ad

Rússia aproveita escândalo da NSA para tentar controlar a internet (mais ainda)

Rússia

Crédito da imagem: We Know Memes

Quem foi rei nunca perde a majestade, e outros chavões do gênero, se encaixa muito bem nessa história. A Rússia, nos tempos da União Soviética, controlava a vida de todos e tinha provavelmente o melhor serviço de espionagem do mundo.

O tempo passou, o comunismo acabou, mas a sede de controle continua lá.

Os russos estão usando a presença de Snowden, a persona non grata mais non grata de que se tem notícia nos últimos anos, para tentar mais uma vez aumentar o controle sobre a internet.

Dois membros do parlamento russo citaram os “vazamentos” de Edward Snowden sobre a espionagem da NSA (a famigerada agência de segurança norte-americana, que entre outras coisas tem uma lista de tudo que você assistiu no Xvideos) como motivos para obrigar empresas globais como Google, Facebook e Microsoft a obedecer regras russas de armazenagem de dados.

Ruslan Gattarov, membro do parlamento russo, declarou em entrevista:

Nós precisamos colocar rapidamente essas grandes empresas transnacionais como Google, Microsoft e Facebook, sobre controle nacional. Essa é a lição que Snowden nos ensinou.

Nos Estados Unidos, os documentos que Snowden divulgou mostraram como essas empresas cooperavam com as práticas da NSA.

Empresas de tecnologia que operam na Rússia estão acostumadas a receber intimações legais para fornecer dados de usuários, e não têm muitas maneiras de lutar contra isso, por causa das leis russas.

O que aguçou a raiva russa, no entanto, foi a cooperação de várias empresas norte-americanas com a NSA na interceptação de ligações telefônicas e emails, através do programa Prism, coisa que os russos tentam há anos sem muito sucesso com seus cidadãos.

Em resposta, Gattarov formou um comitê para lidar com o assunto.

Com o objetivo aparente de proteger a privacidade dos cidadãos russos, o comitê fez reviver uma aspiração antiga russa, de transferir o controle da internet e do registro de domínios para um braço das Nações Unidas, a União Internacional de Telecomunicações.

O comitê também recomendou que a Rússia exija que empresas estrangeiras obedeçam sua lei de privacidade de dados, usando criptografia licenciada pelo Serviço de Segurança Federal (em outras palavras, a versão atual da KGB).

Sergei Zheleznyak, parlamentar do partido de Vladimir Putin, foi mais além: ele quer que serviços de email e redes sociais mantenham seus dados em servidores russos, onde poderiam ser acessados por mandados de busca locais.

Como você já deve ter notado, os russos querem aproveitar o barulho para tentar controlar tudo que circula na internet (colocando o controle da mesma nas mãos da “inocente” ONU), no que tem o apoio de nosso glorioso ministro das relações exteriores, Antonio Patriota, que apoiou a ideia em recente visita à Rússia.

A KGB 2.0 já demonstrou seu poder sobre empresas de tecnologia russas, quando ordenou que o Yandex, maior site de buscas russo, revelasse quem havia feito doações online para o líder da oposição, Aleksei A. Navalny. Por uma incrível coincidência, essas pessoas receberam telefonemas ameaçadores de um grupo de jovens do Kremlin.

Fonte: The New York Times

Relacionados: , ,

Autor: j. noronha

Blogueiro em tempo integral e gênio nas horas vagas.

Compartilhar
  • Alexandre Barbosa

    Desse modo parece que o que Snowden idealizou na verdade está se voltando contra ele e principalmente contra nós. Com a desculpa de “proteger” seus cidadãos, os governos começam a estender suas garras para um controle mais eficaz da internet e afins e o pior de tudo é que num arroubo de patriotismo e nacionalismo FAJUNTO, muitos irão concordar. Deixaremos de estar sob o vigilância até então inofensiva (de certa forma) do Big Brother para cairmos nas garras de “veludo” dos pequenos irmãos ….. Chavez, Stalin e Mao mandam lembranças do além …

  • Renato Oliveira

    Esse texto soa meio tendencioso à colocar a Rússia como vilã na história. Porém, pelo que entendi, querem o armazenamento em território nacional, e que as empresas sigam as regras de lá, em seu território. Ou seja: não querem que o mundo obedeça às leis russas, mas “apenas” as que operem serviços em seu território.

    Vale lembrar que políticos brasileiros (hahaha) também já sugeriram o armazenamento de dados em território nacional. A novidade fica por conta da Rússia ser (pelo menos comparada com o Brasil) um país com políticos sérios.

    • Renato Henrique Souza

      Tendencioso é pouco, essa noticia é totalmente tendenciosa! E tem sentido o que a Russia diz, lembrando que eu não ligo que me monitorem o problema maior é quando se monitora empresas, projetos e documentação. Isso sim pode virar uma guerra, imagina se o Governo dos EUA descobre projetos secretos de empresas estrangerias e repassa a informação para as empresas americanas?

      A Russia esta certa no meu ponto de vista.

    • DanielBastos

      Eu confio meus dados nas mãos dos politicos brasileiros. Eles não conseguiriam descriptografar a língua do “P”

  • Fernando Silva

    Como comentado em vários lugares, assim como o Instagram não está interessado na foto do seu almoço, os governos não estão interessados em saber quando será o evento criado no feice para seu churrasco na laje, o cerne das discussão, que pode levar tudo para um caminho bem rugoso, são as informações de empresas e até estratégias comerciais dos governos estrangeiros, afinal é o dinheiro que move o mundo e informação correta nas mãos certas é mais dinheiro no bolso.

  • Pingback: Rússia quer bloquear a rede Tor e o uso de proxies « Meio Bit()

  • Pingback: Rússia bane AMD, Intel e essa política dos processadores imperialistas()

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis