Outro dia, outra tecnologia de Star Trek: Tricorder médico identifica lesões cerebrais

vlcsnap-00001

Traumatismos cranianos matam um monte de gente todos os anos. Os piores são aquelas pancadas que achamos que não deu nada, nem sangram mas causaram um hematoma que está crescendo malignamente. Algumas horas depois, cataploft. você já era.

Diagnosticar esses sangramentos em fase inicial é muito difícil, ainda mais se você estiver em campo. Num hospital, com um bom neuro, equipamento e plano de saúde em dia na dúvida o cara manda fazer uma tomo, um MRI e um exame de próstata, mas só porque você foi abusado.

Já num hospital de campanha, próximo a uma linha de frente no Afeganistão, não há esses luxos. Nem em postos de saúde, UPAs e 90% das unidades médicas no Brasil, por exemplo.

Aí que entra o Infrascanner 2000. Aprovado pela FDA para uso comercial, é um equipamento dedicado que emite lasers infravermelhos através do couro cabeludo, do crânio, das meninges e chega na superfície do cérebro (deve dar um calorzinho). Um sensor lê a luz refletida e algoritmos provavelmente lindos identificam se há fluxo sanguíneo correto ou acúmulo de sangue em um hematoma.

O equipamento, produzido pela MedLogic, usa 4 pilhas pequenas e/ou uma bateria própria, assim as chances de ficar sem energia são menores. na tela de LCD há até a indicação de onde posicionar os sensores, permitindo que gente com menos treinamento consiga fazer uma sondagem preliminar. Não há informação de preço, mas vale cada centavo.

Aqui um vídeo promocional:

Fonte: GM

  • http://leitesf.wordpress.com Rafael Leite

    Eu que já tive um que só foi detectado no segundo hospital que visitei (o primeiro me liberou sem fazer nem raio-x) gostei muito da notícia.

  • http://twitter.com/Cyber_Ramses/ Ronaldo Gogoni

    Aos pouquinhos estamos saindo da era da Inquisição Espanhola.

  • http://ceticismo.net André

    Onde está o sabre de luz de vocês, módafoca?

  • http://twitter.com/carloscruzphoto Carlos Cruz

    O pessoal que estava atendendo na Arena do Gremio, aquela da avalanche devia já estar usando isso pois as pessoas estavam sendo liberadas na hora…

  • lordtux

    Uma das coisas mais escrotas que sempre achei, isso porque fui em um posto de saúde recentemente, é você esta tendo algum sintoma e o médico não demorar nem 5 minutos com você já te passa uma dipirona e já te manda para casa. Sintomas menores podem ser sinais de sintomas maiores, já cansei de ouvir histórias, de ler, sobre gente com doença grava que num primeiro momenta sempre faziam diagnósticos simplistas. Médicos não são videntes e fica inviável sempre você ficar pedindo exames completos, ainda mais em um país atrasado na questão de saúde pública como o Brasil. Projetos como esse deveriam ser incentivado e muito pelos governos tornando a vida de médicos mais fácil e evitaria que o paciente se ferrasse em algo mais grave no futuro.

  • Pingback: Conheça o Scanadu Scout, o mais próximo que temos do Tricorder médico « Meio Bit()

  • Pingback: Wello, mais um case que (quase) transforma seu iPhone num Tricorder()