Digital Drops Blog de Brinquedo

Fujitsu apresenta tecnologia que transforma papel em interface touchscreen

Por em 19 de abril de 2013
emHardware Software relacionados    
Mais textos de:

Site | Twitter
  • http://www.facebook.com/jeffhsantos Jefferson Santos

    Muito interessante, bem bolado a jogada da Fujitsu….

  • orlando

    Ronaldo, você é um bom colunista, mas sabe realmente em que contexto se usa o termo “(sic)” ?

    • http://twitter.com/Cyber_Ramses/ Ronaldo Gogoni

      Um deles é quando você discorda de uma afirmação, que foi o caso.

      • ClaudioLisboa

        Vc está certo, Ronaldo.

        Geralmente [sic] é usado para alertar ao leitor que determinada
        parte do texto reproduz um erro ortográfico que deve ser atribuido ao autor original daquele trecho, e não ao texto que está sendo lido.

        Mas o [sic] também pode ser usado para discordar da afirmação anterior. Ou seja, como da primeira forma, atribui-se um erro a afirmação, evidenciando ao leitor que o redator discorda da mesma.

        Eu acho esse segundo uso desnecessário. Se o texto é bem escrito, como é o caso dos seus, você não precisa “mastigar” tudo para os leitores. Eu, por exemplo, entendi perfeitamente que:

        “Há quem reclame que ele [o papel] não é interativo o bastante…”

        O “há quem…” explica a frase inteira. Mas a sua discordância fica ainda mais evidente quando você solta a irônica provocação ao leitor:

        “…publicações que resistiram a milênios enquanto um smartphone não sobrevive mais do que dois anos parece um tanto irrelevante.”.

        Nesse contexto, o [sic] é realmente desnecessário. De qualquer forma, seus textos são ótimos, e essa discussão é irrelevante… Apesar de que, se evitar o {sic} quando não for fundamental, vc tb vai estar evitando que os leitores mais ingênuos se confundam com o texto e deixará seus textos ainda mais saborosos.

        Outra curiosidade, o [sic] significa sim, portanto é uma forma de se comunicar com o pensamento do leitor…. Quando esse está pensando “não”, o redator se antecipa e diz: sim. O redator para o texto para afirmar: “Sim! Foi dessa forma que foi dito/escrito/pensado”. Por isso é usado entre colchetes, pois é uma fala do redator e não adendo do texto o que justificaria o uso dos parenteses. Podemos dizer que você usou [sic] para reforçar ainda mais a sua indignação com tal afirmação, pode ser… seria uma boa justificativa. Mas não.

        Quanto ao aparelho da Fujitsu, não vejo a hora de ter um desses!

    • Pedro (Falkien)

      Interessante quando o cidadão faz uma pergunta da qual já sabe a resposta, e além disso não dá a resposta. Parece uma armadilha do super inteligentão. Por que simplesmente não explica seu entendimento do termo (sic) e vê se pode ajudar mais pessoas com isso?

      • Luiz Felipe

        Raciocinio trivial serve para isso, que tal as pessoas pensarem um pouquinho.

    • José Luis Junior Segatto

      Eu entendi como uma piada. O “pleonasmo” com o “Há quem…” reforça que o autor discorda.

    • Cussuol

      Taí, Eu não sei.
      Você poderia fazer a gentileza de explicar?

  • http://twitter.com/SrNoca Leonardo Moreno

    Já é um pequeno inicio, visto que 300 mm/s não é lá muito rápido.

  • Luiz Felipe

    O papel realmente resiste bem mais ao tempo do que informacoes digitais porque estas invariavelmente ficam atreladas a um formato desconhecido e os programas que podem ler o texto ficam obsoletos.
    Mas falar que ele eh mais iterativo seria verdade do ponto de vista meramente mecanico, mas do ponto de vista da informacao, o papel nao eh nada iterativo, justamente por isso que dura mais. Agora, do ponto de vista da informacao, eh obvio que em meio digital ela eh imortal, pode ser transcrita eternamente sem percas, mesmo que o meio fisico (smartphone, hd, dvd) se deteriore.
    O problema esta em gerenciar essa transferencia. Outra coisa que ocorre com textos antigos, eh que o portugues de 400 anos atras, por exemplo, eh inteligivel. Se supostamente seu texto fosse digital e voce soubesse ler o ASCII dele, e todo os caracteres especiais de formatacao, ainda assim, teria o problema da propria lingua humana nao ser mais conhecida.
    Entao vai ser natural ninguem conseguir abrir um doc daqui a 150 anos, e mesmo que consiga, vai ter trabalho em decifrar a propria lingua.
    Concluindo, se voce quer manter algo porque acha importante para o futuro, ele deve continuar sendo atualizado, e nao simplesmente impresso em um papel e jogado em uma biblioteca para ser esquecido, isso eh o mesmo que destruir a informacao. Informacao deve ser atualizada para sobreviver, e nisso o papel eh o pior meio.