Digital Drops Blog de Brinquedo

Aplicativos Web em Java ainda fazem sentido?

Por em 29 de fevereiro de 2008
emSoftware
Mais textos de:

Site
  • http://www.skhaz.com/ SKHAZ

    Sabia que eles iam dizer isso xD
    concordo com o autor do artigo.

  • Fernando Takai

    Voce já ouviu falar em Groovy/Grails?

    Pois bem, imagina toda a agilidade de RoR em Java, com a possibilidade inclusive de integrar tudo a uma arquitetura Java já existente.

    E em JRuby? E Jython? E Jaskal?

    Bem, todas elas são implementacoes 100% Java dessas linguagens que voce citou. Inclusive, voce consegue rodar mais de 200 linguagens de script na JVM.

    Pergunte empresarialmente, se a pessoa prefere um Oracle Application Server, um JBoss, ou até um Tomcat ou um Mongrel, ou o IIS?

    Bem, o IIS não roda em *nix, roda?
    E, qual é o tipo sistema operacional mais utilizado no mundo?
    (Não compare a seguranca e/ou estabilidade de um Solaris ou um AIX com o Windows Server)

    E com certeza, em clusterizacao, estabilizacao e escalabilidade horizontal (ou até mesmo vertical) eu prefiro Java.

    Conheca mais e seja menos preconceituoso:

    http://groovy.codehaus.org/
    http://grails.org/
    http://jruby.codehaus.org/
    http://jython.org/

    • shimatai

      Acho que a portabilidade entre SOs não é nem a questão, o fato é que muitas pessoas tem a visão de que o desenvolvimento em Java é muito demorado, quando na verdade não é mais, haja visto as centenas de frameworks que visam atender de forma excepcional as mais variadas necessidades.

      Até hoje eu tô pra ver (seja qual for a linguagem) um gerador de Log tão bom quanto o common-logging e o log4j.

      Sem citar o Hibernate, que é a verdadeira abstração da persistencia de dados. Inclusive já tem pra .NET (o NHibernate).


      “Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne.” Albert Einstein

      • gb_ramos

        Concordo…
        E constantemente há novos frameworks surgindo…

    • Tefinho

      Fernando, concordo completamente.

      As grandes corporações investem cada vez mais em no paradigma SOA (service oriented architecture) para poder melhor implementar BPM (business process management).
      A palavra mágica desse segmento é Java. Nem se chega a entrar na discussão do sistema operacional… o negócio é o servidor de aplicação. Mas se tu ficares lembrando por estas bandas que servidores de aplicações parrudos como OracleAS, BEA, Websphere e Netweaver não rodam em Windows, mas sim em Linux, Z/OS e outros mais exóticos, só estará pedindo umas labaredas…

      • shimatai

        Vc citou o Websphere, que me faz obrigatoriamente lembrar de MQ Series, que é absoluto no segmento de comunicação multiplataforma.

        Aliás, qual é a grande corporação que não tem um ambiente heterogênio hoje em dia?!

        Qual é a resposta para interação entre ambientes heterogêneos?

        Pois bem, dizer que Java e até mesmo COBOL vão morrer, acho um grande erro presumir algo assim.

        Nem o VB 6 morreu de vez ainda com a existência de .NET.


        “Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne.” Albert Einstein

      • carloshp

        Quem disse ? OAS, WebSphere e BEA tem, sim, versões de produção para Windows. O problema é que o Windows não tem (E, como diria o Capitão Nascimento: “NUNCA TERÃO!“) robustez suficiente para aguentar o mesmo número de usuários que o mesmo Application Server rodando em Solaris, AIX ou qualquer outro *nix-like. Acabam sendo usados para ambientes de desenvolvimento ou pequenos projetos apenas.


        Tecnologia deve ser o meio, não o fim.

    • gb_ramos

      Aqui em Porto Alegre, foi promovida uma palestra falando sobre o tal do Grails. Pelo que me falaram é um framework que agiliza muito a criação de aplicativos Java.

      O palestrante fez ao vivo em 3 minutos, cronometrados, a criação de um programa para cadastro de clientes com controle de notas fiscais.

      3 minutos!!!!

      • shimatai

        Cara, é como eu falei em outro post.
        Trabalho numa consultoria que só desenvolve sistemas usando Java e .NET, mas comparativamente a quantidade de aplicações Java é muito maior que em .Net. O motivo dessa descrepância é que a maioria dos clientes tem ambientes heterogêneos (IBM Mainframe, Unix, Linux, Windows Server, etc.).

        Com isso vem a necessidade de algo portável, multiplataforma e que tenha boa estrada no quesito “comunicação entre ambientes” e nisso o Java é absoluto.

        Hoje em dia já existem frameworks de geração de código, que otimizam a tarefa de criar classes, JSP, XML um processo rápido. O desenvolvedor só se foca em escrever regra de negócio, e só. ;)


        “Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne.” Albert Einstein

  • shimatai

    Já existem diversos frameworks que otimizam a manutenção e geração de código, onde um CRUD (create, read, update, delete) pode ser feito em questão de minutos. A codificação ficou extremamente simples e rápida.

    Onde trabalho tem um framework chamado JNix, onde o desenvolvedor consegue em questão de minutos gerar um aplicativo simples completo, com busca, criação, atualização e exclusão de registros em qualquer BD, seja Oracle, MySQL, PostgreSQL, etc. O grande detalhe é que ele se baseia num template (um prototipo de sistema já num determinado molde) e o framework (que é um plugin do Eclipse) faz todo o trabalho sujo, gerando as JSPs, as classes Java (incluindo as classes de persistência e view). O desenvolvedor só precisa codificar regras de negocio.

    Hoje a base de frameworks Java instalados é muito grande, vide o sucesso do Hibernate, Struts e Spring.

    Outro ponto a ser analisado é que só usa EJB (programação distribuida) quem tem aplicações que exigem alta performance. E te digo mais, foram poucos os projetos que vi utilizando EJB de fato. Na maioria dos casos, o “sem EJB” dava conta do recado.

    A grande vantagem do Java, ao meu ver, é que o desenvolvedor possui uma vasta gama de soluções já disponíveis e opensource, que visam atender determinada necessidade, seja um monitor de log (log4j), um framework de persistencia de dados (hibernate), um agendador de tarefas (quartz) ou até um servidor de requisiões (quickServer).

    Além das centenas de patterns para solucionar os mais variados problemas.

    Java está intimamente ligado a conceitos, vide MVC (que ganhou grande aceitação pela larga adoção do Struts e similares), conceito de factory, entre outros.


    “Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne.” Albert Einstein

    • maniacs

      Bom, no caso do assunto abordado nesse post, estariamos falando de websites e não aplicativos, eu vejo sistes e blogs muito diferentes de um aplicativo web, estes precisao de linguagens dinamicas e faceis de programas, algo que qualquer um possa programar, algo que seja de facil alteração, tenha uma boa estabilidade e velocidade, que não é o caso de java ou mesmo de .net, em questao de facil aprendizado, e sim de php e outras linguagens interpretadas, claro que poderiamos fazer isso tudo com java, aplicandos os padroes corretos ficaria até mais facil para alguem que trabalha com isso a algum tempo, não vou nem falar de frameworks

      Não aplico java em aplicativos pequenos ou sites web simples, e sim um ruby ou php que é bem mais rapido para fazer (depende) do que usando um java com todos seu padroes, que sao bons (ao meu ver) para aplicativos/sistes grandes do que um “sitezinho”, agora … vai dar suporte para um sistema todo em php para ver se é bom }:)

      Trabalho com Java a 4 anos, PHP a 5 e comecei com ruby (e rails) a pouco tempo :)

      ——–
      Pra min fanboysismo é igual religião e futebol, não se discute

  • http://www.skhaz.com/ SKHAZ

    O bom da Groovy é que tem sobrecarga de operadores e java nao

    • Fernando Takai

      [quote]O bom da Groovy é que tem sobrecarga de operadores e java nao [/quote]

      Nao só sobrecarga de operadores, quanto todas as coisas que os programadores ruby se gabam, tipo meta programacao.

      E Ricardo, Java não é linguagem de programacao — é plataforma.

      A pergunta é:
      Existe uma linguagem dinamica para .Net?

      • http://www.skhaz.com/ SKHAZ

        [quote=Fernando Takai][quote]O bom da Groovy é que tem sobrecarga de operadores e java nao [/quote]

        Nao só sobrecarga de operadores, quanto todas as coisas que os programadores ruby se gabam, tipo meta programacao.

        E Ricardo, Java não é linguagem de programacao — é plataforma.

        A pergunta é:
        Existe uma linguagem dinamica para .Net?[/quote]

        hahahahhaha Meta programacao até C++ tem (não desprezando a linguagem!, porque pode se dizer que alem de programar nela, sou fanboy dela)

        Se quizer saber mais sobre as novidades procure por boost

  • gb_ramos

    Sou desenvolvedor Java, e discordo em alguns pontos.
    Concordo que desenvolver um sistema web em .Net é mais produtivo do que produzir em Java. Porém temos várias outras questões em jogo.

    O .Net é uma ótima ferramenta se levarmos em conta o mundo da Microsoft. Qualquer sistema feito em .Net é feito para rodar em um servidor Windows e com banco de dados SQL Server. Roda bem? Roda. Mas nem tanto. Tanto que nem mesmo o novo Windows Server é 100% compativel com a plataforma.

    Não querendo desmerecer os esforços deles, mas Java é uma tecnologia independente, que não precisa de OS, BD nem outras tecnologias para funcionar bem.

    Java trabalha muito bem com qualquer OS e através de frameworks, como o Hibernate, fornece suporte para qualquer banco de dados. E claro, é compatível muitos equipamentos, desde servidores até celulares, mas isto não vem ao caso.

    Fora que a comunidade que desenvolve em Java é muito grande, receptiva e esclarecedora com novos desenvolvedores/usuários.

    Enfim, aposto minhas fichas no Java.

  • lcmalanquini

    Não acredito que o java esteja fadado.

    Trabalho com java a cerca de 4 anos e o que vejo de oferta de emprego para java em sites como o netcarreira e o e-panelinha não parece diminuir e sim aumentar.

    Vejo muita coisa web sendo desenvolvida em java, mas sempre vejo isso sendo feito por empresas. Uma pessoa que vai fazer um site pretendendo um dia lucrar em cima disso ele faz em outras linguagens, mas uma empresa que vai desenvolver algo(portal interno, sistema web) geralmente decide por java.

    Acredito que empresas que buscam outras tecnologias como php e .net, buscam mais pela mão-de-obra barata e arquitetura barata do que pela qualidade da tecnologia.

  • marcelomartins

    Meu DEUS! Quanta besteira, mas vamos lá:

    Essa frase:
    “A questão também envolve os maiores concorrentes do J2EE, a solução da Sun para aplicações na web que tornou-se algo tão gigante, complexo, pesado e difícil de manter e configurar, que tem perdido mercado sistematicamente por causa do dinamismo da Web.”

    Conflita com essa:
    “Sem falar que o .Net está assumindo esse papel no universo de aplicativos desktop e web para a plataforma Windows. O programador de Java pode escrever o código em J#, nativamente suportado pelo Visual Studio Professional, por causa de um acordo de 2 bilhões de dólares com duração de 10 anos, que vai até 2012.”

    Se o problema do Java é “tamanho, complexidade, dificil de manter e configurar” a solução é o .NET? Ta mal hem.

    Mas a pior parte ficou para o final:
    “Hoje é impossível desenvolver aplicativos Enterprise com J2EE sem apelar ou para soluções Oracle(que comprou a concorrente BEA por 8,5 bilhões de dólares) ou IBM.”
    Isso não tem nem o que comentar.

    Eu trabalho com desenvolvimento de software a 12 anos, e nos ultimos 7 em especial para o Java (mas não unicamente, também desenvolvo em .NET e ruby e python), e essa discussão não leva a nada. Pior vai ser os comentários de pessoas sem noção, e os baba ovo da microsoft com suas opiniões sempre bem centradas (no windows).

    Então, para dar a maior contribuição de todos para a discussão, leiam esse tópico do GUJ:
    http://www.guj.com.br/posts/list/83324.java

    Vou colar aqui embaixo depois o que já respondi no outro tópico.

  • marcelomartins

    Comentado no outro tópico sem noção do meiobit:
    —–
    Imaginando o cenário, em que java é o legado nas empresas, a gente chega a conclusão que ele não vai morrer nos próximos 30 anos. Para chegar a essa simples conclusão é só ver que o cobol não morreu até hoje. E java não é um novo cobol, java é uma plataforma em constante evolução, não apenas uma linguagem.

    Agora caindo na real, e vendo a quantidade de empresas gigantescas (principalmente bancos e multinacionais) que estão CONSTRUINDO suas soluções HOJE, usando Java, dá pra perceber que esse texto que tu deu importância, está longe da realidade. Hoje se cria mais soluções em java do que a 5 anos atrás, a 4 anos se criava menos que a 8. Talvez daqui a 4 anos se crie mais soluções que hoje, e vai ter gente dizendo que java vai morrer.

    O .NET não tem chance nenhuma com o Java, HOJE! Muita gente usa .Net, muitas empresas usam .Net, mas esse número vezes um outro número positivo maior que 3 é a quantidade de gente e empresas que usam o JAVA.

    Claro que eu imagino que isso é o contrario do que o autor do comentário e do tópico gostariam. Isso está claro pra mim.

  • http://joaoseixas.blogspot.com joaobosco

    Concordo com o gb_ramos em vários pontos.

    Não sou desenvolvedor Java, já fiz pequenas coisas com java, mas concordo com todos os pontos positivos que ele citou, a questão de interoperabilidade é fundamental.
    Você “faz” se preocupando muito pouco com “onde” vai rodar.
    A produtividade do java também é grande como todos disseram ai.

    Só discordo em 2 coisas,
    Nem devia ta falando essa primeira mas vou falar só pra alertar programadores .NET
    1- .NET realmente é muito boa e performatica, pra quem sabe o que está fazendo. Se você chega lá no visual studio e simplesmente se deixa levar pela IDE, pode ter certeza que sua aplicação não vai sair das melhores ou no minimo poderia ser melhor do que está sendo.
    2- A comunidade Java é realmente grande, mas frente a outras comunidades, acho ela pouco receptiva. Alguns problemas que tive com java, resolvi lendo a documentação, foram algumas horas perdidas(Não que isso seja ruim, sou totalmente a favor de se ler documentação, afinal é a biblia)
    Mas frente a outras comunidades(PHP e outras) a comunidade java (na minha opinião) ainda deixa a desejar.
    mas a documentação é completa! e isso que importa! hehehe

    Pra pequenos projetos temos outras opções alem de Java e .NET
    Mas pra projetos “grandes”, ai não tem pra onde correr, é java e .NET

    Acho dificil essas 2 sairem do cenario nos proximos anos ou até decadas.

    Vou dar uma opinião meio controversa para finalizar.
    Pra mim, a linguagem que não dura muito tempo com a força que está é o ruby.
    Não pela linguagem e estilo de desenvolvimento em si, mas acredito que em algum tempo vão lançar um novo modelo, mais agil mais facil, que vai fazer o ruby ficar para trás…

  • TheDarkMaster

    Ano sai, ano entra, linguagens “modinha” vêm e vão, mas os algoritmos continuam.

    Desenvolvo usando apenas Tomcat (servidor Apache customizado para executar servlets java, JSP, etc), Java sem frameworks de qualquer espécie e PostgreSQL para base de dados. E funciona de forma exemplar diga-se de passagem. Se eu conseguisse me livrar do peso causado pela máquina virtual, seria perfeito.

    E quanto ao .NET, não vejo nenhuma necessidade de expor novamente a minha opinião e posição sobre o mesmo, apenas posso garantir que este jamais será usado pelo governo do estado do Paraná, por razões óbvias.

    (levantando os escudos contra os torpedos fotônicos dos MSFanboys)

    Se você consegue ler esta mensagem então o seu computador irá se auto-destruir em dez segundos, tenha um bom dia :)

    • Camargos

      Ola TheDarkMaster

      Sobre a tua frase: “apenas posso garantir que este jamais será usado pelo governo do estado do Paraná, por razões óbvias”

      Não entedi patavinas (termo antigo que significa “nada”) o paraná utiliza tecnologia Microsoft a rôdo (muito), inclusive um dos primeiros cases de BI com SQL 2000 foi realizado pelo governo do paraná.

      • Wallacy

        É que o Paraná é reconhecidamente o maior centro de SL do Brasil e é reconhecido internacionalmente. De modo geral o governo do paraná sempre busca soluções não-MS…. Bem, o paraná é a “união europeia” brasileira….

        —–
        Para aquele que controla o próprio pensamento, todo o resto se torna simples jogo de crianças…
        Gandhi.

      • TheDarkMaster

        Sim, mas essas aplicações estão sendo portadas para Java/PostgreSQL/Apache/Tomcat, por isso a minha afirmação. Têm algumas aplicações legado que ainda rodam em plataforma microsoft porquê não se pretende mexer mais no funcionamento das mesmas mas todas as que estão precisando de evolução estão sendo gradativamente portadas. E são aplicações antigas (têm de tudo, desde mainframe IBM a Delphi e VB no meio), não vi uma aplicação que fosse que usasse .NET e seguindo a política do governo jamais haverá.

        Se você consegue ler esta mensagem então o seu computador irá se auto-destruir em dez segundos, tenha um bom dia :)

        • cafuin

          Cuidado com “Jamais” e “Nunca”..

          Sabe como são nossos governantes…

          Se a oposição ao governo atual ganha a eleição, tem base na assembléia legislativa… Já era.

          Faz o que todas fazem, sendo Microsoft, Software Livre, partido de esquerda ou direita….

          Se preocupa em destruir o que o governo atual fez. Depois pensa em algo.

    • http://www.bizness.com.br sricanesh

      Bom, com um governador “bolivariano” com o Requião, tudo pode acontecer com o Paraná, até mesmo se decretar “estado socialista do Brasil”.

      Requião tem todo meu desprezo possível, pois lembro muito bem que ele foi uma das poucas vozes a se levantar contra as leis 9609 e 9610 , que visam dar um mínimo de proteção à produção artística e de software no Brasil.

      Cassio R Eskelsen

      • TheDarkMaster

        “governador bolivariano”… Cara, você deve acreditar em tudo o que a mídia diz não é?

        Se você consegue ler esta mensagem então o seu computador irá se auto-destruir em dez segundos, tenha um bom dia :)

  • mahalanobis

    Com o uso de applets, Java foi uma das primeiras tentativas de interatividade nas páginas web. Posteriormente, Javascript foi outra tentativa para trazer interatividade no lado do cliente (browser) e mostrou que funciona muito bem. O Ajax é uma evolução da interatividade utilizando tecnologias já existentes há muitos anos (inclusive javascript) embora seja complicado de programar. Considerando o server-side existem muitas opções de linguagens, mas acho que o maior desafio está no aprimoramento da interatividade dos usuários com os browsers.

  • pedrique

    Sei lah eu acho que ela ta perdendo espaço na web… As coisas evoluem

    :?

    • cafuin

      Perdendo espaço está, mas em taxa muito maior para Ruby on Rails e Django e demais frameworks Python.

      Esses dois tipos de soluções tem custo muito baixo. No licenciamento, Zero, no Sistema Operacional, Linux/*BSD => Zero (Ok, tende a zero :) ).

      (Antes que o Dennes venha dizer que não é zero… Quem administra Hosts geralmente tem cérebro suficiente pra não precisar usar só Red Hat, e demais distros Enterprise.)

      Vejam o número de hosts por aí que tem Java, não deve ser um décimo dos que oferecem python/ruby (que vêm disponível por default na maioria das Distros).

      Quanto ao .Net… Acho que vai ganhar muito terreno do Java em grandes portais e portais internos de grandes instituições.

  • http://jmmwrite.wordpress.com/ julianommartins

    Absurdo! :jawdrop:

    A começar que JAVA é uma tecnolgia, e não uma linguagem.

    Deêm uma olhada, a resposta para o POST está aqui: http://blog.oziel.com.br/2008/02/29/mitos-de-mercado-contra-a-tecnologia-java/

  • http://www.mundohitech.com leomc

    Tenho que concordar com o Marcelo Martins. Quanta besteira compilada em um só post.

    Acredito que trabalho na mesma consultoria do shimatai e desenvolvo em Java a vários anos. Não sou fã de Java e torço para posa trabalhar com linguagens dinâmicas como Ruby mas este post é totalmente sem noção. Vale a pena deletá-lo. O artigo da Computerworld foi totalmente distorcido.

    Chegou ao absurdo em falar em “Web para Windows”, isto deve ser coisa de quem desenvolve aplicativos web com active x.

    Triste.

    Site http://www.mundohitech.com

  • sombriks

    Ricardo eu sou desenvolvedor Java achei interessante o seu post.

    Todavia são também pequenas e médias como a empresa em que trabalho que estão a cada dia puxando mais e mais novos serviços onde o escopo tecnológico é java.

    A questão não fica invalidada, pois você questionou se java está se tornando algo específico (i.e. para servidores e aplicações corporativas), e isso eu acho bem possível.

    É claro que sempre tem o dia de amanhã e esses projetos que pipocam no java.net/sourceforge podem acabar produzindo algo capaz de virar o cenário tecnológico do momento, vide a “nova tecnologia” Microsoft batizada de linq. Programadores java há muito estão hbituados a pedir dados relacionais na forma de objetos com todo o esforço para isso encapluslado em algum lugar, ou mesmo bancos de dados puramente relacionais.

    Não que isso me importe muito, afinal tenho muitos outros projetos no horizonte, mas java está aí e continua a contribuir com sua plataforma e com a sua comunidade de desenvolvedores sempre puxando algo diferente e que chama a atenção do mercado.

  • Tefinho

    Agora falando sério… não sei porque ainda leio os posts deste merdobit.
    Talvez porque os replies são bons… sei lá… vício antigo de querer postar.

    Bando de borra-bostas de fraldas que mal sabem o que é dBase2 e CP/M que jogaram uma vez na vida um Xbox, fizeram 4 forms acessando um Access e acham que descobriram o mundo…

    Tchau pra vocês.

    • Ricardo Bicalho

      Nenhum editor precisa colocar o CV dele aqui e provar coisa alguma. Você, ao contrário foi a maçã podre dentro de uma boa discussão e comportou-se com uma infantilidade enorme. Hum… que tal se atualizar? Tenho duas sugestões: http://www.ubuntu.com/ e http://www.postgresql.org/

      Troll e banido. Xô.

  • Rhyel

    Eu tenho trauma de Java desde a época do Netscape 3 onde aparecia o “Starting Java” matava a máquina só para exibir uns botões sem graça de menu,

    Ainda lembro que antigamente era alardeado que o java era ótimo na internet pois o processamento das coisas ficava do lado do cliente.

    Mas o java ainda é sinônimo de segurança e muitos sites de comercio eletrônico e bancos usam ele.

    • maniacs

      Antigamente… claro… applet ainda é meio chato, mais isso é applet… e hoje até eles etao bons com a adsl :)

      —-
      Pra min fanboysismo é igual religião e futebol, não se discute

  • Gilson Miranda

    Após descobrir que é possível fazer “encherto” nos códigos java, meu site agora não utiliza tal linguagem

    _________________________________________

    http://www.blogplus.com.br

  • http://fabianofranz.com fabianofranz

    Desculpe, mas este post pra mim vem jogar um balde de agua fria na outrora comprovada referência deste blog em assuntos tecnológicos, internet afora. Demonstra desconhecimento, desatualizaçao e despreparo ao ignorar completamente a existência de tecnologias e soluções como Tomcat, JRuby, Groovy, Wicket, Guice, Spring e tantas outras.

    • Ricardo Bicalho

      Eu conheço várias dessas tecnologias Fabiano, inclusive 90% dos projetos da empresa onde eu trabalho são Java. O post foi criado não como um tutorial, mas um questionamento. Que tal esclarecer e participar?

      Escreva um post original dizendo porque o Java não vai perder mercado para criar websites simples e cite algumas tecnologias que chutam o traseiro do Ruby On Rails.

      Engraçado é que muito do que eu li veio justamente de publicações especializadas em Java. Revistas mesmo, que questionam há algum tempo a necessidade de adoção de desenvolvimento mais ágil.

      Enfim, escreva o post e ficaremos gratos em publicar.

      • acdesouza

        Ricardo,

        Gostaria de aceitar o convite sobre escrever um post sobre Java, mas para dar uma adiantada, dá uma olhada nesta compilação de novidades para o Java 7:
        http://www.guj.com.br/posts/list/41027.java

        [],
        AC

      • cafuin

        “Engraçado é que muito do que eu li veio justamente de publicações especializadas em Java. Revistas mesmo, que questionam há algum tempo a necessidade de adoção de desenvolvimento mais ágil.”

        Isso é uma coisa que é curiosa. Mesmo em alguns fóruns com Javistas ferrenhos, o ruby está ganhando uma força muito grande.

        O que é ótimo, sair um pouco daquela história de ter de saber 500 formatos diferentes de XML etc… que acontece com J2EE

      • http://fabianofranz.com fabianofranz

        Agradeço sinceramente seu convite! Mas não sou blogger, não escrevo posts e prefiro deixar a tarefa para quem o faz corriqueiramente, e existem muitos bloggers de Java por aí. Aliás, é um erro pensar que todo mundo que está na internet faz posts. Já escrevi e publiquei muito sobre Java, mas isso foi há mais de 6 anos atrás. Hoje em dia, ao invés de posts prefiro fazer deploys. Mas tenho sim exemplos de sites pequenos/simples feitos em java com muito alta produtividade, em pouco tempo, como é o caso de (citando aqui apenas alguns dos pessoais e não os feitos profissionalmente) literar.org ou pribi.com.br.
        Na verdade, o que me incomodou neste post, sendo bem sincero com você, foi a frase “hoje é impossível desenvolver aplicativos Enterprise com J2EE sem apelar ou para soluções Oracle(que comprou a concorrente BEA por 8,5 bilhões de dólares) ou IBM”. Posso citar inúmeros cases de sucesso J2EE rodando sobre plataforma JBoss e, mais recentemente, Glassfish.
        Talvez seu post seja de fato premonitório, mas creio que ainda não chegou tal momento – tanto que eu mesmo estou aprendendo RoR, mas é mais por interesse tecnológico e não necessidade. Meu caro, todo mundo está lançando tecnologias e facilidades por aí. Não tem ninguém parado não, vendo o trem passar! :-)

  • luctimm

    Não sou programador, mas sim administrador de sistemas. O que vejo é que, tecnologias vem e vão e, coinscidência ou não, muitos Microsofters dizem que o Mainframe e o Java morrerão em breve, pois são antigos, antiquados, ultrapassados e pesados. Mas, com esses dois, não é bem “assim” pra tirar da brincadeira. E quem fala que o Java é pesado, nunca viu ele rodando no Solaris.

    .NET é ótimo para ambientes totalmente Microsoft. Que o Windows está muito mais estável que antigamente, sem dúvida nenhuma, assim como os Servers melhoram a cada vez mais. Porém, o mundo não é só o Menu Iniciar, e nos servidores, a Microsoft tem muito que aprender e deixar de ser esnobe.

    • lcmalanquini

      [quote=luctimm]E quem fala que o Java é pesado, nunca viu ele rodando no Solaris.[/quote]

      Concordo plenamente.

      O que mais vejo de arquitetura é:
      Solaris + WebLogic (Distribuídos em múltiplas máquinas para AS)
      Solaris + Oracle RAC (Distribuídos em múltiplas máquinas para DB)

      Essa arquitetura apesar do custo alto é quase imbatível!

    • Wallacy

      [quote]Porém, o mundo não é só o Menu Iniciar, e nos servidores, a Microsoft tem muito que aprender e deixar de ser esnobe. [/quote]

      Falou tudo…..

      —–
      Para aquele que controla o próprio pensamento, todo o resto se torna simples jogo de crianças…
      Gandhi.

    • renanfernandes

      Com certeza! assino embaixo.

      As vendas de Mainframe crescem a cada dia, juntamente com as vendas das soluções Websphere e rational.
      O .NET está aí, e apesar de ser um excelente framework o que eu vejo é que ele ainda não teve a penetração no mercado que a Microsoft estava esperando.
      Java é uma tecnologia consagrada, estavel e está em produção a muito tempo. Demonstrando estabilidade e maturidade. Dizer que é hora de migrar ou que seu fim está próximo é presunção demais.

    • Conqueror

      Falam que o mainframe morrerá “em breve” há uns bons anos, mas ele continua vivo e forte. Esses que falam que o mainframe morrerá não entendem do assunto, pois o foco deles é um mercado onde haja uma alta carga de dados, que os PCs e banco de dados comuns por aí não conseguem suportar.

      Essas pessoas acham que algo deixará de ser usado se ficarem martelando na imprensa que ele “morrerá”. O Cobol vem sendo declarado como moribundo desde a década de 80, mas ainda está bem vivo nos ambientes de mainframes.

      ——————————

      Campanha Play Ogg

      • luctimm

        A única linguagem que eu tenho vontade de aprender é justamente o COBOL. Aprender mesmo, fundo, não arranhar como Java, C e Shell Script como eu faço.

        • Conqueror

          Então pode procurar por livros em sebo, porque Cobol é muito fácil. É praticamente escrever em inglês e mandar executar.

          Ainda se usa bastante Cobol em ambiente de mainframes e há uma boa procura por profissionais que saibam Cobol. A linguagem da “modinha”, ensinada em qualquer faculdade meia-boca, é o Java, pois acham que o Java resolve tudo, mas ela tem seu nicho específico e o mercado está cheio de programadores Java, o que faz que a oferta seja muita e o salário seja baixo.

          ——————————

          Campanha Play Ogg

  • http://wektabyte.blogspot.com/ Yoshio

    Prefiro fazer um programa em C (a verdadeira linguagem suprema) do que em Java, ousaria até a fazer aplicações web em C porque pelo menos os códigos em C são rápido e fazem sentido (talvez em nível não-humano, mas fazem sentido). Fico muito put# vendo os processos do java comendo memória como se fosse um BigMac, fora que gerar um simples código é um porre comparado a um Python ou Ruby. Hoje eu eu aposto no Python e no framework Django.

    Assinatura de impacto: Meia lua pra frente + soco ou Meia lua pra trás + chute

  • Zezinho

    Mas… mas…

    Num post anterior, o Dennes falou (desculpe, não lembro as palavras exatas) que o RoR não prestava e não era nem de perto possível compará-lo ao .Net…
    Agora… JEE fadado ao fracasso…

    Não vou descutir o mérito de RoR prestar ou não (já que isso seria apenas uma opinião pessoal minha) e não acho que o JEE esteja fadado ao fracasso. Esse não é o ponto que eu gostaria de discutir.

    Mas vocês, que defendem tecnologia MS, sinceramente acham mesmo que é realmente saudável para o mercado ter apenas uma ferramenta dominante, a ponto de quererem ver todas as outras destruídas? Não sei, não sou pró coisa nenhuma e acho que todas têm pontos fortes e fracos, e acho que querer que apenas UMA domine (não importando qual) é péssimo.

    Sei lá, é minha opinião…

    • Conqueror

      No meio da programação também há os fanboys, que dizem que a linguagem que ele utiliza é a única que presta e todas as outras são lixo puro. Se há dezenas de linguagens por aí, há um motivo para isso, pois cada uma é direcionada para um público específico.

      Não sei porque falam tanto do .Net por aí, não o conheço e nem faço muita questão de conhecer. Dizem que possui um monte de facilidades, mas eu acho que precisa ver se essas facilidades não acabam prejudicando no final, pois o desenvolvedor acaba deixando de lado algumas coisas que ele deveria observar no programa e que podem acabar gerando bugs estúpidos e facilmente evitáveis.

      ——————————

      Campanha Play Ogg

  • marcuslira

    Acho errado comparar RoR, ou outras linguagens da moda com Java e/ou .NET.

    Trabalho atualmente como desenvolvedor .NET, e conheço Java.

    Java é uma tecnologia robusta, grande e difundida. Tem mercado e muito pra ela: Todo o mercado que as outras linguagens não aguentam a pressão.

    .NET independente de ser MS ou não, é uma excelente tecnologia e existe um grande esforço na produção dela. É mais produtiva que java, por isso prefiro trabalhar .NET. Porém toda produtividade e abstração é conseguida na base de muita gambiarra, e acho que nem .NET nem RoR foge disso.

    Tem mercado pra todo mundo. Tem projetos pra todas tecnologias. O que falta são pessoas que saibam utilizar bem uma tecnologia, conheçam bem os pontos fortes de cada uma. Ao inves de escolher sua ferramenta por causa de ideologias ridiculas e preconceitos.

    • SamirMamude

      [quote=marcuslira]Porém toda produtividade e abstração é conseguida na base de muita gambiarra, e acho que nem .NET nem RoR foge disso.
      [/quote]

      Tem certeza disso?? Que gambiarra é sinômino de produtividade?
      Tenho 2 opnioões.

      • 1) Falta um pouco mais de conhecimento sobre .NET e principalmente Ruby on Rails onde presa por vários princípios como DRY (Don´t Repeat Yourself) e Convention of Configuration.
      • 2) Ou é mais um dependente de IDE? (drag and dropers) da vida…

      Desculpe, mas não concordo com nada disso!

      SimpleCode

      • marcuslira

        Meu caro, não estou falando de desenvolver com gambiarra. Estou falando das abstrações que as linguagens fazem para serem mais produtivas e mais alto nível. Gambiarra pode ser até um termo incorreto, mas posso lhe garantir que tecnologias que fazem tudo pelo desenvolvedor, geradores de código, frameworks são excelentes em produtividade, mas muitas vezes geram códigos desnecessários, atrapalhando a performance, mas fazendo coisas “transparentes”.

        Sabe o viewstate do ASP.NET? Pois bem, na minha opinião é gambiarra.

        Mas, de qualquer forma, quem nao quer gambiarra e é sedento por performance, programa em Assembly, mas sem produtividade né? ;)

  • http://www.mobiloides.com.br/ Henrique G

    Eu não usaria nem de longe Java para uma aplicação de pequeno porte como por exemplo blogs, concordo com o artigo, usaria PHP ou Ruby On Rails. Mas a primeira escolha para desenvolver um sistema de gerenciamento de e-mail para uma grande empresa aérea que a empresa onde eu trabalho desenvolveu (com centenas de usuários simultâneos) foi o J2EE, sendo que a única alternativa considerada foi o .NET.

    Agora explico porque escolhemos Java e não .NET. Primeiramente a modularidade, ou seja, poderíamos escolher os módulos que mais se adequavam para compor o sistema completo, dentre diversas opções com os mais diferentes recursos. Segundo que a maioria destes módulos são open source, o que nos permitiu personalizar alguns deles segundo nossa necessidade específica, além de corrigir bugs sem ter que esperar hotfixes e respostas de suporte. Terceiro é o nível de gerenciamento de sessões concorrentes, pool de conexões, servidores distribuídos, bancos de dados replicados, caches, logs, etc. que conseguimos chegar, com excelente performance. Desenvolvemos tudo isso sem recorrer a grandes Frameworks, como citado no artigo.

    Na minha opinião, para aplicações de grande porte, Java é imbatível. Aplicações de médio porte, acho que .NET leva um pouco de vantagem sobre Java se for iniciar uma aplicação do zero.
    Para aplicações de pequeno porte, aí sim, eu mantenho distância de Java/.NET e fico com PHP e RoR.

    Acho que as 4 linguagens citadas vão continuar, cada uma com seu nicho, por muito tempo ainda, e ficar cada vez mais parecidas (no caso do J2EE e .NET). Esse negocio de uma ficar copiando recursos das outras é a melhor coisa que existe para nós. Fico feliz que tenhamos escolhas tão boas.

    Meu Blog

    • cafuin

      Henrique, do que falou, só discordo sobre Java ser imbatível e a única opção considerada junto com .Net .

      Claro, você que sabe de detalhes do seu projeto, eu não.

      Mas sem risco de ser muito palpite meu… talvez isso ocorra nem tanto pela característica de Java ou .Net e sim pelos Casos de sucesso semelhantes já disponíveis e tempo no mercado, o que explicaria Java ter sido a escolhida.

      “Segundo que a maioria destes módulos são open source, o que nos permitiu personalizar alguns deles segundo nossa necessidade específica, além de corrigir bugs sem ter que esperar hotfixes e respostas de suporte.”

      Muito bom, geralmente quando se fala discute sobre vantagens do Open Source, se foca muito em preço, gratuidade, etc…

      Poder modificar algo, customizar ou corrigir, como no seu caso, quando se decide investir nisso, é excelente.

      Veja meu caso, um cliente que pagou milhares de reais numa solução com Oracle espera um Patch para um bug que a Oracle reconhece a existência, e promete somente para o novo Patchset e diz claramente “SEM PREVISÃO” de data.

      Lamentável.

  • zhushazang

    É impressão ou a intenção do post é ser polêmico????
    Mais do mesmo?

    Bem que falaram acima, o que vale no meio-bit são os comentários. Deixa eu ir lá no games.meiobit.com que o conteúdo é melhor.

    huehieuheiuheiuhe

    Cardoso, não gosto de você!!!!

    “Quanto mais eu observo o trânsito nas ruas mais tenho certeza que humanos devem ser extintos” – Zhu Sha Zang

    • http://www.contraditorium.com Carlos Cardoso
  • http://hdoria.archlinux-br.org hdoria

    Não acho que aplicativos em java estão deixando de ter sentido. Uma série de alternativas estão surgindo e a SUN vai ter que melhorar sempre se quiser se manter. Mas isso é bom. Com toda essa concorrência quem sai ganhando somos nós.


    Computadores fazem arte, geeks fazem dinheiro

  • ACDias

    Sou programador Java e algo que está me deixando bastante desanimado é o fato de que as grandes novidades estão saindo somente da concorrência… Parece que Java parou no tempo… E quando lançam uma feature nova, ou é cópia, ou não é lá grandes coisas.
    E algo que me incomoda em alguns programadores é como eles gostam de deixar as coisas mais complexas do que realmente é necessário.

    ————————————-
    Onipresente

  • Phair

    Não adianta chorar M$ Fanboy.. Java é um padrão consolidado e largamente usado em toda industria quer você queira ou não distorcer os fatos.

  • http://www.marcacini.com.br/ marcacini

    …”tornou-se algo tão gigante, complexo, pesado e difícil de manter e configurar”… isto é opinião do autor e não fato. Ser complexo, pesado ou difícil de manter depende da equipe que o suporta.

    …”que tem perdido mercado sistematicamente por causa do dinamismo da Web”… de qual pesquisa tirou esta informação?

    …”Não estou falando de aplicações gigantes de empresas, mas projetos menores, como uma ferramenta de publicação de conteúdo para um jornal online, por exemplo.”…
    E se for um jornal grande? Calcular o tamanho da aplicação não é tão simples como contar quantidade de linhas de código. Uma aplicação pequena pode ser extremamente acessada e se torna aplicação grande. O autor deveria ser mais objetivo no título. Primeiro gera dúvida sobre java pra web, depois tenta falar que é apenas para aplicações pequenas. Mas definir tamanho de aplicação é um outro problema e não foi bem tratado pelo autor.

    …”Peça para um desenvolvedor proficiente em Ruby On Rails realizar uma alteração na aplicação e ele é capaz de fazer algo em questão de horas, rodando em Linux, Apache e MySQL.”… de onde tirou esta informação?

    …”No J2EE, a resposta pode ser em dias.”… Como assim “pode ser”? Também pode ser em horas? Ficou em cima do muro aí.

    …”A Sun tem diminuído e melhorado algumas coisas, mas parece faltar fôlego para concorrer com o Django, Zope, Rails, TurboGears, entre outros.”… Será que a Sun vai mudar toda sua base somente para concorrer com estes citados, para projetos que o autor considera pequenos?

    …”Sem falar que o .Net está assumindo esse papel no universo de aplicativos desktop e web para a plataforma Windows.”… novamente, de onde tirou esta informação. Sem referência não vale.

    …”O programador de Java pode escrever o código em J#, nativamente suportado pelo Visual Studio Professional, por causa de um acordo de 2 bilhões de dólares com duração de 10 anos, que vai até 2012.”… esta frase ficou perdida no texto. A intenção é dizer que possivelmente o programador irá preferir J# no lugar do Java-sun, somente para rodar em ambientes Windows? Não entendi.

    …”Estaria o Java fadado, nos próximos anos, a tornar-se uma tecnologia de nicho? Dispositivos móveis/portáteis, sistema de integração e backend de servidores, aplicações financeiras substituindo o COBOL?”… Indução. O autor questiona mas não afirma. É uma maneira fácil de tentar validar sua idéia sem se comprometer com referência, mas desculpe, não é válido.

    …”Hoje é impossível desenvolver aplicativos Enterprise com J2EE sem apelar ou para soluções Oracle(que comprou a concorrente BEA por 8,5 bilhões de dólares) ou IBM.”… Se é impossível não tem contra-exemplo. Será que não existe ao menos 1 (uma) aplicação ENTERPRISE que não “apela”? Se existir já não é mais impossível.

    …”Deixe seu comentário. Se for desenvolvedor Java, melhor ainda.”. O comentário está aí. Sei que corta a graça da internet, mas sinto muito a falta de algum sistema de validação de informação publicada… mas como isto fica periogoso, e apelam até pra censura, é melhor ficar como as coisas estão. Como dizem por aí, no próprio rigor de blog: “tá ruim mais tá bão”.

    • carloshp

      O que eu acho mais engraçado de quem pixa a performance do Java é que grande parte nunca rodou um programa Java. Apenas ouve falar e repete, como papagaio.

      O problema do Java ser lento nao é ser (parcialmente, já faz um bom tempo) interpretado. O grande problema do Java é consumir muita memória, pois toda hora se aloca objetos novos e se descarta outro tanto. Se o sistema operacional não tiver uma boa gerência de memória, isso se reflete de forma MUITO NEGATIVA na performance. E era esse o caso do Windows 95 e 98, as versões disponíveis na época em que se tentou tornar Java uma linguagem mainstream. Nessas versões de Windows, mesmo quando havia memória fisica disponível, o SO teimava em ficar acessando swap. Aí já viu, a “culpa” era do Java. Em outros ambientes com melhor gerencia de memória o Java mostra que não fica devendo em termos de performance à aplicações nativas.


      Tecnologia deve ser o meio, não o fim.

      • luctimm

        Eu já cliquei em vários programas Java e eles abriram instantaneamente. Não foi no Windows. Nem no Linux.

      • cafuin

        “…Apenas ouve falar e repete, como papagaio.”

        No post sobre Photoshop pro Linux, eu imaginei a mesma coisa. Ou então o MeioBit é um grande foco de artistas. “Papagaiar” deve ser a regra.

        O Java come muita memória se usado no Default. O caso é que agora, além do Windows estar menos burro quanto a swap, também temos muito mais memória nos micros. O Hardware está vencendo a corrida contra o software e por grande vantagem. Com exceção dos jogos.

        Tanto que se diz que Eclipse e NetBeans são programas a frente do seu tempo. Depois de anos do lançamento que as máquinas necessárias para rodá-los de forma decente são comuns.

  • frdv

    qlq aplicação java é necessário paciência..

  • lauksas

    Antes de postar o link me apresento a galera… sou novo em desenvolvimento e estou escolhendo meu caminho para JAVA… Motivo? Afinidade aos ideais provavelmente…
    Fatos são fatos e nosso amigo frdv apresentou um muito polêmico quando se fala em JAVA…
    o JAVA gráfico para desktop (swing framework)realmente é pesado, porém não devemos esquecer que aplicação cliente-servidor, apesar de existir em grande escala ainda, é passado. A idéia hoje é fazer aplicações com portabilidade (onde, por incrível que pareça, a MS também investe), estabilidade e com usabilidade. Foi ai que a aplicação via browser entrou em ação, pois é possível conciliar tudo isto nele, não com facilidade, mas com êxito.
    Não faço de conta que não vejo esforço que a microsoft faz para vender seu produto, que é “bom” para a maior parte da sociedade, mas como já disse fato é fato e .Net é uma pura imitação das idéias do JAVA, se quer uma prova veja uma pequena descrição (Em inglês) do que a tecnologia .Net touxe de novo para o mercado
    Aqui.
    (Se não está satisfeito com o wikipedia pode também procurar no famoso livro (Em inglês) de Ivor Horton “Beginning Visual C++® 2005″ na página 2).

    Um pequeno resumo destas fontes…
    o .Net também roda em cima de uma VM (Virtual Machine) que visava a portabilidade, inclusive a MS oferece meios para que sejam desenvolvidas VM’s para outras plataformas… quem nunca ouviu falar em servidor WEB .Net em Linux? Até o fluxo da execução de código é igual!!!

    Nunca desmereci o .Net como uma boa (ou até ótima) linguagem de programação até porque o grande google a utiliza em massa e faz aplicativos perfeitos para nosso dia a dia, com o exemplo do Gmail com todas as suas funcionalidades é um ótimo aplicativo (Sim aplicativo!). Mas que o fato da microsoft copiar a SUN na ideologia (Sem falar que talvez até na tecnologia, afinal é histórico não podemos negar).

    Concordo que a SUN ainda tem que evoluir na “vertente” desktop performace, mas o artigo que segue aqui prova que para WEB Service o JAVA é mais rápido do que c++ que é uma linguagem muito robusta e rápida, que por a caso foi “matéria prima” do JAVA. Assim podemos concluir que se ela é mais rápida do que o c++ na “vertente” server ela é mais rápida que o .Net para isto também!

    Sou mais JAVA, mais ainda concordo que a melhor linguagem de programação é aquela que você sabe usar!

    Espero ter apaziguado a briga!

    Um abraço a todos (Até para os MS Fans rs)

    ——– Uso ruindows apenas por causa dos jogos! Afinal não sou rico. Vida longa ao Open Source!!!

  • Brunken

    Java é Lindo.

    Não foi criado para micreiro de final de semana que quer “Fazer seu sistema magico para a padaria da Esquina”, eu sou desenvolvedor Java, trabalho em uma grande empresa graças ao Java (pesado, horrosoro, dificil de programar, demorado , bla bla bla) .. Vivo fazendo Jogos por diversão em java, fiz até meu próprio Framework que um dia vo liberar para o pessoal.
    Mas o fato é, Java é trabalho, empresas grandes usam ele por causa de sua capacidade de fazer quaser qualquer coisa, tem que ser bom para programar em Java, não uma linguagem medíocre que cria tudo sozinho tirando emprego de bons programadores para dar lugar a “Algas Marinhas” (Nova variação da espécie) ganhando 800 reais por mês,fazendo o “mesmo” trabalho. Esse pessoal que critica o “díficil” acha mesmo que uma empresa iria pagar igual se fosse tão simples?
    E é claro, um professor meu diz “Python é melhor” .. para ele e muitos outros eu digo

    “Python vc consegue emprego em qualquer Google aí da esquina”.

    Abraço,

  • Marcelo Brunken
  • Desenvolvedor Java
  • SCJP 5.0
  • davidkwast

    Na verdade, já tem muita empresa (pelo menos em SP) querendo migrar seu desenvolvimento para Python mas o mercado está sem mão de obra (boa ou ruim). Tem cases (informais, boca-a-boca) sobre a migração de um profissional Java para programar bem em Python em no máximo 2 senamas, quando eu tiver links que tratam esse assunto formalmente eu posto por ae.

    Já me chamaram várias vezes para trabalhar com Python, na lista de Python também tem vagas sendo oferecidas, claro que não são muitas, quem quer dinheiro imediato não deve saber só Python, principalmente se as vagas incluírem migração.

    Quando for ter treinamento de Python organizado ou não pela Associação Python Brasil eu aviso o pessoal do Meiobit e outros sites de tecnologia. No FISL desse ano vai ter.

    []s

  • Jim-SP

    detesto opiniões que saem classificando e generalizando… sem dúvida nenhuma quem escreveu esse post não faz ideia nenhuma do que está dizendo, não tem conhecimento sólido no assunto e está apenas repetindo bobegens que ouviu de algum fan boy da Microsoft…
    FALO SÉRIO! fiquei com nojo dessa matéria, altamente DESINFORMATIVA…

    não vou entrar aqui nos detalhes, não é tema pra um comentário, e sim para uma matéria bastante ricam, pois JAVA é um tema bastante rico, pra poder argumentar contra tal ignorancia, teriamos primeiro ajustar uma série de conceitos…

    é domingo de manha e não estou afim disso… apenas vou dizer o seguinte, JAVA não é uma linguagem de programação pra quem quer tudo pronto! em java, você quer, tem que fazer…
    entendo que isso seja algo complexo e por demais complicado para muitos… por isso existe as outras linguagens… como um colega meu diz, para os “maricas”…

    • http://www.fabiocardoso.com.br Fabião

      [quote=Futuro Troll]JAVA não é uma linguagem de programação pra quem quer tudo pronto! em java, você quer, tem que fazer… entendo que isso seja algo complexo e por demais complicado para muitos… por isso existe as outras linguagens… como um colega meu diz, para os “maricas”…[/quote]

      É… eu programo em PHP, devo ser meio baitola mesmo. Além de muito ruim, porque, todo mundo sabe que quem programa em PHP é script kiddie.
      Temos orgulho de sermos os pioneiros no SQL Injection.

      Mas, eu concordo em que o Ricardo foi altamente injusto nesta matéria. Afinal de contas, ele nem sequer perguntou o que nós achamos, nem deixou claro que esta é a opinião dele, e tampouco deixou claro o convite a opinião dos demais leitores.

      Já, completamente diferente, o seu comentário clareou minhas idéias. Porque a brilhante argumentação que você fantásticamente usou, de que para argumentar, precisa ajustar conceitos, é tão incrível quanto se tivesse empurrado ele no recreio porque ele falou mal da sua nave de sucata que você fez na aula de artes.

    • cafuin

      “JAVA não é uma linguagem de programação pra quem quer tudo pronto! em java, você quer, tem que fazer…”

      Java, tem certeza, absoluta ? Esse seu comentário parece ser sobre C.

  • viniciustc

    Não trabalho muito com programação, agora que estou começamendo em uma empresa como desenvolvedor .NET, mas mexo com Java na faculdade e posso falar um pouco das diferenças. Para mim Java ganha de .NET por causa do SO que vai rodar; roda em qualquer SO grande do mercado (Windows, GNU/Linux, Mac, etc) ai podem falar que .NET também com o Mono, mentira aqui na emprese eles apanham para colocar o Mono porque nem tudo funciona. A única vantagem que eu vejo um .NET, tá bom não em .NET, mas na linguagem C#, é o Visual Studio, ele que cria a produtividade da programação, mas tem uma coisa, tira o Visual Studio e desenvolvedor fica sem fazer nada. Java tem excelentes IDEs como o Eclipse e o Netbeans, que você traticamente não precisa mexer em arquivos XML para configurar sua aplicação Web. Java ganhar mercado também pela quantidade de framework, recentemente utilizei o DWR que realiza o mapeamente de objetos Java para objets JavaScript com isso programando toda a interface Web em JavaScript deixando Java somente no servidor. Bem para mim Java não vai morrer, como muitos aqui já disserem Cobol esta ai e vai ficar por muito mais tem, assim como Java.

  • Canedo

    Ninguém quer jogar fora todo o tempo dedicado a aprender e aprimorar uma tecnologia. Acho que é por isso que posts como esse, despertam tanta fúria e fanboyzismo em alguns. Abre-se a caverna dos trolls. ;)

    Quem já fez alguma aplicação web com tecnologias mais recentes como Ruby on rails e conseguir baixar um pouco a posição defensiva de apaixonado por Java, pode achar o questionamento levantado no post bastante pertinente.

    O Java é mesmo uma plataforma muito poderosa e flexível, e não há qualquer possibilidade dela simplesmente desaparecer, mas vem perdendo muito espaço para novas soluções consideradas mais simples e que conseguem fazer o mesmo num tempo de desenvolvimento e aprendizado bem menor. O pessoal da Sun vem correndo atrás para resolver esses problemas, mas será que ainda dá pra alcançar os que passaram a sua frente? Eu, como programador Java já por muitos anos, espero que sim. Mas por segurança, vou acompanhando e estudando as alternativas.

  • 1berto

    A meu ver cada um tem seu espaço, em geral aplicações mais ‘sérias’
    de grandes empresas com um histórico de adoção de TI mais antigo.
    como bancos pex, sempre tiveram muitos serviços rodando em Unix e para
    estes Java é um caminho natural.
    Para pequenas empresas ou aplicações que nasceram com um foco mais
    pessoal/autoral PHP e Ruby teem mais espaço.
    Para empresas grandes, mas com uma adoção mais recente de TI em larga
    escala ou quando o visual atrativo seja o principal foco (grandes lojas
    virtuais pex) as tecnologias da MS teem mais força.
    Note que eu não estou fazendo afirmações técnicas, não estou dizendo
    que Ruby não ‘aguentaria’ o site de um banco pex, estou apenas mostran-
    do o quadro que eu percebo.
    Vale notar que apesar de a MS apesar cobrar por licenças de seus apli-
    cativos, na prática não impede as cópias não autorizadas, então NA PRáTICA a maioria usa o que querem usar.

  • Mauricio.Junior

    Concordo que o .NET tem reinado a nível de perfomace em desenvolvimento de software, porém não deveria se falar que o java está fadado ao fracasso pois ainda existem pessoas que gostam de sofrer um pouco para montar o ambiente da máquina.

    Fora os servidores que custam mais, eu falo bem mais do que os servidores Microsoft.

    O Java2EE ainda possui mercado devido ao Governo brasileiro que obrigou aos seus órgãos a utilizarem a linguagem java cujo nem conhecimento tinham.

    Antigamente era sim muito difícil montar um ambiente ao desenvolvedor, lembro que passei 1 semana tentando conectar o banco de dados com Java. Porém hoje em dia percebeu essa dificuldade e já disponibilizou uma ferramenta “eclipse europa” com os plugins “necessário” para esse desenvolvimento.

    Existe espaço a todos, é só uma questão de gosto!

  • Leia Mais:
    No Windows Phone, quem não tem Instagram caça (muito bem) com 6tag [UPDATE]No Windows Phone, quem não tem Instagram caça (muito bem) com 6tag [UPDATE]
    Finja surpresa: Google Wallet acaba de chegar ao iOSFinja surpresa: Google Wallet acaba de chegar ao iOS
    VLC terá suporte ao Chromecast em desktop, iOS e AndroidVLC terá suporte ao Chromecast em desktop, iOS e Android
    AOC apresenta fábrica e suas novidades para 2014AOC apresenta fábrica e suas novidades para 2014
    Smartphones dual boot Android/WP8 serão lançados na Índia em junhoSmartphones dual boot Android/WP8 serão lançados na Índia em junho
    Amazon estuda serviço de assinatura mensal de e-booksAmazon estuda serviço de assinatura mensal de e-books