necessários exigidos por lei a prestação do serviço, atuando como empresa prestadora de serviço e assumindo responsabilidade em conjunto com os motoristas perante o estado e a sociedade, inclusive sobre qualquer problema em cima da questão de motoristas irregulares ou problemáticos, não seria um caminho melhor a se trilhar? Do que o oba oba atual de qualquer um poder entrar no serviço*?

    E para evitar extorsão nos valores poderia ser calculado já no aplicativo o valor conforme a km percorrida por GPS tendo em vista o valor do combustível em cada estado. Podendo ou não haver desconto por parte do motorista em alguma configuração como dizer que o carro é a Gás.

    O estado poderia cobrar impostos de uma forma mais transparente, poderia legislar a respeito, a empresa por trás do Uber mudaria a forma de prestar o serviço, arcando com responsabilidade, como também o motorista. Aumentaria a concorrência garantindo de forma melhor a segurança do passageiro (…eu sei….).

    *(eu sei que tem requerimentos pra usar o uber, mas tem muito o que se questionar pela polêmica em torno dele e não só em relação aos taxistas…)

  • PUSSYCATlovesGURGEL .

    sou amigo de um taxista , ele tem 30 placas(concessão) de taxi, então ele dá 30 empregos ? e ai? qual vai ser? qual será o aplicativo que substuirá o uber ? e será que surgirão vários aplicativos para substituir o uber ? os que pagam aluguel dos que tem concessão poderão se tornar uma espécie de “uber alugado” ?

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis