Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

Islândia lança app para prevenir incesto

Por em 17 de abril de 2013
emCelular Computação móvel Mundo Estranho relacionados    
Mais textos de:

Site | Twitter
  • http://twitter.com/Darkus Darkus

    Curioso isso que vocês aí no Sul/Sudeste tem com isso de pegar a prima, aqui no Nordeste é praticamente obrigatório, principalmente na adolescência.

    • http://twitter.com/jovempadawan Lucas

      É praticamente obrigatório na sua parte do Nordeste, na minha não.

    • http://twitter.com/piRaoQuadrado Pierre ao quadrado

      Pelo menos aqui no RS não tem nada de errado pegar primas.

      • http://ceticismo.net/ Pryderi

        Aqui no Rio, “prima” tem outro significado.

    • Cristiano Nascimento

      “Pegar” é uma coisa, casar e ter filhos é outra. Você acha que pegar prima é coisa de nordestino? Senta lá vai!

      • Christiano Nascimento Amorim

        Isso aí xará.

      • Di

        Já dizia o sábio… “a prima é irmã q vc pode comer”. =]

    • http://www.facebook.com/people/Weuller-Sabino/100000911620523 Weuller Sabino

      Pegar é uma coisa. Já peguei e ainda pegava até pouco tempo, quando solteiro. O problema é engravida-la e ter filhos com problemas de saúde. Down, má formação, falhas neurológicas, tendencia à cursar teatro e letras…..

      • r0t3ch

        Fale mais sobre “tendencia à cursar teatro e letras…..” Fiquei curioso… É cada uma.

        • Cristiano Nascimento

          Hehehe… Acredito que tenha sido uma piada referente a forte onde de atores e atrizes dando beijos homossexuais na mídia. Acho eu que é isso né… rs

      • http://www.shimatai.com.br Wagner Shimatai

        A ciência já provou que relação com parentesco próximo tem a mesma probabilidade de filhos com problemas de formação do que uma relação com uma pessoa sem grau de parentesco.

        • http://ceticismo.net/ Pryderi

          Show me the paper. Depois me mostra outro sobre genes recessivos.

          • http://www.shimatai.com.br Wagner Shimatai

            Não precisa ir muito longe. É comum em tribos indígenas pessoas da mesma família, incluindo aí irmãos consanguíneos terem relações e se casarem. Então porque nessas tribos não nascem crianças com síndromes ou mal formadas?!

          • http://ceticismo.net/ Pryderi

            Porque morrem antes? Sabe estatística? Pegue o número de indivíduos indígenas que não somam nem milhões. Agora compare com Rio de Janeiro (6 milhões). Suponha 6 milhões de indivíduos consanguíneos. A probabilidade de um deles ter um gene recessivo que cause má formação será maior ou menor do que na sua tribo indígena? Assim, por seleção natural, os indivíduos indígenas que nasceram com alguma má formação não tiveram descendentes, sobrando apenas os indivíduos sem os famigerados genes recessivos malvadinhos. Quer mais um exemplo? Quantos dessa tribo indígena nascem de olhos azuis e cabelos loiros, ambos determinados por genes recessivos?

        • http://www.facebook.com/people/Weuller-Sabino/100000911620523 Weuller Sabino

          Na família de uma das minhas madrinhas, até pouco tempo, era comum o casamento entre primos. Pelo menos três gerações, nasceram com problemas sérios de saúde. De má formação à danos neurológicos progressivos.

        • Glauton Campello

          Leia sobre consanguinidade e verá que não é bem assim como vc diz.

          • http://www.shimatai.com.br Wagner Shimatai

            Isso eu vi num documentário científico, que procurava desmistificar justamente alguns assuntos levantados pela própria ciência, como esse caso de consanguinidade.

  • http://twitter.com/Cyber_Ramses/ Ronaldo Gogoni

    Fato: pra cada 100 islandesas lindas existe uma Björk.

    • http://www.facebook.com/people/Weuller-Sabino/100000911620523 Weuller Sabino

      Mas se ela se abster de cantar, eu ainda dava uns pegas nela.

      • http://meiobit.com/author/max_laguna Emanuel Laguna

        Concordo.

        • Eros

          +1

    • Christiano Nascimento Amorim

      cadastrei no disqus só pra te dar um downvote.

      • http://ceticismo.net/ Pryderi

        Esse é malvado!

    • Marcoscs

      cara, eu ia na Bjork.
      Contanto que ela mantivesse a boca fechada, claro…
      Ou até aberta, desde que exclusivamente para fins fornicatórios.

      • http://meiobit.com/author/max_laguna Emanuel Laguna

        HAHAHAHA! :) :D

  • Eros

    Poha, que mulher linda!
    Casava na hora e ainda daria meu salário todinho pra ela.
    Se bem que, quando ela ver, ela rirá compulsivamente da minha cara. E lógico arrumar outro cara. :(

    • http://profiles.google.com/cquintela Cristiano Quintela

      “Casava na hora e ainda daria meu salário todinho pra ela.”

      Meu amigo, depois que casar, mulher nenhum tu precisa dar o salário, ela pegam de qualquer jeito…

      • http://www.shimatai.com.br Wagner Shimatai

        É o que diz o velho ditado: “Casamento é a forma mais cara de se comer uma mulher de graça.”

    • Antonio Menezes

      -pats- there there. feelin’ better now bro?

  • http://www.facebook.com/luis.brandelli Luís Brandelli

    Curti a referência a De volta para o futuro!

  • Tejobr

    Dado o gabarito da maioria das mulheres islandesas… esses desenvolvedores não gostam da fruta.

    Eu desenvolveria um app para “rankear” as primas, com geolocalização.

  • MPChock

    Hora de ir pra islândia e causar uma heterose por lá…

  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

    Peraí, PERAÍ. Primas em 1º grau e ainda tem risco de não saber disso é meio forçado, heim? :D

    • gabriel figueiredo

      Pois é, pensei por aí também. Quanto a primos em primeiro e até segundo grau não é tão difícil assim saber né, e mais que isso talvez seja um exagero, mesmo com uma diversidade genética não tão grande, os tais 320 mil.

      Se os problemas genéticos começarem a sair do controle, talvez seja o caso de incentivar a imigração, oferecer emprego, incentivos fiscais, um(a) louro(a) à espera no aeroporto e tal.

      Será que algum pais/região do mundo já apelou pra isso?

    • http://twitter.com/piRaoQuadrado Pierre ao quadrado

      Depende muito. Eu já estudei com uma prima de primeiro grau que eu demorei meses pra descobrir que era minha prima. Meu pai teve 10 irmãos, eu devo ter mais de 30 primos de primeiro grau, mas só lembro de uns 15.

      • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

        Vixe, sua família deve ter se separado bastante, heim? Meu pai também teve 10 irmãos, e minha mãe outros 7, e em todas as festinhas infantis todos os primos estavam lá. Conheci todos eles desde quando me entendia por gente :)

  • http://www.shimatai.com.br Wagner Shimatai

    Mas ter filhos com parentes de 1º grau não gera filhos esquisitos. Isso já é uma crença derrubada pela ciência. A probabilidade é a mesma para parentes e não parentes.

    • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

      Pois é, isso parece meio TABU para muitos. Eu conheço um casal casado e que tiveram duas filhas, que são primos em primeiro grau. E conheço outro que acabou de se casar ano passado, também primos em primeiro grau. Sem contar que minha esposa torce para dois primos dela ficarem juntos e namorarem (os dois são muito próximos, e TODO MUNDO aposta que isso vai acontecer, mais cedo ou mais tarde).

      Acho que a chance de deformações aumenta se forem primos-irmãos verdadeiros: de dois irmãos casados com duas irmãs (ou um irmão e irmã casado com uma irmã e irmão, respectivamente. Eu tenho um caso assim na família: meu pai tem um irmão casado com uma das irmãs da minha mãe). Aí a similaridade genética é muito maior, só perdendo para filhos de gêmeos: se só um dos pais tiver um irmão gêmeo, é como se compartilhassem um mesmo pai/mãe, mas não a mesma mãe/pai. E se tanto pai quanto mãe forem gêmeos, como alguns casos que já vimos na mídia, é como se todos os primos fossem irmãos, filhos do mesmo pai e da mesma mãe. Aí sim, poderia haver algum risco.

      Isso, claro, é o que eu acho :)

      • http://www.shimatai.com.br Wagner Shimatai

        Essa última situação que você mencionou é muito raro e poderia ser classificado como exceção e não como via de regra. Se fosse regra ter filhos problemáticos em relações de parentesco próximo, então tribos indígenas teriam vários índios com síndromes e má formação, já que é comum eles terem relações com primos e até irmãos, em alguns casos.

        • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

          Então, justamente as exceções de “talvez, caso aconteça, quem sabe”, já que nesses dois últimos exemplos meus, é como se fossem irmãos ou meio irmãos, geneticamente falando (não seria o caso dos meus pais, a genética seria mais diluída, apesar de vir de dois irmãos com duas irmãs, só que nenhum deles é gêmeo do outro)

      • http://ceticismo.net/ Pryderi

        O risco seria maior, mas irmãos gêmeos idênticos não possuem EXATAMENTE o mesmo DNA. Fatores ambientais podem causar mutação (e não, não lhe darão a capacidade de virar borracha ou ficar invisível).

  • ClaudioLisboa

    Minha prima sempre fez jogo duro… não me dava nem uns beijinhos. :S

    • http://ceticismo.net/ Pryderi

      Me apresenta, então (neste momento, uma panela sai da cozinha em trajetória balística e vem em minha direção)

      • ClaudioLisboa

        Até apresento, mas já aviso que ela deu uma embarangada violenta. Nem vale o risco. Mas se vc for bom rapaz, encarar a fera e assumir compromisso, a família agradece!
        IMPORTANTE: Não aceitamos devolução!

  • Camargos

    o pessoal vai utilizar a app somente para iniciar o chaveco. “Olha que legal vc é filha do Ólafur Jónsson, é meu tio.”

  • https://www.facebook.com/cristiano.maia Cristiano Maia

    Achei interessante que o app usa NFC para o usuário simplesmente encostar um aparelho no outro e saber se o limite fisico é só um aperto de mão.

  • https://www.facebook.com/cristiano.maia Cristiano Maia

    Uma curiosidade cultural: os filhos pegam o primeiro nome do pai
    como sobrenome, então você não consegue descobrir se é parente por nome! Por isso o app é muito útil!