Estudantes criam interface para controlar quadricópteros com a força do pensamento

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=rpHy-fUyXYk&w=640&h=360]

Há alguns anos a gente tem visto o nascimento de projetos nos quais os pesquisadores e cientistas controlam robôs, softwares e equipamentos eletrônicos com a força da mente. Cada dia mais este tipo de estudo avança e novas tecnologias são criadas. Do the evolution.

É o caso deste grupo de alunos de cursos de Ciência e Engenharia da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, que está desenvolvendo uma interface para controlar drones e quadricópteros, usando ondas cerebrais humanas para guiá-lo.

O professor Bin He lidera o experimento, que utiliza os chamados EEG Cap para ler os comandos dos usuários. Deve ser meio incômodo ter que “vestir” um capacete com eletrodos, e não seria lá o melhor look do dia que as mocinhas iriam registrar no Instagram, mas ainda assim deve ser bem bacana.

Para poder fazer todo o sistema funcionar, existem dois tipos de treinamentos que precisam ser realizados: primeiro os padrões de pensamento devem ser registrados e atribuídos a determinado comando. Por exemplo, pensar em fechar a mão direita é transformado em um comando para virar, olha que mágico, para a direita. Imaginar-se fechando a mão esquerda é equivalente a emitir um comando pedindo para o objeto virar na mesma direção, e assim por diante.

Com essas informações, os voluntários aprendem a usar seus pensamentos para controlar modelos virtuais do helicóptero com cursores em uma, duas e depois em três dimensões. Depois de conseguir bom aproveitamento nesta etapa, eles passam a brincar com o quadricóptero de verdade, que pode efetuar curvas, subir, descer e até fazer algumas manobras, como passar por dentro de aros. Vai Flipper!

Quando o usuário imagina um determinado movimento, os neurônios do cérebro criam ondas que são captadas pelo EEG Cap. Estes sinais são enviados para um computador, que traduz o pensamento em um comando real. Esta instrução é enviada para o quadricóptero através de uma rede Wi-Fi.

xmen11

Já podemos propôr algumas evoluções para o projeto, como acoplar uma câmera, além de baterias com recarregador solar, bem como implementar o funcionamento através de rede 4G. Isso permitiria voar com o drone por distâncias muito maiores. Neste caso, um sistema de segurança com paraquedas seria bem vindo. Quem sabe a programação de algum tipo de inteligência artificial (uma rede neural), que aprenda sozinha a interpretar os comandos do usuário. Seria divertido. Pra quem está procurando uma ideia de TCC em robótica, engenharia eletrônica ou ciência da computação, vale a dica.

De qualquer forma o professor Bin He e sua equipe já pensam em aplicações práticas para a interface de controle por pensamento. Indivíduos com problemas de locomoção podem ser capazes de operar uma cadeira de rodas, por exemplo. Ou uma prótese pode ser aprimorada para realizar movimentos cada vez mais precisos.

Fonte: Universidade de Minnesota.

Relacionados: , , , , , , ,
  • Luiz Felipe

    Vou colocar um desses no botao de build do meu IDE.

  • Hugo

    Se eu fosse um desses pesquisadores chamava esse trabalho de Telekinesis. Só pra causar mais impacto 😀

  • Edmilson_Junior

    Meu robô ia ficar muito louco.

  • Luciano Santos

    “Cada dia mais este tipo de estudo avança e novas tecnologias são criadas. Do the evolution.”

    Agora é só uma questão de tempo… Do the Evangelion.