Digital Drops Blog de Brinquedo

Executivo que trabalhava na Microsoft planeja criar a primeira marca oficial de Maconha dos EUA

Por em 31 de maio de 2013
emDestaque Indústria Meio Bit Microsoft relacionados      
Mais textos de:

Site | Twitter
  • Waltenydsam Câmara

    Se ele conseguir produtos bem diferenciados dos plantadores de quintal, há chances.

  • Zilardo

    app cura gay, chip 666, maconha… uma sexta-feira típica no meiobit.

  • Felipe Riffel

    um produto legal, onde o governo ganhe sobre os impostos, assim como o cigarro pq não daria certo? de repente ele é a cara dura que faltava para tentar legalizar a maconha.

    PS: ele ta tentando fazer de modo legal o que os traficantes fazem de modo ilegal, com um adendo, o governo participará dos lucros do modo dele assim facilitando a legalizade eu penso.

    • Mateus Azevedo

      Na verdade, o consumo nos estados citados já é legalizado. Até ai, nada de mais.
      O que o cara pretende é criar uma marca em cima dos produtos, assim como existem as marcas de medicamentos.

      PS: não posso deixar passar, “de repente” ;)

      • Felipe Riffel

        vlw pelo PS. ^^

        aqui no brasil por exemplo a consumo até certa quantidade é permitido, mas não existe nenhum meio legal de se conseguir a maconha, visto assim ficaria mais tranquilo para o governo liberar que uma marca que teoricamente tem padrões de qualidade e produção, e que ainda vai repassar os impostos para ele.

  • http://www.facebook.com/marcuspessoa Marcus Pessoa

    Acho uma ótima idéia, mas dificilmente ele vai conseguir licença do governo federal norte-americano para importar o produto do México.

    A única opção vai ser plantar no próprio estado de Washington mesmo, que não deve ter solos tão propícios.

  • Matheus Gonçalves

    Meu medo é eles criarem uma versão modificada que faça os usuários entrarem num barato vendo várias telas azuis.

  • Edmilson_Junior

    Acho que muitos ainda vão preferir a ilegal por ser mais barata, o povo ama economizar.

    • Gabriel Rezende

      Mas a versão “legal” pode ter um controle de qualidade.

      Por exemplo, mesmo com cigarros toscos e baratos do paraguay quem quer “qualidade” pega um nacional.

      Os cigarros ilegais vão ter que melhorar o padrão de qualidade (que não existe) e quem vende legalmente vai poder ter fábrica aberta, laboratório, tudo numa boa.

      • Edmilson_Junior

        Eu concordo plenamente mas temos de levar em conta a mentalidade do povo brasileiro que ao invés de comprar um aparelho “smart” de 300 reais que pode não ser top mas vai durar compra um de 250 falsificado que vai trocar a cada 4 meses e não vai fazer nada do que promete.

        • Gabriel Rezende

          Ah sim, isso sempre vai rolar, huahuaua.

  • Rodrigo Menezes

    Os traficante pira

  • sebastiao coelho

    se ele conseguir vencer os limites políticos, com certeza surgirá muita gente com mais “bala” (ou seja , poder e grana) nesse negócio. dificilmente ele conseguirá 40% do mercado global. A não ser que esse mercado global seja o legalizado, que dá uma merreca.

  • Jorge Dondeo

    Pronto, agora traficante virou empresário. Era só o que faltava!

    • Gabriel Rezende

      Conhece a história do Al Capone?

      O empresário que virou traficante na verdade, haha.

  • naoseidenada

    Agora vende drogas? Antes também…

  • Pingback: Facebook e Google ainda não aceitam propagandas de maconha, mesmo onde ela já foi legalizada