NASA consegue link de 622 Mb/s da Lua, mas o Ping é um lixo.

Print

Existe uma noção, errada, de que as comunicações da NASA são lentas. Quando a Voyager 2 encontrou Júpiter, em 1979, conseguia velocidades de 115,2 kbit/s, respeitável em se levando em conta a distância de 780 milhões de quilômetros.

Agora tanto a Voyager 2 quanto a Voyager 1 transmitem a 160 bits por segundo. Suficiente para manter a telemetria e repassar informações básicas dos poucos instrumentos que ainda funcionam.

Só que nossas necessidades aumentaram MUITO. Hoje câmeras como a HIRISE produzem imagens cuja resolução varia entre “boçal” e “grosseria”. É um problema, pois a Deep Space Network da NASA já está sobrecarregada, missões precisam dividir a rede e no final a Curiosity fala com a Terra a uma velocidade patética de 21,7 kb/s.

O problema é energia. Mesmo com uma antena direcional, o sinal se espalha tanto que no final você precisa de uma antena ENORME pra receber uns míseros ergs. Um exemplo que todo mundo gosta de dar é que a energia acumulada recebida por todos os radiotelescópios já construídos não seria suficiente para derreter um floco de neve.

dnsAntena de 70 m da DNS em Goldstone, Califórnia

Como a geração atual já deu piti quando a Curiosity transmitiu um thumbnail segundos após o pouso, e não o vídeo em tempo real Full HD que imaginavam, é imperativo que a disponibilidade de banda aumente, e isso é possível graças a…

dr-evil-bunny-quotes

“LASERS”

Como um feixe de laser é muito mais concentrado, há bem menos perda. Um bom teste disso são os refletores que o pessoal da Apollo XI deixou na Lua, perto do estúdio onde filmarão o pouso fake em Marte. Usados para determinar com precisão centimétrica a distância entre a Terra e a Lua, os refletores refletem (minha professora de redação deve estar orgulhosa) uma parte do feixe, que quando chega na Lua tem uns 7 km de diâmetro.

Ou seja: você tem que mirar um raio de 7 km de diâmetro em um alvo a 400 mil km de distância. Alguns diriam que é impossível, mesmo para um computador, mas é possível, e nem é preciso usar a Força. Isso foi comprovado em milhares de experimentos, e agora o caminho inverso está sendo feito pela LADEE, a Lunar Atmosphere and Dust Environment Explorer, uma sonda criada para estudar a atmosfera lunar, que deu carona a um experimento agregado, o LLCD – Lunar Laser Communication Demonstration.

A idéia é determinar se na prática, uma sonda orbitando a Lua a trocentos milhares de km/h consegue achar a Terra e manter o alinhamento de um laser de comunicação, transmitindo e recebendo dados, com a mesma precisão e confiabilidade de uma antena de rádio convencional.

Se isso for bem-sucedido, além da velocidade há a vantagem das estações receptoras poderem ser BEM menores. Compare a antena acima, UMA das usadas pela NASA, que precisa de estações espalhadas pelo mundo. Culpa daquele ateu do Copérnico.

Esta é uma estação da Deep Space Network with lasers:

dnswithlasers

Bem diferente, né?

Mesmo com esses sensores minúsculos a NASA conseguiu velocidades de download (literalmente download) de 622 Mb/s, e 20 Mbit/s de upload, SEM ERRO. Claro que não conseguirão tanta velocidade transmitindo de Marte, mas não é impossível que as próximas missões, lançadas a partir de 2017 transmitam o tão sonhado vídeo Full HD em tempo real.

Óbvio, os chatos então reclamarão que não é em 4K. E também nem se anime, se você mora em uma colônia lunar nazista secreta. Essa banda toda não afeta o ping. Com uma distância média de 384 mil km da Terra, um ping, ida e volta levaria 2.500 ms. Ninguém vai querer jogar Wolfenstein com você.

D2005_1010_T020b.jpg

Uma das estações da NASA mandando Alderaan pro inferno enviando um sinal para a sonda LADEE.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • lordtux

    Sempre imagino que um dia vamos dar um jeito nisso e ter transmissões em tempo real entrelançando transmissores usando conhecimentos de fisica quantica, ai adeus delay. Pena que isso parece estar longe ainda.

    • Adriano De Lima

      Longe do interesse de algumas empresas de telecom.

      • Antonio Menezes

        Me lembrou da teoria que já poderíamos ter uma lâmpada infinita mas que isso não era do interesse das fabricantes de lâmpadas.

        • Luiz Felipe

          Legal, bora descobrir um jeito de usar impressão 3D para imprimir tungstenio e fazer uma lampada perfeita. Até porque os ecochatos estão enchendo o saco e fazendo as fabricas de incandescentes fecharem.
          Eu vou ter minha lampada incandescente inqueimavel que vai funcionar para sempre produzindo uma luz amarela pefeita e muito calor, que será removido do meu estabelecimento por um ar condicionado.

          • Agent Nemesis

            tu ficas com tua lampada de 100w e eu graças a obsolescencia uma lampada de led de 5w,gastando menos e tendo tecnologia de ponta,é um erro querer viver pra sempre ,é um erro querer que produtos durem pra sempre

          • Tem uma coisa que eu faço QUESTÃO de tacar na cara dos ecochatos quando vem o blábláblá das lampadas incadescentes. Eu pergunto… e o MERCÚRIO que tem nas fluorescentes compactas que estão enfiando no lugar das incadescentes, não é um *pouquinho* pior? Graças a isso, ao invés de gastar mais energia, vamos começar a contaminar o solo seriamente com mercúrio.

        • Unfear

          Ate é possível criar uma lampada que dure por muitos e muitos anos, mas cada prole seguinte terá um olho a mais.

        • Edmilson_Junior

          Avance para os LEDS, com uma vida útil informada entre 20 e 50 mil horas já é um grande avanço.

    • Luiz Felipe

      Lembrando que o entrelaçamento não dura para sempre, e que para fazer o entrelaçamento um laser deve chegar ao ponto de destino e esse laser está sujeito a velocidade maxima da luz.

      • lordtux

        Sim, disso eu sei, é essa limitação que sonho que um dia superemos, não precisar de um meio em si lento como um laser para fazer o entrelaçamento, ai sim teriamos comunicação em tempo real sem delay algum, pensar em banda de internet não faria muito sentido, você soma isso com a criação de um motor de dobra e pronto, poderemos nos aventurar a vontade pela galaxia e ainda assim está em contato com a Terra em tempo real. Fora que isso possibilitaria computadores muito mais rápidos inda.

    • Quem sabe assim consigamos um lag abaixo de 200ms e velocidade total contratada da Velox.

  • OverlordBR

    Roteadores espaciais!

    Show de bola esta tua postagem, Cardoso.

  • mr_rune

    “você tem que mirar um raio de 7 km de diâmetro”

    • !! Quando vc pensa que descobriu todas as piadas, referências e egg-easters da postagem, descobre que está anos luz de entender a mente brilhante do autor!

      • Otávio Müller

        Circle Jerk.

  • cquintela

    2.500ms! Pfft tá melhor que o ping do Battlefield 3 na maiorias dos servidores quando foi lançado.

    • OnoSendai

      Ainda tá bom. Marte provavelmente usa dial-up da UOL. Latência média daqui pra lá é 828.000 ms.

      • O ping Terra-Marte. Pode variar entre 365.000 ms e 1.502.500 ms (mais ou menos, não estou levando em conta os relays necessários para enxergar Marte quando ele está do outro lado do Sol) 😀

        • OnoSendai

          Ah, verdade, não levei em consideração a voltinha ao redor do sol na hora de calcular a média. O ping seria ainda pior. =)

          • kenji

            Acho que já podemos deixar de usar o submúltiplo neste caso.

  • Haters dirão que é uma merda: “não dá para jogar CS com um ping desses” 😀

  • Tá, mas roda Crysis?

    • OnoSendai

      Tá, mas… Will it blend?

    • Só queria saber se toca vídeos do YouTube na boa, sem travar o loading mesmo em 144p 🙂

  • Bruno Barbieri

    tem que ser um laser bom mesmo… se pegar da DX o faixo chega na terra com 100km de diametro ahuahuahuahu luz altamente colimada não é com dispositivo xing ling de dé reau

    falando nisso, quanto maior a distancia, melhor tem que ser o laser… pq sempre tem um angulo de divergencia em qualquer laser… conforma se afasta o diametro do raio aumenta…

    fiquei curioso agora para saber qual o agulo de divergencia desse laser que a Nasa esta usando…

    a proposito, esse sistema pode ter uma redundancia muito boa boa 🙂

  • Fernando Rüeckl

    E eu não consigo um ping menor que 800ms em uma rede wireless de 50m =/

  • Xultz

    “uma sonda criada para estudar a atmosfera lunar”

    Ué, mas tem atmosfera? Meus conhecimentos quase nulos de astronomia sempre mostraram que a lua não tem atmosfera nenhuma…

    • mas tem.

    • Ter, tem. Mas é muuuuuuuito tênue. Tem cerca de 1 BILIONÉSIMO da densidade da atmosfera terrestre ao nível do mar. Não é densa o suficiente para permitir que algo voe por lá, ou que algum balão flutue. Enquanto aqui temos cerca de 100 BILHÕES de moléculas por metro cúbico, lá tem em torno de 100. Isso mesmo, CEM. A massa total da atmosfera lunar não deve passar de umas 25 toneladas. Caberia tudo num caminhão de carga sozinho 🙂

      • Xultz

        Legal, cara, valeu pela explicação. Só falta entender agora a importância de estudar essa atmosfera 🙂

        • A mesma importância de qualquer estudo astronômico: só conhecer e entender como funciona, porque existe e para quê serve, se é que serve para alguma coisa 🙂

  • AndréLMC

    Faltou citar a Luciana Vendramini….

    • Foi ela quem tirou as fotos que estão no artigo.

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Martins Fontes Paulista, Cupom de desconto Empório da Cerveja