Cientista cria inteligência artificial que joga Nintendinho

A inteligência artificial que temos hoje pode estar longe daquela vista em obras como O Exterminador do Futuro ou 2001 – Uma Odisséia no Espaço, mas o pesquisador Tom Murphy apresentou algo durante a SigBovik 2013, uma feira anual sobre ciência da computação, que é digno de nos deixar bastante impressionados.

Alegando se tratar de uma IA 100% real, o programa criado por Murphy se vale de ordenação lexicográfica, um sistema matemático usado para ordenar valores, para jogar o primeiro estágio do Super Mario Bros. Para chegar a tal resultado, o cientista criou dois softwares, um chamado LearnFun, que reúne as partidas jogadas pele autor e dados do game, como localização dos inimigos e botões a serem pressionados; e outro conhecido como PlayFun, que aproveita tais informações, ou seja, a inteligência artificial propriamente dita.

O objetivo da máquina é sempre obter o maior placar possível – inclusive explorando bugs e glitches – e no momento Murphy está trabalhando para fazê-la funcionar com outros clássicos, como Karate Kid, Adventure Island, Pac-Man e Bubble Bobble, mas revelou ter falhado em todas as tentativas de colocar a IA para jogar Tetris, simplesmente porque ela tenta aumentar sua pontuação da maneira mais fácil, colocando as peças na parte de baixo da tela de maneira aleatória.

Caso queira mais detalhes sobre o projeto, eles podem ser encontrado aqui e como agora sabemos como tudo começou, resta saber quanto tempo a Skynet levou para chegar a este nível.

[via Wired]

Relacionados: , , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar
  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

    Será que é uma IA mesmo ou nada mais que um script que executa os comandos numa ordem milimetricamente pré-programada?

    • Luiz Felipe

      O que ele falou eh que o algoritimo varre a memoria e tenta encontrar padroes para saber quando esta ganhando observando a alteracao da memoria. Nao tem nada programado, eh apenas um estupido algoritimo matematicp que produz bom resultado.

  • Cilon Mello

    Se for uma IA mesmo então estamos ferrados. Quer dizer uma IA que aprende com os seus erros até o ponto em que ela criar ciencia de si mesma aaaaaaand… REBELIÃO DAS MÁQUINAS!

    • Ricardo

      Pois é. Daqui a pouco ela aprende a sair do emulador, invadir computador, desligar sistemas de energia, construir robôs e exterminar a humanidade…

      • Luiz Felipe

        Usar IA para descobrir falhas de vazamento de memoria, as vezes parece mesmo que alguem usa isso dado a incrivel quantidade de 0-days descobertos, ninguem pode ter tanto tempo livre.

  • keyser3

    errr 1o. de abril?

  • Marcelo Utikawa da Fonseca

    Dominar o mundo? Se essa IA aprender com as atitudes da maioria das pessoas, o máximo que vai conseguir é passar piadinhas no facebook… 😀

  • Luiz Felipe

    Liked the end, the only winning move is not to play, reminds me of war games.

  • Luciano Costa

    Artigo do cara datado em 1º de Abril…

  • http://www.facebook.com/luciano.niemann Luciano Niemann

    Não vejo nada de espetacular aí. Quando jogamos jogos um pouco mais sofisticados o computador controla os inimigos de diferentes formas e reage muitas vezes como se estivesse “pensando” no que fazer,… então isso parece normal.

  • José Luis Junior Segatto

    Detalhe que Tetris é bem mais simples de se descrever matemáticamente, logo, bem mais simples de se criar um algoritimo que entenda sucessos e falhas.

  • http://www.facebook.com/jdelefrati Jean Rafael Tardem Delefrati

    Eu dei uma lida rápida no artigo e parece muito muito interessante.

    O que ele faz é verificar bytes na memória que demonstrem que ele está “ganhando”, ou seja, os bits estão aumentando. Depois ele fez várias modificações para “prever” os próximos passos para saber se ele vai morrer ou não. Ele roda várias vezes o mesmo script para que o jogo já saiba o que aconteceria se ele tomasse uma ou outra decisão.

    O que eu achei mais interessante é que o mesmo algorítimo cria padrões para qualquer jogo, porque os locais onde são gravados o progresso ou pontuação pelo NES são sempre os mesmos.